Quarta-feira, 11.05.11
França põe bolinha vermelha em Rihanna e Enrique Iglesias [com vídeos]
O órgão regulador para a comunicação social francesa proibiu a exibição antes das 22h dos mais recentes vídeos de Enrique Iglesias e Rihanna, devido à pesada carga erótica das películas.

Segundo a imprensa francesa, que cita o Conselho Superior do Audiovisual, os videoclipes do cantor romântico espanhol Enrique Iglesias e da cantora pop de Barbados Rihanna «podem ferir a sensibilidade do público mais jovem» e são por isso comparados a «anúncios de linhas eróticas».

 

O órgão regulador deliberou que os vídeos S&M de Rihanna e Tonight  de Iglesias só podem ser exibidos depois das 22h, mesmo nos canais exclusivamente dedicados a música, como o MCM.

 

No primeiro vídeo, igualmente censurado em 11 países, que serve como suporte a uma canção já de si carregada de referências sexuais, Rihanna é vista a simular o uso de brinquedos eróticos. No segundo, Iglesias participa numa orgia simulada enquanto canta o tema Tonight, cuja letra contém obscenidades na versão não censurada.

 

 

Rihanna - S&M - versão +18

 

 

 

Enrique Iglesias - Tonight (I'm Loving You) - versão editada

 

Via SOL

 

 



publicado por olhar para o mundo às 09:38 | link do post | comentar

Domingo, 06.02.11

 

 

 

Letra

 

Baby, look at me, and tell me what you see. 
You ain't seen the best of me yet. 
Give me time I'll make you forget the rest. 
I got more in me, and you can set it free. 
I can catch the moon in my hand. Don't you know who I 
am? 
Remember my name [FAME] 

I'm gonna live forever. I'm gonna learn how to fly. 
[HIGH] 
I feel it comin' together. People will see me and 
cry. [FAME] 
I'm gonna make it to heaven. Light up the sky like a 
flame. [FAME] 
I'm gonna live forever. Baby, Remember my name. 

[REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, 
REMEMBER, REMEMBER] 

Baby, hold me tight, 'cause you can make it right. 
You can shoot me straight to the top. 
Give me love and take all I got to give. 
Baby, I'll be tough. Too much is not enough. 
I can ride your heart till it breaks. Ooh, I got what 
it takes. [FAME] 

I'm gonna live forever. I'm gonna learn how to fly. 
[HIGH] 
I feel it comin' together. People will see me and 
cry. [FAME] 
I'm gonna make it to heaven. Light up the sky like a 
flame. [FAME] 
I'm gonna live forever. Baby, Remember my name. 

[REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, 
REMEMBER] 

FAME!... 

 

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Sábado, 05.02.11

 

 

Letra

 

Baby, look at me, and tell me what you see.

You ain't seen the best of me yet.

Give me time I'll make you forget the rest.

I got more in me, and you can set it free.

I can catch the moon in my hand. Don't you know who I am?

Remember my name [FAME]



I'm gonna live forever. I'm gonna learn how to fly. [HIGH]

I feel it comin' together. People will see me and cry. [FAME]

I'm gonna make it to heaven. Light up the sky like a flame. [FLAME]

I'm gonna live forever. Baby, Remember my name.



[REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER]



Baby, hold me tight, 'cause you can make it right.

You can shoot me straight to the top.

Give me love and take all I got to give.

Baby, I'll be tough. Too much is not enough.

I can ride your heart till it breaks. Ooh, I got what it takes. [FAME]



I'm gonna live forever. I'm gonna learn how to fly. [HIGH]

I feel it comin' together. People will see me and cry. [FAME]

I'm gonna make it to heaven. Light up the sky like a flame. [FLAME]

I'm gonna live forever. Baby, Remember my name.



[REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER, REMEMBER]



FAME!...

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 04.02.11

 

 

Letra

 

Entrei numa casa fria
De portadas entreabertas
Espretei a ver se te via
As ruas estavam desertas

 

Os amores já terminados
São ausência, fazem mal
Não me esqueço do recado
Nem de um gesto ocasional

 

Ao notares que estou mais velho
Passa por mim devagar
Quando / e se te olhares a um espelho
Também tu irás notar

 

Lembra-te de mim...

 

Os rostos p´ra quem os viu
Já não são como dantes
Percorro as margens de um rio
Há já séculos, há instantes

 

Vivo de vagas memórias
Onde te espero encontrar
São derrotas, são vitórias
Quero agora descansar... *

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Quinta-feira, 03.02.11

 

 

Letra
Teimoso subi 
Ao cimo de mim 
E no alto rasgei 
As voltas que dei 

Sombra de mil sóis em glória 
Cobrem todo o vale ao fundo 
Dorme meu pequeno mundo 

Como um barco vazio 
P'las margens do rio 
Desce o denso véu lilás 
Desce em silêncio e paz 
Manso e macio 

Deixa que te leve 
assim tão leve 
Leve e que te beije meu anjo triste 
Deixo-te o meu canto canção tão breve 
Brando como tu amor pediste 

Não fales calei 
Assim fiquei 
Sombra de mil sóis cansados 
Crescendo como dedos finos 
A embalar nossos destinos 

Deixa que te leve 
assim tão leve 
Leve e que te beije meu anjo triste 
Deixo-te o meu canto canção tão breve 
Brando como tu amor pediste 

(Solo) 

Deixa que te leve 
assim tão leve 
Leve e que te beije meu anjo triste 
Deixo-te o meu canto canção tão breve 
Brando como tu amor pediste

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Terça-feira, 01.02.11

 

Os homens também chora, ou, quando as vitimas são eles

Quem me conhece sabe que sou acérrima defensora dos direitos do Homem e que me indigno sempre que leio ou vejo mais uma notícia sobre a violência dos homens contra as mulheres. No outro dia falava sobre isso com um amigo meu e prometi-lhe escrever sobre o outro lado do espelho, mostrando que eles também sofrem.

 

Se por uma lado é desprezível que, em pleno século XXI, as mulheres continuem a ser vítimas de violência doméstica, hediondo é também o facto de, cada vez mais, se assistir à violência da mulher contra o homem, muitas vezes - se não na maior parte delas - através da pressão psicológica, manipulação e intrépidos joguetes familiares.

Do alto da sua masculinidade, eles ainda têm vergonha em afirmar que são violentados, alvo de perseguição e que esta violência não se mede em equimoses, mas em nódoas negras emocionais, que ferem o corpo, mas sobretudo a alma. E quando existem filhos, estes servem de desculpa para uma violência que não é física mas é psicologicamente atroz.

Palavra de homem

 

Quis falar com alguém para que as palavras não fossem apenas estatística e com o João troquei sentimentos e desabafos de uma vítima no masculino. Divorciado, com 40 anos e pai de dois filhos, de 4 e 6 anos.

Do testemunho fica algum pudor e até vergonha em falar a verdade mas, acima de tudo, a força de quem leva a vida em frente e desabafa: "Uma mulher consegue levar um homem à loucura na pressão incansável que faz sobre a sua família, a sua mãe, os seus amigos, as suas ações mais inofensivas. Em maior ou menor escala, praticamente todas o fazem. A constante insatisfação de uma mulher face ao que considera ser o homem ideal, incinera autoestimas dos seus companheiros diariamente. E, naturalmente, pode levar a questões muito mais graves".

É violência quando homem ou mulher privam o cônjuge de estar com filhos


Apesar da revolta diz que sempre esteve na linha da frente, no que respeita à defesa das mulheres, mas cansado de viver com o inimigo desabafou: "Se mudares o género verás que o crime é o mesmo e existe na mesma proporção, só que tem menos estatística por duas simples razões: os homens ainda têm vergonha de o denunciar; os homens perdem em tribunal se a mulher disser que é tudo mentira. Pior, se uma mulher for colocada perante um juiz e disser que é vítima destes crimes, o homem é culpado até prova do contrário. Se for o homem a denunciar, a mulher é inocente até prova do contrário. Como vês a violência contra os homens também toma várias formas, tanto pode ser física, como psicológica, emocional, verbal, económica e sexual. O objectivo da pessoa que agride é sempre o de controlar a vítima, isolá-la, torná-la frágil e insegura. O agressor é frequentemente a mulher, a companheira ou a namorada, mas também pode ser a ex-mulher, a ex-companheira, ex-namorada, mãe, irmã e filha".

 

"A coragem vê-se em quem defende minorias, não maiorias"


Perante este testemunho senti a obrigação de mostrá-lo aos homens, não para desculpá-los mas para lhes mostrar que a violência existe e que não devem temer denunciá-la, porque sempre que se calam tornam-se coniventes com uma situação inaceitável, quer seja no masculino quer no feminino.

"É violência quando homem ou mulher privam o cônjuge de estar com filhos. Após a separação é uma prática criminosa hedionda e nojenta aceite como algo normal entre as mulheres. Nunca vi ou tive conhecimento de uma amiga que tentasse demover outra de privar o marido de ver os filhos após a separação. Pelo contrário. Que espécie de ser joga com o que de mais sagrado há para um progenitor? Desculpa o desabafo, mas cada vez tenho menos esperança de ver uma mulher a escrever sem medo sobre o que as mulheres são capazes de fazer (e fazem) aos homens dentro e fora das quatro paredes. Não desprezo e jamais desprezaria a violência contra mulheres. Desprezo sim as análises que continuam a dar o enfoque nessa tónica, simplesmente porque há menos dados públicos do contrário. A coragem vê-se em quem defende minorias, não maiorias".

Tomei a liberdade de escrever. Não podia deixar um amigo silenciado na dor, se antes lhe tinha pedido para se colocar na linha da frente. A violência contra os homens existe, assim como contra as mulheres, como tal deve ser denunciada, as vítimas protegidas e os transgressores condenados.

 

Relembre a reportagem - Violência doméstica: Quando as vítimas são eles

 

Via A Vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 19:13 | link do post | comentar | ver comentários (4)

 

 

Letra
Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 31.01.11

 

 

Só para afastar esta tristeza
para iluminar meu coração
falta-me bem mais tenho a certeza,
do que este piano e uma canção.

 

Falta me soltar na noite acesa
o nome que no peito me sufoca,
e queima a minha dor.

 

Falta-me solta-lo aos quatro ventos
para depois segui-lo por onde for,
ou entao dize-lo assim baixinho
embalando com carinho,
o teu nome, meu amor.

 

Porque todo ele é poesia,
corre pelo peito como um rio
devolve aos meus olhos a alegria
deixa no meu corpo um arrepio,
porque todo ele é melodia
porque todo ele é perfeição.


É na luz que vem.

Falta-me dize-lo lentamente
falta soletra-lo devagar,
ou então bebe-lo como um vinho,
que dá força pro caminho
quando a força faltar.

 

Falta-me solta-lo aos quatro ventos
para depois segui-lo por onde for,
ou então dize-lo assim baixinho
embalando com carinho,
o teu nome, meu amor.

 

Porque todo ele é melodia
e porque todo ele é perfeição.
É na luz que vem.

 

Falta-me solta-lo aos quatro ventos
para depois segui-lo por onde for,
ou então dize-lo assim baixinho
embalando com carinho,
o teu nome, meu amor.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Domingo, 30.01.11

 

 

 

 

Letra

Danser, du regard et des mains apprivoiser
Une proposition, un pourparler, une invitation à tout oublier

Tanguer, comme les radeaux dérivent, les canoës
Comme le vin enivre, se griser, comme un tango, tanguer, se renverser

Tomber, comme l'oiseau porté par les grands vents
Comme le bateau au fond de l'océan, comme on choisit de vivre le néant

Aime-moi {ou ou} aime-moi {ou ou ou ou}
Aime-moi {ou ou yeah} aime-moi {ou ou}

Danser, fermer les yeux ne surtout plus penser
Du bout des doigts te toucher, te troubler
Dire que je danse, mais t'apprivoiser

Tomber, dans cet orage, mourir foudroyé
Dans ce volcan, me perdre et m'y brûler
Mourir d'amour et en ressusciter

{ Aime-moi }
Comme une parenthèse, une pose une trêve, un vide ou je me noie
{ Aime-moi }
Comme l'amour en rêve sans interdit, sans règle, ne plus penser qu'à ça
{ Aime-moi }
Et comme un sacrilège assouvir le cortège de mes désirs de toi
{ Aime-moi }
Et j'arrête le temps, respire à contre-temps, ne respire presque pas

Aime-moi
{ Je trace le chemin de la bouche et des mains, te dessine la voie }
Aime-moi
{ Et c'est moi qui décide, qui t'emmène et te guide et dispose de toi }
Aime-moi
{ Te manger comme une pomme qu'on croque et abandonne, te prendre comme un homme }
Aime-moi
{ Je connais la manière et comment il faut faire pour trouver la lumière }

Aime-moi {ou ou} aime-moi {ou ou ou ou}
Aime-moi {ou ou yeah} aime-moi {ou ou}
Aime-moi {ou ou} aime-moi {ou ou ou ou}
Aime-moi {ou ou yeah} aime-moi {ou ou}

 

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Sábado, 29.01.11

 

 

Letra
Lui :
Monaco,
28 degrés à l'ombre
C'est fou, c'est trop
On est tout seuls au monde
Tout est bleu, tout est beau.
Tu fermes un peu les yeux, le soleil est si haut.
Je caresse tes jambes, mes mains brûlent ta peau.

Elle :
Ne dis rien,
Embrasse-moi quand tu voudras
Je suis bien,
L'amour est à côté de [D] toi.

Lui :
On est bien

Lui :
Monaco,
28 degrés à l'ombre
Tu ne dis plus un mot
J'éteins ma cigarette, il fait encore plus chaud
Tes lèvres ont le goût d'un fruit sauvage
Et voilà,
Comme une vague blonde
Tu m'emportes déjà.

Elle :
Ne dis rien,
L'amour est au-dessus de moi.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Sexta-feira, 28.01.11

 

 

Letra

 

Primeiro a serra semeada terra a terra 
Nas vertentes da promessa 
Nas vertentes da promessa 
Depois o verde que se ganha ou que se perde 
Quando a chuva cai depressa 
Quando a chuva cai depressa

E nasce o fruto quantas vezes diminuto 
Como as uvas da alegria
Como as uvas da alegria
E na vindima vão as cestas até cima 
Com o pão de cada dia
Com o pão de cada dia 

Suor do rosto pra pisar e ver o mosto 
Nos lagares do bom caminho
Nos lagares do bom caminho 
Assim cuidado faz-se o sonho e fermentado 
Generoso como o vinho
Generoso como o vinho

E pelo rio vai dourado o nosso brio 
Nos rabelos duma vida
Nos rabelos duma vida 
E para o mundo vão garrafas cá do fundo 
De uma gente envaidecida
De uma gente envaidecida

Vinho do Porto 
Vinho de Portugal 
E vai à nossa 
À nossa beira mar 
À beira Porto 
À vinho Porto mar 
Há-de haver Porto 
Para o nosso mar 

Vinho do Porto
Vinho de Portugal 
E vai à nossa 
À nossa beira mar 
À beira Porto 
À vinho Porto mar 
Há-de haver Porto 
Para o desconforto 
Para o que anda torto 
Neste navegar 

Por isso há festa não há gente como esta 
Quando a vida nos empresta uns foguetes de ilusão 
Vem a fanfarra e os míudos, a algazarra 
Vai-se o povo que se agarra pra passar a procissão 
E são atletas, corredores de bicicletas 
E palavras indiscretas na boca de algum rapaz 
E as barracas mais os cortes nas casacas 
Os conjuntos, as ressacas e outro brinde que se faz 

Vinho do Porto vou servi-lo neste cálice 
Alicerce da amizade em Portugal 
É o conforto de um amor tomado aos tragos 
Que trazemos por vontade em Portugal 

Se nós quisermos entornar a pequenez 
Se nós soubermos ser amigos desta vez 
Não há champanhe que nos ganhe 
Nem ninguém que nos apanhe 
Porque o vinho é português

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quinta-feira, 27.01.11

 

 

Letra

Primeiro a serra semeada terra a terra 
Nas vertentes da promessa 
Nas vertentes da promessa 
Depois o verde que se ganha ou que se perde 
Quando a chuva cai depressa 
Quando a chuva cai depressa

E nasce o fruto quantas vezes diminuto 
Como as uvas da alegria
Como as uvas da alegria
E na vindima vão as cestas até cima 
Com o pão de cada dia
Com o pão de cada dia 

Suor do rosto pra pisar e ver o mosto 
Nos lagares do bom caminho
Nos lagares do bom caminho 
Assim cuidado faz-se o sonho e fermentado 
Generoso como o vinho
Generoso como o vinho 

E pelo rio vai dourado o nosso brio 
Nos rabelos duma vida
Nos rabelos duma vida 
E para o mundo vão garrafas cá do fundo 
De uma gente envaidecida
De uma gente envaidecida 

Vinho do Porto 
Vinho de Portugal 
E vai à nossa 
À nossa beira mar 
À beira Porto 
À vinho Porto mar 
Há-de haver Porto 
Para o nosso mar 

Vinho do Porto
Vinho de Portugal 
E vai à nossa 
À nossa beira mar 
À beira Porto 
À vinho Porto mar 
Há-de haver Porto 
Para o desconforto 
Para o que anda torto 
Neste navegar 

Por isso há festa não há gente como esta 
Quando a vida nos empresta uns foguetes de ilusão 
Vem a fanfarra e os míudos, a algazarra 
Vai-se o povo que se agarra pra passar a procissão 
E são atletas, corredores de bicicletas 
E palavras indiscretas na boca de algum rapaz 
E as barracas mais os cortes nas casacas 
Os conjuntos, as ressacas e outro brinde que se faz 

Vinho do Porto vou servi-lo neste cálice 
Alicerce da amizade em Portugal 
É o conforto de um amor tomado aos tragos 
Que trazemos por vontade em Portugal 

Se nós quisermos entornar a pequenez 
Se nós soubermos ser amigos desta vez 
Não há champanhe que nos ganhe 
Nem ninguém que nos apanhe 
Porque o vinho é português

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Quarta-feira, 26.01.11

 

 

Letra
Pó de Arroz,
Na face das pequenas
Será beleza apenas, só
Uma corzinha com

Pó de arroz
Rosa é, mulher o pôs
E o homem vai nas cenas
Eva e Adão outra vez

É como enfeitar um embrulho
Arroz com gorgulho talvez



REFRÃO: Pó de arroz
Do teu arrozal
Esse pó que é fatal
És a tal que se encanta com

Pó de Arroz
Não faz nenhum mal
É de arroz integral
Infernal, quando chegas com
Todo o teu arroz (bis)



Pó de Arroz
Tens hoje só pra mim
Pós de perlimpimpim
És um arroz doce sim

Pode ser
Um canto de sereia
Serei a tua teia
E tu serás meu algoz

Mas quando te vais alindar
Alindada vens dar no arroz

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Terça-feira, 25.01.11

 

 

Letra

 

Pó de Arroz
Tens hoje só pra mim
Pós de perlimpimpim
És um arroz doce sim

Pode ser
Um canto de sereia
Serei a tua teia
E tu serás meu algoz

Mas quando te vais alindar
Alindada vens dar-me o arroz

Pó de arroz
Do teu arrozal
Esse pó que é fatal
És a tal que me encanta com

Pó de Arroz
Não faz nenhum mal
É de arroz integral
Infernal, quando chegas com
Todo o teu arroz



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 24.01.11

 

 

Letra

 

 

A vida é distante 
No tempo suspenso 
A vida é distante 
No nosso presente 
É quente o que vejo 
Mas frio o que sinto 
É mentira o que tenho 
Mas sei o que vejo 
No meu labirinto

 

A vida é distante 
De tempo intenso 
A vida é distante 
No fumo imenso 
É quente o pó 
É cego o nó 
É mentira o que vem 
Mas vejo o que sinto 
No meu labirinto

 

No meu labirinto 
Há gente que cai 
Depois de perder há gente que cai

 

Vê quem parou

Olha o que dói.

 

A vida é distante 
E o tempo foge 
A vida é distante 
E o tempo urge 
Está quente o Sol 
Mas frio o chão 
Tudo é ilusão!!! 
Não vês o que sinto 
No meu labirinto?

 

Que enquanto se compra 
Enquanto se quer 
Enquanto se tira 
O mundo suspira 
Enquanto se mata 
O mundo dispara 
E vamos caindo... 
É isto que sinto no meu labirinto

 

No meu labirinto 
Há gente que cai 
Depois de perder há gente que cai

 

Vê quem parou

Olha o que dói.

 

Quando chuva cai 
Vê que não sai 
Quando chuva cai 
Vê que não sai

 

Entro no túnel para ver a luz

 

Quando chuva cai 
Vê que não sai. 
Quando chuva cai 
Vê que não sai, não sai, não sai

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Domingo, 23.01.11

 

 

Letra

 

Lo siento si alguna vez te he herido
y no supe darme cuenta a tiempo
mientras soportabas en silencio
tal vez algún desprecio
tal vez no sirva de nada 
el darme cuenta ahora 
solo importas tu

Coro
siento que en mi vida solo importas tu
entre tanta gente, solo importas tu
hasta el punto que a mi mismo
se me olvida que también existo
solo importas tu 
da igual si tengo todo o nada
solo importas tu
Lo siento si en tu lugar he puesto a otra
era solo parte de este juego
y mientras yo jugaba tu ibas en serio
fui tonto y no lo niego
mis aires de importante
y me doy cuenta ahora
solo importas tu 
Coro
Solo importas tu entre tanta gente 
solo importas tu 
hasta el punto que a mi mismo
se me olvida que también existo
solo importas tu
da igual si tengo todo o nada 
solo importas tu 
solo importas tu 
solo importas tu


publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Sábado, 22.01.11

 

 

 

Letra
Son humanas situaciones
los momentos de los dos
la distancia, las pasiones
encontrar una razón,
hoy...como siempre,
estoy pensando en ti....si ya ves

They're just human contradictions 
Feeling happy feeling sad 
These emotional transitions 
All the memories we've had 
Yes, you know it's true 
I just can't stop thinking of you 

No I just can't pretend 
All the time we spent could die 
Wanna feel it again 
All the love we felt then
corazones flechados pero de cada cual
esa es la barrera que hay que derribar
estoy pensando en tí
estoy pensando en mi

Son las cosas de la vida.
van unidas siempre así
Some for worse and some for better 
But through it all we've come so far 
hoy... miro al cielo
con los pies en el suelo, porque...
ser humano es lo que quiero ser
con mis manos yo lo alcanzaré, sí, porque...
What's life without a dream to hold?? 
Take my hand and never let me go 

But it's part of life together 
or what future does it hold?? 
Son las cosas de la vida
nunca me acostumbraré
no lo haré, no lo haré
Yes, you know it's true 
I just can't stop thinking of you 

Esta noche que pasa lenta, rozándome
trato de afrontarla, aferrarla
If our hearts miss a beat 
Or get lost like a ship at sea 
I want to remember, I can never forget 
Can't stop thinking of you 
estoy pensando en tí 
Can't stop thinking of you 
Can't stop


publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Youtube apresenta novas funcionalidades

 

O YouTube mostrou hoje a nova versão da sua homepage, que pretende inserir novidades que tornem mais fácil o acesso aos vídeos partilhados e, ao mesmo tempo, "coloquem mais ênfase nos vídeos".
A remodelação tem vindo a ocorrer nos últimos meses, mas apenas hoje foi possível conhecer a versão finaldas remodelações e funcionalidades da homepage. O desaparecimento da indicação dos vídeos que estão a servisualizados no momento por outros utilizadores e as novas funções de personalização da homepage a gosto do utilizador, são as principais novidades apresentadas pelo site.
Um post publicado no blogue oficial do YouTube, explica ainda que os utilizadores poderão sentir falta de algumas funcionalidades que estavam habituados a encontrar na homepage e que agora, com a remodelação, desapareceram. Contudo, o YouTube acredita que estas mudanças são "um passo na direcção certa" e que agora o site se tornou "mais simples, mais pessoal e mais fácil de seguir ou visualizar os vídeos" que o utilizadordeseja.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:03 | link do post | comentar

Sexta-feira, 21.01.11

 

 

Letra
Prometo não falar de amor de gostar e sentir
Portanto não vou rimar com dor um mentir
Joga-se pelo prazer de jogar e até perder
Invadem-se espaços trocam-se beijos sem escolher
Homens temporariamente sós / que cabeças no ar
Não retratos de solidão interior
Não há qualquer tragédia / Mas um vinho a beber
Partidas regressos conquistas a fazer
Tudo anotado numa memória que quer esquecer
Homens sempre sós preferem perder
Homens sempre sós são bolas de ténis no ar
Muito abatidos saltam e acabam por enganar
Homens sempre sós nunca conseguem casar

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20.01.11

 

 

Letra
Nada te espanta, nada te encanta
Nada te tomba ou te levanta
Sem passar dentro de ti
Nada te gera, nada te espera
Nao ha outono nem primavera
Sem que o sintas a surgir

Tu és a escala
A mao que embala
Tomas bem conta de ti
Tu és a escala
A mao que embala
Tens um rumo a seguir

E nada te atrasa, nada te arrasa
Nem que no ceu percas uma asa
Vais pegar de novo em ti
Nada te usa, nada te escusa
Mesmo se o mundo inteiro te acusa
So tu sabes pra onde ir

Tu és a escala
A mao que embala
Tomas bem conta de ti
Tu és a escala
A mao que embala
Tens um rumo a seguir eh eh

E nada te esmaga, nada te acaba
Nada te encolhe, nada te alarga
Nada te tenta, nada te inventa
Nada te pesa, nada te aguenta
Nada te falha, nada te empurra
Nada se ri enquanto te esmurra
Nada te esfria, nada te guia
Nada te ofende ou te desvia 
Nada te pára, nada te pára
Nada te pára, nada te pára
Nadaa....
Nada te pára, nada te pára
Nada te pára
Nada..

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Quarta-feira, 19.01.11

A seguir a Mourinho e a Cristiano Ronaldo, o "emplastro" é provavelmente um dos portugueses com maior destaque a nível internacional neste preciso momento. Não acreditam? Hilariante o vídeo

A carreira de "emplastro" já vai longa dentro de portas mas só agora chegou a internacionalização. Depois de anos a aquecer a nuca de variadíssimos repórteres de exteriores portugueses alguém dos media britânicos reparou nesta caricata figura e na forma abnegada como se dedica à profissão: massacrar jornalistas até à exaustão.

Não é fácil estar em todo o lado ao mesmo tempo. E provavelmente a seguir a Deus Nosso Senhor o "emplastro" português será a figura com maior capacidade a este nível. Um verdadeiro dom da ubiquidade permite-lhe andar à solta nos Aliados, em Lisboa junto ao Cais do Sodré e em Madrid a lamber o pescoço ao Nuno Luz, tudo isto enquanto derrete uma sandes de leitão com os Superdragões na área de serviço da Mealhada. Acho que já cheguei a ver emissões em direto de diferentes estações de televisão a mostrarem em grande plano o "emplastro" em locais distanciados por centenas de quilómetros.

Sempre que há algo que seja digno de reportagem futebolística, seja onde e a que horas for, ele está presente. Podem não estar jornalistas, mas o "emplastro"está de pedra e cal em cima do acontecimento. Neste aspecto podemos dizer que o "emplastro" está para o futebol como o primeiro-ministro José Sócrates está para as energias renováveis. Sempre a querer aparecer.

Até já deve haver estações de televisão que optam por telefonar ao "emplastro" diariamente, porque onde ele estiver há certamente maior probabilidade de estar a notícia do dia. Parabéns ao "emplastro". Fica o vídeo.

 

 

 

Via 100 Reféns

 



publicado por olhar para o mundo às 19:15 | link do post | comentar

 

 

Letra

 

"leve levemente como quem chama por mim..."

Fundido na bruma no nevoeiro sem fim

Uma ideia brilhante cintila no escuro

Um odor a tensão do medo puro



Salto o muro cuidado com o cão!

Vejo onde ponho o pé iço-me a mão



Encosto ao vidro um anel de brilhantes

É de facaria a fingir diamantes



Salto à janela com muita atenção

Ponho-me à escuta bate-me o coração



Sabem que me escondo na Bellevue?

Ninguém comparece ao meu Rendez-Vous



Porta atrás porta pelo corredor

O foco de luz no último estertor

No espelho um esgar, um sorriso cruel

Atrás da última porta a cama de Dossel



Salto para cima experimento o colchão

Onde era sangue é só solidão



Os meus amigos enterrados no jardim

E agora mais ninguém confia em mim



Era só para brincar ao cinema negro

Os corpos no lago eram de gente no desemprego.

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Terça-feira, 18.01.11

 

 

Letra

 

Infelizmente não encontrei a letra desta música

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 17.01.11

 

 

Letra

se te perguntarem por nós, sobre 
que coisa fazemos quando estamos 
juntos, diz a verdade 

que deslocamos os cometas sem 
querer, as estrelas para desenhos e 
a lua garantindo o amor 

diz a verdade sobre a intervenção 
na cósmica escolha dos casais, 
a obrigação de nos obedecer 

não fosse o universo desentender quem 
somos e favorecer a separação ou, 
pior, o não nos havermos conhecido

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Domingo, 16.01.11

 

 

Letra
The Blower's Daughter
Damien Rice

And so it is
Just like you said it would be
Life goes easy on me
Most of the time
And so it is
The shorter story
No love, no glory
No hero in her sky

I can't take my eyes off of you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off of you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes...

And so it is
Just like you said it should be
We'll both forget the breeze
Most of the time
And so it is
The colder water
The blower's daughter
The pupil in denial

I can't take my eyes off of you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off of you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes...

Did I say that I loathe you?
Did I say that I want to
Leave it all behind?

I can't take my mind off of you
I can't take my mind off you
I can't take my mind off of you
I can't take my mind off you
I can't take my mind off you
I can't take my mind...
My mind... my mind...

'Til I find somebody new


 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Sábado, 15.01.11

 

 

Letra

 

When you were here before
Couldn't look you in the eye
You're just like an angel
Your skin makes me cry
You float like a feather
In a beautiful world
And I wish I was special
You're so fuckin' special

But I'm a creep, I'm a weirdo.
What the hell am I doing here?
I don't belong here

I don't care if it hurts
I want to have control
I want a perfect body
I want a perfect soul
I want you to notice
When I'm not around
You're so fuckin' special
I wish I was special

But I'm a creep, I'm a weirdo.
What the hell am I doing here?
I don't belong here

She's running out again,
She's running out
She's run run run running out

Whatever makes you happy
Whatever you want
You're so fuckin' special
I wish I was special

But I'm a creep, I'm a weirdo,
What the hell am I doing here?
I don't belong here
I don't belong here

 

 



publicado por olhar para o mundo às 15:17 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.01.11

 

 

Letra

 

quem acorda mais cedo vai vender saúde
e quem vai dormir cedo há-de crescer
o que será de mim que tenho por virtude
ver o sol avisar que vai nascer?

 

Não vou ouvir o que ninguém diz
e vou dormir quando eu quiser

 

grão a grão a galinha vai enchendo o papo
e eu fico a pensar o tempo inteiro
o que será de quem dá tudo por um trapo
ao chegarem os saldos de Janeiro?

 

Não vou seguir o que ninguém diz
e vou vestir o que eu quiser

 

ando sob a chuva porque quero andar
grito porque é moda proibir gritar
eu não sei... eu não sou... mas quando olho para mim
não cheguei... não vou... mas eu estou bem assim

 

se quem semeia ventos colhe tempestades
eu prefiro plantar mil furacões

 

não vou ligar ao que ninguém diz
e vou fazer o que eu quiser

o que eu quiser!

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Quinta-feira, 13.01.11

 

 

Letra

 

Tocas no rosto enquanto o ar não sai
Inspiro sem medo do acto que vem
Envolvo os pés como mãos
Do toque nasce a nossa ilusão

Desenhas os risos de um novo medo
Que o peito demonstra sem qualquer sossego
Faz tempo que a culpa se foi
Ficámos de pensar só depois
Do erro.

Já pouco nos resta fechar os olhos
Escondemos actos sem qualquer receio ou angustia
Que nos prende a vontade de sentir
O corpo com prazer

Rasgas-me a roupa sem qualquer pudor
Enquanto buscas o ar pela boca
Passeias o teu cheiro no meu corpo
Por entre os braços misturo tudo
Após o prazer ficaremos mudos
Sem saber
Se é por uma noite

Grito teu nome sem saber
Como será o amanhã
Foi um sonho real
Por uma noite.

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Quarta-feira, 12.01.11

 

 

Letra

 

Ele era um cavalheiro todo ele transpirava elegância
Ela era gata borralheira tivera que limpar a sua infância
Ele velejava no verão e esquiava no inverno
Ela trabalhava ao balcão de um qualquer estabelecimento moderno

Ele gostava de reluzir em si o estilo da capital
Ela já não conseguia distinguir as cores da bandeira nacional
Ele tinha entre os seus títulos uma futura ordem do infante
Ela achava o levantar do dedo mindinho algo deselegante

Mas ele um dia curvou-se a seus pés 4x

Ela passou a ocupar o tempo a descobrir o que era a cultura
E ele confinou-se aos seus aposentos e descobriu a costura
Ela quis saber entender o universo e começou a ler Platão
E ele resolveu perceber o que era a justiça em frente à televisão


A ele de nada lhe valeu a aparência nem a casa do largo do Rato
Porque ela sabia que era Cinderela e enganou-o com um sapato
Ele que um dia fora príncipe agora rendia-se à evidência
Com mulheres que calçam o 40 é melhor revelar prudência

Hoje ele ainda beija seus pés 4x

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 10.01.11

 

 

Letra
Aldeia da Meia Praia
Ali mesmo ao pé de Lagos
Vou fazer-te uma cantiga
Da melhor que sei e faço

De Montegordo vieram
Alguns por seu próprio pé
Um chegou de bicicleta
Outro foi de marcha à ré

Quando os teus olhos tropeçam
No voo de uma gaivota
Em vez de peixe vê peças de oiro
Caindo na lota

Quem aqui vier morar
Não traga mesa nem cama
Com sete palmos de terra
Se constrói uma cabana

Tu trabalhas todo o ano
Na lota deixam-te nudo
Chupam-te até ao tutano
Levam-te o couro cabeludo

Quem dera que a gente tenha
De Agostinho a valentia
Para alimentar a sanha
De enganar a burguesia

Adeus disse a Montegordo
Nada o prende ao mal passado
Mas nada o prende ao presente
Se só ele é o enganado

Oito mil horas contadas
Laboraram a preceito
Até que veio o primeiro
Documento autenticado

Eram mulheres e crianças
Cada um com o seu tijolo
Isto aqui era uma orquestra
quem diz o contrário é tolo

E se a má língua não cessa
Eu daqui vivo não saia
Pois nada apaga a nobreza
Dos índios da Meia-Praia

Foi sempre tua figura
Tubarão de mil aparas
Deixas tudo à dependura
Quando na presa reparas

Das eleições acabadas
Do resultado previsto
Saiu o que tendes visto
Muitas obras embargadas

Mas não por vontade própria
Porque a luta continua
Pois é dele a sua história
E o povo saiu à rua

Mandadores de alta finança
Fazem tudo andar para trás
Dizem que o mundo só anda
Tendo à frente um capataz

Eram mulheres e crianças
Cada um com o seu tijolo
Isto aqui era uma orquestra
Que diz o contrário é tolo

E toca de papelada
No vaivém dos ministérios
Mas hão-de fugir aos berros
Inda a banda vai na estrada

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:03 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

França põe bolinha vermel...

Música do Mundo: Fame - B...

Música do Mundo: Fame

Música Portuguesa do dia ...

Música Portuguesa do dia ...

Os homens também choram.....

Música Portuguesa do dia ...

Música Portuguesa do dia ...

Música do Mundo: Aime Moi...

Música do Mundo: Jean Fra...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados