Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um olhar sobre o Mundo

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Porque há muito para ver... e claro, muito para contar

Um olhar sobre o Mundo

13
Set09

A primeira vez, das prostitutas aos leilões de virgindade

olhar para o mundo

A primeira vez

 

 Nem é preciso explicar. Quando falamos da "primeira vez", falamos da nossa primeira experiência sexual, da perda de virgindade. Mais do que um acto físico, este é um acto simbólico, que marca a passagem para a idade adulta. Ritual iniciático que ainda hoje muitas tribos assinalam com a pompa e circunstância que a aceleração e o consumo da nossa sociedade ocidental retiraram ao evento...

Se do primeiro amor se diz que nunca se esquece, o mesmo sucede com a nossa primeira vez. Boa ou má, é sempre marcante - à semelhança da ideia de que não há segunda oportunidade para criar uma boa primeira impressão.

Falar da "primeira vez" não é apenas falar de sexo - é falar de intimidade. Ouvimos pessoas de várias gerações para perceber como evoluíu este ritual. Procurando obter um retrato-tipo de uma família, quisemos conversar com "um avô, um pai e um filho". Escolhemos um homem e uma mulher para cada idade: 80, 40 e 20 anos. Surpreendemo-nos com a abertura dos "avós" e com o "tradicionalismo" dos netos. Dos jovens com quem falámos, a média de idades da iniciação mantinha-se nuns surpreendentes 18 anos - mais tarde que a geração dos seus "pais" - e num dos casos, para esperar pela namorada.

Dos avós, que se iniciavam geralmente com prostitutas, levados pela mão do pai; das avós, que iam virgens para o casamento, sob pena de serem 'devolvidas', para quem o sexo não tinha que dar prazer, era um dever conjugal. Das amantes, que eram permitidas, embora não abertamente, enquanto as legítimas se confortavam, repetindo em voz alta "É de mim que ele gosta".

E que dizer dos actuais "leilões de virgindade", que se multiplicaram como um autêntico rastilho? O que leva uma norte-americana de 22 anos como Natalie Dylan a leiloar a sua virgindade - e mais de dez mil homens a responderem ao pedido, com licitações de 2,6 milhões de euros? O que leva um homem a (ainda) querer uma virgem? O que leva um Clube das Virgens a ser criado em Portugal no ano de 2009 por uma jovem de 26 anos? Só pode ser porque a tradição ainda é o que era - e a primeira vez continuar a ser importante.

Via Expresso

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D