Domingo, 26.02.12
E quando bate a preguiça sexual


Ninguém consegue ser um vulcão em erupção na cama o tempo todo. Da mesma maneira que acordamos indispostos para trabalhar ou até mesmo para sair de casa para conhecer alguém especial, podemos sentir o mesmo na hora de fazer sexo. A falta de vontade de mudar de posição ou de caprichar nas preliminares são alguns indícios da chamada de preguiça sexual.

 

A primeira coisa a se observa nesse cenário é que esse comportamento se manifesta de maneira diferente em homens e mulheres.

E sabe de quem é a culpa? Dos hormônios! A Dra. Arlete Gavranic, psicóloga, terapeuta sexual e coordenadora da pós-graduação em terapia do Isexp (Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática), explica melhor essa relação:

 

"O homem é sempre muito ativo parasexualidade por conta da testosterona, um hormônio de ação. Já a mulher oscila de acordo com o ciclo de progesterona e estrogêneo", adianta. "Na primeira fase do ciclo ela está mais disponível para o sexo e na segunda fase a progesterona faz com que a mulher fique mais afetuosa e busque mais o carinho do parceiro", completa.

 

E conforme as obrigações do dia a dia vão aumentando, os pensamentos voltados para o sexo ficam cada vez mais escassos. No caso da mulher, que nas últimas três décadas assumiu jornada tripla de trabalho, esse comportamento se torna mais evidente. "Ela trabalha fora, cuida da casa e filhos e ainda precisa vivenciar sua sexualidade. E nem sempre conta com a ajuda do parceiro para cuidar dos serviços domésticos e dos filhos. Então quando ela chega na cama quer apenas um carinho, um abraço aconchegante, e para muitos homens isso serve como rejeição, preguiça do ponto de vista sexual", comenta a especialista.

 

É importante lembrar também que homens e mulheres veem a sexualidade de maneira diferente. Os homens são mais genitalizados, voltados para o corpo. Tanto é que a fantasia sexual de muitos deles é fazer um ménage a trois. Já a mulher é mais romântica e sonha em fazer amor numa praia, por exemplo. "Os estímulos sociais são outro item que serve como diferencial. Enquanto os homens gostam de ver filminhos e trocar piadinhas de sacanagem, as mulheres não são educadas para pensar, visualizar em sexo. A mulher tem a mente sensualizada, se contenta em ver a foto de um ator com o corpo escultural", diz a terapeuta.

 

Preliminares sempre!


A partir do momento em que a falta de vontade de faze sexo se tornar constante, o nome dado a isso não é preguiça. Entre os motivos que levam a mulher a fugir de sexo estão problemas no relacionamento, mágoas, falta de carinho ou de capricho nas preliminares por parte do parceiro ou até mesmo dificuldade de lubrificação ou de atingir o orgasmo. "Em outros casos, a mulher deixa de investir na relação por conta de problemas no trabalho, com os filhos ou outro problema que envolva sua vida fora da cama. É a chamada fase morna da relação", comenta Dra. Arlete.

 

Neste momento, o homem precisa colocar em prática o dom da compreensão e tentar entender que, dependendo do grau e da quantidade de problemas pelos quais a parceira passa, às vezes fica difícil se entregar sem medidas, como se nada estivesse acontecendo. "Ao mesmo tempo, os problemas não podem ser sempre empecilho para não cuidar da sexualidade e intimidade. A mulher tem muita dificuldade em ‘se desligar’, mas em certos momentos ela precisa apertar o botão ‘off’ e, literalmente, fechar a porta do quarto para viver sua intimidade com o marido. Caso contrário ela estará sempre cansada e indisposta para colocar em prática seus desejos sexuais".

 

Quantas vezes por semana?


Quando a preguiça se instala no parceiro, a mulher precisa analisar com calma a periodicidade dessa situação. O homem costuma estar sempre disposto a fazer sexo, a menos que esteja passando por um momento de estresse. "Se isso acontece com frequência, pode ser sinal de que o parceiro está focando seu desejo em outro lugar ou pessoa. Sabemos que o índice de mulheres que traem ainda é grande, mas ainda é menor do que o masculino", diz Dra. Arlete.

 

Não é possível mensurar a frequência com que a preguiça sexual bate à porta do quarto, tudo depende do relacionamento do casal naquele determinado momento. A psicóloga comenta que, em tempos harmoniosos, há casais que fazem sexo 2, 3 vezes por semana. E em momentos de forte preocupação ou crise chega, a ter uma relação em 10, 15 dias.


"A libido é a energia da vida. Se o casal encontra tempo para vivenciar sua sexualidade, seja dentro de casa ou durante uma viagem, abre portas para que esse desejo aflore, equilibre a relação". E dá algumas dicas: "Permita-se mudar de vem em quando. Use uma lingerie nova, faça um curso de dança, compre um gel com sabor, experimente uma posição que não seja ‘papai e mamãe’, Sair as rotina também ajuda a espantar o desinteresse sexual."

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:48 | link do post | comentar

Segunda-feira, 02.01.12
Terapia sexual

 

 

A sexualidade faz parte de uma boa qualidade vida, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS). Entretanto, problemas de saúde e muitas vezes fatores ligados às emoções fazem com que muitas mulheres se queixem das disfunções sexuais.

 

Uma pesquisa realizada pelo ProSex (Projeto Sexualidade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo) já confirmou a relação entre depressão e o comprometimento da libido feminina. Metade das mulheres que procuram o instituto sofre de baixo desejo sexual.

 

Além da falta do desejo, o contrário, ou mesmo dores durante as relações, são consideradas disfunções.

Publicidade

A perda da excitação, representada pela ereção no homem e pela lubrificação na mulher, ou mesmo do orgasmo, isto é, ejaculação precoce ou retardada no homem, e anorgasmia na mulher, também fazem parte desta lista.

 

De acordo com Sylvia Faria Marzano, diretora do ISEXP (Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática), as queixas mais freqüentes em ambos os sexos nos consultórios envolvem a diminuição do desejo sexual e, em seguida, a falta deorgasmo.

 

Outra questão observada é a discordância entre os casais em relação a freqüência de relações. Na maioria dos casos, os homens querem praticar sexo mais vezes que a mulher. “Mas existem fases da vida dessa parceria, que pode fazer com que essa procura seja invertida”. Neste caso, o melhor método é o aprendizado da assertividade. “É poder contar ao outro seus desejos, anseios e dificuldades, sem medo de magoar ou não ser entendido. Dialogar é o melhor remédio, mas para isso precisamos desfazer crenças errôneas e mudar comportamentos”, esclarece.

 

Este é apenas um dos passos utilizados durante a terapia sexual, que começou em no início da década de 60 com a contribuição dos estudiosos Masters e Johnson. “Eles descreveram a resposta sexual humana”. Depois, nos anos de 1970, houve grande contribuição de Helen Kaplan, no sentido de propor métodos melhores.

 

O tratamento envolve não apenas os conselhos da terapeuta, mas sim um estudo sobre a história de vida de cada um - suas crenças, mitos e o que aprenderam com a família ao longo da vida. “Também levantamos as dificuldades de relacionamento com a parceria, a procura de conflitos intra-psiquicos. Depois disso, o paciente é orientado a fazer tarefas sexuais em sua residência, algumas sozinho e outras com a sua parceria, digo isso pois essa terapia se aplica a hetero ou homossexuais”, explica.

 

A terapia sexual segue linha psicoterapia focal breve que, em geral baseia-se na Terapia Comportamental Cognitiva “ou seja, desfazer crenças e mudança dos comportamentos não apropriados entre os casais”. Segundo Marzano, é comum os profissionais também usarem outras ferramentas como, técnicas psicodramáticas, que muito contribuem na abordagem dos pacientes com queixa sexual.


Ao contrário do que se imagina, a terapia pode ser realizada por solteiros. “Quando houver a participação da parceria, isto é, os dois querem uma melhora do relacionamento conjugal e sexual, mesmo que não sejam casados, pode haver uma maior chance de mudanças. Mas é muito comum o homem com queixa de ejaculação precoce, ou a mulher, com vaginismo, procurarem uma terapia sexual separadamente e beneficiarem-se muito desse tratamento”, completa a terapeuta.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:53 | link do post | comentar

Segunda-feira, 19.12.11
Dicas saudáveis para aumentar a libido

 

Fala-se muito em melhorar a qualidade da vida sexual. Mas é preciso que saibamos reconhecer que SEXO e SAÚDE andam de mãos dadas.

 

Muitas vezes nos preocupamos excessivamente com a estética ou com a qualidade das relações sexuais, mas o nosso corpo é um sistema complexo e requer cuidados que nem sempre consideramos.
Pensemos, portanto, no aumento da libido de forma responsável:

 

Alimentação saudável - gordura, sal e açúcar em excesso comprometem a saúde. Procure inserir no cardápio frutas, vegetais e carnes magras. O corpo bonito é o corpo saudável. Informe-se também sobre os benefícios dos alimentos afrodisíacos, utilizando ingredientes especiais em um jantar a dois, como frutos do mar, chocolate e temperos poderosos, como a pimenta, o manjericão e o gengibre. Não esquecendo o clássico espumante, tudo à luz de velas.


Exercícios aeróbicos- a liberação de endorfinas, durante as atividades físicas, proporciona o aumento da libido pela produção de testosterona. Pode-se, também, recorrer à "malhação íntima" ou pompoarismo. Além de evitar a incontinência urinária e o afrouxamento muscular, pois fortalece a musculatura pélvica, proporciona mais prazer ao parceiro e aumenta a possibilidade de se obter orgasmos mais intensos ou até múltiplos.

Redução de bebida alcoólica - o álcool em excesso é um inibidor do desejo sexual. Prepare drinques afrodisíacos, decorando-os com canela em pó, raspas de gengibre, um galhinho de hortelã e cereja. Capriche nas taças e aproveite a combinação de sabor e aromas, mas sem exageros. 

Não fumar - as toxinas presentes no fumo, como a nicotina e o monóxido de carbono, dificultam a produção de estrogênio, hormônio sexual feminino, causando diminuição da reserva ovariana. Além de deixar a mulher mais suscetível a doenças como osteoporose, infarte e derrame, fumar pode acelerar a chegada da menopausa.


Manter a auto-estima com equilíbrio- mudar hábitos para ter uma vida mais saudável e tentar administrar melhor o tempo de maneira que sobre um pouco mais para você. É bom dar uma caprichada no visual, mas também é necessário fazer um check-up. Sono excessivo, indisposição, baixa libido, são indicadores de estresse ou distúrbios hormonais. Por outro lado, preocupações em excesso com a estética podem causar um efeito contrário, como inibição e falta de concentração durante a relação sexual. Cuide da imagem respeitando seus limites.

Vida social - evite o isolamento, fazer novas amizades e manter-se sempre bem informada sobre o que acontece no país e no mundo é um bom caminho para um papo.

 

Lembre-se que uma mulher sociável e antenada é sempre uma excelente companhia, uma forma infalível para se manter desejável.

 

Procure ler mais sobre as Artes Sensuais e invista em acessórios que deixem você mais sexy.Reinvente-se!

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:50 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Domingo, 29.08.10

Massagem tântrica, orgasmo sem sexo

 

O orgasmo ainda é considerado um mistério feminino, várias mulheres não sabem o que ele é realmente de fato ou mesmo como chegar lá. Uma das formas, sem sexo, é através da massagem tântrica.

 

A prática veio do Tantrismo, ou Tantra, ensinamento que surgiu na Índia e recebeu a influência de várias religiões, culturas e correntes filosóficas, algo bastante amplo que tem como prioridade desenvolver o auto-conhecimento. Em poucas palavras, ele permite que a evolução espiritual seja alcançada através do prazer.

 

Dewa Deepta Uozi (nome em sânscrito), coordenadora do Metamorphosys Centro especializado em Massagem Tântrica (www.centrometamorfose.com.br), das unidades de Natal e Fortaleza, aplica massagens em mulheres que tenham dificuldades relacionadas ao prazer, com base no método Deva Nishok, onde profissionais (homens e mulheres) aplicam massagens em ambos os sexos. "A massagem tântrica tem uma visão terapêutica, portanto elas procuram este tratamento com objetivo de conhecerem mais a respeito de seus orgasmos. É um caminho para as mulheres se liberarem de seus bloqueios muitas vezes de origem sexual. Elas querem ficar melhores para si e para seus companheiros", diz.

Na função de terapeuta corporal tântrica, ela auxilia mulheres com a libido em baixa,anorgasmia, vaginismo, além de falta de sensibilidade vaginal e clitoriana, ou mesmo aquelas que tenham pouca de intimidade com o parceiro. A massagem também ajuda mulheres que passaram por uma educação sexual repressiva, por violência sexual ou que tenham dificuldades fora do sexo, entre elas, ansiedade, insegurança, estresse e depressão.

Conforme Deva Nishok explica no site da própria instituição, através da prática é possível aumentar a dimensão do clitóris. "O tamanho pode estar relacionado à ausência de estímulos ou estímulos inadequados e insuficientes para aumentar a tonificação muscular". Para a terapeuta, o aumento do nervo clitoriano é bastante importante na massagem tântrica, pois é um dos pontos mais sensibilizados para intensificar a energia e levar a mulher ao orgasmo.

Samvara Subaghi, cujo o nome em sânscrito significa a "união mística de todas as formas" e "abençoada pelo Divino", respectivamente, explica que o clitóris possui inervações específicas que o associa aos mamilos e também à glândula Pineal no cérebro. "A estimulação realizada neste nível, através destas inervações, faz com que o Sistema Endócrino produza um aumento significativo nos hormônios e químicas orgânicas associadas ao prazer como a ocitocina, a serotonina e a endorfina", ressalta.

As duas profissionais afirmam que a prática não traz os mesmos estímulos da masturbação. "Nesta terapia queremos proporcionar uma nova experiência para que ela possa avançar, ir além, limpar suas feridas, desfazer seus nós, sentir mais prazer, entrar no merecimento. É mais que uma massagem e múltiplos orgasmos", justifica Dewa.

Com a ajuda de géis lubrificantes como o K-Y, que podem acelerar o processo rumo ao orgasmo, Dewa inicia a massagem com toques para que a mulher se conecte com o seu prazer, depois é feita uma espécie de drenagem nas coxas e pélvis, para produção de líquidos, isso sempre com luvas. "Manipula-se os grandes e pequenos lábios da yoni (vagina), o clitóris até o ponto G". A sessão termina com toques suaves por todo o corpo. O uso do vibrador, tipo ‘bullet’, em pontos específico do clitóris, proporcionam estímulos neurológicos e também ajudam a chegar lá.

"Nossa experiência mostra que a maioria das pessoas conhece somente orgasmos psicogênicos ou psicológicos, onde o cérebro, através das fantasias sexuais (cheiros, imagens, sabores) e estímulos sensoriais (contatos), envia informações para área genital. O outro orgasmo vêem através do estímulo apropriado na Yoni (vagina) e no Lingam (pênis) e onde as pessoas experimentam estados superiores de consciência", explica Samvara.

Dewa afirma que muitas mulheres alcançam o orgasmo logo na primeira sessão, mas é algo que depende da sensorialidade de cada mulher. "O corpo vai fazendo novos registros, sinapses associadas ao prazer. A mulher vai confiando no potencial energético do corpo e se entregando ao processo". Quando há entrega total, ou seja, a mulher é capaz de sair da fantasia sexual, do controle mental, além de ficar livre de traumas e bloqueios, muitas vezes consegue atingir o hiperorgasmo. Para Dewa, neste momento, as mulheres perdem noção do está acontecendo na yoni e alcançam um estado de supraconsciência, "um sentimento de gratidão onde choro e riso se fundem", completa.

 

Claro do que muito é sentido na massagem é aproveitado depois na cama, com o parceiro, afinal, o sexo só tem sentido quando há troca de energia entre duas pessoas. Com o registro do prazer e desenvolvimento sensorial, elas se tornam mais receptivas e conseguem expressar ao parceiro o que realmente querem, para assim curtir a dois tudo que o sexo proporciona.

Por Juliana Lopes

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 17.11.09

Encontrado o novo Viagra feminino

 

Inicialmente era apenas um medicamento antidepressivo, mas um estudo da Escola de Medicina da Universidade da Carolina do Norte (Estados Unidos) e da Universidade de Ottawa (Canadá) revela que a flibanserina também desperta o desejo sexual nas mulheres com pouca libido.

“A flibanserin era um antidepressivo. Contudo, verificou-se que aumenta a libido em animais de laboratório e seres humanos. Então, fizemos vários ensaios clínicos e as mulheres que participaram no estudo porque tinham pouco desejo sexual confirmaram sentir melhorias e ter experiências sexuais satisfatórias”, explicou John M. Thorp Jr., líder do estudo. Na experiência, participaram 1976 mulheres com mais de 18 anos e em idade fértil, que tomaram flibanserina aleatoriamente durante 24 semanas.

Segundo os investigadores, o medicamento é um fármaco semelhante ao Viagra, mas para mulheres cujo principal problema sexual é a diminuição do desejo. Para já, ainda só está disponível para ensaios clínicos, mas os investigadores acreditam que poderá ser um tratamento eficaz, sem os inconvenientes efeitos secundários da actual terapia de reposição hormonal.

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 20:18 | link do post | comentar

Segunda-feira, 27.07.09

A libido delas aumenta com o vinho tinto

 

Uma pesquisa de uma universidade italiana afirma que o consumo moderado de vinho tinto pode aumentar a libido sexual feminina. As respostas de 798 mulheres levaram à conclusão que beber um ou dois copos de vinho por dia pode trazer benefícios para a vida sexual

 

O estudo da Universidade de Florença foi feito com 798 mulheres italianas entre 18 e 50 anos na região de Chianti, na Toscânia.

 

As mulheres foram divididas em três grupos conforme o hábito diário de consumo de vinho: as que consomem um ou dois copos de vinho, as que não bebem vinho e as que ingerem mais de dois copos.

 

As mulheres – todas consideradas sexualmente saudáveis – responderam a questionários com 19 perguntas sobre sexualidade. Os inquéritos medem o índice FSFI (Female Sexual Function Index), uma medida usada noutros estudos científicos sobre sexualidade feminina.

 

O grupo que apresentou os maiores índices de desejo sexual, de acordo com as respostas, foram as mulheres que consomem um ou dois copos de vinho por dia.

 

Os pesquisadores do estudo fazem, no entanto, duas ressalvas: «Não foi encontrada nenhuma diferença significativa entre os grupos em relação à incitação, satisfação, dor e orgasmo», afirmam os cientistas no artigo publicado na revista científica Journal of Sexual Medicine.

 

«Estes resultados precisam de ser interpretados com cautela, devido ao pequeno número da amostra [...] e pela falta de dados dos exames de laboratório. Ainda assim o estudo sugere potencialmente uma correlação entre o consumo de vinho tinto e uma melhor sexualidade», acrescentam.

 

Via Sol

 



publicado por olhar para o mundo às 22:04 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Há quem tenha preguiça se...

Terapia sexual

Dicas saudáveis para aume...

Massagem tântrica: orgasm...

Encontrado novo "viagra f...

Elas ficam quentes ..com ...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados