Sábado, 22 de Maio de 2010

 

Letra
La luna se estaba peinando 
En los espejos del rio 
Y un toro la esta mirando 
Entre la jara escondio 

Cuando llega la alegre mañana 
Y la luna se escapa del rio 
El torito se mete en el agua 
Envistiendola al ver que se ha io 

Y ese toro enamorao de la luna 
Que abandona por la noche la mana 
Y es pintao de amapola y aceituna 
Y le puso campanelo al mayoral 

Los romeros de los montes le besan la frente 
Las estrella y luceros lo bañan de plata 
Y el torito que es bravio y de casta valiente 
Abanicos de colores parecen sus patas 

La la laaaa lala la la la lala laaaaala 
La la laaaa lala la la la lala laaaaala 
La la laaaa lala la la la lala laaaaala 
La la laaaa lala la la la lala laaaaala 

Los romeros de los montes le besan la frente 
Las estrella y luceros lo bañan de plata 
Y el torito que es bravio y de casta valiente 
Abanicos de colores parecen sus patas 

La luna sale esta noche 
Con negra bata de cola 
Y un toro la esta mirando o o o 
Entre la cara y la sombra 

Y en la cara del agua de rio 
Donde duerme la luna lunera 
El torito de casta bravio 
La vigila como un centinela 

Y ese toro enamorao de la luna 
Que abandona por la noche la mana 
Y es pintao de amapola y aceituna 
Y le puso campanelo al mayoral 

Los romeros de los montes le besan la frente 
Las estrella y luceros lo bañan de plata 
Y el torito que es bravio y de casta valiente 
Abanicos de colores parecen sus patas 
Abaniiiiicooooos de colooooores parecen sus paaaaaatas

 



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Petição online para salvar museu da marinha

 

Depois de anunciada a proposta de transferência do espólio do centenário Museu de Marinha para o novo Museu da Viagem que, segundo apurou o i, ficará sob a tutela do Ministério da Cultura, nasceu um movimento online pela salvação do património da Marinha.´

petição, que pode ser aqui assinada, defende a manutenção de um dos museus mais visitados do país, recusando o “roubo” do seu património - considerado um dos mais ricos do mundo.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:36 | link do post | comentar

Sexta-feira, 21 de Maio de 2010

 

Falta de sexo é o mal delas?
Está mal-humorada e sem vontade de se divertir? Dói-lhe a cabeça e ainda invejacorpotonificado da sua vizinha, achando-a feia?! Então minha cara, o seu problema é falta de sexo.

 

 

Todos já sabemos que o sexo faz bem à saúde e à mente. Mas quer saber exactamente a que é que o sexo faz mesmo bem? Então leia e comece a praticar.

Quilos a mais? Troque as dietas por prazer!

Fazer sexo regularmente tonifica todos os músculos do corpo e queima as calorias em excesso acumuladas que vai ingerindo diariamente. Fique mais "boa" do que a sua vizinha.

Qual depressão, qual quê? Durma sobre o assunto

O acto sexual liberta endorfinas no organismo e na corrente sanguínea, produzindo uma sensação de euforia e bem estar.

Além disso, o sexo é o tranquilizante mais poderoso de todos. Chega a ser dez vezes mais eficaz do que todos os outros calmantes juntos.

Aspirinas para o lixo

Alivie as dores de cabeça com sexo. Fazer amor acaba com as dores de cabeça porque alivia a tensão que aperta os vasos sanguíneos no cérebro. Por isso, aspirinas para o lixo!

Sexo puxa sexo

É quase como quem faz desporto regularmente. Quanto mais fazemos mais queremos fazer. Um corpo sexualmente activo, produz maior quantidade de feromonas, para o caso, uma espécie de perfume natural, que em contacto com o sexo oposto deixa-o totalmente excitado.

Anti-histamínico natural

O sexo é um autêntico anti-histamínico natural, pois está provado que alivia a asma e a febre do feno.

Esqueça os problemas de pele

Sabia que se fizer sexo se reduzem as probabilidades de sofrer de dermatites, manchas ou erupções cutâneas? É que o suor produzido durante o acto sexual limpa os poros da pele, tornando-a muito mais saudável e igualmente muito mais lisa e macia.

Quer cabelo mais brilhante e saudável? Faça sexo

Testes científicos descobriram que quando as mulheres fazem sexo produzem o dobro de estrogénio, o que torna os seus cabelos muito mais brilhantes e saudáveis.

Convencida?

Consegui convencê-la? Ou prefere continuar com a sua falta de humor, borbulhas, cabelo sem brilho, ataques de asma, depressão e a olhar de lado para a sua vizinha jeitosa de lado, em vez de a fitar com um sorriso na cara?

 

Ana Areal

 

Via A vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
Todos te querem bem
mas tu não, mas tu não
todos te querem também
mas tu não,mas tu não
eu vou estar aqui, vou estar aqui
para quando tu 
não quiseres ouvir
vou estar aqui, por ti...

Quando não tens ninguém
eu estou cá, eu estou cá
e quero-te também
tu não vês, tu não vês
eu vou estar aqui, vou estar aqui
para quando tu, não quiseres ouvir 
vou estar aqui, por ti

(Refrão)
Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém 
que não tem tratado bem

E quando me vejo ao espelho
e pergunto-me
quando é que esse espelho vai sorrir, porque

(Refrão)
Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém 
que não tem tratado bem

E quando me vejo ao espelho
e pergunto-me
quando é que esse espelho vai sorrir,

Pra mim, pra mim
e pergunto-me
quando é que esse espelho vai sorrir
para mim

(Refrão)
Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém 
que não tem tratado bem
e...

(Refrão)
Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém 
que não tem tratado bem

(Refrão)
Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro

(Refrão)
Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém 
que não tem tratado bem...



publicado por olhar para o mundo às 12:12 | link do post | comentar

Pega de caras

 

Via Henricartoon



publicado por olhar para o mundo às 08:39 | link do post | comentar

Porque são irrequietas as crianças na escola?

 

Em qualquer escola há sempre aqueles alunos que nunca estão quietos. Levantam-se da cadeira, empurram os colegas, respondem aos professores, rabiscam os cadernos em vez de estarem atentos. Será que perderam o interesse pela escola? Será que gostariam de estar a brincar no recreio em vez de ficarem encafuados numa sala? Será que não gostam da matemática nem gostam de aprender a ler? Não é nada disso. "Boa parte das crianças mostra esse tipo de comportamentos porque é a sua forma de reagir ao medo que sente perante o fracasso", conta Paula Espada, professora da Escola Básica nº 3, em Sacavém, no concelho de Loures.

Paula Espada quis perceber os motivos que levam os miúdos da sua escola a serem irrequietos. E tão teimosa foi essa dúvida que acabou em tese de mestrado sob o título "Diferentes modos de sentir e de agir em contextos divergentes: (re)acções das crianças perante o fracasso". Durante um ano lectivo inteiro, a professora primária andou de sala em sala de aula a observar de perto 16 alunos do 1º ano e ainda outros 20 do 4º ano. Conversou com eles, ouviu as suas confissões e esteve atenta a todos os comportamentos que tiveram nas aulas

No final do ano, descobriu que quando os miúdos estão desatentos, isso quer dizer, na maioria das vezes, que não perceberam a matéria e não conseguiram executar o exercício que a professora pediu. "Perante o medo de falhar, os alunos procuraram várias estratégias para evitar enfrentar aquilo que mais lhes custa: o fracasso." Nem todos reagiram da mesma maneira, diz a professora

Os alunos de seis e sete anos, por exemplo, fingem ter dores de barriga ou dores de cabeça, riscam as carteiras, rabiscam os livros ou rasgam as folhas dos cadernos só para adiar fazer a tarefa pedida na aula. Tanta irrequietude só porque não sabem como fazer a tarefa escolar nem conseguem pedir ajuda. Do outro lado estão os alunos do 4º ano que, em vez de danificar o material escolar para esconder o medo, recorrem aos colegas do lado para fugir aos trabalhos ou aos exercícios complicados: "Levantarem-se do seu lugar sem autorização do professor, implicar com o colega de lado, causar distúrbios ou fazer tudo para ser o centro das atenções foram os comportamentos mais frequentes nas turmas do 4º ano."

Motivados Um dos objectivos iniciais de Paula Espada passava por tentar perceber se a reacção ao medo de errar é diferente nas raparigas e nos rapazes e ainda avaliar se esse receio diverge consoante a etnia ou cultura familiar, uma vez que a esmagadora maioria da população da Escola Básica nº 3 deSacavém é filha da primeira ou segunda geração de imigrantes oriundos dos países de língua oficial portuguesa: "Não encontrei qualquer diferença. Qualquer um deles quando começa a frequentar a escola está bastante motivado."

O primeiro dia de aulas foi o momento mais marcante para os 36 alunos entrevistados. "Chegaram à escola cheios de expectativas e sentiram-se importantes por iniciar uma nova fase nas suas vidas", conta a professora. Ao longo dos anos, a motivação não desaparece, apenas se transforma, conta a professora: "Se no primeiro ano, a principal motivação passa por fazer bem todas as tarefas e agradar ao professor, no 4º, os alunos concentram todas as energias em passar de ano e transitar para o segundo ciclo. O medo de ficar para trás é o que prevalece entre os mais velhos."

Os truques E o medo de falhar entre as crianças do primeiro ciclo pode surgir todas as maneiras. Paula Espada dá aulas há 14 anos e já sabia que quando os alunos não estão atentos é porque não conseguem acompanhar a matéria. Só não desconfiava que os miúdos tinham tantos subterfúgios para evitar o fracasso. Ao longo do ano foi anotando todos os comportamentos e no fim contabilizou 43 truques que os alunos usaram para esconder a vergonha que sentem por não saberem executar um exercício: "Por vezes, as atitudes são tão imperceptíveis que perante uma turma de 19 ou 20 alunos é difícil conseguir detectar que a criança precisa de ajuda."

Esses episódios isolados não chegam para explicar o insucesso escolar, avisa a professora, mas "é da soma dos pequenos fracassos que deriva o insucesso escolar". Daí a razão para Paula Espada afastar do seu estudo o "insucesso quantitativo". A professora da escola básica de Sacavém não se interessou pelas notas dos alunos nos testes ou nas pautas do final de ano: "Optei por estudar aquilo que não se vê, que é silencioso e, por isso, pode escapar à nossa atenção."

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20 de Maio de 2010

Portugal hipócrita: o país em que mais vale furtar e ser apanhado em vídeo do que ser fotografada a mostrar o pipi numa revista.

 

 

A comparação não será a ideal, alguns dirão que é pura demagogia. E até pode ser, admito e dou de barato. Mas pelo menos é elucidativa do tratamento algo desfasado que as nossas autoridades dão a dois casos, um mais grave que mete electrónica e outro mais divertido que envolve nudez. Pipi e os gravadores poder-se-ia chamar este filme.

No mesmo país em que assistimos ao furto de dois gravadores por um deputado da Nação sem que o acto tenha consequências profissionais para o senhor vemos uma professora ser suspensa de imediato porque mostrou o pipi e as maminhas na revista Playboy.

O mais grave é que o furto parece ter sido efectuado no interior das instalações da AR e ao que consta a professora não terá realizado a sessão fotográfica na sala de aula ou no recreio com a pequenada toda a bater palmas enquanto jogava à macaca.

O deputado Ricardo diz ter praticado "acção directa" para defender a honra, já a professora Bruna perdeu a honra ao praticar a "acção directa" de despir a roupinha.

Temos por um lado uma professora que não pode continuar a lidar com crianças porque meia Mirandela e alguma malta de Valpaços a viu nua na revista Playboy e por outro um deputado que pode continuar sentado no quentinho daAR depois de todo o país o ter visto "abafar" dois gravadores da revista Sábado. É justo.

Com isto podemos deduzir que para vermos o deputado Ricardo Rodrigues ser suspenso de funções seria provavelmente necessário que este pousasse nu para uma revista feminina ou fizesse um strip-tease durante a comissão de inquérito PT/TVI. A mesma comissão onde vemos o Sr. deputado insistentemente apelar à moral e à legalidade.

Uma coisa é certa, se a "Stôra" Bruna fosse deputada tenho a certeza que não furtaria gravadores ou máquinas fotográficas a jornalistas, até porque provavelmente estaria nua e não teria bolsos para esconder o material. Já o Sr. Deputado, a menos que faça um Lap dance a Mota Amaral não vejo forma de ser admoestado.

Posto isto e fazendo o ponto final de situação: ser professora e cumulativamente mostrar o pipi numa revistaNÃO. Ser deputadofurtar gravadores a jornalistas: SIM

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Teixeira dos Santos fala das novas taxas do IRS

 

Todos os salários e subsídios (de férias, de Natal) recebidos desde o início deste ano vão pagar mais IRS. Na quarta-feira passada o i titulou, correctamente, que a nova taxa agravada do IRS vai afectar todo o rendimento de 2010.
Só que, nesse dia, e apesar das insistências, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e o gabinete do ministro, Teixeira dos Santos, não quiseram ou não tiveram capacidade para explicar o que realmente tinham em mente: diluir as taxas especiais do IRS (de 1% e 1,5% em sete meses do ano) pelo ano todo. Ontem, as Finanças até fizeram um comunicado, mas continuaram sem dar a explicação completa. Hoje, finalmente, o ministro das Finanças esclareceu como vai funcionar o novo esquema do IRS, na conferência de imprensa que se seguiu ao conselho de ministros.
Por esclarecer ainda fica a questão da retroactividade da nova taxa, problema que poderá ser facilmente levantado pois, na prática, o Estado vai cobrar mais impostos a rendimentos passados (auferidos de Janeiro a Maio).

As novas sobretaxas de IRS de 1% (para rendimentos superiores a esse valor) serão aplicadas de forma uniforme e equivalente ao rendimento do ano todo. Por exemplo: uma família com um rendimento de 12 mil euros brutos ano está hoje sujeita a uma taxa normal de 10,5% no IRS. A sobretaxa equivalente é 1% sobre sete meses ou 0,58% sobre 12 meses. Logo, a nova taxa agravada de IRS será 10,5% mais 0,58%, ou seja, 11,08%, explicou o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.



publicado por olhar para o mundo às 15:13 | link do post | comentar

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Bruna, a professora de Mirandela

 

Osvaldo de Castro, presidente da comissão parlamentar de Direitos, Liberdades e Garantias, não tem dúvidas de que o afastamento de Bruna Real, "acusada" de ter posado nua para a Playboy, "é uma violação dos direitos fundamentais" da professora. "Estão a entrar no domínio da vida privada. Posar nua faz parte do acervo de liberdades que a professora tem e não colide em nada com o seu trabalho", afirmou o deputado socialista ao i.

