Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

11
Mar11

Novos sinais de trânsito nas SCUT

olhar para o mundo
Sinais azuis indicam cobrança electrónica de portagens e fiscalização automática de velocidade. SCUT portajadas renderam 17 milhões de euros em 2010.

Começaram a ser colocados sexta-feira, após a publicação da legislação em Diário da República no passado dia 3, os novos sinais de trânsito nas antigas SCUT. As placas azuis avisam o utente que se encontra numa área sujeita à cobrança electrónica de portagens e também numa via com controlo da velocidade por radar.

«A regulação dos sinais em questão visa a garantia do consumidor para que o mesmo possa saber e conhecer, através da sinalização, que está a entrar numa estrada com portagens ou que se encontra na sua linha de radar», indica o diploma do Governo.

O mesmo diploma regulamenta a sinalização das vias portajadas e da vigilância por radar, mas não menciona a captura de dados de veículos e condutores para fins de pagamento da utilização das vias, indicando antes a necessidade de assegurar o «cumprimento dos limites legais da velocidade e, consequentemente, a redução da sinistralidade rodoviária».

A cobrança de portagens arrancou a 15 de Outubro nas SCUT Norte Litoral, Grande Porto e Costa de Prata. Até 15 de Abril, o regime deverá ser alargado às SCUT Interior Norte, Beiras Litoral e Alta, Beira Interior e Algarve, e aos lanços de três concessões do Norte isentos na primeira fase.

Este mês, o ministro das Finanças Teixeira dos Santos situou em 16 a 17 milhões de euros o valor das portagens cobradas entre Outubro e o final de Dezembro de 2010.

 

Via Sol

04
Mai10

Bento XVI em Lisboa. Uma cidade sem ecopontos e com o trânsito cortado

olhar para o mundo

Papa em Lisboa .. confusão instalada

 

Dezenas de estradas cortadas. Estacionamentos interditos. Condicionamentos no Metro e ruas sem caixotes do lixo e ecopontos. Esta é a Lisboa que Bento XVI não vai ver quando chegar, no dia 11 de Maio, mas será a cidade em reboliço com que os lisboetas terão de lidar.

O plano de segurança da visita do Papa a Lisboa (10 e 11 de Maio) e ao Porto (14 de Maio) foi apresentado, ontem, na direcção nacional da PSP. As estimativas da polícia apontam para que, durante os dias da visita de Bento XVI, saiam à rua 200 a 300 mil fiéis em Lisboa e 150 a 200 mil no Porto. O dispositivo de segurança, garante a PSP, está a ser preparado "há largos meses", mas mesmo assim a polícia escusa-se a revelar o número de efectivos destacados para a operação. "Serão em número suficiente para garantir a segurança", limitou-se a dizer o director nacional, Oliveira Pereira. Quer em Lisboa quer no Porto, os pontos altos da visita, em termos de segurança, são as missas - no Terreiro do Paço e nos Aliados. Mas os trajectos que Bento XVI fará em Papa Móvel, a 30 km/h, também vão merecer "atenção especial" por parte da polícia. Contas feitas, em Lisboa e no Porto, Bento XVI fará um total de 46,1 quilómetros por via terrestre - em Papa Móvel e em carro fechado "tipo limusine". 

lisboa Em casos urgentes de socorro, os fiéis devem dirigir-se, recomenda a PSP, à 2ª esquadra, na rua do Arsenal. Nos dias 11 e 12, o trânsito estará cortado em todas as artérias - em ambos os sentidos - à hora a que Bento XVI passar. Os condutores devem estudar percursos alternativos. 

Também o estacionamento será proibido nas laterais aos percursos tomados pelo Papa. Em breve começarão a ser distribuídos panfletos com um aviso: os carros estacionados nas zonas condicionadas serão autuados ou rebocados, caso não sejam retirados no prazo previsto pela polícia. Além disso, o trânsito pedonal e automóvel será cortado na Avenida Luís Bívar (junto à Nunciatura Apostólica) - excepção feita para moradores. 

Os caixotes do lixo, ecopontos e outro mobiliário urbano vão desaparecer de todas as ruas gradualmente, a partir do dia 9. E o metro também não escapa aos constrangimentos, com a linha entre a Baixa-Chiado e Santa Apolónia encerrada no dia 11, até às 21h30. No Terreiro do Paço são esperadas 100 mil pessoas para assistir à missa, às 18h15. O Papa será vigiado por nove câmaras. No Tejo, a Polícia Marítima não deixará aproximar qualquer embarcação e a Força Aérea só deixará voar um helicóptero - que transportará a equipa de repórteres de imagem. Seis ecrãs gigantes instalados na Praça do Município, no Terreiro do Paço, na Rua Augusta e no Terminal dos Barcos (Praça do Comércio) transmitirão a missa em directo.

porto e Fátima No Porto, vão estar de serviço 93 câmaras de vigilância usadas, normalmente, no controlo do tráfego. À semelhança do que acontece em Lisboa, as ruas utilizadas pelo Papa serão cortadas ao trânsito, entre as 9 e as 13h00 do dia 14, prevendo-se o encerramento da Ponte do Infante - restam, como alternativa, as pontes do Freixo e da Arrábida. Em Fátima, as operações são coordenadas pela GNR, estando envolvidos cerca de 800 elementos na operação - os detalhes só serão revelados no final da semana.

