Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

28
Fev11

Pénis: tudo o que nunca lhe disseram sobre ele

olhar para o mundo

tudo o que nunca lhe contaram sobre o pénis

Pode ser o melhor amigo do homem - e da mulher - mas ainda há muito que não sabemos sobre ele.

 - Sim, pode partir-se: apesar de não haver nenhum osso no pénis, se ouvir um estalo e um uivo de dor, leve-o já às urgências. Pormenor: acontece mais na masturbação do que numa relação sexual, pelo que raramente a culpa é das mulheres. É que eles até com eles próprios são mais brutos... De qualquer maneira, é sempre melhor ir com calma. Ou enfim. A calma possível.

- Se ele não consegue levantá-lo, isso nem sempre é sinónimo de cansaço ou desinteresse. Pode ser sintoma de um coração a precisar de ajuda. A disfunção erétil também pode ser sinal de outras doenças crónicas como diabetes ou hipertensão.

- Não é um músculo: não pode aumentá-lo com flexões ou pesos. Quando muito, seria uma tortura medieval. Talvez o levasse a confessar muita coisa, mas de certeza que não lhe tornava o pénis num XL. Comprimidos, ampolas e pomadas, idem. Mesmo o tradicional pó de chifre de rinoceronte (pobres rinocerontes!) servirá quando muito para exterminar mais alguns rinocerontes ou para vender gesso em lugar do dito pó. Mais uma vez, o pénis ficará na mesma. A cirurgia parece que funciona, mas mesmo assim é uma pequena diferença, e além disso é caríssimo.

- A melhor maneira de aumentar o tamanho do pénis? Perder barriga...

- Não se pode aumentar o pénis mas pode-se diminuí-lo. Atenção machos fumadores: está provado que o tabaco pode fazer encolher o pénis até 1 cm! A razão é simples de entender: uma ereção é feita de sangue que corre pelas artérias. O tabaco calcifica as artérias, o que faz com que a circulação se faça com mais dificuldade, o que faz com que o sangue chegue mais devagar onde é preciso, ou que faz com que... pronto, já perceberam. Por isso, se morrer novo não o assusta, pode ser que isto o convença a deixar os cigarros...

- Além disso, o grande drama à volta do tamanho parece que não faz sentido nenhum, porque, dizem os especialistas, os pénis, quando eretos, são quase todos... do mesmo tamanho. Quer se seja alto ou baixo, gordo ou magro, enorme ou pequenino, pronto, já perceberam a ideia. O tamanho do pénis não varia tanto de uns homens para outros.

- O que acontece é que há dois tipos de pénis: um parece mais pequeno mas expande quando ereto, outro já é grande e não muda muito com a ereção. Facto nº2: o primeiro tipo é de longe o mais comum.

- Ah, e já agora, de uma vez por todas, não há relação nenhuma entre o tamanho do pénis e o tamanho do nariz, do pé, da mão ou do dedo mindinho! Escusado será dizer que é igualmente inexistente a sua relação com o tamanho do carro, do ego ou da conta bancária.

- É, sim, verdade que muitos deles curvam ligeiramente para a esquerda ou para a direita, o que é normalíssimo. Mas se for mais parecido com a curva do Mónaco, leve-o ao médico.

- A masturbação é saudável porque... mantém o equipamento em bom estado. Pronto. Basicamente é isto.

- O pénis tem vida própria? Quase... Não é tão facilmente controlável como um braço ou uma perna, porque não responde ao mesmo ‘centro de comandos'. De facto, o pénis responde ao sistema nervoso simpático (isto não é uma piada), que também controla, por exemplo, o bater do coração e a circulação do sangue. E o que se passa nesta zona nem sempre é consciente: daí as ereções involuntárias.

- Claro que, como também pode crescer sem o consentimento do dono, também pode encolher sem pedir licença, como num ambiente muito frio (meninas: aquelas cenas tórridas de sexo na piscina ou no mar acontecem mais no cinema que na realidade. A não ser que a piscina seja aquecida e o mar seja em Lagos para aí a 25 de Agosto...). Da mesma maneira, o stress é um poderoso anti-ereção, e tem o mesmo efeito de um duche gelado.

- Então qual é o top 10 dos inimigos da ereção? Em primeiro lugar, a depressão. Curiosamente, muitos dos medicamentos anti-depressão são também anti-ereção... Em segundo, álcool em excesso, em terceiro alguns medicamentos bem como alguns tipos de droga como cocaína, anfetaminas e marijuana. Em quarto, o stresse, em quinto a raiva (leva o sangue a todas as partes do corpo menos a que naquela altura interessa e além disso não é muito romântica), em sexto a ansiedade, em sétimo a obesidade, em oitavo falta de autoestima (só em oitavo? Hmmm....), em nono a falta de libido (sim, a dor de cabeça também lhes calha a eles), em décimo a falta de saúde geral (dah...).

 

Via Activa

28
Fev11

Bancos coreanos pagam juros mais altos a quem perder peso

olhar para o mundo
Bancos da Coreia pagam juros mais altos a quem perder peso
 
Na Coreia do Sul, os bancos estão a alancar várias iniciativas para atrair clientes. As propostas vão desde o incentivo para perder calorias, ao incentivo para usar a bicicleta em vez do carro e a acabar com os maus vícios. 
Alguns bancos pagam juros mais altos a quem perder mais peso. Até agora, a conta "fazer exercício para receber taxas de juro mais altas" já atraiu quase 50 mil clientes, desde 2008. Assim, se o cliente perder, por exemplo, mais de 5% do seu peso num ano, ou mantiver a inscrição num ginásio, o banco paga taxas especiais.
Outros bancos apostam em outras iniciativas também mais saudáveis. O Kookmin Bank, do KBFinancial Group, lançou um produto smartphone no qual os clientes podem carregar num ícone de um café ou de um táxi o que lhes permite depositar diretcamente o dinheiro que pouparam, em vez de beberem o café ou de apanharem um táxi
No Woori Bank há um depósito "bicicleta" em que os clientes comprometem-se a usar uma bicicleta nas viagens diárias entre a casa e o trabalho. Uma das vantagens é que o banco oferece seguros gratuitos para as bicicletas.  
28
Fev11

Se uma mulher está semi-nua nós ficamos excitados. Você não fica?

olhar para o mundo

Não senhor presidente, não fico. E imagino que muitos homens também não. Afinal creio, e tenho quase a certeza, que muitos homens já conseguem ser minimamente civilizados.

O título, como facilmente devem antever, não é uma citação minha mas sim de Ramzan Kadyrov, presidente da Chechénia, que anunciou recentemente estar à procura da segunda esposa. Aos 34 anos de idade Ramzan Kadyrov governa o país com punho de ferro e segundo diretrizes da lei islâmica. Em declarações ao jornal Komsomolskaya Pravda, Kadyrov diz que procura uma "mulher decente" para a tornar sua segunda esposa, mas que ainda não encontrou uma que seja bonita suficiente (assim, num à parte de brincadeira, faz-me lembrar aquela anedota do homem que submete várias mulheres a testes de inteligência e honestidade para encontrar a perfeita e, no final, acaba por escolher a que tem o peito maior).

 

Poligamia para estimular a taxa de natalidade


No contexto muçulmano a que, infelizmente, já estamos habituados, as declarações de Kadyrov podiam passar despercebidas, contudo, há que relembrar que a poligamia é proibida por lei na Rússia. Nada que não seja facilmente ultrapassado. Alguns políticos russos, como o nacionalista e vice-presidente do Parlamento Vladimir Zhirinovsky, vieram a público pedir que a poligamia seja legalizada por forma a estimular as taxas de natalidade do país (gostava de fazer um comentário sobre isto mas, lamento, estou demasiado chocada).

 

Quando questionado sobre a posição da legítima esposa sobre a poligamia, Kadyrov defende-se alegando que não está a "enganar a mulher", que é "honesto" pois ela sabe que ele tem outra esposa e por isso - dada a extrema honestidade deste homem - a mulher não se incomoda. Pois.

 

A culpa é sempre da mulher, o homem apenas é homem


O rol de declarações contra os direitos das mulheres não se fica por aqui e por este aparente consenso na poligamia. Ramzan Kadyrov descreve as mulheres como propriedade dos seus maridos e que têm como único propósito dar-lhes filhos. Segundo o mesmo, desde que o homem seja capaz de prover as suas mulheres e filhos com casa, comida e boas condições de vida, nada o impede de ter várias famílias em simultâneo.

 

No entanto, para mim, o culminar de todas estas declarações está no título do presente texto. Mais do que colocar a mulher num patamar inferior e desumano, estas mesmas declarações colocam o próprio homem muitos séculos atrás na evolução da civilização.

 

No seguimento da repressão que algumas mulheres têm sofrido por se recusarem a vestir segundo o costume islâmico, Kadyrov diz que não impõe regras mas que as mesmas devem estar alertas quando estiverem insuficientemente vestidas nas ruas da Chechénia: "Os nativos do Cáucaso são homens quentes, se uma mulher está seminua, nós ficamos excitados. Você não fica?"


Não querendo levantar uma guerra religiosa, parece-me que este senhor poderia até dar-se bem com o padre ortodoxo que acha que 

Haja paciência para tanto auto-controlo masculino.

 

Mulheres de minissaia não se devem admirar se forem violadas .

 

Via A vida de Saltos altos

28
Fev11

Cinturones de castidad, otra vez?

olhar para o mundo

 

Cinturones de castidad otra vez?

 

Uno creía que estas cosas ya no existían, o que sólo quedaban circunscritas a prácticas sexuales vinculadas al BDSM o para jugar a ‘Dragones y mazmorras’. Sin embargo, parece que algunas tradiciones se resisten a desaparecer y vuelven por sus fueros, aunque no en su forma tradicional. De hecho, para ser estricto, el ‘post’ de hoy debería haberse titulado ‘ligueros de castidad’, porque en eso consiste el invento del que vamos a hablar, pero al fin y al cabo todo termina en lo mismo y lo del cinturón se entiende más rápido.

 

Cuando hablamos de este instrumento de tortura a todos nos vienen a la cabeza caballeros medievales largándose de excursión a Tierra Santa, mujeres encerradas en una torre, infecciones de caballo y honras intactas. Sin embargo, a pesar de todas las leyendas construidas alrededor de este invento, los cinturones de castidad realmente documentados datan del siglo XIX y están relacionados con la ola de puritanismo que asoló Occidente en aquella época. En alguna ocasión hemos hablado de artilugios creados en la era victoriana destinados a perseguir la masturbación o el erotismo exacerbado. En este sentido, los cinturones no eran más que otro instrumento más destinado a combatir de manera puntual las pulsiones sexuales normales del ser humano. De hecho, un cinturón sólo puede llevarse puesto unas horas, si se quieren evitar infecciones, laceraciones en la piel y otros desmanes. Algunos historiadores aseguran que realmente los cinturones nacieron durante el Renacimiento y los utilizaban algunas mujeres como instrumento de autodefensa para evitar violaciones, cuando tenían que estar en contacto con tropas o durante un viaje. A la hora de la verdad, los únicos ejemplares que han llegado hasta nuestros días no tienen más de 200 años, por lo que todo lo demás no deja de ser mera literatura o fantasía.

 

Llama la atención cómo en pleno siglo XXI todavía hay gente que toma en consideración este tipo de artilugios de castigo para asegurarse la fidelidad de su pareja. Que nadie piense en candados, cerrojos o llaves. Las nuevas tecnologías también sirven para algo en el mundo de la represión sexual. El último grito en este campo consiste en unos ligueros con chip incorporado, llamados ‘Gorgeous garters’. El chip detecta la humedad de la piel y la aceleración del ritmo cardíaco, asociados a cualquier tipo de actividad sexual, y manda un mensaje de texto al teléfono del marido o novio de la presunta infiel, advirtiéndole que se la están pegando. Me pregunto si los ligueros de castidad son tan sensibles que también envían un sms si la persona controlada sube unas escaleras o tiene que pegarse una carrerita para no perder el metro… La liga resulta imposible de quitar si no se envía un mensaje de texto automático, con un código secreto, por lo que cualquier maniobra de distracción resulta inútil. Su precio, según el modelo (seda o encaje), oscila entre los 70 y los 88 €. Los creadores del invento de marras son un matrimonio británico, Edward y Lucinda Halle, que decidieron arreglar sus problemas de alcoba de manera tan pragmática. Por lo visto, en una ocasión, Lucinda le puso los cuernos a Edward y, llena de arrepentimiento, le comentó que lamentaba que no hubiera algo en el mercado que la ayudase a evitar la tentación de acostarse con otro señor. Toma ya. Sea como sea, Edward se tragó el argumento (y la mala leche, supongo) y, junto a su infiel esposa, se puso manos a la obra para remediar el problema. Me imagino que inspirados en las pulseras que colocan a los presos, dieron con la solución patentando esta peculiar liga de castidad. Así está el mundo. Lo más preocupante es que, en la página web, aseguran que la demanda ha sido tal que actualmente tienen las existencias agotadas.  

 

Via Cama redonda

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D