Para Osvaldo de Castro, o que se passou no agrupamento escolar de Torre de D. Chama é equivalente à apreensão de livros, em Fevereiro do ano passado, pela PSP de Braga, sob o argumento de que as capas que reproduziam o quadro "A origem do mundo" de Gustave Coubert eram "pornográficas". O presidente da Comissão de Direitos e Liberdades e Garantias da Assembleia da República afirma também que a expressão utilizada pela Câmara de Mirandela para o afastamento da professora - o "alarme social" - é manifestamente imprópria. "É uma expressão que é utilizada nos tribunais pelos juízes para manter alguém em prisão preventiva", diz. "A senhora entendeu por razões artísticas, pessoais, fazer fotografias eróticas. São os seus direitos mais profundos, relativos à vida privada, que estão em causa. A escola e a Câmara de Mirandela violaram os direitos da professora".

Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, considera a situação "complicada" e "incómoda no plano social", mas defende que "não pode ter este tipo de tratamento". "A situação não é cómoda. Mas foi logo crime e castigo e ponto final!", afirma ao i. Mário Nogueira admite que se "no plano social cada um terá as suas opiniões" [sobre a opção da professora em fazer as fotografias], "no plano laboral, o afastamento não tem sentido - não é uma situação de indisciplina, nem de crime. A Câmara Municipal deveria ter abordado a situação com mais cuidado".

Mário Nogueira coloca várias questões em cima da mesa, nomeadamente sobre o contrato que a professora mantinha com a Câmara de Mirandela. E interroga sobre quais serão os futuros critérios da Câmara: "Vão passar a dizer que quem tirar fotografias para determinado tipo de revistas não se pode candidatar?"

O Ministério da Educação colocou-se de fora desta guerra, uma vez que a contratação dos docentes das actividades de enriquecimento curricular compete às câmaras municipais. "A técnica em causa foi contratada pela autarquia para de-senvolver Actividades de Enriquecimento Curricular na escola. A situação está a ser devidamente gerida pela autarquia, que é a entidade responsável pelo vínculo contratual e que tem o poder hierárquico sobre a docente. A escola e o Ministério da Educação, obviamente, acompanham agora (como acompanham sempre) as situações que envolvem alunos". Foi assim que o Ministério de Isabel Alçada respondeu à pergunta do i sobre a legalidade do afastamento da professora. Da mesma maneira, o Ministério da Educação recusou-se também a responder sobre a aceitabilidade ou não dos argumentos utilizados pela escola e pela Câmara Municipal para a transferência de Bruna Real para o arquivo municipal. "Não cabe ao Ministério da Educação pronunciar-se sobre o assunto", afirma a tutela, quando confrontada com a decisão do presidente do agrupamento em excluir uma professora por ter posado nua para a "Playboy". Sobre o conceito de "alarme social" invocado pela Câmara de Mirandela, o Ministério também não quis responder. 

Mas João Dias da Silva, dirigente da FNE [Federação Nacional da Educação], tem outra versão dos factos vindos a público. Apesar de já terem sido várias as declarações de responsáveis da Câmara de Mirandela sobre o afastamento, João Dias da Silva afirma ao i que "as informações mais recentes" de que dispõe, obtidas através de dirigentes locais do sindicato, "é que foi a própria professora que tendo em consideração o mal--estar que teria sentido pediu à Câmara Municipal para ser colocada noutro serviço".

Para João Dias da Silva, na situação da transferência ter sido feita a pedido da própria professora, a FNE "não tem nada a opôr". Caso contrário, o dirigente afirma que "não pode haver mistura entre opções da vida privada e relações laborais". "Se tiver havido deslocação da pessoa sem ser a seu pedido, opomo-nos e achamos ilegal essa transferência".

Bruna Real, de 27 anos, começou na segunda-feira passada a trabalhar no arquivo da Câmara Municipal de Mirandela. Segundo revelava o JN, afirmou que só falaria à imprensa "após o município concluir o processo de averiguações que está em curso". 

Entretanto, o caso chamou a atenção da TV Record Internacional, que propôs a Bruna Real uma reportagem. "Contactei-a, mas não se mostrou para já disposta a fazer a reportagem", disse, citada pela agência Lusa, Natacha Loureiro da TV Record Portugal.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 19 de Maio de 2010

Swingers na China

 

Na China 22 pessoas estão a ser julgadas por praticarem sexo em grupo e swing - troca de casais. 14 homensoito mulheres são acusados de fazerem sexo em grupo em residênciasprivadas e hotéis. Os encontros eram combinados previamente na Internet através de um chat gerido por o professor universitário de 53 anos, Ma Yaohai, que também está envolvido na acusação.

O professor foi o único que se declarou inocente, no mês passado quando foi a julgamento, com mais 21 pessoas, no sul da cidade de Nanjing e foi o principal acusado por organizar encontros de grupo. Esta é a primeira vez que alguém é constituido arguido perante uma lei criada 1997, num caso mediático, que tem reunido a atenção dos chineses com “pormenores excitantes”, define a agência de notícias “Associated Press”.

 

Yaohai invocou a liberdade sexual e protestou contra a intervenção do Estado na vida privada dos cidadãos chineses. "Não fiz mal a ninguém e não obriguei ninguém a participar em nada. Não sei de que me acusam", afirmou o professor.

 

Yaohai está sujeito a uma pena de cinco anos, no entanto, sublinha a importância das actividades sexuais em grupo: “O casamento é como a água: temos que bebê-la. O ‘swing’ é como um copo de vinho: Só bebemos se gostarmos. Senão gostarmos, não temos que bebê-lo”.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 23:59 | link do post | comentar

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Jovem atraída para a morte através do facebook

 

Nona Belomessoff, de 18 anos, foi atraída para a morte sob o pretexto de encontrar o trabalho dos seus sonhos. Na rede social Facebook conheceu Christopher James Dannevig, de 20 anos, que num perfil falso dizia trabalhar numa associação de protecção dos animais, perto de Campbelltown. Sem hesitar, a jovem australiana resolveu ir acampar numa reserva natural onde ajudaria animais feridos. 

Na sexta-feira, dois dias depois de ter iniciado a viagem com o rapaz, o corpo de Nona foi encontrado numa zona isolada, a oeste de Sydney. Gary, o irmão de Nona, afirmou: " Ela amava animais e viu isso como uma oportunidade para realizar o seu sonho". Acrescentando que "se ela não fosse iria perder este trabalho que era um sonho tornado realidade". A família nunca mais a viu. Segundo o detective, Russell Oxford, que está a investigar o crime, foi "tudo uma armadilha para enganá-la e poder chegar a ela".

Desde que se soube da morte de Nona, têm-se multiplicado no Facebook as páginas e grupos que prestam homenagem a Belomessoff. Entre milhares de comentários, os amigos têm expressado choque e tristeza pela morte de Nona. "Infelizmente nunca poderás viver os teus sonhos, és a rapariga mais bonita de sempre e os teus pais devem estar muito orgulhosos de ti", escreveu Sellie Gibbons. 

Dado o trágico desfecho, as autoridades reforçaram o alerta para os perigos de confiar em estranhos nas redes sociais. "É um espaço onde abundam pessoas sem escrúpulos, sendo que grande parte das vezes não sabemos com quem estamos a falar realmente", sublinhou Russel Oxford.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 18 de Maio de 2010

amor, quando nasce é para todos e o primeiro festival LGBT no Algarve, o Allove Festival, demonstrou precisamente isso, sem barreiras nem preconceitos. Mesmo quando isso implica amar várias pessoas ao mesmo tempo, sem que isso se torne numa orgia.

 

 

Provavelmente, quase todas as pessoas poderão dizer que amam ou já amaram alguém. Mas se a questão for amar várias pessoas ao mesmo tempo, mantendo relações com elas, o leque torna-se de súbito mais reduzido. Para Lara e Miguel, porém, o assunto é mais do que normal: é a realidade do seu dia-a-dia.

"As pessoas têm capacidade para amar mais do que uma pessoa ao mesmo tempo", garante Lara, 31 anos, assumidamente poliamorosa. A representante do grupo Polyportugal (ver emhttp://polyportugal.blogspot.com ) partilha a casa - e a sua vida - com seis pessoas, três homens e três mulheres, ainda que actualmente não mantenha relações com todos, apenas com outros três amantes. O que poderá parecer estranho.

Que o diga Miguel, 48 anos, parceiro da Lara e que tem de partilhá-la com outras três pessoas lá de casa. "Quando eu digo às pessoas que sou poliamoroso, isto é que a minha namorada tem outro namorado, as pessoas pensam logo - Olha, é um 'corno manso' ou então tentam perceber qual é o meu problema. É engraçado, porque se eu dissesse que tinha duas namoradas ninguém me ligava, mas assim subitamente começam a prestar mais atenção", diz. "Pois, quando ele às vezes tenta explicar o que é o poliamor, por ser homem, as pessoas dizem - Ah, o que tu queres sei eu... que é ter várias namoradas - mas se for eu, a dizer que tenho vários namorados curiosamente as pessoas levam o assunto mais a sério", explica Lara.

Sem possessão, sem ciúme, aberto a homo e heterossexuais o poliamor é simplesmente para todos... e para todos ao mesmo tempo. E ter crianças não constitui barreira.

"Quantas mais pessoas amarem uma criança, mais os recursos se multiplicam. Se num casal alguém sai da relação são 50 por cento que a criança perde, se for em casais poliamorosos isso pode representar 30 ou 25 por cento", graceja, explicando que o poliamor não se trata de orgias sexuais."A ideia é não ser só sexo, mas que as pessoas se possam mesmo apaixonar e amar", adverte Lara.

Facebook só para lésbicas

 

Na tenda ao lado, só param raparigas. Até porque o objectivo da rede Leswork (www.leswork.pt.vu ) é excluir os homens à partida: "Existem muitos homens que têm aquele sonho de estar com duas mulheres ao mesmo tempo e que sejam lésbicas e nós conseguimos barrar essas entradas indesejadas, porque a ideia é que seja um espaço onde as mulheres se sintam à vontade", afirma ao Expresso Cláudia X, fundadora da rede que funciona de modo semelhante ao Facebook e que já tem perto de 400 inscritas.

"As mulheres inscrevem-se, podem postar fotografias e criarem o seu perfil, temos chat em tempo real... É uma forma mais fácil de se conhecerem, mas o objectivo é tirar as pessoas do ecrã, que saiam e que se conheçam", diz a responsável. Para que isso aconteça, a Leswork organiza jantares, encontros, piqueniques e até paintball, só para mulheres que gostam de outras mulheres.

Dar o nó gay, simbolicamente

 

Filipe Silva, 24 e Igor Moreira, 26 chegam de carro juntos, automóvel enfeitado para a ocasião. De fato e sapatos brancos, flores na lapela, dão as mãos e dirigem-se ao altar.

Trocam alianças, dão um longo beijo para a fotografia e assumem o casamento perante o aplauso de dezenas de convidados e muitos espectadores.Por enquanto, é tudo a brincar, mas Filipe e Igor, que namoram há mais de dois anos, esperam repetir a cerimónia em breve, dessa vez mesmo a sério.

"Nós vamos mesmo casar, seja no nosso país ou fora dele, isso vai acontecer. Temos tantos direitos como os outros  casais que existem à face da terra. Independentemente de sormos os dois do sexo masculino, amamo-nos e temos sentimentos como todos os outros têm", afirma, enquanto come mais uma fatia do bolo de casamento.

"Era importante fazer aqui (o Festival), aqui ainda é necessário tentar alargar os horizontes", afirma Ann Lee, porta-voz do Allove Festival. "Mas como se pode ver nem sequer é essencialmente gay, é Allove, é amor universal, um espaço com grande tolerância", acrescenta.

"Espero que o Presidente da República promulgue o diploma, era a única coisa acertada que fazia em todo o mandato", conclui Igor.

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
Ser poeta é ser mais alto,é ser maior
do que os homens, morder como quem beija
É ser mendigo e dar como quem seja
É ser rei do reino de aquém e de além dor

É ter de mil desejos o explendor
E não saber sequer que se deseja
É ter ca dentro um astro que flameja
É ter garras e asas de condor...

É ter fome, é ter sede de infinito
Por essas manhãs d'ouro e de cetim
É condensar o mundo num só grito...

E é amar-te assim, perdidamente
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando, a toda a gente...



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

A água vai subir

 

Via Henricartoon



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 17 de Maio de 2010

Em Mirandela alguns pais descobriram com a ajuda da revista Playboy que uma das professoras dos seus filhos tem afinal um pipi e duas maminhas. Adivinhem o final da história.

 

 

A "Stôra" Bruna era a responsável pelas AEC (actividades extra-curriculares) dos alunos. Pelos visto também ela própria desenvolvia algumas AEC. Teve azar quando a sua luta desnudada contra a ideia pré concebida de que a revista Playboy não tem qualquer conteúdo pedagógico entrou em conflito com a sua segunda actividade profissional, a mais agasalhada: o ensino.

 

No país dos brandos costumes depressa acorreram a insurgir-se contra esta "pouca vergonha" as mães, os pais e até o Presidente da Câmara imagine-se. As mães dos meninos jamais iriam permitir que a Bruna que os maridos vêem descascada na revista que compram às escondidas pudesse andar por aí a dar aulas aos filhos. Cada Bruna no seu galho. Uma para entreter o maridão outra para ajudar o Fábio a fazer os TPC.

 

Já os miúdos devem ter adorado. Sim, a canalhada adolescente que sonhava à noite com a "Stôra boazona" a andar pela sala de aula usando apenas saltos agulha pode agora visualizar esse sonho em formato de papel a troco de 3,95€. E com sorte ainda ouvem a professora Bruna a dizer no meio da aula "agora vamos todos abrir o manual na página 45 e começar a trabalhar". E os malandrecos tiram todos da mochila a Playboy que o paizinho tinha escondido na gaveta das meias.

