Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

05
Dez09

Portugueses nunca compraram portáteis tão baratos

olhar para o mundo

Portateis cada vez mais baratos em Portugal

 

 Menos de 600 euros. É a primeira vez que o preço médio dos computadores portáteis vendidos em Portugal fica abaixo desta fasquia, marcando uma nova era na massificação da informática. Os números são da Toshiba portuguesa e significam que nunca se compraram tantos portáteis a preços tão reduzidos. E a tendência veio para ficar. 


"Em 2007, o preço médio de venda era de mil euros", disse ontem o director de marketing da Toshiba, Jorge Borges, durante a apresentação do quarto observatório do mercado feito pela empresa.

Este ano, a queda do preço médio atingiu um valor recorde de 20%. Porquê? a explicação está no programa e-escolas e no sucesso dos netbooks (miniportáteis low-cost), que pressionaram os preços em baixa e obrigaram a concorrência a reposicionar-se. 

Os consumidores agradeceram e acorreram às lojas, o que se traduziu num crescimento de 30% do mercado - sem o efeito do e-escolas e do e-escolinhas (Magalhães), esta subida teria sido de apenas 6%. Este valor mesmo assim não seria mau, em ano de crise, de várias eleições e de espera pelo novo sistema operativo da Microsoft, o Windows 7. Feitas as contas, vão vender-se mais de 1,3 milhões de portáteis em 2009. 

"Vivemos um paradigma diferente dos outros mercados: temos de vender mais produto com mais qualidade e por menos dinheiro", resumiu João Amaral, director-geral da Toshiba, que este ano também irá bater o recorde e vender 300 mil portáteis. A retrospectiva não deixa margem para dúvidas. Se em 2002, 20% dos portáteis vendidos custavam mais de dois mil euros, hoje essa fatia é inferior a 1%. Os portugueses baixaram a barreira psicológica para os mil euros e é aqui que se concentram 60% das vendas. 

Nesta guerra de preços, o consumidor sai claramente a ganhar. Não só porque consegue bons produtos por menos dinheiro, mas também porque há mais gamas disponíveis: além dos portáteis convencionais, já é possível optar por um ultra-portátil, um netbook e futuramente por um smartbook. Esta é a grande novidade do mercado para 2010: um cruzamento entre o smartphone e o netbook, que dará origem a um aparelho ainda mais barato que os portáteis low-cost (que custam entre 250 e 400 euros), mas com funcionalidades acrescidas em relação ao smartphone. Segundo as palavras de Jorge Borges, serão "aparelhos concebidos para aceder a informação na net, mais limitados que o netbook". 

A Toshiba acredita ainda que um dos impulsionadores desta nova espécie será o Chrome, sistema operativo que a Google vai tirar do forno já no início de 2010. Trata-se de um software leve, desenhado especialmente para portáteis de baixo custo, em que o acesso permanente à internet é a principal funcionalidade. Justificará a tendência para que cada consumidor venha a ter dois ou três equipamentos portáteis, tal como acontece hoje com os telemóveis, e que a base instalada de portáteis em funcionamento ultrapasse já os três milhões.

 

Via ionline

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D