Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

21
Abr10

Música Portuguesa do dia: O prometido é devido - Rui Veloso

olhar para o mundo

Letra
Naquele trilho secreto
Com palavras santo e senha
Eu fui lngua e tu dialecto
Eu fui lume e tu foste lenha

Fomos guerras e alianas
Tratados de paz e pssangas
Fomos sardas pele e tranas
Popeline seda e ganga

Recordo aquele acordo
Bem claro e assumido
Eu trepava um eucalipto
E tu tiravas o vestido

Dessa vez tu no cumpriste
E faltaste ao prometido
Eu fiquei sentido e triste
Olha que isso no se faz
Disseste que se eu fosse audaz
Tu tiravas o vestido 
E prometido devido

Rompi eu as minhas calas
Esfolei mos e joelhos
E tu reduziste o acordo
A um monto de cacos velhos

Eu que vinha de to longe
( do outro lado da rua )
Fazia o que tu quisesses
S para te poder ver nua

Quero j os almanaques
Do fantasma e do patinhas
Os falces e os mandrakes
To cedo no ters novas minhas

25
Fev10

Musica Portuguesa do dia:Bairro do Oriente - Rui Veloso e Clã

olhar para o mundo

 

Letra

 

Tenho à janela 
uma velha cornucópia 
cheia de alfazema 
e orquídias da Etiópia 

Tenho um transistor ao pé da cama
con sons de harpas e oboés
e cantigas de outras terras
que percorri de lés-a-lés

Tenho uma lamparina
que trouxe das arábias
para te amar à luz do azeite
num kamasutra de noites sábias

Tenho junto ao psyché
um grande cachimbo d'água
que sentados num canapé
fumámos ao cair da mágoa

Tenho um astrolábio
que me deram beduínos
para medir no firmamento
os teus olhos astralinos

Vem, vem à minha casa 
rebolar na cama e no jardim 
acender a ignomínia 
e a má língua do código pasquim 
que nos condena numa alínea 
a ter sexo querubim

18
Fev10

Música Portuguesa do dia:Canção de Alterne - Nancy Vieira e Rui Veloso

olhar para o mundo

 

 

Letra

 

Pára de chorar
E dizer que nunca mais vais ser feliz
Não há ninguém a conspirar
Para fazer destinos
Negros de raiz
Pára de chorar
Não ligues a quem diz
Que há nos astros o poder
De marcar alguém
Só por prazer
Por isso pára de chorar
Carrega no batom
Abusa do verniz
Põe os pontos nos Is
Nem Deus tem o dom 
De escolher quem vai ser feliz

Pára de sorrir
E exibir a tua felicidade
Só por leviandade
Se pode sorrir assim
Num estado de graça 
Que até ofende quem passa
Como se não haja queda
No Universo
E a vida seja moeda 
Sem reverso
Por isso pára de sorrir
Não abuses dessa hora
Ela pode atrair 
A inveja do mundo
Tu não perdes pela demora
E a seguir tudo se evapora

04
Dez09

Música Portuguesa do dia:Primeiro beijo - Rui Veloso

olhar para o mundo

 

Letra

 

Primeiro Beijo

 

Rui Veloso

 

Recebi o teu bilhete

para ir ter ao jardim

a tua caixa de segredos

queres abri-la para mim

e tu nao vais fraquejar

ninguém vai saber de nada

juro nao me vou gabar

a minha boca é sagrada

 

Estar mesmo atrás de ti

ver-te da minha carteira

sei de cor o teu cabelo

sei o shampoo a que cheira

já não como, já não durmo

e eu caia se te minto

havera gente informada

 

se é amor isto que sinto

Quero o meu primeiro beijo

não quero ficar impune

e dizer-te cara a cara

muito mais é o que nos une

que aquilo que nos separa

 

Promete lá outro encontro

foi tão fogaz que nem deu

para ver como era o fogo

que a tua boca prometeu

pensava que a tua língua

sabia a flôr do jasmim

sabe a chicla de mentol

e eu gosto dela assim

 

Quero o meu primeiro beijo

não quero ficar impune

e dizer-te cara a cara

muito mais é o que nos une

que aquilo que nos separa

x2

01
Out09

Música Portuguesa do dia:Saiu para a Rua - Sara Tavares e Rui Veloso

olhar para o mundo



Letra

 

Saíu Para A Rua

Rui Veloso

Composição: Carlos Tê / Rui Veloso

Saiu decidida para a rua
Com a carteira castanha
E o saia-casaco escuro
Tantos anos tantas noites
Sem sequer uma loucura

Ele saiu sem dizer nada
Talvez fosse ao teatro chino
Vai regressar de madrugada
E acordá-la cheio de vinho

Tantos anos tantas noites
Sem nunca sentir a paixão
Foram já as bodas de prata
Comemoradas em solidão

Pôs um pouco de baton
E um leve toque de pintura
Tirou do cabelo o travessão
E devolveu ao rosto a candura

Saiu para a rua insegura
Vageou sem direcção
Sorriu a um homem com tremura
E sentiu escorrer do coração
A humidade quente da loucura

30
Set09

Música Portuguesa do dia:Não queiras saber de mim - Mariza e Rui Veloso

olhar para o mundo



Letra

 

 

Não queiras saber de mim

Rui Veloso

 

Não queiras saber de mim

Esta noite não estou cá

Quando a tristeza bate

Pior do que eu não há

Fico fora de combate

Como se chegasse ao fim

Fico abaixo do tapete

Afundado no serrim

 

Não queiras saber de mim

Porque eu estou que não me entendo

Dança tu que eu fico assim

Hoje não me recomendo

 

Mas tu pões esse vestido

E voas até ao topo

E fumas do meu cigarro

E bebes do meu copo

Mas nem isso faz sentido

Só agrava o meu estado

Quanto mais brilha a tua luz

Mais eu fico apagado

 

Dança tu que eu fico assim

Porque eu estou que não me entendo

Não queiras saber de mim

Hoje não me recomendo

 

Amanhã eu sei já passa

Mas agora estou assim

Hoje perdi toda a graça

Não queiras saber de mim

 

 

26
Ago09

Música Portuguesa do dia:A Paixão - Rui Veloso

olhar para o mundo



Letra

 

paixão

rui veloso

Composição: Indisponível

Tu eras aquela que eu mais queria
P'ra me dar algum conforto e companhia
Era só contigo que eu sonhava andar
P'ra todo o lado e até quem sabe?
Talvez casar

Ai o que eu passei, só por te amar
A saliva que eu gastei para te mudar
Mas esse teu mundo era mais forte do que eu
E nem com a força da música ele se moveu

Refrão:
Mesmo sabendo que não gostavas
Empenhei o meu anel de rubi
Para te levar ao concerto
Que havia no rivoli

Era só a ti que eu mais queria
Ao meu lado no concerto nesse dia
Juntos no escuro de mão dada a ouvir
Aquela música maluca sempre a subir

Mas tu não ficaste nem meia-hora
Não fizeste um esforço p'ra gostar e foste embora
Contigo aprendi uma grande lição
Não se ama alguém que não ouve a mesma canção

Refrão

Foi nesse dia que percebi
Nada mais por nós havia a fazer
A minha paixão por ti era um lume
Que não tinha mais lenha por onde arder

Refrão


Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D