23
Jan10

Lisboa:CREL vai continuar cortada por "tempo indeterminado"

olhar para o mundo

Crel cortada por tempo indeterminado

 

 circulação na A9 (CREL) entre Queluz e Pontinha continua interdita em ambos os sentidos, devido a um deslizamento de terras, não havendo ainda previsão de reabertura, segundo aProtecção Civil e a GNR.

Fonte do Comando-Geral da GNR disse à Agência Lusa que os trabalhos para repor a normalidade da situação foram iniciados hoje pelas 07:40.

Aquele troço foi interditado devido ao perigo de queda para a via de postes de alta tensão, em consequência do deslizamento de terras, afirmou a mesma fonte.

À Lusa, porta-voz da Brisa, Franco Caruso, disse que o corte da via (na sequência do deslizamento ocorrido na sexta-feira) se mantém, não tendo havido ainda uma evolução significativa. "Estamos ainda no terreno a monitorizar e a controlar a situação", indicou Franco Caruso, esclarecendo que os trabalhos em curso se destinam à remoção dos postes e cabos de alta tensão da EDP.

Segundo a mesma fonte, o deslizamento de terra "ainda não está estabilizado", não tendo por isso sido ainda iniciado o trabalho de remoção de terras: "É uma massa de terra muito grande. Pensamos iniciar esse trabalho em breve, mas ainda não foi possível". "É um corte por tempo indeterminado", garantiu a mesma fonte à TSF.

Fonte da EDP disse à Lusa que os postes não foram removidos mais cedo por não haver condições de segurança no pavimento. "Estivemos durante a noite no local e continuamos", acrescentou a porta-voz da EDP, Maria Antónia Fonseca, segundo a qual o deslizamento de terras arrastou os postes, mas estes "não estão a cair para a estrada". "Estão para o lado contrário. O pavimento da estrada é que está a abater, daí a dificuldade em colocar as gruas", referiu.

A situação deixou na sexta-feira sem luz alguns habitantes da zona durante 10 minutos, de acordo com a mesma fonte.

Via Ionline

30
Jul09

Cuidado: vai haver 300 radares fixos nas estradas em 2011

olhar para o mundo

Vai haver mais radares em Portugal em 2010

 

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) vai abrir um concurso internacional ainda este ano para a instalação de um sistema de radares que deve ficar pronto em 2011. Está prevista a instalação de 300 caixas de radar sobretudo em itinerários principais (IP) e estradas nacionais, das quais apenas 100 vão ter (aleatoriamente) um radar instalado. Este sistema resulta em parte dos critérios definidos num estudo do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), recentemente entregue. 


O estudo, entre outras abordagens, incidiu sobre os critérios que conjugaram variáveis como a relação entre a velocidade e o número de acidentes em determinadas zonas. A opção por IP tem a ver, segundo o presidente da ANSR, Paulo Marques, com o facto de as auto-estradas serem mais seguras.

A GNR confirmou ao i não possuir nenhum radar fixo em todo o país - a não ser que se contem aqueles que estão fixos por um período limitado, os radares montados pela GNR num determinado local ou automóveis que no interior têm um radar. No entanto, em ambos os casos, são retirados no final das operações.

Para já, o único radar fixo nas estradas portuguesas é operado pela ANSR e está instalado na A25, que liga Aveiro a Vilar Formoso, numa curva de 240 graus, conhecida por "bossa do camelo", na zona do Caçador em Viseu. Isto para além dos municipais no Porto e em Lisboa.

A Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária, recentemente publicada em Diário da República, prevê outras medidas de controlo da velocidade. Uma delas é a obrigatoriedade de passar a ser elaborado todos os anos um plano nacional de fiscalização com estratégias em três vertentes - velocidade, consumo de álcool ou drogas e sistemas de retenção (cinto e cadeiras infantis).

correio pouco fiável Todos os anos circulam na internet informações sobre radares, locais de operações stop conhecidos, automóveis utilizados pelas forças de segurança, matrículas e modelos e até cilindrada e potência das supostas viaturas da GNR, e outras informações, mas a maioria delas não corresponde à verdade. Por exemplo, num desses textos que circulam por correio electrónico, uma das matrículas atribuída a um carro descaracterizado da GNR veio a revelar-se a matrícula de um automóvel particular de um oficial da corporação. A GNR adiantou que apenas algumas informações são verdadeiras. No entanto, não têm nada contra a proliferação desta informação na rede, sobretudo se ela servir para prevenção ou inspirar cuidados especiais.

Paulo Flor, porta-voz da PSP, explicou ao i que "estão a ser preparadas várias operações [de trânsito] para o Verão", mas que "neste momento" não é conveniente "divulgar pormenores". Já a GNR não quis adiantar quais as estratégias que vai usar para solucionar os problemas do tráfego no período estival.

 

Via Ionline

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D