Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

08
Ago10

Imagens (ir)reais da mulher na publicidade

olhar para o mundo

O que todas as mulheres deviam saber sobre as imagens das revistas: Nem a maior das dietasou as inúmeras operações de estética serão capazes do toque de um mago chamado"Photoshop".

As adolescentes são facilmente manipuláveis e moldáveis. Não é por acaso que é em tenra idade que começam a ser recrutadas para as agências de modelos, sob o sonho da beleza e fama fáceis e em programas que as fazem sonhar alto de mais, com uma vida que tem muito pouco deglamour, aquilo que maior parte delas não imagina.

Até nós, mulheres adultas e à partida de cabeça bem organizada e estruturada, somos desde miúdas bombardeadas pelas imagens fantásticas das modelos magras, com um corpo perfeito, sem rugas e celulite. Garanto-vos, eu própria tenho cuidado com a minha imagem e até sou algo "fanática" com os cuidados que tenho com o meu corpo, mas desde o momento em que me apercebi que não havia uma única imagem que não fosse altamente retocada pelas mãos milagrosas, não de Deus, mas de um programa chamado "Photoshop", apercebi-me e concluí de vez que NADA, nem NINGUÉM é realmente aquilo que aparenta ser nas mais prestigiadas revistas de moda, socialite e mesmo saúde e bem-estar

 

Para ler, ver e digerir

 

Jean Kilbourne , escritora, cineasta, argumentista é reconhecida internacionalmente pelo seu trabalho sobre a forma como o sexo feminino é tratado em publicidade. Além de falar do corpo da mulher como objecto de desejo e manipulação, Kilbourne também critica ferozmente a promoção do álcool e do tabaco e as aparentes imagens de felicidade que estes produtos prometem.

Todos os seus filmes, palestras, aparições públicas e presenças em programas de televisão - como o sobejamente conhecido "Oprah Winfrey Show" que passa diariamente no canal SIC Mulher - foram vistos por milhões de pessoas.

Se eventualmente ainda não teve oportunidade de ver nenhum, deixo-lhe alguns excertos do último "Killing Us Softly - 4", um filme que nos dá um novo olhar sobre a realidade distorcida dos actuais ideais de beleza femininos e a forma como estes estão a destruir a verdadeira feminilidade.


O sexismo, os distúrbios alimentares, os estereótipos redutores da realidade, a perceção da beleza e a sexualidade, são tudo temas abordados, uma vez mais pela autora, que põe a nu a forma como a publicidade trata o sexo feminino como objeto, e trabalha a beleza manipulada em programas de edição de imagem.

Pior  é ver como as falsas aparências põem em risco a saúde física, mental e verdadeira auto-estima das mulheres em todo o mundo. Há décadas que as mulheres lutam contra falsos esteriótipos apresentados pelas modelos das capas de revista que, na sua maioria, estão muito longe de ser a perfeição que aparentam. Isto sem falar nos milhões que movimentam em todo o mundo.

Curriculum Vitae - Jean Kilbourne

 

Nomeada pela "The New York Times Magazine" como uma das mais famosas oradoras do país, Kilbourne é lincenciada em inglês, pela Universidade de Wellesley e doutorada em educação pela Universidade de Boston. Após a licenciatura ganhou uma bolsa por Wellesley, que lhe permitiu passar três anos na Europa e trabalhar para a British Broadcasting Corporation em Londres.

É membro honorário do Centro para as Mulheres Wellesley desde 1984. É ainda autora do livro premiado "Can't Buy My Love: Como a publicidade muda a maneira de pensarmos e sentimos", e co-autora de "So Sexy So Soon: The New Sexualized Childhood", e "O que os pais podem fazer para proteger seus filhos". Os filmes premiados com base nas suas palestras incluem "Killing Us Softly" (que já vai na quarta edição), "Spin the Bottle" e "Slim Hopes".

 

 

 

Via A vida de Saltos Altos

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D