Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

27
Set10

O emprego mais parvo do mundo

olhar para o mundo

Falar com os extraterrestres, o emprego mais parvo do mundo

 

astrofísicaMazlan Othman, vai ser designada em breve, embaixadora das Nações Unidaspara o espaço e estará encarregue de coordenar a resposta da espécie humana no caso de existir uma tentativa de contacto de extraterrestres.

Este novo cargo surge depois de terem sido descobertos um grande número de planetas que orbitam estrelas, o que volta a abrir a hipótese de que os humanos possam a vir a ser contactados por vida extraterrestre inteligente.

O plano de converter a Delegação das Nações Unidas para o espaço Exterior (UNOOSA) num organismo de coordenação para encontros com extraterrestres será previamente debatido pelas várias comissões das Nações Unidas antes de ser enviada para a Assembleia Geral. “Quando (os extraterrestres) nos disserem ‘levem-me ao vosso lider’, Othman será o mais próximo que teremos,” disse o perito em direito espacial Richard Crowther.

Othman ocupa actualmente o cargo de directora da Delegação das Nações Unidas para o espaço Exterior e as responsabilidades do seu novo cargo vão ser reveladas numa conferência, emInglaterra na próxima semana.

 

Via Ionline

15
Set10

Fome: 925 milhões de pessoas

olhar para o mundo

925 milhões de pessoas com fome no mundo

 

O número global de pessoas com fome crónica ascende a 925 milhões, segundo estimativas do FAO, que responsabiliza as boas colheitas e a descida do preço dos alimentos pela redução da marca dos mil milhões de famintos, ou seja, o número de pessoas subnutridas no mundo teve a primeira queda em 15 anos, no ano passado.

Segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Agricultura (FAO), divulgados hoje em Roma, o número estimado de subnutridos em todo o mundo passou num ano de 1.02 mil milhões de pessoas para 925 milhões, localizados maioritariamente na Ásia e na África.

Ainda assim, o número é considerado "inaceitavelmente alto" e muito acima dos objetivos dasNações Unidas, de reduzir "dramaticamente" o número de pessoas com fome no planeta, segundo o FAO.

Segundo a FAO, a estimativa mais baixa deste ano reflete principalmente os efeitos de progressos feitos pela China e pela Índia para alimentar as respetivas populações.

Mais de 40 por cento dos subnutridos do mundo vivem na China e na Índia. Globalmente, dois terços dos famintos crónicos vivem naqueles dois países, no Bangladesh, Indonésia, Paquistão, República Democrática do Congo e Etiópia, revela o relatório.

O relatório concluiu também que estas pessoas continuam subnutridas, apesar dos objetivos estipulados pelas Nações Unidas nos encontros de doadores, que revelam "um profundo problema estrutural que ameaça a capacidade de atingir acordos internacionais sobre os objetivos de redução da fome".

Responsáveis das Nações Unidas tentam mobilizar os países para atingir um maior progresso no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio de reduzir a proporção de pessoas com fome nos países em desenvolvimento de 20 por cento, em 1990-92 para 10 por cento, em 2015.

Se as estimativas de 2010 se mantiverem, a proporção de famintos em 2015 será de 16 por cento.

O crescimento económico nos países em vias de desenvolvimento está a contribuir para melhorar o número de pessoas com fome, refere o relatório, que destaca ainda a ajuda da natureza.

"O preço interno e externo dos cereais caiu dos picos atingidos em 2008, refletindo dois anos consecutivos de produções recorde", refere o relatório.

"Apesar da produção estimada para 2010 ser mais baixa, a situação global é considerada adequada", acrescenta o texto.

No início do mês, um perito das Nações Unidas em direitos humanos apelou aos governos para que cortem no preço dos alimentos, evitando a todo o custo a especulação.

O FAO, baseado em Roma, marcou uma reunião para 24 de setembro para discutir o aumento do preço dos alimentos.

 

Via ionline

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D