Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

05
Abr11

INE retira perguntas dos Censos

olhar para o mundo
INE retira perguntas dos Censos
 
O Instituto Nacional de Estatística (INE) vai ser obrigado a eliminar duas perguntas da base de dados criada para os Censos 2011.

Em causa, soube o SOL, está a pergunta do Questionário de Família sobre se determinada pessoa tem uma relação em união de facto com um parceiro do mesmo sexo ou de sexo diferente, e se reside com esse mesmo parceiro.

E outra, no espaço C do mesmo questionário, em que se exige a cada cidadão que indique o nome e o sexo das pessoas que, não sendo residentes no seu alojamento, aí estavam presentes no dia 21 de Março.

Por considerar que se trata de informação «sensível», da esfera da«vida privada», a Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) proibiu o INE de registar, nas bases de dados criadas de propósito para esta operação estatística, todas as informações que já tiverem sido recolhidas até ao momento, através dos formulários em papel ou via internet.


Pedido bastante tardio 


Esta decisão só agora foi tomada - «em momento bastante tardio e numa altura em que já estava em marcha a recolha dos dados», frisa a CNPD - porque só no passado dia 10 é que o INE pediu autorização aos juristas desta Comissão para tratar a informação deste recenseamento. «Tendo em conta que os questionários do inquérito-piloto e os da operação real eram idênticos, entendemos que a notificação do primeiro seria suficiente» - justificou ao SOL fonte oficial do Instituto.

Já em 2010, quando pela primeira vez foi chamada a pronunciar-se sobre este assunto - estava então em curso o inquérito piloto, lançado em Abril desse ano -, a CNPD tinha alertado o INE para o carácter sensível destas e de outras questões (como a religião e problemas de saúde ou decorrentes da idade), cuja resposta deveria ser facultativa, por serem relativas à orientação sexual e à intimidade da vida familiar.

No entanto, o INE - que já nessa altura informou a Comissão fora de horas - teve entendimento diferente, alegando ainda que já não era possível alterar o conteúdo dos formulários digitais e em papel.

O INE tem agora 15 dias para informar aquela Comissão sobre as medidas que vai tomar para proteger devidamente os dados pessoais a inserir ou já inseridos na base de dados. Até quarta-feira - décimo dia de resposta pela internet - mais de dois milhões e meio de pessoas tinham respondido aos Censos através do site do INE - o equivalente a meio milhão de alojamentos recenseados.

 

Via Sol

04
Abr11

Conheça as fantasias sexuais dos portugueses... e surpreenda-se!

olhar para o mundo
As fantasias sexuais dos Portugueses

Dominação, sexo com desconhecidos, ou em público, ou na Igreja: há fantasias sexuais para todos os gostos. Que o diga a autora que reuniu os testemunhos eróticos de 100 portuguesas.

 

Engana-se quem pensa que a típica fantasia sexual feminina se fica por idílicas noites de amor em areais desertos à luz do luar. Aliás: não existe típica fantasia sexual feminina. Há quem fantasie com sexo forçado, quem goste de dominar o parceiro ou de sexo em grupo.

O universo erótico feminino é tão complexo e multifacetado que chega a espantar. Estas foram as conclusões a que chegou a jornalista e escritoraIsabel Freire, autora de ‘Fantasias Eróticas - Segredos das Mulheres Portuguesas' (Esfera dos Livros) um livro que tenta desvendar os segredos do universo erótico feminino.

 

"Os sexólogos dão muita importância às fantasias sexuais", observa. "Sabemos que mesmo as paixões avassaladoras não mantêm a mesma intensidade para sempre. Por isso, ou a mulher opta por viver paixões umas atrás das outras ou arranja ferramentas, como recorrer à fantasia, que podem produzir o mesmo efeito em relações longas. Este livro serve para mostrar que as fantasias sexuais não são uma coisa feia, má ou medíocre."

 

"Não queria fazer uma caderneta de cromos"

"Entendi este trabalho como uma grande reportagem", explica Isabel, que já tinha investigado o mundo das orgias nos ‘quartos escuros' clandestinos das saunas masculinas. O desafio foi lançado por e-mail e no blog que Isabel criou, o ‘Sexualidade Feminina', no qual pedia que lhe respondessem a um questionário de 60 perguntas. Dezoito testemunhos foram recolhidos por entrevista, frente a frente.

 

"Eu própria respondi ao questionário e percebi que era duro", confessa.

 

No final, tinha mais de mil páginas de material. A mais velha das entrevistadas tinha 58 anos; a mais nova, 16. "Sabia que não queria fazer apenas uma caderneta de cromos. Interessa também saber o que há atrás da fantasia." Por isso, pediu a colaboração de especialistas em sexologia, que explicaram práticas, fantasias e termos técnicos. "No livro há mulheres virgens, outras com uma sexualidade muito exuberante, outras que confessam ter muito pouca libido. O que as liga é uma vontade de se conhecerem a si próprias. Maioritariamente, têm formação superior e uma boa relação com as novas tecnologias e computadores. Mas há quem tenha respondido por carta escrita à mão, em pequenas localidades."

 

"Gostaria de experimentar um ménage à trois"

Isabel constatou que o número de mulheres bissexuais no seu livro chegava aos 15%, enquanto que as homossexuais ficavam pelos 10%. "Espantou-me. A bissexualidade é maior entre as mulheres. Mas ainda há muitas heterossexuais que me dizem ‘sou heterossexual até à data, mas concebo que outra mulher me seduza para uma relação erótica ou afectiva'", diz Isabel. Exemplo disso é a quantidade de entrevistadas que dizem fantasiar com uma situação de sexo a três, com um homem e outra mulher - ou até com dois homens. "Os especialistas dizem que as mulheres têm muita facilidade de erotizar as relações porque não centram tanto as relações na genitalidade. Para as mulheres o erotismo não passa só pelo corpo bonito e sedutor", observa Isabel.

Dominadoras e dominadas

Um clássico do imaginário sexual, e que merece o seu próprio capítulo no livro de Isabel, são as fantasias sadomasoquistas, em que várias mulheres referem excitar-se com a ideia de serem usadas como mulher-objecto ou, pelo contrário, dominarem sexualmente o parceiro. Mas pode fantasiar-se à vontade sem que nunca se tenha vontade de usar o chicote ou ser açoitada pelo namorado, como realça a psicóloga clínica Patrícia Pascoal, citada no livro.

Quem passa à acção sabe que o deve fazer com alguém de confiança e, normalmente, opta por práticas mais ligeiras, como ser algemada, vendada, beliscada, mordiscada ou por usar linguagem obscena. "Podemos perguntar como é possível que uma mulher que se diz independente e defensora dos direitos das mulheres, tenha a fantasia de ser mulher-objecto", observa Isabel. "Mas a fantasia é o espaço de liberdade maior e de possibilidade de transgressão absoluta.

O desejo também nasce da transgressão." Neste capítulo pode ler-se o testemunho de uma dominadora confessa. "Uma mulher contou-me que não se deixa penetrar, só penetra, e que gosta de usar um strap on dildo [pénis artificial preso a um cinturão] para penetrar homens e mulheres. E, por acaso, tem uma sexualidade mais bem resolvida. Tem um parceiro que até gosta daquela circunstância."

"Gostaria de ter sexo em público"

Neste caso a excitação é desencadeada pelo stress de ser apanhado em flagrante ou pela ideia de que outras pessoas - alguns dos testemunhos mencionam mesmo a palavra ‘multidão' - observem os actos sexuais praticados. Isabel cita um estudo levado a cabo em 20 países por uma editora, a Cora Publishing House, onde se concluiu que os maiores adeptos eram os noruegueses: 66% diziam ter sexo em locais públicos. As suas entrevistadas também relatam fantasiar com esta situação... e pô-la em prática em vários locais: no cinema, no chão de um bar depois da hora de fecho, na casa de banho do dentista, no escritório do companheiro, no campismo ou na praia, dentro de água.

"A minha fantasia é adormecer nos braços de alguém..."

Isabel Freire afirma que o capítulo consagrado às fantasias românticas é o que custa mais a ler. "Foi aquele em que mais situações traumáticas foram relatadas: anorexia, bulimia, violações consumadas, tentativas de violação, abuso sexual na infância."

Aqui, as mulheres idealizam romances em ilhas tropicais, sexo terno na praia, dentro de uma piscina. "São fantasias idílicas, pouco elaboradas ou transgressivas, nalguns casos vividas com muita excitação. Nestas fantasias o filme é romântico, o envolvimento é sentimental, os corpos são belos, sensuais e tudo é quente como no paraíso", escreve Isabel Freire no seu livro. São primeiros passos tímidos na imaginação erótica, onde nada é perverso ou penalizante.

Particularmente tocante é o relato de uma seropositiva com mais de 40 anos, que relata uma vida sexual bem recheada e cheia de alegrias. Hoje, luta contra a sida e as fantasias mudaram. "Actualmente, do que sinto mais falta é do afecto, da ternura, do carinho. A minha fantasia adormecer nos braços de alguém. Ter um homem que me beije e me acaricie. Dançar encostada ao som da música. Tudo se tornou mais básico", pode ler-se.

Por tudo isto, ‘Fantasias Eróticas' tem o efeito quase terapêutico de pôr as leitoras a pensar na sua sexualidade e vida afectiva. Isabel continua a receber testemunhos, mesmo depois do livro estar editado e sem projectos para um novo volume. Para já, corre o risco de ter o maior acervo nacional sobre o imaginário erótico feminino.

 

04
Abr11

Paris proíbe aquecimento com gás nas esplanadas

olhar para o mundo

Paris proíbe aquecimento com gás nas esplanadas

 

Medida atinge milhares de cafésrestaurantes e bares. Proteções de plástico também são proibidas. Ecologistas queriam alargar a interdição aos aquecimentos elétricos e propunham distribuição de cobertores aos clientes.

 

Os ecologistas desejavam que também fossem proibidos os aquecimentos com energia elétrica, mas só conseguiram interditar os que funcionam com gás. No entanto, o novo regulamento, aprovado pela Assembleia Municipal da capital francesa e que entrará em vigor dentro de dois anos, atingirá milhares de esplanadas porque também foram proibidas as vedações de plástico a que recorrem os donos de cafés e restaurantes para proteger os clientes, na maioria fumadores.

Esta medida "responde a uma dupla preocupação ambiental e de limpeza pública: evitar utilização de energia não renovável e obrigar à utilização de espaço exterior com condições adequadas, como a colocação de cinzeiros. O gasto em energia é importantíssimo, especialmente em cidades como Paris, com uma boa parte do ano com aquecimento indispensável devido às temperaturas externas", diz ao Expresso Hermano Sanches Ruivo, deputado (socialista) municipal de Paris, que votou favoravelmente esta lei.   

Desde que, em 2008, foi proibido fumar no interior deste tipo de comércios, as esplanadas aquecidas a gás e protegidas por plásticos transparentes floresceram - no total, Paris conta com 8600 esplanadas, 3500 delas fechadas total ou parcialmente.

Ecologistas queriam distribuição de cobertores

A edilidade parisiense tomou a decisão em nome da defesa do ambiente e, no caso dos terraços fechados, por "motivos estéticos".

Os ecologistas queriam proibir o recurso a todos os equipamentos que "utilizam uma fonte de energia não renovável", incluindo a elétrica. Propunham esplanadas abertas e que fossem distribuídos, nos dias e noites mais frios, cobertores aos clientes.

"Existem outras possibilidades para além da eletricidade. Vamos acompanhar o processo nos próximos dois anos, para também propormos métodos de fornecimento de energia menos poluidores", esclarece Hermano Sanches Ruivo.

A nova medida obriga igualmente os cafés, restaurantes e bares a colocarem cinzeiros nas mesas para impedir que as beatas sejam lançadas para o chão dos passeios e para as ruas. "Quanto à limpeza do espaço público, por sabermos que os utilizadores são essencialmente fumadores, pretendemos também sensibilizar proprietários de estabelecimentos e clientes para a necessidade de uso dos cinzeiros. Os gastos em limpeza dos passeios e espaços públicos são consequentes, tendo em conta a limpeza é sempre um critério principal, como a segurança, para os habitantes", acrescenta ao Expresso o deputado municipal.    

Os proprietários de esplanadas cobertas e aquecidas a gás protestaram contra as novas medidas que, dizem, "vão matar o negócio".

Litígios frequentes de fumadores com não fumadores

Desde a proibição do fumo no interior dos estabelecimentos, em 2008, aumentaram consideravelmente os litígios entre clientes fumadores e não fumadores.

Os problemas, que necessitam por vezes de intervenção policial, agudizaram-se, designadamente à noite, devido ao ruído provocado pela forte concentração de fumadores no exterior de bares e cafés.

Os vizinhos e residentes nas imediações destes locais queixam-se frequentemente às autoridades por não conseguirem dormir, devido à algazarra feita pelos clientes fumadores nos passeios e nas esplanadas.

 

Via Expresso

03
Abr11

Fantasia sexual

olhar para o mundo

Fantasia sexual

 

Uma das maneiras mais gostosas e interessantes de se apimentar a relação é fazer uso das fantasias sexuais. O objetivo é liberar a criatividade do casal, colocando um fim na rotina, além de ajudar muito a mulher a descobrir sua sensualidade, colocando para fora a deusa do sexo existente em toda mulher.

O que é uma fantasia sexual? A fantasia sexual pode ser entendida como sendo um conjunto de imaginações referentes a sexo que trazem estímulos para o prazer. São representações mentais, em que a pessoa se vê protagonista de situações que a estimulam e despertam os seus desejos mais ardentes.

Segundo Joseph LoPiccolo, autor do livro “Descobrindo o Prazer”: “A fantasia sexual é um meio de envolver o corpo e a mente para o prazer sexual”. Por que é bom ter fantasias sexuais? São indispensáveis para a relação, pois têm grande capacidade afrodisíaca e servem de estimulantes para a relação sexual.

As fantasias sexuais ajudam a potencializar a sexualidade trazendo formas novas de viver a relação; ajuda na busca de um prazer maior; estimula as idéias sobre situações; ajuda no modo de se produzir tornando-se mais atraente e se sentindo mais segura. Tudo isso acaba melhorando a auto-estima do casal. Eles se tornam cúmplices um do outro e se tornam cada vez mais íntimos, melhorando muito o relacionamento.

Segundo especialistas, as fantasias sexuais quando bem aproveitadas ajudam a desenvolver a sexualidade e permitem que as pessoas desafiem tabus.

Segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana (SBRASH), com 200 homens e 832 mulheres entre 16 e 59 anos, todos têm fantasias sexuais. É inerente ao ser humano, independente de idade. São reflexos saudáveis das necessidades e desejos não satisfeitos por imposições e repressões de uma sociedade conservadora.

Geralmente as fantasias masculinas dão ênfase ao contato erótico e na relação sexual em si. As fantasias que traduzem o desejo de sexo são as preferidas pelos homens. E traduzem sempre a afirmação da masculinidade, ou seja, “o ser bom de cama” , “o máximo”.

Segundo a pesquisa feita pela SBRASH, as fantasias preferidas dos homens são:
- Transar com duas mulheres ao mesmo tempo; (47%)
- Fazer sexo com mulheres famosas; (21%)
- Fazer sexo em grupo;(12%)

Enquanto o homem se excita com algo que se relacione diretamente com o sexo e o poder masculino, a mulher é mais romântica, ela vai ligar a fantasia a lugares e situações românticas.

Mesmo a mulher bem sucedida profissionalmente, a mulher moderna, deseja ser amada e se imagina em situações cheias de amor e desejo. Geralmente as fantasias femininas dizem respeito aos respectivos parceiros. Até nas fantasias as mulheres são mais fiéis aos sentimentos.

A pesquisa revelou que as principais fantasias femininas são:
- Fazer sexo em lugar romântico (cabana, praia, lago) – 36%
- Fazer sexo com homens famosos – 24%
- Fazer sexo dominada pelo parceiro – 13%

Não importa qual seja a sua fantasia, o importante é respeitar seus limites. Se o casal estiver bem sintonizado a fantasia vai funcionar muito bem. Agora se o parceiro ou parceira não concordam, pode ser frustrante. Por isso o casal precisa estar sempre dialogando sobre o que é bom para os dois, inclusive o local para realização da fantasia.

Quando o assunto é sexo em lugar inusitado, o elevador é campeão. Embora haja situações mais apimentadas, também a prática cotidiana, como lugares diferentes na própria residência também podem ser uma ótima fantasia.

Não importa qual seja a sua fantasia sexual, o importante é vivê-la da melhor maneira possível.

 

Via Vila Mulher

03
Abr11

Cristiano Ronaldo leva para Madrid saco de areia da praia da ilha do Porto Santo

olhar para o mundo

Cristiano Ronaldo leva para Madrid saco de areia da praia da ilha do Porto Santo

 

O futebolista internacional português Cristiano Ronaldo deixou hoje a ilha do Porto Santo rumo a Madrid, levando consigo um saco de areia da praia, cujas propriedades são reconhecidas pelas suas capacidades medicinais.

 

O jogador do Real Madrid, que esteve na ilha com um grupo de investidores para tratar de um empreendimento turístico que ali vai edificar, seguiu os conselhos do presidente da autarquia local,Roberto Silva, transportando areia, que, considera, poderá ser útil na recuperação da lesão que o afeta.

 

“Ele ficou muito sensibilizado com a nossa explicação em relação à areia e fez questão de a levar, considerando que a mesma poderá ajudá-lo numa recuperação mais rápida e eficaz, de forma a regressar aos relvados”, afirmou o presidente da Câmara de Porto Santo.

 

O governante mostrou-se satisfeito com a decisão do jogador e manifestou o desejo de que este recupere "o mais rapidamente possível".

 

Via Ionline

02
Abr11

Os riscos do Anal

olhar para o mundo

Os riscos do sexo anal

 

A penetração anal mexe com a fantasia dos homens, mas ainda é tabu para muitas mulheres.

 

Quando a parceira não está relaxada ou com vontade de praticar esse tipo de sexo, pode sentir dores e afugentar de vez o prazer.

 

E para quem não sabe, o sexo anal pode ser a porta de entrada para doenças graves. "Quem pratica este ato sem o uso de preservativo pode contrair HIV, Hepatite B e C, sífilis, herpes e HPV. Isso porque o ânus é um local com pouca lubrificação, aumentando o atrito e fissuras", explica Dra. Carolina Ambrogini, ginecologista, sexóloga e coordenadora do Projeto Afrodite, ambulatório de sexualidade feminina da UNIFESP.

O cuidado com a higiene pode ajudar a reduzir o número de infecções. "Se o casal fizer sexo anal, precisa trocar a camisinha antes de fazer o sexo vaginal, para que a mulher não se contamine com as fezes. Caso contrário, ela pode ter corrimentos e até problemas no útero", alerta Dra. Carolina.

A médica aproveita para derrubar certos tabus. Por exemplo, sexo anal não provoca hemorróida. "Porém, se ela já existe, a penetração pode complicar ainda mais e originar sangramentos", esclarece. O ato também não provoca incontinência, mas se a mulher introduzir objetos muito longos e pontiagudos no ânus, corre o risco de perfurar o reto. "É importante ressaltar que o pênis não causa este tipo de lesão", diz a especialista.

A mulher que possui alguma doença na região anal, sente dores ou sangramentos deve evitar este tipo de penetração. "O sexo anal também não é indicado quando a mulher está com diarréia, porque vai potencializar o problema, ou com intestino preso, uma vez que as fezes estão mais duras e compactadas, podendo causar dores".


Para diminuir o desconforto, a Dra. Carolina indica o uso de lubrificantes. "É importante ressaltar que o produto ajuda o pênis deslizar com mais facilidade, mas não reduz o risco de infecções. Por isso, a regra é usar sempre camisinha", ratifica.

 

 

Via Vila dois

02
Abr11

Euromilhões é para meninos - "Excêntrico" é o Sr. Armando Vara

olhar para o mundo

Há pessoas que não precisam do factor sorte para ganhar sempre. Sem apostarem, sem sacrificarem um cêntimo. Fantástico. Neste grupo inclui-se o excêntrico da semana passada, não o senhor de Chaves não identificado que dividiu o primeiro prémio do euromilhões com um apostador Belga, mas o senhor Armando Vara de Vilar de Ossos - Vinhais.

Segundo a Wikipédia "Armando Vara em 2004, antes de ter qualquer licenciatura, obteve um diploma de Pós-Graduação em Gestão Empresarial no ISCTE. Mais tarde obteve o diploma de licenciatura no Curso de Relações Internacionais na agora defunta Universidade Independente, três dias antes da sua nomeação para a Administração da Caixa Geral de Depósitos, cargo que deixou de exercer para assumir a vice-presidência do Banco Comercial Português" Se isto não é sorte é o quê? Pós-graduação antes da licenciatura? Isto é mais ou menos como ganhar a lotaria da Páscoa na altura do Natal...Nomeado 3 dias depois de se licenciar? Magic!

Continuando: "Um mês e meio depois de ter abandonado a Caixa Geral de Depósitos para assumir a vice-presidência do Banco Comercial Português, foi promovido no banco público ao escalão máximo de vencimento, o nível 18, o que terá reflexos para efeitos de reforma." Queriam, não queriam? Não é para todos. Vão mas é trabalhar, malandros!

"No governo de António Guterres foi primeiro secretário de Estado da Administração Interna (1995-97), depois a secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna (1997-99). Após a vitória eleitoral do PS em 1999, tornou-se ministro-adjunto do primeiro-ministro (1999-2000). Ainda em 2000 viu-se forçado a pedir a demissão ao surgirem notícias sobre alegadas irregularidades cometidas pela Fundação para a Prevenção da Segurança Rodoviária, que fundara no ano anterior, quando era secretário de Estado, processo que seria posteriormentearquivado.

"Em Outubro de 2009, Armando Vara foi constituído arguido no âmbito da operação Face Oculta, seguiu-se, em Novembro do mesmo ano, a suspensão do seu mandato de vice-presidente do BCP. Suspendeu em Novembro de 2009 as funções que desempenhava, renunciou ao cargo e recebeu 260 mil euros de indemnização. Ainda assim, Vara recebeu 882.192 euros em 2010, ano em que não exerceu funções por ter estado suspenso devido ao facto de ter sido constituído arguido no processo Face Oculta. Em Setembro de 2010 foi contratado como Presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa África, tendo assim a seu cargo as actividades da empresa brasileira em Moçambique e Angola. Em Fevereiro de 2011, o Ministério Público acusou Armando Vara de três crimes de tráfico de influência, no Face Oculta, que envolve mais 35 arguidos." 800 Mil euros pagos pelo BCP para não trabalhar? Para se pôr a andar? Jackpot baby!

 

Via 100 Reféns

01
Abr11

Posições sexuais: opinião feminina

olhar para o mundo
Posições sexuais opinião feminina

 

Antes de começar, vale o recado. Não há certo e errado quando o assunto é sexo.


Não existe melhor ou pior posição sexual, já que todo mundo é diferente, tem gostos diferentes e se atrai, consequentemente, por coisas diferentes. Mas há algumas situações que, no geral, podem sim ser encaradas de outra maneira pelos parceiros, pensando na satisfação da mulher. Não adianta, por exemplo, imitar cena de filme pornô - muita coisa só funciona na ficção mesmo e tentar copiar pode levar à decepção.

 

Outra coisa que pode confundir a cabeça dos homens é quanto ao peso do próprio corpo sobre a mulher. Recado para os moços de plantão: a maioria delas gosta e quer sentir tudo bem de perto, curte o atrito, então nada de se preocupar com isso. Homens precisam cuidar apenas para equilibrar tudo de maneira que não sufoque a parceira, claro.

 

Ser passivo e deixar a mulher realizar todo o serviço sozinha é reclamação de 11 em 10 mulheres quando o assunto são os deslizes deles. "Sexo é para ser feito a dois, né? Quando o homem se acha o dono da situação e vê a mulher como submissa, tende a imaginar que ela vai dar conta do recado sem ele fazer muito esforço. Tem muito homem por aí assim", reclama Soraia, de 37 anos. "É claro que, às vezes, a gente gosta de encarnar uma ‘dominatrix’, mas sempre, fica complicado", completa amiga dela, Maria Elis, de 33.

 

Além disso, a mulher, no geral, gosta do homem que toma iniciativa, puxa, levanta, vira, "domina" mesmo. Quando ele não faz nada disso, algumas mulheres se sentem menos desejadas. "Já pensou se o cara não se mexe, não sugere posições? Aí não é sexo. É outra coisa", alfineta Roberta, de 25. "Eu nem imagino como é transar com alguém que não tem pegada. Mulher adora mesmo essa dominação combinada".

 

Mas pegada não significa ter carteirinha do Cirque Du Soleil. Ser malabarista na cama é pra poucos, nem vale inventar. E como nem todo mundo consegue se contorcer como gostaria, surge mais um deslize dos homens. "Tive um namorado que sempre queria complicar, inventar moda que era fisicamente impossível. A gente perdia o clima quase sempre", lamente Marilda, 29. Nessa hora, outro probleminha comum surge, na opinião das mulheres. "Muitos ficam insistindo em alguma coisa que já mostramos não gostar. Aí desanima e não tem jeito de segurar o tesão". E você, o que colocaria na listinha de reclamações?

 

Via Vila dois

01
Abr11

Mensagem em garrafa respondida depois de 24 anos a vaguear no mar

olhar para o mundo
Mensagem em garrafa respondida depois de 24 anos a vaguear no mar
 
Um menino russo de 13 anos encontrou uma mensagem numa garrafa que há 24 anos atrás foi lançada ao mar por uma criança alemã.

Daniil Korotkikh encontrou a garrafa de cerveja numa praia perto da região de Kaliningrado, na Rússia, lá estava a mensagem de Frank Uesbeck, que na altura em que a escreveu tinha apenas 5 anos.

Na mensagem estava escrito: «O meu nome é Frank e tenho cinco anos de idade. O meu pai e eu estamos a bordo de um navio que tem como destino a Dinamarca. A quem encontrar a carta peço que me escreva de voltae eu respondere-lhe-ei».

Ao canal de televisão russo NTV, Daniil conta que «quando eu estava a caminhar na praia vi uma garrafa nas dunas e percebi que tinha um bilhete dentro. Achei interessante e fiquei curioso, poucas pessoas têm a sorte de encontrar uma mensagem numa garrafa».

Da mensagem, que vinha cuidadosamente embalada em papel celofane, constava o endereço, que o menino alemão colocou de forma a assegurar que poderia receber uma resposta.

O menino alemão, que agora é um homem casado de 29 anos, cujos pais ainda moram na mesma morada, não queria acreditar quanto recebeu resposta à mensagem que tinha enviado quando criança.

 

Via SOL

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D