Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

04
Jul10

Falta de orgasmos é sinal de frigidez?

olhar para o mundo

Frigidez e orgasmos

 

Olá, tenho 29 anos e nunca tive um orgasmo. Isso é normal ou sou uma pessoa frígida? - Fernanda, de Cachoeiro de Itapemirim (ES) 

Numa pesquisa realizada e publicada pelo Inpasex (Insituto Paulista de Sexualidade, do qual sou diretora), a disfunção de orgasmo aparece em 26,5% das mulheres que procuram nossa ajuda, com média etária de 34 anos. Isso quer dizer que a anorgasmia (a ausência de orgasmos mesmo após a estimulação sexual) é uma disfunção bastante frequente entre as mulheres. 

O orgasmo é uma sensação subjetiva e necessita de aprendizado. Uma mulher que não consegue sentir esse prazer pode desenvolver outra disfunção sexual em função de não compreender o ato de fazer sexo. O que acontece na maioria das vezes é que não aprendemos como nosso corpo funciona e por isso não sabemos que caminho seguir para conseguir o que queremos. 

Entregamos a responsabilidade na mão das pessoas com quem transamos e esperamos que nos dêem um orgasmo. Entretanto, cada uma de nós é responsável pelo seu próprio prazer. Então, busque aprimorar sua percepção corporal sem vergonha ou medo, e tenha confiança em sua parceria. 
Um caminho interessante é reconhecer cada parte de seu corpo e perceber as sensações que podem ser obtidas pelo toque. Use um espelho para fazer essa exploração e preste atenção especial à vulva (a parte externa da genitália, onde estão os lábios e o clitóris).

Peça ao seu parceiro que a toque também. Dessa forma, as sensações táteis, tão importantes na hora do sexo, serão suas professoras de como chegar lá. Caso tenha alguma dificuldade em conseguir fazer este processo de aprendizado, converse com quem você transa e busquem ajuda profissional. 

Ter um orgasmo é aprendizado, sempre. Por isso, toda mulher pode tê-lo e assim vivenciar a sexualidade de maneira gostosa. É importante salientar que não existe mulher frígida, e sim mulheres que desenvolvem alguma disfunção pela sua experiência no sexo. 

Uma leitura interessante é “Mulheres que Gostam de Sexo” (Ed. Record), de Gina Ogden. Trata de relatos de casos de mulheres que descobriram o prazer sexual ao desvendarem a si mesmas.

 

Via Marie Claire

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D