Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

10
Out10

Lisboa: Eléctrico 28

olhar para o mundo

 

 

 

Praça Luís de Camões. Este foi o ponto de partida para uma conversa com Nysse Arruda, jornalista brasileira a viver em Portugal há 19 anos, a propósito do lançamento do seu livro "Eléctrico 28 - Uma Viagem na História".

Em co-autoria com o prestigiado designer português Henrique Cayatte, que produziu a capa, e a fotógrafa Clara Azevedo, o livro narra a história de Lisboa, as suas praças e monumentos, mas também revela muitos segredos das suas ruelas estreitas e íngremes através de um percurso peculiar no "28".

O Expresso subiu a bordo desta máquina do tempo, de pintura amarela inconfundível, janelas abertas e interior forrado a madeira e napa, que parece ter saído de um filme.

O trajeto dura 37 minutos e estende-se entre Campo de Ourique (Prazeres) atravessando a Estrela, São Bento, Calçada do Combro, Praça Luís de Camões, Chiado, Baixa, Sé, Graça até chegar ao Martim Moniz, o seu destino final (ou ponto de partida dependendo de onde se decide embarcar).

Trata-se de "uma singela homenagem a Lisboa, esta maravilhosa cidade de luz e cor, de colinas e miradouros (...) mas também "um elogio a um dos ícones desta cidade", escreve Nysse Arruda. "É no balouçar sobre os centenários carris que os grandes vultos de Portugal ganham vida outra vez" e "as mais variadas gentes se encontram, recuperando a secular vocação multicultural de Lisboa".

"Eléctrico 28 - Uma Viagem na História" custa €27. Conta ainda com uma edição bilingue (inglês), sendo o primeiro registo de uma coleção da Imprensa Nacional-Casa da Moeda sobre as belezas de Lisboa.

É possível explorar a alma da capital, os seus cheiros e sabores, subindo e descendo do "28" quantas vezes quiser, durante todo o dia. O preço do bilhete é de €3,75. Para mais informações: http://www.carris.pt .

 

Via Expresso

24
Set10

Carris aposta na Internet a bordo de autocarros para conseguir mais utentes

olhar para o mundo

Carris aposta na internet nos autocarros

 

A partir de hoje, é possível aceder à Internet quando se viaja por Lisboa de autocarro, uma medida que a Carris quer alargar a toda a cidade ainda este ano para convencer mais gente a usar os transportes públicos.

A Carris apresentou hoje, dia da mobilidade, 30 novos autocarros articulados que permitem aceder à Net quando se viaja pela capital, com acesso livre, a partir de computadores ou telemóveis.

Para já a Net está disponível na carreira 36, entre o Cais do SodréOdivelas, e na 745, que liga Santa Apolónia ao Prior Velho, mas a previsão é que os “Net Bus” percorram ainda este ano, progressivamente, toda a cidade.

O objetivo, segundo José Silva Rodrigues, presidente da Carris, é aproximar o “tempo psicológico” que demoram para um passageiro as viagens de autocarro do “tempo real” do percurso e pretende ser mais um ponto a favor dos transportes públicos na luta contra o carro individual.

“O inimigo é o carro. Os transportes públicos não podem roubar clientes uns aos outros, mas trabalhar em conjunto para resgatar utentes ao transporte individual”, disse, por seu lado, o secretário de Estado dos Transportes, Carlos Correia da Fonseca.

O secretário de Estado, representantes da Carris e jornalistas viajaram entre os Restauradores e oOriente num dos novos “Net Bus”.

A aquisição destes 30 novos autocarros, que contribuem para o processo de renovação da frota que a empresa iniciou em 2003, custou 11 milhões de euros, mas o secretário de Estado salientou que, apesar da contenção, este gasto é necessário.

“A travagem dos investimentos não pode ser feita de um modo cego, porque há investimentos mais importantes do que outros. Há uns que contribuem para trazer as pessoas para o transporte público, para diminuir a utilização do automóvel, para satisfazer melhor as necessidades de acessibilidade e de mobilidade das populações”, disse Correia da Fonseca, salientando que “o Estado não é suficientemente rico para assegurar todos esses desejos muito legítimos dos cidadãos”.

Para melhorar a informação prestada ao público, a Carris está a aplicar placas com leitura em Braille, em relevo, nas 1900 paragens da cidade com a informação do código SMS ao minuto, que permite ao utente saber quanto será o tempo de espera até ao próximo autocarro e espera ter os percursos das carreiras disponíveis em versão áudio (CD).

A Internet a bordo dos “Net Bus” resulta de uma parceria entre a Carris e a TMN.

 

Via Ionline

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D