 

As meninas da turma já andam a tratar de fazer uma petição para ver se conseguem convencer o professor de Educação Física a pousar em pelota para uma revista feminina. Só com uma bola de andebol na mão e um salpicão de Vinhais na outra.

 

Com isto a alheira de Mirandela anda murcha. Tudo porque os encarregados de educação preferem que os meninos vejam os professores não como homens e mulheres mas como um ser híbrido que se dedica ao ensino. Ou como um bocado de material contraplacado que por acaso marca falta disciplinares.

 

Já a "stôra" Bruna tem a sua curta carreira no Ensino terminada ou pelo menos um saneamento ou transferência à vista. Pais, alunos e a tabacaria Central de Mirandela agradecem por uns motivos e as mães por outros. Final feliz para todos, menos para a senhora professora.

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (14)

Em Mirandela voltou a Inquisição

 

Via Henricartoon



publicado por olhar para o mundo às 14:00 | link do post | comentar

 

Letra
Andando, cantando
Tenho o sol à minha frente
Tão quente, brilhante
Sinto fogo à flor-da-pele
Tão quente
Beijando como se fosses tu

Ao longe, distante
Fica o mar no horizonte
Ele por certo
Onde a tua alma se esconde
Tão quente, esperando
Esse mar és tu

Pode a noite ter outra cor
Pode o vento ser mais frio

Pode a lua subir no céu
Eu já vou descendo o rio

Na voz, revolta

Fecho os olhos, penso em ti

Tão perto, que desperto

Há uma alma à minha frente
Tão quente
Beijando, por certo que és tu

[Instrumental]

Pode a lua subir no céu
E as nuvens a noite toldar
Pode o escuro ser como breu
Acabei por te encontrar

Vou andando, cantando

Tive o sol à minha frente

Tão quente

Brilhando

E a saudade me deixou
Para sempre
Por certo

Meu amor és tu

 



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Bruna, a professora de Mirandela na Playboy

 

A professora que posou para a edição de Maio da revista “Playboy” vai mesmo ser afastada do cargo. A confirmação foi já dada pela Câmara de Mirandela, com quem a docente tinha contrato.
A vereadora da educação da Câmara Municipal de Mirandela, Gentil Vaz, confirmou que a professora de 25 anos não vai dar mais aulas. Citada pelo “Jornal de Notícias” e pela rádio TSF, Gentil Vaz adianta ainda que a professora Bruna foi encaminhada para outro serviço, onde não manterá contacto com os alunos. O contrato com a docente termina em Junho e não será renovado para o próximo ano lectivo.
A professora Bruna, que leccionava a disciplina de Actividades Extra Curriculares, posou para uma produção de oito páginas da revista portuguesa “Playboy” do mês de Maio em que a outra protagonista era uma mulher. A curiosidade de alunos, professores e população foi inevitável e a revista esgotou em Mirandela no primeiro dia em que chegou às bancas. E embora os vizinhos a descrevam como “uma mulher que apenas gosta de dar nas vistas”, a escola que a emprega recusa-se a aceitar as actividades extracurriculares da jovem de 25 anos e já anunciou que pretende dispensá-la no final do ano lectivo.
Segundo apurou o JN junto da direcção da escola, a atitude da profissional foi considerada incorrecta e, por isso, adiantou José Pires Garcia, “é preciso tomar uma atitude depressa. Aparecer numa revista sem roupa não é compatível com a função de educadora”, lamentou, lembrando que “mantê-la no agrupamento seria nocivo para a comunidade escolar”.
Uma vez que a jovem estava a dar aulas de AEC (actividades extracurriculares), o seu contrato de trabalho está a cargo do município, pelo que a decisão da autarquia confirma agora o seu afastamento das actividades lectivas.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar | ver comentários (24)

Domingo, 16 de Maio de 2010

Alguma vez se sentiram coladas ao chão, sem saberem o que fazer, quando chegam a uma pista de dança e alguém vos estende a mão em forma de convite? Eu já. Admito que sou aquilo a que muitos chamariam um "pezinho de chumbo". Como superar isto? Aqui vai a lição simples... dada por um homem:

"Paula, imagina que isto é sexo", diz ele. "Isto só podia vir da cabeça de um homem", penso eu, com desdém. Aperta-me contra ele. Sinto-lhe a barba a roçar na minha cara suada. Fecho os olhos... Não vou dar parte fraca: "Sexo na vertical, não é o que lhe chama? Vamos a isso".

 

 

Dirty Dancing... o eterno filme do imaginário do mundo dos saltos altos
Dirty Dancing... o eterno filme do imaginário do mundo dos saltos altos

Não há constrangimento físico. Estou nas mãos de um amigo. Ele lidera, eu deixo-me ir. O ritmo seduz-me. A música parece que me beija arrebatadoramente. Quando dou conta - e sem saber muito bem como - percebo que estou num género de kamasutra... sem sequer ter tirado a roupa.

Oiço alguém dizer: "Não fazia ideia que ela sabia dançar isto". "Nem eu", penso sem abrir a boca. Ali estou eu, tal qual tímida Jennifer Grey nos braços de um Patrick Swayze à portuguesa.

 

Percebo, finalmente, o verdadeiro significado do conselho inicial do meu amigo: como em tudo na vida, também na dança a entrega é necessária. Sem receio de arriscar ou de sermos ousados. Sem nos preocuparmos no que os outros vão a pensar. Sem medo de falhar. Porque quando menos esperamos, superamo-nos a nós próprios.

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

A Alheira já era, agora em Mirandela manda a Bruna

 

É oficial, parece que a alheira já não é o produto mais famoso de Mirandela! E tudo por causa da Bruna, uma professora do 1º. Ciclo do Ensino Básico que decidiu tirar a roupa e deixar-se fotografar, ao longo de 8 "entediantes" páginas, para a Playboy portuguesa de Maio. Dizem os entendidos neste assunto (que obviamente não sou eu) que até nem ficou nada mal!

 

Banca de revistas nua

 

A bomba rebentou há três semanas e a "Playboy" esgotou em Mirandela, tanto em Golfeiras, onde vive, como em Torre de Dona Chama, onde é responsável pelas Actividades Extra-Curriculares (AEC). As reacções não se fizeram esperar e para além do "falatório" de quem parece se preocupar mais com a vizinha que aparece nua do que com o aumento dos impostos do Sócrates, ainda o director do Agrupamento de Escolas da Torre de Dona Chama, José Pires Garcia, garantiu que já solicitara à Câmara que tomasse "uma atitude". Em declarações à agência Lusa o dito director alega: "mal tive conhecimento do assunto, há poucos dias, contactei a autarquia por correio electrónico". E acrescenta: "é preciso tomar uma atitude depressa e nem preciso dizer qual será". Presumo que ele quererá dizer que a Bruna ia ser despedida, como foi... se calhar não gostou de saber que a senhora quer continuar a dar aulas vestida...

Quem não fez o trabalho de casa?

 

A acompanhar todo o circo à volta deste assunto, parece ainda haver um movimento de pais que acham totalmente desadequado que uma professora que tire a roupa para uma publicação continue a dar aulas a crianças. Fico com dúvidas. Será que a capacidade dela tirar a roupa retira-lhe a capacidade de ensinar? Ou será que uma mulher que tira a roupa é impura para trabalhar com crianças pois vai tentar atrocidades com as mesmas? Ou, pior ainda, será que pelo facto da professora ter tirado a roupa as crianças vão ficar traumatizadas? Bem, isto não pois estamos a falar de crianças entre os 6 e os 10 anos e crianças desta idade não vão ter acesso a uma publicação para adultos. Certo? Ah! Esperem! Estão aqui a dizer-me que sim, que tiveram acesso e até partilham fotografias por telemóvel! Estou chocada! Então o restringirem o acesso a revistas de carácter erótico às crianças não era a função dos paizinhos cheios de pudores? Parece que alguém não anda a fazer o trabalho de casa...

E quem fez o trabalho de casa?

 

E já agora, mas afinal quem é que comprou as revistas que esgotaram? Foram as crianças ou os pais das mesmas? Estavam com curiosidade de ver a "professora" sem roupa ou era só para confirmar o "delito"? Afinal já me parece outra vez que alguém andou a fazer o trabalho de casa...

Bem, aqui entre nós, talvez a Bruna não tenha sido a pessoa mais prudente ao ser professora e posar nua para aPlayboy, mas tudo isso porque deveria ter imaginado que isto lhe traria problemas onde as pessoas se preocupam grandemente com o que os outros fazem com o corpo. A mim parece-me que despedi-la com base nesta premissa é ilegal. Se não é, deveria. No que me diz respeito, e enquanto contribuinte, desde que ela não tenha usado as horas de expediente enquanto funcionária pública para fazer a sessão fotográfica, não tenho nada a ver com isso. Para além disso, com a crise, não me parece nada mal que os funcionários públicos reforcem os seus rendimentos no privado sendo os primeiros a "dar o corpo ao manifesto". Afinal, lamento, mas se não tem um corpo destes, vai ter mesmo de arranjar um part-time num "call-center".

 

Solange Cosme

 

Via A Vida de saltos altos



publicado por olhar para o mundo às 13:00 | link do post | comentar | ver comentários (146)

Letra
I just want you close 
Where you can stay forever 

You can be sure 
That it will only get better 
You and me together 
Through the days and nights 
I don't worry 'cause 
Everything's gonna be alright 

People keep talking 
They can say what they like 
But all I know is 
Everything's gonna be alright 

No one, no one, no one 
Can get in the way of what I'm feeling 
No one, no one, no one 
Can get in the way of what I feel for you 

You, you 

Can get in the way of what I feel for you 

When the rain is pouring down 
And my heart is hurting 
You will always be around 
Yes, I know, for certain 

You and me together 
Through the days and nights 
I don't worry 'cause 
Everything's gonna be alright 

People keep talking 
They can say what they like 
But all I know is 
Everything's gonna be alright 

No one, no one, no one 
Can get in the way of what I'm feeling 
No one, no one, no one 
Can get in the way of what I feel for you 

You, you 

Can get in the way of what I feel 

I know, some people search the world 
to find something like what we have 
I know, people will try, try to divide 
something so real 
so 'till the end of time 
I'm telling you that 

No one, no one 
Can get in the way of what I'm feeling 
No one, no one, no one 
Can get in the way of what I feel for you 

Oh oh oh oh ooh, oh oh oh oh ooh, 
oh oh oh oh, oh oh oh oh oooh 
Oh oh oh oh ooh, oh oh oh oh ooh, 
oh oh oh oh, oh oh oh oh oooh



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Sábado, 15 de Maio de 2010

 

75 milhões de euros foi o que custou o circo todo... mas não há problema, agora aumenta-se o IVA e o IRS...e o pagode paga.... que falta de vergonha....

 



publicado por olhar para o mundo às 15:58 | link do post | comentar

Letra
I was just waiting for your phone call
When they came along to say
That a rose done chased you clear away

You had said I was gamine
But we didn't mean the same thing i think
Broke my choux pastry heart
Guess life's, no picture post card

One for sorrow
Two for joy

Sometimes you win or sometimes you lose
I don't wanna lose you
Don't even own you
I just wanna stay right here
Until never dawns yeah

Oooooh
Mmmmmm

I was just waiting for your answer (Still)
You made your own apologies
I cried so much I had to leave

Three for a girl
Four for a boy

Sometimes you win or sometimes you lose
I don't wanna lose you
Don't even own you
I just wanna stay right here
Until never dawns yeah

Oooooh
Oooooh



publicado por olhar para o mundo às 15:55 | link do post | comentar

O triunfo dos pasteis de nata na China

 

A cafetaria-restaurante do pavilhão de Portugal na Expo 2010 vende diariamente mais de 2000 pastéis de nata, confirmando aquele doce como um dos ex-líbris da gastronomia portuguesana China.

“O pão de ló também sai bem, mas não se compara ao pastel de nata. Desde a abertura da Expo (dia 01 de maio) já vendemos mais de 25 000”, disse hoje à agência Lusa o chefe do restaurante, Bruno Magro.

Cada pastel custa 5 yuan (60 cêntimos).

Introduzido no continente chinês há cerca de uma década, o pastel de nata (“pu shi dan ta”, expressão que significa, literalmente, “tarte de ovo de estilo português”) é também uma das especialidades da “Júlia Food Co”, a empresa de Xangai concessionária da cafetaria-restaurante do pavilhão português.

A Júlia Food Co tem mais de 30 lojas em Xangai, com cozinheiros de Macau, mas para a Expo 2010 contratou o “chefe” Bruno Magro, que trabalhava num dos raros restaurantes de cozinha portuguesa em Pequim.

É a maior exposição universal de sempre, com cerca de 240 países e organizações internacionais, e espera atrair 70 milhões de visitantes.

“O movimento tem sido bom desde o primeiro dia”, diz Bruno Magro.

A cafetaria-restaurante serve também caldo verde, bifanas, moelas, frango e outros pratos típicos, alem de bicas, cerveja e vinho.

“Os vinhos estão igualmente a sair bastante bem e algumas pessoas até compram para levar para casa”, referiu ainda Bruno Magro.

A Expo 2010, dedicada ao tema “Better City, Better Life” (Melhores Cidades, Maior Qualidade de Vida), decorre de 01 de maio a 31 de outubro numa área de 528 hectares (dez vezes a Expo 98, em Lisboa) ao longo das duas margens do rio que atravessa Xangai.

O pavilhão de Portugal, situado à entrada de Praça Europa, é um edifício de 2000 metros quadrados, revestido de cortiça, que evidencia os 500 anos de relações com a China e a atual aposta portuguesa nas energias renováveis.

Mais de cem mil pessoas visitaram o pavilhão durante a primeira semana do certame, correspondendo a cerca de 10 por cento da afluência global.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

Em Fátima pequei por ti

 

A casa fica perdida numa das estradas secundárias de acesso a Fátima. Por estes dias, a terra afamada pelas aparições está a rebentar pelas costuras. E aqui, no lugar onde nos encontramos, a meia dúzia de quilómetros do centro da cidade, os espaços para estacionar também se esgotaram. Enquanto o Papa Bento XVI celebra a missa para centenas de milhares de fiéis, há quem esteja de peregrinação a outro "santuário". Homens para quem a fé veste saia curta com botas altas, usa pestanas falsas e fala com sotaque. 

É um dos bares mais antigos e bem conhecido dos habitantes de Fátima. Quem o visita diz ser "um sítio como outro qualquer". "Bebe-se um copo e fala-se com uma miúda. O resto depende da tua sorte", avança a custo o proprietário. Explicamos que estamos a fazer um roteiro de Fátima alternativo. Primeiro ao homem que está na porta, depois ao dono. Nem um nem outro quer falar. Os jornalistas não são bem-vindos aqui. "A maior parte dos clientes gosta de ter a sua privacidade", emenda o dono. Ainda assim, convida-nos a ver o espaço. 

Lá dentro, num ambiente escuro, oito mulheres estão sentadas nas mesas da entrada. Há um pequeno palco com um varão de striptease e umas cortinas escuras que dão para uma sala discreta ao fundo da pista. "Para tomar um copo mais íntimo", explica o dono. As mulheres, quase todas de nacionalidade estrangeira, observam os homens de cima a baixo e fazem permanentes investidas de sedução, antes de avançarem com conversa. 

"O negócio não anda bem para estes lados, a clientela escasseia", queixa-se uma delas, brasileira, depois da nega de um cliente para lhe oferecer um copo. Hoje, porém, é um dia excepcional: com tantos forasteiros na cidade, há novos clientes encostados ao balcão. Uma raridade, garante o dono. "A maior parte costumam ser pessoas conhecidas", diz enquanto faz contas às caras familiares. "Hoje não conheço praticamente ninguém." Apesar dos motivos da peregrinação não se compadecerem com visitas a casas de alterne, há quem procure este tipo de diversão nos intervalos da fé. "Olhe que até padres nos visitam." 

Copos e campismo Os caminhos da fé, já se sabe, não são linhas rectas. Pertencem ao homem, com todas as imperfeições inerentes à condição humana. Uma premissa que não conhece excepções. "Fátima é uma terra como outra qualquer", atira um comerciante em plena rua. Neste caso, o "outra qualquer" surge para justificar os passos de quem visita a terra santa de carteira recheada e fé enviesada. Entre visitas ao santuário e à nova igreja, há quem goste de se sentar num bar para beber copos e embalar a crença. O sacrifício fica reservado para a noite, no desconforto das tendas.

Sentados numa esplanada do centro da cidade, um grupo de dez homens recupera o fôlego de uma caminhada desde Viseu até à terra santa. Os helicópteros militares que sobrevoam a cidade anunciam a chegada do Papa, mas aqui a discussão é outra: futebol. O dono do restaurante personifica bem a alma dividida destes homens de fé: tal como eles, usa um lenço verde celestial ao pescoço alusivo à visita de Bento XVI, e no peito uma camisola Jesus, o treinador do Benfica, elevado a santo pelas magias do photoshop aplicadas numa t-shirt.

"Ver o Papa?", pergunta ao telefone um dos peregrinos. "Ainda tenho meio metro de cerveja para beber." Pode até soar a exagero, mas, aqui, as cervejas - chamadas imperial à Benfica - são servidas em copos altos, com mais de 40 centímetros de altura. E se as rodadas sucessivas que vêm para a mesa não forem suficientes, na carrinha destes peregrinos há álcool de sobra para os próximos dias: "Cada um trouxe dois garrafões de vinho", garante. A noite adivinha-se longa. 

Há qualquer coisa de festival de Verão na visita do Papa a Fátima. Um metro quadrado de terreno é suficiente para montar a tenda e assegurar dormida para os próximos dias. Filipe Sousa, 20 anos, veio desde Espinho numa excursão. Uma viagem que ele e os amigos repetem todos anos por altura do 13 de Maio. Fomos encontrá-lo à tarde, enquanto decorria a primeira missa do Papa no santuário, numa tenda do parque 12. Chegou esta madrugada e aproveita agora para descansar. "Para a procissão das velas?", perguntamos. A resposta veio em tom de vacilo: "Também, mas principalmente para a festa de logo à noite, no parque", confessa. 

Apesar de não se ouvirem djambés ou cânticos tribais - aqui apenas se escuta música religiosa - é frequente os grupos mais jovens se juntarem à noite para confraternizar. Com todos os excessos que confraternizar implica: "O Papa perdoa", brinca outro jovem do grupo, desculpando-se com uma "fuga ao dia-a-dia" e uma forma de se divertir. "Essencialmente, queremos curtir", atalha o amigo Filipe. Será que Deus o perdoa?

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Amor à camisola .. é o que está a dar

 

Via Henricartoon



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

 

Casar com homens mais novos pode ser um risco para a saúde das mulheres. Um estudo do Max Planck Institute for Demografic Research, na Alemanha, mostra que a taxa de mortalidade das mulheres aumenta 20% quando se casam com homens entre sete a nove anos mais jovens.
O casamento faz bem à longevidade, garantem os investigadores, mas convém que o homem tenha a mesma idade. Curioso é que o estudo revela diferenças importantes entre os dois sexos. É que enquanto a taxa de mortalidade de um homem sete a nove anos mais velho do que a sua mulher cai 11%, a de uma mulher nas mesmas condições sobe 20%.
Os investigadores não sabem explicar estas diferenças. Desconfiam, ainda assim, que a justificação possa estar no facto de as mulheres terem mais relações de amizade fora do casamento. “Um marido mais jovem não irá ajudar a sua mulher a ter uma vida mais longa ao cuidar dela, ao passear com ela. Ela já tem amigos com quem fazer isso. O homem mais velho não tem”, afirma Sven Drefahl, um dos investigadores.
O estudo analisou dois milhões de casais dinamarqueses.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 13 de Maio de 2010

É infiel?, a culpa não é sua!

 

Porque é que alguns homens e mulheres enganam os seus companheiros enquanto outros resistem à tentação? Para descobrir a resposta, há um número cada vez maior de trabalhos de investigação centrados na ciência do compromisso. Os cientistas estão a estudar tudo, dos factores biológicos que parecem influenciar a estabilidade conjugal à resposta psicológica depois de um jogo de sedução com um estranho.

As suas descobertas sugerem que, embora algumas pessoas sejam naturalmente mais resistentes à tentação, homens e mulheres podem treinar-se para proteger as suas relações e aumentar o seu sentido de compromisso.

Estudos recentes levantaram questões sobre os factores genéticos poderem influenciar o compromisso e a estabilidade conjugal. Hasse Wallum, uma bióloga do Karolinka Institute, na Suécia, estudou 552 pares de gémeos para saber mais sobre um gene relacionado com a forma como o corpo regula a vasopressina, uma substância química do cérebro que funciona como hormona das ligações.

Geralmente, os homens portadores de uma variação do gene são menos propensos a casar e aqueles que casam têm mais probabilidade de ter sérios problemas conjugais e mulheres infelizes. Entre os homens portadores de duas cópias da variante do gene, cerca de um terço passou por uma grave crise de relacionamento no último ano, duas vezes mais que os homens não portadores da variante.

Embora esta característica seja frequentemente chamada "gene da fidelidade", Wallum considera a denominação inapropriada: a sua pesquisa centrou-se na estabilidade conjugal e não na fidelidade. "É difícil usar esta informação para prever algum comportamento futuro nos homens", disse-me. Agora ela e os colegas estão a trabalhar para reproduzir as descobertas e conduzir um estudo semelhante nas mulheres.

Embora possam existir diferenças genéticas que influenciam o compromisso, outros estudos sugerem que o cérebro pode ser treinado para resistir à tentação.

Uma série de estudos invulgares levados a cabo por John Lydon, um psicólogo da Universidade McGill em Montreal, debruçou--se sobre a forma como as pessoas comprometidas numa relação reagem à tentação. Foi pedido num estudo a homens e mulheres profundamente comprometidos que classificassem o grau de atractividade de pessoas do sexo oposto numa série de fotografias. Sem surpresa, deram a classificação mais alta a pessoas que seriam tipicamente consideradas atractivas.

Mais tarde eram-lhes mostradas fotos semelhantes dizendo que essa pessoa estava interessada neles. Nessa situação, os participantes davam sistematicamente resultados piores que na primeira vez.

Quando se sentiam atraídos por alguém que poderia ameaçar o seu relacionamento, pareciam instintivamente dizer a si próprios: "Ele não é assim tão bom." "Quanto mais comprometido se está, menos atractivas nos parecem as pessoas que ameaçam o nosso compromisso", afirma Lydon.

Porém, alguma da investigação da McGill mostra diferenças entre os sexos na forma como respondem a uma ameaça de traição. Num estudo com 300 homens e mulheres heterossexuais, metade dos participantes eram preparados para trair imaginando uma conversa sedutora com alguém que consideravam atractivo. A outra metade imaginava apenas um encontro rotineiro.

Os puzzles A seguir era pedido aos sujeitos do estudo que completassem puzzles preenchendo os espaços vazios como em LO_L e THR__T. Sem conhecimento dos participantes, as palavras fragmentadas eram testes psicológicos para revelar os sentimentos subconscientes sobre o compromisso (puzzles de palavras semelhantes são habitualmente usados para estudar sentimentos subconscientes sobre preconceitos e estereótipos).

Nenhum padrão emergiu entre os participantes do estudo que imaginavam o encontro rotineiro. Porém, havia diferenças entre os homens e mulheres que se tinham entretido com as fantasias de sedução. Nesse grupo, os homens tinham mais probabilidade de completar os puzzles com palavras neutras como LOCAL e THROAT (garganta). No entanto, as mulheres que tinham imaginado encontros sedutores tinham mais probabilidade de escolher LOYAL (leal) e THREAT (ameaça), sugerindo que o exercício desencadeara preocupações subconscientes com o compromisso.

Isto não prevê necessariamente um certo tipo de comportamento no mundo real. No entanto, a diferença considerável entre respostas levou os investigadores a pensar que as mulheres desenvolveram um tipo de sistema de alarme preventivo que as alerta para ameaças ao relacionamento.

Outros estudos da McGill confirmaram diferenças na forma como os homens e mulheres reagem a essas ameaças. Num deles, eram trazidos actores e actrizes atraentes para seduzir os participantes no estudo numa sala de espera. Posteriormente, aos participantes eram feitas perguntas sobre as suas relações, especialmente sobre como responderiam se o companheiro/a se portasse mal, como chegar atrasado ou esquecer-se de telefonar.

Os homens envolvidos numa conversa sedutora eram menos complacentes com o hipotético mau comportamento, dando a entender que a actriz atraente tinha por momentos minado o compromisso que mantinham. Contudo, as mulheres envolvidas em jogos de sedução tinham maior probabilidade de ser complacentes e inventar desculpas para o homem, sugerindo que a sedução anterior desencadeara uma resposta protectora ao discutir o seu relacionamento.

"Pensamos que os homens nestes estudos poderiam ter os seus compromissos, mas as mulheres tinham planos de contingência - a alternativa atraente fizera disparar o alarme", afirma Lydon. "As mulheres codificavam-na implicitamente com ameaça. Os homens não."

A questão está em saber se uma pessoa pode ser treinada para resistir à tentação. Noutro estudo, a equipa levou estudantes do sexo masculino comprometidos a imaginar que conheciam uma mulher atraente num fim-de-semana em que a namorada estava fora. A alguns dos homens foi depois pedido que desenvolvessem um plano de contingência completando a frase: "Quando ela se aproximar de mim, vou... para proteger a minha relação." 

Como os investigadores não conseguiram uma mulher de carne e osso para agir como tentação, criaram um jogo de realidade virtual onde dois dos quatro quartos incluíam imagens subliminares de uma mulher atraente. Os homens que tinham resistido à tentação moviam-se para esses quartos 25% das vezes; para os outros, a percentagem era de 62%.

Os casais podem não se manter juntos por sentimentos de amor ou lealdade. Em vez disso, os cientistas especulam que o nosso nível de compromisso pode depender da forma como o companheiro melhora a nossa vida e alarga os nossos horizontes - um conceito que Arthur Aron, psicólogo e investigador de relações na Universidade Stony Brook, chama de "auto-expansão".

Para medir esta qualidade, são apresentadas uma série de questões aos casais: Quanto é que o seu companheiro/a serve como fonte de experiências excitantes? Em quanto é que conhecer o seu companheiro/a fez de si uma pessoa melhor? Quanto é que o seu companheiro/companheira o ajudou a expandir as suas próprias capacidades?

Os investigadores da Stony Brook levaram a cabo experiências usando actividades que estimulavam a auto-expansão. A alguns casais foram dadas tarefas rotineiras, enquanto outros participavam num exercício tonto em que eram amarrados juntos e lhes pediam que rastejassem em tapetes e empurrassem um cilindro de espuma com as cabeças. O estudo era manipulado para que os casais não cumprissem o limite de tempo nas duas primeiras tentativas e conseguissem por uma unha negra na terceira, o que resultava em muitos festejos.

Os casais recebiam testes de relacionamento antes e depois da experiência. Aqueles que participavam nas actividades desafiadoras registavam aumentos de amor e satisfação com o relacionamento maiores que aqueles que não experimentavam a vitória em conjunto.

Actualmente, os investigadores estão a realizar uma série de estudos para quantificar a forma como auto-expansão influencia os relacionamentos. A teoria é que os casais que exploram novos lugares e experimentam coisas novas aproveitam os sentimentos de auto-expansão, elevando o nível de compromisso.

"Entramos nas relações porque a outra pessoa se torna parte de nós e isso expande-nos", explica Aron. "É por isso que as pessoas que se apaixonam ficam toda a noite acordadas e sentem uma grande excitação. Pensamos que os casais podem recuperar alguma coisa disso fazendo coisas desafiadoras e excitantes juntos."



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

DEOLINDA - Novo disco ac...

Orq. Gulbenkian & Orq. Ge...

UHF no Cineteatro Munici...

Bar ACERT - Café-Concerto...

Tsunamiz - I Don't Buy It

Biruta - DATAS em JULHO -...

Itinerário do Sal - ópera...

Junho traz concerto de Pe...

Sarah Nery edita EP homón...

Candeio apresentam novo s...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados