Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

29
Jul10

Música Portuguesa do dia: Rio Grande - História do Zé Passarinho

olhar para o mundo
Letra
Pala saída que tem
Da vadiagem alguém
Chamou-lhe o Zé Passarinho
Fala em verso e as mulheres
Ao fim de duas colheres
Leva-as no bico p'ró ninho

Sabe os fados do Alfredo
Rima que até mete medo
Nesta função é doutor
Tem os tiques de fadista
Mão no bolso, lenço e risca
"Baixem a luz por favor!"

Uma triste noite ao frio
Cantava-se ao desafio
Para aquecer as paixões
Quando um estranho se levanta
Para mostrar como se canta
Faz-se à Rosa dos Limões

O povo ficou sentido
Com aquele destemido
... morrer engasgado!
Palavra puxa palavra
Desata tudo à estalada
Com o posto ali ao lado

Nem foi preciso a carrinha
Tudo na sua perninha
Numa linda procissão
Das perguntas com carinho
Ficou preso o Passarinho
Só para investigação

Nasce o dia atrás da Sé
E ninguém arreda pé
Nem por dó, nem por esmola
O povo ficou sentado
Para ouvir cantar o fado
Passarinho na gaiola
28
Jul10

Música Portuguesa do dia: Ala dos Namorados - História do Zé Passarinho

olhar para o mundo

Letra
Pela saída que tem 
Da vadiagem alguém 
Chamou-lhe o Zé Passarinho 
Fala em verso e as mulheres 
Ao fim de duas colheres 
Leva-as no bico p´ró ninho 

Sabe os fados do Alfredo 
Rima que até mete medo 
Nesta função é doutor 
Tem os tiques de fadista 
Mão no bolso, lenço e risca 
"Baixem a luz por favor!" 

Uma triste noite ao frio 
Cantava-se ao desafio 
Para aquecer as paixões 
Quando um estranho se levanta 
Para mostrar como se canta 
Faz-se à Rosa dos Limões 

Ai.. O povo ficou sentido 
Com aquele destemido 
Hás-de morrer engasgado! 
Palavra puxa palavra 
Desata tudo à estalada 
Com o posto ali ao lado 

Nem foi preciso a carrinha 
Tudo na sua perninha 
Numa linda procissão 
Das perguntas com carinho 
Ficou preso o Passarinho 
Só para investigação 

Nasce o dia atrás da Sé 
E ninguém arreda pé 
Nem por dó, nem por esmola 
O povo ficou sentado 
Para ouvir cantar o fado 
Passarinho na gaiola

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D