Quarta-feira, 11.08.10

castigo que pode determinar a suspensão e o despedimento do seleccionador pode estarpreso por uma "vagina". Ou melhor, pela análise da forma como este usou a palavra para insultar Luís Horta.

 

 

O Professor Carlos Queiroz terá aconselhado, na manhã de 16 de Maio, durante o estágio pré Mundial de Futebol realizado na Covilhã, o Director da Autoridade antidopagem Luís Horta a "ir fazer análises à c... da mãe dele". Sendo que a tal c... de que o Professor falava não consta que fosse uma bicicleta de marca Kona ou mesmo um Opel modelo Ascona que precisassem eventualmente de um qualquer tipo de revisão, afinação ou análise. Falava sim Queiroz do pipi da senhora.

Ao que parece nem todos os presentes terão apreciado a sugestão técnico-táctica e ginecológica do Professor, o que se entende. Um dos clínicos destacados para fazer o controlo anti-doping ter-se-á mesmo sentido mal com os impropérios do Professor, acabando por ficar o PH e a densidade da urina de um dos jogadores por determinar. Xixi baralhado que está agora a pôr o técnico do ADoP muito provavelmente com um processo às costas por incumprimento de funções. Tudo por causa de uma "vagina" descontrolada em forma de "C..." que saiu da boca nervosa de Queiroz

1 - Por alma de quem, e que conhecimentos detém o Seleccionador Nacional para poder afirmar tão peremptoriamente que o pipi da mãe de alguém precisa efectivamente de ser sujeito a analise?

2- Se estes factos se passaram antes do Mundial, e a serem verdadeiros, porque razão é que o Seleccionador não foi demitido naquele preciso momento? Ou pode agora um seleccionador, porque acordou maldisposto ou comichoso, sugerir a técnicos que apenas cumprem as suas obrigações profissionais recolhendo amostras, que fossem antes analisar a vagina da mãe do patrão deles? Um seleccionador não é propriamente um taberneiro, ou não deveria ser, para andar à pancada em aeroportos com jornalistas e mandar este e aquele analisar a passarinha seja de quem for.

3 - Porque é que só agora, finalizado o Mundial, se fala com tanta insistência no assunto, com processos e inquéritos? Terá alguma coisa a ver com o facto da FPF querer mandar também o Prof. Queiroz analisar coisas cabeludas bem longe daqui e, não tendo qualquer argumento legal ou desportivo para o fazer sem terem de lhe pagar uma indemnização milionária, usarem este expediente como forma de se livrarem do empecilho?

4 - Queiroz "lamenta a expressão utilizada". Expressão? Mas isto agora é só uma questão de léxico? Se em vez de c... tivesse sido um sinónimo qualquer ou a ideia fosse a mesma mas dita de forma mais delicada estaria portanto tudo dentro da normalidade? E educação, civismo, correcção, nada? Queiroz tem razão. Querem tramá-lo, mas é só para não lhe pagarem, porque de facto já devia ter sido feita uma análise ao seu trabalho com consequências reais há muito tempo.

 

Via 100 Reféns



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 12.07.10
O amor é lindo.... até no futebol!


publicado por olhar para o mundo às 13:53 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sábado, 10.07.10

Cromos, como acabar a caderneta do mundial

 

Na porta da papelaria Riscos e Rabiscos, no centro comercial do Campo Pequeno, em Lisboa, letras azuis rabiscadas numa folha A4 avisam: "A partir de 1 de Julho não haverá mais troca de cromos." Mas isso não parece desencorajar quem procura o jogador que lhe falta para acabar a caderneta do Mundial-2010. Os bancos do corredor em frente nunca estiveram tão cheios como nos últimos dois meses - nem mesmo quando toda a gente queria provar os cupcakes do centro comercial. "Quando acabámos com os cromos, as pessoas continuaram a encontrar-se aqui em frente para fazer trocas", explica Ricardo, responsável pela papelaria. "À hora de almoço, o corredor fica cheio." 

Enquanto dois miúdos jogam futebol com um chinelo a fazer de bola, as suas mães, sentadas num banco, trocam cromos dos verdadeiros craques. Estão demasiado concentradas na lista dos autocolantes em falta para conversarem com o i. Ao lado, Gonçalo Santos, de 30 anos, espera pela sua vez para tentar arranjar os seis cromos que lhe faltam. "Só hoje já troquei aqui cem", conta. "Quem me falou disto foi um senhor que conheci numa troca de cromos no Colombo." Pedro Rodrigues, de 45 anos, também teve sorte na colheita: "Só me falta o 100 [o francês Ribéry]. Costumo trocar numa papelaria em Queijas, mas hoje vim aqui." 

Depois do anúncio na porta, Ricardo, da papelaria do Campo Pequeno, suspirou de alívio. "Antes as pessoas deixavam aqui as listas e os cromos repetidos. Era troca por troca e um bocado à confiança", explica. No início eram só dez coleccionadores, os clientes da casa, mas depressa começaram a aparecer centenas de pessoas de todas as partes da cidade. "Era uma grande confusão."

Manuel dos Cromos

Aos domingos, no Mercado da Ribeira, em Lisboa, Manuel Santos, de 58 anos - ou "Manuel dos Cromos", como é conhecido - tem as suas manhãs de trabalho mais calmas. Desde 1974 que troca e vende cromos junto à Estação do Rossio, depois de ter ficado desempregado. Ao fim-de-semana tem uma banca na feira de coleccionismo do Mercado da Ribeira, ao lado de uma compilação de pacotes de açúcar e de outras raridades. "No Rossio tenho o dobro da afluência que tenho aqui", diz logo a seguir a vender perto de 20 cromos, a 30 cêntimos cada. Quem não quiser gastar dinheiro pode trocar um cromo de Manuel - que este ano nem teve tempo para fazer a caderneta - por quatro repetidos. "É por isso que fico com muitos", explica Manuel. "Só comprei duas caixas no início e ainda tenho o dobro disto em casa", diz, enquanto pega num paralelepípedo de madeira repleto de cromos. "Em casa tenho também prateleiras cheias só com cromos de outras colecções."

Novato dos cromos

Na banca ao lado está um vendedor mais novo que prefere não se identificar. "É a primeira vez que vendo cromos", confessa. Também ele foi levado pela febre da caderneta do Mundial, "um fenómeno que não tem explicação lógica". Nem mesmo o facto de a empresa italiana Panini ter distribuído gratuitamente as cadernetas. O mesmo já tinha acontecido com a colecção do Europeu de 2008. 

"No trabalho toda a gente troca cromos, desde o patrão ao contínuo", diz o vendedor. "Há pessoas de 40 anos que vêm ter comigo para acabar a caderneta e nunca na vida tinham comprado cromos, embora esta seja a caderneta mais cara de sempre." Com 640 cromos, a 60 cêntimos cada carteirinha, se nunca lhe calhasse nenhum repetido gastaria 76,8 euros para acabar a colecção do Mundial. 

Recentemente, a Panini pôs à venda um pack que custa 5 euros, com 80 cromos para colar em cima dos originais na caderneta. A lista de cromos é decidida em Fevereiro e, nessa altura, a convocatória de jogadores ainda não foi feita e por isso há cromos de jogadores que nem participaram no Mundial - como é o caso de João Moutinho.

Cromos virtuais

Há dois anos, Américo Almeida, desenhador técnico de arquitectura de 45 anos, criou o site www.trocacromos.com. "Antes do site, só havia alguns fóruns dispersos para coleccionadores", diz. Para participar nos tópicos de conversa do fórum (como "Troca urgente... centenas de repetidos") é preciso estar registado. "Nesta semana vamos atingir os 3 mil utilizadores activos", revela Américo que já colecciona cromos desde miúdo. "Os utilizadores combinam as trocas em mensagens e depois encontram-se", explica.

No site fala-se de outros temas, como por exemplo qual o cromo mais difícil de encontrar. "Comprei mais de 200 carteiras e nunca me saiu o Cardozo e o Ronaldo", diz um utilizador. Outro responde: "O Ronaldo [tal como o Messi] só foi lixado para si e para mim também, porque o pessoal não o põe na lista de trocas." Manuel dos Cromos já não consegue dizer quais os mais difíceis. "Mas no início eram o Cardozo e o Di María."

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 09:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 28.06.10

O Drama das crianças com Sida na África do Sul

 

Tem 18 meses mas mal sabe andar. Tem movimentos lentos quando gatinha. Senta-se, serena, e olha-me inclinando a cabeça. Olhos semicerrados e sem sorrisos. Olha-me.

É pequena. Muito pequena. E noto-lhe a fragilidade quando chega à minha beira. Acabei de chegar e estende-me os dois braços. Não é um pedido... é uma urgência. Não é um capricho. É uma necessidade. Nunca me viu mas precisa que lhe dê o que não tem. Estende-me os braços e pego-a ao colo.

É excessivamente leve. Mantém os movimentos lentos quando encosta a sua cabeça à minha. Meto-lhe a mão debaixo da camisola. Faço festas por cima de pequenas feridas. Dezenas delas, espalhadas pelo corpo. Não sei o seu nome para a confortar mas falo com ela inglês. Seguro-lhe a mão gelada enquanto a deito no meu colo. Seguro-a como se fosse minha. Aconchega-se e agarra, com força, o meu dedo. Larga-o para conhecer o botão do meu casaco ou para me tocar no rosto.

Chamam-na por um nome zulu. Lamento a minha dificuldade em pronunciá-lo. Todos os seus gestos transportam uma lentidão assustadora. Olha-me reflexiva. Intensa. Por pouco adormece. Ficava ali uma vida. Eu dar-lhe-ia uma, se tivesse.

Seguro-a com a ferocidade de quem a disputa com o tempo e com a doença. Tem 18 meses e não chegará aos 20 anos. É seropositiva.

Sento-me no chão do refeitório e correm três, desengonçados, para o meu colo. Um em cada perna, enfiados no ângulo do ombro e do braço. O da direita adormeceu ali... sujo de arroz e carne, tombou nos meus braços de sono. O outro mexe-me nos óculos, curioso. Ao fundo, Amigo arrasta-se de quatro com os seus 6 ou 8 meses. Ninguém sabe muito bem... A mãe deu-lhe o nome de Amigo e deixou o Amigo na maternidade. Pequeno, sozinho e infectado com HIV. Amigo saiu da sala de partos... para aqui.

Falta-lhes tudo. Saúde e mimo. E aqui, fazem o que podem.

Sedentos de ternura, partem para a sesta. Já fizeram a medicação da manhã. Partem para a sesta e não me vêem partir. Melhor assim... Não os quero ver partir. Ninguém os quer ver partir... Hoje adormeço com um coração geneticamente dorido.

Via Mundial à parte



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 23.06.10

Cristiano Ronaldo

 

Não houve remontada como em 1966 nem um goleador como Eusébio, sobrou a atitude de 11 jogadores ao nível dos Magriços. No Cabo, onde ninguém tinha passado do empate em partidas do Mundial, Portugal cilindrou a Coreia do Norte (7-0) com uma segunda parte de sonho e quase conseguiu dobrar a maior diferença de golos de sempre em fases finais (4-0 à Polónia, em 2002). Meireles pintou um aviso na muralha asiática, Simão abriu um túnel e depois foi marcar, marcar, marcar, marcar e marcar. Até Ronaldo quebrou o jejum. Agora só uma catástrofe (Costa do Marfim recuperar nove golos) impedirá a passagem aos oitavos-de-final. Mas há esperança de passar em primeiro, caso se consiga vencer o Brasil. 

Os jogadores nacionais ouviram o hino com fumos negros em homenagem a Saramago e, desde cedo, foram tentando encontrar versões para escrever a primeira vitória no Mundial. Com o passar dos minutos e das oportunidades, até podia chegar ao número de cantos de "Os Lusíadas", a obra de Camões que recorda a passagem portuguesa aqui pelo Cabo. A Coreia do Norte não jogou tão fechada como era expectável e, após uma bola ao poste de Ricardo Carvalho - o central de 32 anos que tem fama de vaidoso mas parece um miúdo só de 20 -, tentou esticar-se no campo como uma equipa grande. E Eduardo, enquanto Portugal ia criando (e falhando) várias bolas de golo, teve de fazer intervenções com alguma dificuldade. Sentia-se o choque entre razão e emoção, entre pragmatismo e tecnicismo, entre futebol asiático e latino. Até que Meireles, qual profeta, pintou o primeiro de muitos graffiti na tal muralha norte-coreana. "Não sei o que me deu mas eu nem sou de aparecer na zona do ponta-de-lança. Senti alguma coisa que me dizia para subir e fiz golo", diz o médio portista no anúncio. Foi assim na Bósnia, foi assim no Cabo. E estava dobrado o maior dos trabalhos portugueses.

Os norte-coreanos, uma formação de homens esforçados e orientados por uma disciplina quase doentia (nunca fazem faltas e marcam-nas sem excepção no local exacto onde foi a infracção), sentiram o peso da desvantagem e começaram a abrir brechas. Chovia no estádio e notavam-se as primeiras gotas de desilusão a transbordar para lá da muralha.

Veio o descanso. Quinze minutos de intervalo. Portugal recarregou as baterias, a Coreia do Norte perdeu-as. E os 11 que entraram em campo pareciam uns meros actores dos artistas da primeira parte, à semelhança dos que apoiavam a equipa na bancada (pagos, claro). Tiago assustou, Miguel complicou (pisão desnecessário em Tae Se), Simão marcou - depois da pintura na muralha, um túnel para o caminho dos golos. O barulho dos espectadores a bater com os pés nos degraus em plena euforia mais parecia o último canto de um adversário a desfazer-se em erros próprios. Portugal jogava a dois ou três toques, os centrais deixaram de existir, Coentrão transformou-se num extremo. Avalanche completa - Hugo Almeida aproveitou mais uma grande arrancada do lateral benfiquista para aumentar a vantagem, Tiago fez o 4-0. A única Guerra Fria possível de imaginar era mesmo a do tempo. Os holofotes ligaram-se mas o sol apareceu. E faltava meia hora...

Faltava o golo de Cristiano Ronaldo e, de quando em vez, notava-se a intenção dos outros dez marinheiros ajudarem o maior navegador de todos. O barco nacional, que pareceu um cargueiro frente à Costa do Marfim mas tornou-se num iate de luxo com os asiáticos, seguia de vento em popa mas o penúltimo disparo do canhão CR7 bateu na trave. E o craque suspirou, suspirou... Liedson, que tinha entrado, cumpriu a tradição de marcar no estádio talismã (o da Luz, que se não fosse a cor das cadeiras era bem parecido com o... Green Point) e meteu-se ainda na luta por uma bola perdida a três minutos do fim, ganhou o ressalto e deixou Ronaldo brilhar - a bola quase prendeu na cabeça do madeirense, desceu e, enquanto pontapeava para uma baliza deserta, ainda houve tempo para soltar um desabafo (impronunciável) e sorrir. Foram os dois segundos mais importantes para acabar com uma seca de quase dois anos. Tudo acabado. Ou não: Tiago quis ser diferente e, quando já havia pessoas a saírem do estádio com os abdominais doridos de tanto levanta-senta- -levanta, o médio fez o bis. O 7-0 quase dobra o anterior recorde (4-0 com a Polónia, em 2002). E agora é escolher a cidade dos oitavos: Joanesburgo ou... Cabo.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 22.06.10

Futebol estilo canarinho

 

Via Henricartoon



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Domingo, 20.06.10

Freira doida pela bola

 

Uma freira “doida pela bola” promete transformar o convento onde vive, em Viana do Castelo, num mini-estádio de futebol, com vuvuzelas e tudo, para “dar força” à Selecção Nacional noMundial da África do Sul.

Adepta ferrenha do Futebol Clube do Porto e antiga praticante de futebol federado, Maria de Lurdes Araújo, 44 anos de idade e freira há 20, admite mesmo “fintar” as horas de oração do convento para não perder os principais momentos do Campeonato do Mundo.

“Às tantas, se os jogos coincidirem com a hora da oração, ainda peço à Irmã Teresa [a irmã superiora do convento] para não ir rezar. Não é todos os dias que temos um Mundial de Futebol”, disse, à Lusa, Maria de Lurdes, uma das três “inquilinas” do convento de Viana do Castelo das Irmãs Reparadoras Missionárias da Santa Face.

Sempre de ténis calçados, esta freira vibra autenticamente com os jogos de futebol, sendo muitas vezes “apanhada” a tentar meter um golo com a cabeça ou a cortar vigorosamente uma bola que ronda a baliza do seu clube.

As outras duas freiras que ali vivem não ligam nenhuma à bola, mas não será por elas que Maria de Lurdes se verá privada de viver - e de vibrar - com as defesas de Eduardo, a autoridade de Bruno Alves e a magia de Deco.

Estes são, precisamente, por ordem inversa, os jogadores da Selecção Nacional mais apreciados por Maria de Lurdes, que, sem papas na língua, diz ainda que “Cristiano Ronaldo está ali a mais”.

“Nos clubes joga que se farta, na seleção não dá uma para a caixa. Não se adapta. E se não se adapta, não devia lá estar. É como se me mandassem para uma missão para a Índia e eu chegasse lá e não me adaptasse. Estava lá a fazer o quê?”, atira.

Não acredita que Portugal seja campeão do Mundo e nem sequer vai rezar para que os “tugas” ganhem, já que, como refere, “isso é com eles, é para isso que eles estão lá, é para isso que são pagos”.

“Vou rezar para que não tenham lesões e corra tudo bem, isso sim. Agora para ganhar é que não. Essas coisas das vitórias não vão lá com orações”, refere.

Quando jogou futebol federado, durante quatro anos, no clube da Correlhã, Ponte de Lima, Maria de Lurdes atuava a defesa central, tendo, na altura, como ídolo Lima Pereira, que jogava na mesma posição no Futebol Clube do Porto.

O “portismo” de Maria de Lurdes está ainda bem patente na caneca, com o símbolo do clube das Antas, pela qual toma todos os dias o pequeno almoço.

“É doida pela bola e pelo Porto”, refere a irmã superiora, confessando que não percebe nada de futebol e que não tem clube, mas que às vezes diz que é benfiquista “só para se meter” com Maria de Lurdes.

A outra freira do convento, Madalena Pereira, diz que só foi uma vez ao futebol, ver um Porto-Belenenses, mas chegou para ficar “escaldada”.

“Nunca mais. Era só ‘carvalhos e mais carvalhos’, era só gente a chamar nomes à mãe do árbitro”, recorda.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.06.10

Cristiano Ronaldo e o Ketchup

 

Via Henricartoon



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 11.06.10

Waka Waka

 

Via Henricartoon



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 09.06.10

Já tem 40 concorrentes o concurso de apostas do Arrastão para o Mundial da África do Sul. Para ler as regras e apostar vá a este post. A loja encerra no dia 11 às 16.00.

No dia 11 será deixado aqui um link para um documento excel onde os concorrentes podem confirmar as suas previsões e corrigir se tiver existido algum erro. O comentador bico de lacre teve a simpatia de elaborar um outro documento excel onde os concorrentes podem ir anotando as suas previsões, os resultados e os pontos. Recorda-se: vinte por acertar na vitória/derrota/empate, dez por acertar no número de golos marcados por uma equipa e cinco por ficar a um golo do número de golos marcados por uma equipa. A pontuação máxima em cada jogo é de 40 (20+10+10).

 

Via Arrastão



publicado por olhar para o mundo às 15:59 | link do post | comentar

Os treinadores queixam-se que não conseguem dar indicações aos jogadores. Os jogadores queixam-se que não conseguem ouvir os treinadores. Os árbitros queixam-se que não se conseguem ouvir uns aos outros. Os jornalistas queixam-se que não conseguem falar para as redacções. Há mesmo quem se queixe que a coisa pode provocar ataques de elefantes. Os médicos dizem que pode causar surdez. E agora chegou a vez do público se queixar: é insuportável ter a sensação de estar durante duas horas num engarrafamento. O som contínuo de vespeiro das malditas vuvuzelas não é apenas massacrante. Torna imperceptível as reacções do público a cada remate, golo, falhanço. Quem teve a ideia de tornar isto no “som de marca” deste Mundial não destesta apenas futebol. Odeia a humanidade. Se isto continua corremos o risco de assistir à primeira enxaqueca à escala global da história deste planeta. É com todo o respeito pelas tradições locais que deixo aqui um apelo: calem essas vuvuzelas! Aquilo só pode fazer mal ao ambiente.

 

 

Via Arrastão



publicado por olhar para o mundo às 10:04 | link do post | comentar

Segunda-feira, 24.05.10

A selecção de Portugal de férias na Covilhã

 

Via Henricartoon

 

Este Cartoon apareceu da parte da tarde antes do jogo..... acho que o autor se devia dedicar à futurologia, nem de propósito, hoje parecia mesmo que o futebol estava ali para atrapalhar as férias daquela gente toda.



publicado por olhar para o mundo às 21:12 | link do post | comentar

Quarta-feira, 05.05.10

Futebol e lingerie

 

A pouco mais de um mês do início do Mundial de Futebol, na África do Sul, a revista Vanity Fairapresenta uma produção especial dedicada ao acontecimento. "Playing for the world" - Jogar para o Mundo, é o nome da produção fotográfica.

Pela lente de Annie Leibovitz, as maiores estrelas do futebol mundial vestem cuecas das cores das respectivas bandeirasCristiano Ronaldo não fez a coisa por menos: ele e Drogba estão nacapa da revista norte-americana, numa produção fotográfica que conta ainda com estrelas como o brasileiro Kaká ou o camaronês Samuel Eto'o.

Com as cores nacionais literalmente estampadas na lingerie, antes que comece a confusão entre estádios, equipamentos, selecções...e o primeiro jogo a sério, a 11 de Junho.

 



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

"Vagina" pode tramar Carl...

Casillas... o amor é lind...

Cromos. Como acabar a cad...

As Palavras dos outros : ...

Portugal deixa Coreia do ...

Futebol canarinho

A freira e a bola

É desta

waka waka

Jogue no Mundial do Arras...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados