Sábado, 18.12.10

sexo, a primeira vez

 

Será que o corpo feminino manda sinais quando a garota está preparada para transar ? Quais sinais ?

Estas são algumas dúvidas que aflige muitas adolescentes ou até mesmo mulheres, pois transar pela primeira vez, ou seja, perder a virgindade é uma decisão muito importante na vida de qualquer garota, entretanto não existem sinais que mostre que o momento certo chegou ou não.

O amadurecimento sexual virá no momento certo na vida de todas as jovens, ele acontece de forma fisiológica e psicológica.

Mais do que “excitação” é preciso que a garota esteja segura e saiba bem o que está fazendo para não se arrepender depois. É sempre útil se informar em relação aos métodos contraceptivos existentes e tomar cuidado com as doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Portanto antes de começar na vida sexual é indicado passar em um ginecologista de confiança para tirar todas as dúvidas antes de tomar essa importante decisão.

Seja feliz, faça sexo seguro com camisinha, caso tenha ficado alguma dúvida deixe nos comentários…

 

 

Via Mundo das Tribus



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Terça-feira, 13.04.10

Dia mundial do beijo

 

Exercitar dezenas de músculos, libertar endorfinas, combater a depressão, diminuir o stress, queimar calorias: tudo isto resulta de um beijo apaixonado: "É o teletransporte para um paraíso", segundo especialistas ouvidos pela Lusa.

Rute Reizinho, psicóloga com mestrado em sexologia, explicou hoje, Dia Mundial do Beijo, que os beijos apaixonados libertam endorfinas, "substâncias químicas que proporcionam sensações de prazer, euforia, bem-estar".

"Estudos indicam que o beijo ajuda a combater a depressão", acrescentou, em declarações à Lusa, lembrando ainda que também baixa os níveis de cortisol, uma hormona envolvida na resposta ao stress: "Ou seja, vai fazer com que a pessoa fique menos stressada, mais calma".

A linha pode também sair beneficiada: investigações indicam que um beijo ajuda a queimar cerca de 12 calorias e ativa 29 músculos. O aumento da tensão arterial e da temperatura da pele são outras das consequências benéficas.

O urologista e mestre em sexologia Nuno Monteiro Pereira lembra ainda que beijar "faz aumentar a autoestima, já que há uma outra parte que aceita o ato".

"É de facto um fator importante para a saúde individual, pessoal, mental de cada um", resume, contrapondo que também pode ocorrer o "contrário" porque se o beijo for "repudiado pode diminuir extremamente a autoestima".

Se não houver cuidados, beijar pode porém fazer mal à saúde. "Estima-se que através da saliva, o beijo pode ser o veículo de 250 bactérias", nota Rute Reizinho. E, por isso, origem de doenças como constipação, hepatite, tuberculose, herpes labial, mononucleose infecciosa e, se houver sangue ou feridas, sífilis.

Mas os dois especialistas ouvidos pela Lusa preferem que no Dia do Beijo se lembre o melhor que ele tem.

"O beijo dá informações gustativas, olfativas, por se estar mais próximo da pessoa, táteis, pela sensação que nos deixa, visuais, quando se beija com os olhos abertos', comenta a psicóloga.

Rute Reizinho lamenta que o beijo esteja "muito esquecido e negligenciado" numa sociedade que está a dar "muito mais valor ao sexo": "O beijo dá tanto bem-estar e prazer como um bom sexo, além de que é muito mais fácil de fazer, tanto em público, como na intimidade".

Nuno Monteiro Pereira lembrou, por seu lado, "aspetos essenciais" como o lado "sensual, que tem a ver com os estímulos sensitivos, já que os lábios são um órgão particularmente sensível a estímulos".

"Há também o aspeto cultural porque o beijo está instituído como um dos mecanismos eróticos mais importantes e que faz parte dos mecanismos de transmitir uma mensagem", o que é depois incorporado no cérebro como mensagens relacionadas com "estados da paixão e do amor", segundo o especialista.

E o que é um bom beijo? "Será com a pessoa de que se gosta, que faz ir numa viagem para uma ilha deserta e que parece que todas as pessoas desaparecem. É o teletransporte para um paraíso", responde a psicóloga.

A filematologia é a ciência que estuda o beijo.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 15:27 | link do post | comentar

Terça-feira, 12.01.10

Como nunca perder um orgasmo

 

 Inúmeros caminhos levam ao paraíso. Um namorado bem treinado é um deles e a masturbação também, pois ajuda você a se conhecer. Aqui, estão maneiras de conseguir um orgasmo, solo ou bem acompanhada. Com este passo-a-passo publicado na “Revista nova”, você chegará ao clímax antes do que imagina. Siga do primeiro ao oitavo passo e aproveite os orgasmos inesquecíveis.

1. USAR O PODER DA ÁGUA
Antes de chegar à cama, que tal começar a explorar seu corpo ainda no banho, para “acordar” as sensações eróticas? É que a água morna ajuda a despertar as terminações nervosas da pele, que transportam as mensagens para seu sistema nervoso central. Você também pode comprar uma esponja vibratória (há vários modelos, como os que imitam coração e morango) para ajudá-la a estimular algumas regiões de maneira mais intensa. Se estiver no quarto, aposte em um lubrificante, especialmente aqueles que proporcionam a sensação de calor local, à venda praticamente em todas as sex shops.

2. INVESTIR NAS FANTASIAS
O cérebro é mesmo um poderoso órgão sexual, os estudiosos não têm nenhuma dúvida disso. Segundo a sexóloga Kate Taylor, autora do livro The Good Orgasm Guide (Um bom guia do orgasmo), nada menos que 78% das mulheres precisam das fantasias para conseguir um orgasmo durante a transa e 99% chegam lá quando se masturbam. Assim, pensar no Josh Holoway, do seriado Lost, no Reynaldo Gianecchini ou no bonitão que faz você virar o pescoço na academia enquanto se estimula (ou é estimulada), por exemplo, pode fazer a diferença e fazer a sua mente se manter ligada no prazer.

3. DOMESTICAR SEU GATO
Quando o rapaz estiver deitado de barriga para cima, sente-se sobre ele sem deixar que ponha o pênis dentro da vagina. Curve-se, então, para beijá-lo e acariciá-lo. Ele se sentirá obrigado a tocá-la em todos os cantos que estiverem ao alcance das mãos. A certa altura, peça que se sente e então jogue sua cabeça para trás, convidando-o a beijar seu pescoço, ombros e seios. Enquanto isso, friccione com suavidade seu clitóris contra o osso púbico dele. No momento em que estiver pronta para saborear o prato principal, diga algo do tipo “Estou louca para sentir você dentro de mim”.

4. TURBINAR A PENETRAÇÃO
No auge da transa, explique que ele precisa manter um contato satisfatório com o clitóris ou com o ponto G para você chegar lá. Se o gato a penetra por trás e de baixo para cima, por exemplo, o pênis terá bastante contato com a parede frontal da vagina, onde fica seu botão mágico. Recorra ainda à sinalização corporal. Gostaria que o rapaz fosse mais fundo? Empurre seu bumbum para trás, em direção ao moço. Ele vai entender. Mais uma dica que funciona: na posição papai-e-mamãe, se você precisa de fricção, afaste gentilmente os ombros dele e diga: “Fico bem melhor quando posso me movimentar debaixo de você”.

5. VARIAR O MENU
Sexo oral é uma forma praticamente garantida de chegar lá. Mas sugira com linguagem corporal (e não verbal). Tente, por exemplo, roçar seu corpo na cabeça dele para sinalizar que deseja mais pressão e indicar a direção certa. Sutil demais? Puxe para baixo a pele que recobre o clitóris, deixando-o exposto, a fim de encorajar o rapaz. E esconda-o com um dedo se preferir que ele estimule os arredores. Peça que a acaricie com toda a língua, e não só a ponta, pois cada parte dela gera uma sensação diferente ao toque. Numa posição confortável, não ficarão cansados e você não se apressará para o clímax — que poderá acontecer antes do que imagina.

6. MULTIPLICAR PONTOS DE PRAZER
Descobrir (várias) regiões quentes do seu corpo e não seguir sempre o mesmo roteiro facilita orgasmos inesperados. Se carícias na curva do pescoço a deixam cheia de tesão, conte o segredo ao gato. Ter os dedos das mãos ou dos pés sugados também costuma provocar forte excitação. A estimulação dos mamilos com um vibrador de baixa potência pode ser extremamente prazerosa para muitas mulheres. Seu namorado pode ajudar deslizando as mãos pela parte interna de suas coxas, pelo seu monte de Vênus e pelos lábios vaginais antes de chegar ao clitóris, pois aumentam a irrigação sanguínea na pélvis.

7. RECUAR PARA AVANÇAR
Arrisque deixar que sua excitação alcance um grau moderado e, então, interrompa a estimulação para que o desejo diminua mas não desapareça por completo. Recomece de modo que você vá um pouco além do ponto em que estava anteriormente. Então, reduza outra vez. Continue assim, indo e vindo, até chegar ao orgasmo. Esse exercício faz sua energia sexual aumentar, garantindo um prazer mais intenso. Se quiser tentar outro orgasmo, logo após o primeiro, recomece a estimulação para manter o nível de excitação e preparar-se para um novo. A intensidade pode ser menor, mas é bom do mesmo jeito.

8. DESCOBRIR O TRIORGASMO
Você já ouviu falar, aqui em NOVA, sobre o orgasmo combo, obtido por intermédio da estimulação simultânea do clitóris e do seu ponto G. Mas, segundo a sexóloga Ava Cadell, é possível conseguir um clímax ainda mais poderoso: o triorgasmo. Para isso, ela sugere estimular também o ânus durante o combo. Experimente pedir ao namorado que insira a ponta do dedo bem ali, com a ajuda de um lubrificante, quando a excitação estiver em alta. Alguns vibradores triplos já estão à venda nas sex shops, mas, antes de convidar o gato para a novidade, teste sozinha a fim de descobrir se ficará realmente à vontade.

Via Veja

 



publicado por olhar para o mundo às 21:35 | link do post | comentar

Sábado, 02.01.10

Jeans é melhor que sexo?.. as britanicas dizem que sim

 

Um estudo mostra que 29,1% das mulheres britânicas acreditam que se voltassem a caber num velho par de calças de ganga, sentiram mais prazer do que se tivessem sexo, avançou hoje a BBC.

Na sondagem online organizada por uma marca multinacional de cereais, 2,2 mil entrevistadas foramincitadas a comparar a sensação de constatar uma perda de peso a outras felizes acontecimentos da vida. Além do resultado acima referido, 28,9% pensam que caber numas calças velhas seria melhor do que ser promovida e 11,1% disseram que seria melhor do que ser pedida em casamento.

A maioria das entrevistadas confessou ainda que guarda no fundo do armário uma calça velha que sonham voltar a vestir.

Via ionline

Há muita gente por aí com os aprceiros errados 



publicado por olhar para o mundo às 18:38 | link do post | comentar

Sábado, 26.12.09

Joleen Baughman, Desejo Sexual 24 horas por dia

 

 Uma libido insaciável está a tornar a vida de  "insuportável". Aos 37 anos sofreu um acidente de automóvel, onde danificou um nervo da pélvis que controla o desejo. Agora, dois anos depois, a vontade de ter relações sexuais é permanente e insaciável.

Esta norte-americana, mãe de duas crianças, revela o seu descontentamento. "É insustentável. Por vezes basta o roçar da roupa para ficar excitada", conta a mulher ao jornal Telegrapah. "Consegue ser muito embaraçoso e dificulta-me a capacidade de concentração".

Os sintomas inesperados começaram a fazer-se notar seis meses depois do acidente. Inicialmente Joleen e o marido desfrutaram com prazer do redobrado desejo, mas rapidamente perceberam que, por mais relações sexuais que tivessem, ela nunca ficava saciada. "Estava encantada e achava que finalmente tinha o desempenho sexual que o meu marido sempre quisera", conta Joleen. "Chegávamos a fazer três vezes por noite, mas eu tinha sempre ainda mais vontade a seguir".

Após consultar um médico, foi-lhe diagnosticado síndrome de excitação sexual persistente . Esta "condição rara" é provocada pelos danos de um nervo na pélvis, localizado muito perto da genitália. A explicação médica tranquilizou Joleen Baughman, que considera "extenuante sentir desejo 24 horas por dia". "Fiquei contente por saber que não se tratava de uma questão psicológica", conclui a mulher. "Pensava que era eu que estava ficar maluca".

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 21:30 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Domingo, 06.12.09

 Echando un vistazo a cualquier película de sexo amateur, llama la atención cómo la gente opta por mostrar sus habilidades sexuales en cualquier parte de la casa menos en el dormitorio. Cocinas, salones, baños, garajes, descansillos, e incluso algún que otro ascensor, son los escenarios preferidos por las personas que tienen esta vena exhibicionista para dar rienda suelta a su lado más porno. ¿Qué le pasa a la cama? ¿Demasiado previsible? ¿O quizás obedezca a la necesidad de preservarla para la intimidad de la pareja, como si se tratase de un sancta sanctórum de la casa? No sé. Posiblemente, haya razones más simples, como el deseo de imitar argumentos y situaciones típicas del cine X, pero hoy me he levantado muy reflexivo. A veces me pasa.

El 'Shisens', de fabricación española.

El 'Shisens', de fabricación española.

 

Lo cierto es que cuando uno decide hacer el cabra, aunque no sea para grabar una película,cualquier pieza de la casa puede ser utilizada como marco incomparable para tener un encuentro sexual. Es lo habitual en muchas parejas que estrenan domicilio y convivencia. Luego, con el paso de los años, las manchas en el sofá no hacen ninguna gracia y la mesa de la cocina está tan llena de cacharros que no hay libido que soporte el proceso de retirada de tanto obstáculo. En las películas desbrozan la superficie de cualquier mesa de un manotazo, pero en el mundo real, por muy fuerte que sea el calentón, es mejor no comportarse como un vikingo con la Thermomix y la balanza del IKEA. Que todo cuesta una pasta.

Total, que entre unas cosas y otras, la cama termina siendo el lugar racionalmente más indicado para tener sexo, aunque para ciertas prácticas o posturas no siempre sea el paradigma de la comodidad. Sabedores de esta circunstancia, en los últimos años han aparecido una serie de empresas que han intentado crear el mueble ergonómicamente definitivo que permita aunar sexo y confort. En la feria de Berlín había varias propuestas al respecto. Una de ellas española. Su modelo de sofá sexual se llama 'Shisens' y ésta es su página web.

Como podéis ver, se trata de una simple pieza ondulada y acolchada que permite todo tipo de posiciones y números, eróticamente hablando. Yo sólo le encuentro un pero: su tamaño. Si meto esto en mi casa, yo me tengo que ir. Sin embargo, aquellos que disfruten de unos metros cuadrados de más, seguro que le sabrán sacar partido. Aunque con el tiempo el mamotreto sólo sirva para acumular ropa para la plancha, que a veces estas cosas pasan.

El famoso 'Liberator'.

El famoso 'Liberator'.

 

Los fabricantes de este sofá no quieren publicitarlo simplemente como receptáculo para prácticas sexuales, sino también para realizar abdominales y otras torturas de corte deportivo y también para relajarse mediante el yoga. Vamos, que sirve para casi todo. Lo bueno de este sofá, en comparación con alguno de sus competidores, es su sencillez. Otros muebles, como el 'Liberator', consisten en una serie de módulos acolchados que hay que ir combinando como si se tratara de un Tetris. Hasta ahí todo muy bien, sin embargo, los que nos reconocemos torpes por naturaleza, es muy probable que en determinadas tesituras no tengamos la cabeza despejada para hacer puzles tridimensionales.

Sí, no se trata de un montaje especialmente complicado, pero si en cada postura a practicar tienes que empezar a quitar y poner módulos, la paciencia se ve innecesariamente puesta a prueba.Igual es que me hago viejo y, al final, como en la cama, nada.

Via Cama Redonda



publicado por olhar para o mundo às 02:35 | link do post | comentar

Sábado, 05.12.09

 Dos gemelas chinas de 104 años. (Foto: AFP)

Dos gemelas chinas de 104 años. (Foto: AFP)


MARÍA VALERIO

MADRID.- No sólo en los seres humanos; también en la mayoría de las especies de mamíferos son las hembras las que tienen una longevidad superior a los hombres. Sin embargo, hasta ahora existen teorías diversas para tratar de explicar este fenómeno, cuyas causas no están claras al cien por cien. Una nueva investigación japonesa sugiere que la 'culpa' podría estar en la parte del genoma que heredamos por vía paterna.

Para demostrarlo, el equipo de Tomohiro Kono, director del Instituto de Investigación Nodai, con sede en Tokio, diseñó ratones de laboratorio creados a partir de dos madres, es decir, sin rastro de genes masculinos en su genoma. Para ello, tomaron un óvulo de ratones de sólo un día de vida y lo manipularon genéticamente para que se reconvirtiese en esperma. Mediante transferencia nuclear, trasplantaron dicho material en otro ovocito de ejemplares adultos a los que se les había extraído previamente el núcleo y obtuvieron de ahí un embrión de ratón que implantaron posteriormente en el útero de una 'madre de alquiler'.

Los ratones nacidos por esta técnica (a los que llamaron 'ejemplares bimaternos') carecían por tanto de progenitor masculino y fueron criados exactamente en las mismas condiciones que otro grupo de ratones normales, tal y como describen sus autores en las páginas de la revista 'Human Reproduction'.

La comparación entre ambos grupos les demostró que los ratones 'huérfanos de padre' vivían 186 días más de media que los ejemplares normales; lo que supone aproximadamente un tercio más. Se trata, según explican los autores, de la primera evidencia que demuestra que algunos genes del esperma pueden influir de alguna manera en la longevidad de los mamíferos.

'Genes de la longevidad'

Concretamente, le echan la 'culpa' al gen Ragrf1, que se expresa habitualmente en el cromosoma heredado por vía paterna y que es responsable del crecimiento posnatal. Sin embargo, como reconoce Kono, no se puede descartar que existan otros 'genes de la longevidad', también implicados en que las mujeres vivan más tiempo, pero aún no descubiertos.

En otro de sus experimentos, los investigadores comprobaron el peso de los roedores a los 49 días de nacer y, posteriormente, al cabo de 20 meses. Los animales que carecían de genoma paterno eran más delgados y, además, tenían un sistema inmune más reforzado que sus compañeros. A su juicio, esto tiene también su explicación genómica, relacionada con la selección reproductiva.

"Mediante un mayor tamaño, los individuos machos maximizan sus posibilidades de reproducirse, algo en lo que realizan una fuerte inversión que resulta en una longevidad más corta. Sin embargo, las hembras, no se esfuerzan tanto en estos comportamientos tan costosos yreservan su energía para dar a luz y cuidar de la descendencia", concluyen en su trabajo.

 

Via El Mundo



publicado por olhar para o mundo às 02:48 | link do post | comentar

Sexta-feira, 04.12.09

 Orgasmos de alto riesgo

 

Acabo de comprar dos cajas de bombas... o de preservativos que, según quien tenga que ponérselos, para el caso es lo mismo.

Dichosos aquellos tiempos en los que los chicos llevaban en la cartera un profiláctico de emergencia fresquito y sin caducar, y te descargaban de la responsabilidad de preverlo tú todo... Aunque la verdad es que entonces, a las adolescentes de mi edad nos parecían estos santos previsores unos jetas con mucha fe en sus posibilidades y muy pocas dotes de adivinación.

¿Dónde queda la ilusión (y las ansias, todo hay que decirlo) con la que acaparábamos condones gratis en el instituto? Con la de prácticas que hice yo plastificando los plátanos del frutero de la cocina..., que hasta mi madre me decía:

—"Quítale la piel primero, Pandora, que un día te lo vas a tragar".

Total... ¿para qué? Si ahora a muchos les da igual que seas capaz de ponérselo con los ojos cerrados, con suaves caricias, con una mano atada a la espalda o con la boca sin rozarlo siquiera con los dientes. ¡Anda que no es difícil colocarles un condón a algunas pollas!

Y como vuelva a escuchar la carcajeante excusa de...
—"Éste me queda pequeño, yo necesito una talla XL", os prometo que saco el metro a pasear y más de uno se va a perder el respeto a sí mismo.

Hombre, por Dios... Que las he visto de todos los tamaños y grosores y, salvo algunas de calibre circense, los preservativos se adaptan como un guante.
¿Y qué me decís de los de la segunda vuelta que nunca quisieron tener hijos, y han puesto de moda la justificación de la falta de costumbre?

—"Es que hace mucho tiempo que no lo hago con esto puesto. Mira, yo la saco un poco antes y ya está. No ves que en los últimos años sólo me he acostado con mi mujer...¡Estoy limpio!".
—"Claro, claro... de polvo y paja, no te fastidia... ¿A tí te ha parecido que mi cama es un garaje? Pues eso: nada de marcha atrás". Hay cada elemento...

Ya veo yo quién se ocupaba en su casa de la planificación familiar.... ¡Que se tome ella la píldora!, da igual que retenga líquidos o le salgan varices (no a todas les pasa eso), que a calzón quitado se folla divinamente.
No, si yo, en el fondo, lo entiendo todo y soy hipersensible a estos pormenores. Por eso el otro día gasté cuatro preservativos (¡cuatro!) y toda mi paciencia con un tipo que, válgame el cielo, no fue capaz de ponerse ninguno tras 20 minutos de forcejeo y terminó por entendérselas a solas con su rebelde apéndice en mi cuarto de baño.
Qué cosa más triste: acabar echando un pulso con uno mismo cuando podíamos haber estado tan ricamente follando...

Porque una cosa es ser amable y comprensiva y otra muy distinta ser gilipollas y si el caballero no hace el esfuerzo de practicar en su casa en vistas de su recién reestrenada soltería, que no espere que servidora se acerque a ninguno de sus labios nada que venga sin envolver. Faltaría más.
Una vez, incluso, me tuve que poner chula porque el sujeto en cuestión, ya en faena, suplicaba metérmela "sólo a medias".

—"La puntita, Pandora, sólo la puntita...".
—"Mira, pollo... o te lo pones tú o te lo pongo yo. Pero aunque sea para asomarte a esta puerta necesitas un chubasquero de látex. Así es que tú verás". Hombre, por favor... ¿la puntita?

También conozco a algunos gatos escaldados que exigen ponerse sus propios condones y oye, nada que objetar. Como aquel amigo que tuve hace años que siempre me hacía la demostración de desprecintar la caja ante mis ojos y desenfundar el profiláctico con un mimo exquisito.
A ver, yo le entiendo, el pobre había dejado embarazada a su mujer usando siempre preservativos, porque la muy... los saboteaba ¡perforando el sobrecito con un alfiler!Yo también me habría divorciado...

Tengo un amante olvidadizo que se presenta reiteradamente en mi casa sin condón. Jamás ha traído uno. Pero no me importa, porque cuando le saco los míos se los pone alegremente y sin protestar. Así es que, por un euro y poco que me cuesta la unidad, a esos polvos invito yo.
Aunque la verdad es que, unos por otros, ¡ya no gano para anticonceptivos!
En vista de esta placentera ruina que se nos viene encima, Carmen tuvo el otro día la "gloriosa" idea de colocar una hucha en su dormitorio con la siguiente inscripción: "Invierte en sexo seguro". Pero, en cuanto le hice ver las posibles malas interpretaciones, la retiró rápidamente.

—"Mujer, que parece esto otra cosa... Vas pidiendo la voluntad por un polvo. Por lo menos pon una tarifa...".

Siempre he tenido muy claro que hay que tener un exquisito cuidado lo que nos metemos entre las piernas
Cuando practicas el sexo con alguien sin usar un método de barrera, te estás acostando con todas las personas con las que él o ella se haya acostado antes de llegar a tu cama. Y, chico... después de celebrar el Día Mundial del Sida, se me antoja ésta una orgía peligrosa.
No sólo por el VIH, sino también por todos sus amigos (hongos, herpes, gonorrea, sífilis, clamidia...) que se pueden colar sin invitación en tu fiesta. La cosa no es pedirle al contrario que venga con la etiqueta de trazabilidad pegada en la frente, como los filetes de ternera, pero, por lo menos, que no vaya de kamikace y se la plastifique bien antes de que empieces a llamarla por su nombre.

¿Exagerada o prudente? Lo que queráis, pero cada vez que me tropiezo con uno de estos suicidas del sexo que van de súpertallas o de alérgicos al preservativo (sea del material que sea) me acuerdo de lo que me dijo mi padre cuando hace ya casi 20 años, me compró mi primera caja de condones:

—"Si hace falta invito yo, hija... que la jodienda no tiene enmienda.".

(Escribidme a pandora.rebato@elmundo.es)

Via La cama de pandora



publicado por olhar para o mundo às 02:45 | link do post | comentar

Quinta-feira, 03.12.09

 

 

Cartel promocional de la película.

Cartel promocional de la película.

Tanto monta, monta tanto, Isabel como Fernando. Y nunca mejor dicho. Al fin y al cabo estamos hablando de lo mismo, ya sea en su versión anglosajona o hispánica. De un tiempo a esta parte se está hablando mucho de las prácticas sexuales que tienen como denominador común el hecho de ser realizadas al aire libre, de manera anónima y en grupo.

En 'La noria' han hecho su debate pertinente y en otros programas han abordado la cuestión, normalmente, desde una óptica tremendista y acusadora. Ya sabéis, el típico reportaje realizado con cámara oculta, ilustrado con música de película de miedo, voz en off preocupada y con un trasfondo moralista indudable.

Al tratarse de comportamientos sexuales minoritarios o poco convencionales es muy fácil echarse las manos a la cabeza, mesarse los cabellos y barbas y condenar al fuego eterno a quienes los ponen en práctica. Aunque a más de uno le brillen los ojos o sientan un particular come-come al hablar de la cuestión. La hipocresía en estos temas es el pan nuestro de cada día. No es ninguna novedad.

Las personas más críticas o que se escandalizan con la promiscuidad, con el sexo entendido como un simple intercambio de fluidos desprovisto de cualquier tipo de condicionante afectivo o moral suelen utilizar la expresión 'como los perros' a la hora de describir y descalificar esta manera de desenvolverse sexualmente por la vida.

Como sucede con muchos insultos o términos peyorativos, los aludidos pueden darle la vuelta a la tortilla y tomar por bandera precisamente la palabra utilizada como instrumento de agresión. Esto es lo que ha sucedido precisamente con el 'dogging'. O sea, hacer el perro. Se trata de una práctica sexual nacida en Reino Unido en la década de los 70 en la que convergen y coinciden varias parafilias: exhibicionismo, voyeurismo, intercambio de parejas.

Por cierto, en el Reino Unido se trata de un fenómeno de tales dimensiones que ha inspirado el guión de una película que está a punto de estrenarse. Se llama 'Dogging, a love story'. ¿Para cuándo un remake a la española con Willy Toledo?

Este tipo de encuentros sexuales no surge espontáneamente. Normalmente, como sucede con los espacios dedicados al 'cruising' gay (en cierta manera, antecesor del 'dogging'), se trata de lugares conocidos por sus practicantes en los que es muy difícil que un despistado se encuentre con el pastel. Se trata de espacios al aire libre, alejados de cualquier tipo de concentración humana, y que quedan fijados previamente en los foros de acceso restringido de páginas web de contactos o de practicantes, ya sean veteranos o novatos.

Por las noches ya refresca.

Por las noches ya refresca.

 

En España la asociación 'Dogging Spain' cuenta, a través de su página web, con más de 55.000 usuarios, aunque sospecho que no todos son muy activos. No son los únicos. También existe esta (quizás se trate de una escisión, no sé): E-dogging.La forma de operar siempre suele ser la misma. Normalmente, se fija un lugar de encuentro, día y hora (según la ciudad o comunidad autónoma) y el afiliado debe indicar si acudirá al encuentro sólo o acompañado y en qué plan, si a mirar o a participar.

Todavía hay pocas mujeres solas que se aventuren a practicar este tipo de sexo anónimo y grupal, aunque cada vez hay más parejas que participan en estos encuentros. Por cierto, que desde Dogging Spain se recuerda la obligatoriedad del uso del preservativo en todos los encuentros. Ignoro si la recomendación se sigue a rajatabla. Espero que sí. Más que nada porque, con tanta gente, hay que andarse con ojo.

Retirado de Cama redonda

 



publicado por olhar para o mundo às 02:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 02.12.09

 30 de noviembre de 2009.- Uno de los momentos álgidos de esta 'Cama redonda', al menos por lo que a visitas respecta, fue el 'post' dedicado a desmontar el mito que afirma que sólo las mujeres pueden fingir orgasmos. Los hombres también podemos. Tres empujones más fuertes de lo normal, un par de gemidos y asunto concluido. Además, el uso del preservativo favorece sobremanera este tipo de comportamiento condenable. Todos los manuales de urbanidad sexual coinciden. No hay que dejar de lado los aspectos comunicativos de la sexualidad, hay que aprender a decir las cosas, con mentiras no se va a ningún lado y bla, bla, bla. Sin embargo, a veces no te queda otra. En alguna ocasión, muchos (al menos a mí no me duelen prendas en reconocerlo) nos hemos visto en la obligación de fingir y terminar de una vez con el tema. Muchos de estos orgasmos falsos son fruto de la necesidad de 'cumplir' con que a veces nos entregamos al acto sexual. Puede sucederte con tu pareja o con un rollo de una noche, da lo mismo. Sin embargo, hay un problema que aqueja a algunos hombres y que no se arregla tan fácilmente.

Se trata de la eyaculación retardada, es decir, la dificultad o imposibilidad de eyacular a pesar de sentir una fuerte excitación sexual y sin que se presenten problemas de erección adicionales. El ansia o la aflicción que genera la eyaculación retardada en un hombre le afecta en todas su relaciones, y no sólo meramente sexuales. De hecho, ante un problema así, la pareja puede llegar a la conclusión precipitada y equivocada de sentirse responsable o culpable de esa ausencia de orgasmo. 'No le gusto lo suficiente', 'no lo hago bien'… En el caso del protagonista de la disfunción, es muy probable que la ansiedad que le provoca el acto sexual acabe por hacerle evitar todo tipo de contacto carnal, con tal de evitarse el mal trago.

En alguna ocasión todos los hombres hemos sufrido algún que otro episodio de eyaculación retardada. Sucede lo mismo que con las crisis puntuales en la erección: el popular y temido gatillazo. El 'modus operandi' suele ser el mismo. Surge de la manera más inesperada y normalmente en la situación más inapropiada. A veces, el hecho de haber conseguido acostarnos con alguien a quien consideramos 'el polvo de nuestra vida' puede generar tal dosis de electricidad y tensión sexual que se pueden llegar a fundir los plomos. En otros casos, la ingesta de determinadas drogas, como el alcohol o la cocaína, pueden acarrear serios problemas a la hora de eyacular, convirtiendo la experiencia sexual en una especie de mantra tibetano o un disco de rock sinfónico (de esos en los que una canción duraba toda la cara de un vinilo). Vamos, que nunca se acaba. O, como se decía antes, y venga la burra al trigo.

En estos casos hay que aclarar que se trata de bloqueos a los que tampoco hay que dar excesiva importancia, a no ser que se repitan de manera continuada, claro. Lo mejor es dar por concluida la partida, sin necesidad de psicodramas y golpes de pecho y esperar una mejor ocasión. Que la eyaculación está muy sobrevalorada, como dice una amiga mía. .

¿Hacemos un sudoku juntos?

¿Hacemos un sudoku juntos?

 

Los hombres aquejados de eyaculación retardada, la de verdad, suelen eyacular con algunas parejas y con otras no. En ocasiones no tienen ninguna dificultad a la hora de eyacular mediante la masturbación y, en cambio, no lo consiguen mediante el coito u otras prácticas sexuales. Algunos tienen poluciones nocturnas cuando están durmiendo y en cambio son incapaces de eyacular durante el acto sexual. En menor número nos encontramos con casos en los que la eyaculación nunca se presenta. Esta diversidad de comportamientos se debe a las diferentes causas que provocan la eyaculación retardada. Por un lado, tenemos las razones físicas que ocasionan el uso de medicamentos que inhiben el reflejo eyaculatorio, como sucede con algunos antidepresivos, neurolépticos o hipotensores. También puede provocar un cuadro de eyaculación retardada haber sufrido operaciones quirúrgicas en la próstata o la vejiga urinaria, así como presentar algún tipo de disfunción endocrina. En cuanto a las causas psicológicas, que son las más habituales, nos encontramos con una amalgama de situaciones que pueden provocar el miedo o el rechazo inconsciente de la eyaculación: haber sufrido algún trauma sexual (como ser reprendido o ridiculizado al ser sorprendido en prácticas masturbatorias durante la adolescencia), haber crecido en un ambiente represivo hacia la sexualidad, obsesionarse con la atención desmesurada hacia la pareja sexual o uno mismo, miedo a la intimidad o al compromiso, negación de la propia homosexualidad... Un sinfín de posibilidades que, como siempre que abordamos estas cuestiones, sólo se pueden resolver con la ayuda de un profesional de la medicina.

Retirado de Cama redonda



publicado por olhar para o mundo às 02:00 | link do post | comentar

Sábado, 28.11.09

Sexo na torre do relógio

 

 Um homem e uma mulher foram fotografados, na passada sexta-feira, em pleno dia, enquanto faziam sexo num dos monumentos mais famosos de Sidney, na Austrália, noticia o Telegraph.

 

Algumas dezenas de pessoas foram-se juntando na rua, olhando para cima para assistir ao momento na torre do relógio.

Este edifício funciona como uma residência universitária, pelo que a imprensa australiana se dedica agora a descobrir quem são os dois estudantes mais famosos do momento.

«Outras pessoas também repararam e, quando eu comecei a tirar fotos, toda a gente nas redondezas começou a olhar para cima, a apontar e a rir-se», contou o autor das fotografias.

 

Via IOL

 



publicado por olhar para o mundo às 20:59 | link do post | comentar

Quarta-feira, 04.11.09

Vibradores 

 

Duas pesquisas realizadas na Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, apontam que o uso de vibradores em encontros sexuais é comum entre homens e mulheres e ajuda a melhorar a saúde sexual. Um dos estudos, liderado por Debra Herbenick, foi feitos a partir de questionários com 2,056 mulheres entre 18 e 60 anos. Os pesquisadores descobriram que mais da metade (52.5%) das mulheres já haviam usado um vibrador, e uma em cada quarto mulheres afirmou ter usado no mês anterior à pesquisa.

Mulheres que usam vibradores têm maiores chances de terem feito exames ginecológicos em um ano e também mais chances de terem feito um auto-exame genital. Além disso, mulheres que usam vibradores afirmam sentir mais desejo e ter mais lubrificação e sentir menos dor durante o ato sexual.

Michael Reece e sua equipe fizeram uma pesquisa com 1,047 homens, também com idades entre 18 e 60 anos, e descobriram que 44,8% dos homens já haviam feito uso de vibradores, sozinhos ou com parceiros sexuais. O relatório da pesquisa afirma que homens que usam vibradores têm maiores chances de relatar a participação na promoção de comportamentos mais seguros de saúde sexual, como o auto-exame testicular.

Além disso, homens que relatam o uso recente de vibradores afirmaram sentir maior desejo e ter a função erétil e a satisfação sexual melhores do que aqueles que afirmaram não usar o apetrecho.

Debra Herbenick afirma que o estudo sobre o uso de vibradores por mulheres confirma o que médicos e terapeutas já sabiam por décadas: “O uso de vibradores é comum, ligado a funções sexuais positivas, como o desejo pelo orgasmo, e é raramente associado a efeitos colaterais”.

Reece ainda adiciona que o estudo do uso masculino do vibrador mostra que a utilização é comum entre homens, o que não havia sido documentado anteriormente. “Os dois estudos ajudam a ter um maior entendimento do modo em que consumidores estadunidenses estão procurando produtos que promovem a sua saúde sexual”, afirma o pesquisador.

Via Hsience

 



publicado por olhar para o mundo às 21:04 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 26.10.09

 

 


Acompanhei com perplexidade a polémica da eventual distribuição de preservativos nas escolas. Ouvi com atenção os argumentos indignados dos pais que falam "daquilo" como se tratasse de um artefacto erótico com características afrodisíacas cuja simples visão leva ao deboche. Ao que sei, trata-se somente de uma maneira eficaz de plastificar o penduricalho masculino, de modo a evitar gravidezes e doenças sexualmente transmissíveis, ficando-lhe muitas vezes reservada a mera função de êmbolo estanque.
O que mais se destacou foi o desdém da geração pós-30 em relação ao preservativo, como se fosse "coisa para malta jovem" e já não lhes dissesse respeito, e pertencesse ao passado. Tendo em conta a taxa de divórcio em Portugal e o elevadíssimo índice de gabarolice reinante - que faz parecer que toda a gente anda a trair-se numa imensa suruba nacional para que não sou convidado - convinha que houvesse algum conhecimento sobre o uso do preservativo. E, ao que parece, não há. Raramente se vêem pessoas a comprar nos supermercados e quando alguém o faz ainda olham, sim olham, como quem topa tudo "ah, este vai dar uma, e não é com a 'legítima' porque senão para quê os preservativos?" E há os ignorantes: os denominados recém-separados.
Um divorciado é muitas vezes um franguinho vivo deitado na floresta escura. "Estive muitos anos casado e agora não sei o que fazer... que tipo de preservativos é que compro?", perguntam-me como se fosse algum manual vivo de tamanhos de pirilau e saberes orgásmicos. A situação é a seguinte: na última década, como em todos os sectores de consumo, o preservativo explodiu numa multitude segmentada e não é o amigo solteirão que o vai desenrascar. Há certas coisas que terá de ser o próprio a resolver. Esta é uma delas. Mas há umas dicas genéricas que se podem avançar.
A primeira e mais evidente é a de que não parece adequado começar com palhaçadas de fluorescentes, sabores e texturas pontiagudas. O que é que você vai querer dizer de si quando se apresentar pelado e com isso enfiado? Um primo do Batatoon? Um ambientador de pêssego? O carrasco do último auto-de-fé? O objectivo é não se lembrar sufocantemente que o preservativo está lá em baixo. Nem que "ele" agora se transformou num néon luminoso de sabor a menta. Manter a dignidade é sempre uma boa estratégia.
No momento da compra tem que saber ao que vai e o que tem. É uma decisão complexa, pois o preservativo é algo elaborado cientificamente para diversos usos e objectivos, com diferentes resistências, efeitos "retardantes", "contacto total" de "sensação extra", "extra large", "sensação calor" ou "benzocaína para prolongar"... e estou a falar dos que se vendem nas farmácias, junto a umas caixinhas para brincadeirinhas da mesma marca, ali ao lado dos batons para a praia.
Mas vamos aos "factos da vida". O ideal seria comprar uma gama de preservativos diferentes, ir calmamente para casa, abrir um bom vinho, vestir o roupão à Hefner, arranjar um qualquer estímulo visual que o erice e preparar-se para perder algum tempo a testar o material tendo em conta a sua morfologia, as suas capacidades, a gestão da eventual ansiedade, e a sua desenvoltura em desenrolar eficazmente o látex...Tem a sua arte. E lembrar-se que há um 'momento-choque' em que vai ter que quebrar a fluidez da sua coreografia para fazer saltar magicamente a borrachita e não quererá deixar nas mãos do improviso para quando está nervoso e atrapalhado. Este é pois um conselho sensato. Teste os preservativos. Ganhe autoconfiança. É o que serve melhor os seus interesses. Dê-lhe uns piparotes, bamboleie-se. Não há como captar o modo de funcionamento no recato para depois não cair no ridículo e o ridículo fazê-lo cair numa qualquer situação indesejada.
 
Via J7Skywalker



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22.10.09

 Essa dica é para o mulheril que busca melhorar o desempenho a dois. Para a maioria dos homens a mulher “Perfeita” é aquela que conhece todos os aspectos da vida emocional e sexual dele, além do companheirismo a mulher tem que entender o sexo para o homem, deixar acontecer quando for necessário e deixá-lo confortável, mas nem todos homens são iguais, então vai dez dicas que se encaixam ao seu homem.

1. Espontaneidade
O que ele quer é que você saiba compreendê-lo, que quando ele quiser transar você o acompanhe no jogo, quando algo não lhe agradar que você simplesmente não o faça e quando você tiver desejos de fazer algo não fique calada e proponha sem pudores. O que ele deseja é que você não se iniba na frente dele na hora do sexo.

2. Frases quentes
Na cama não pode existir vergonha nem pudores. Sendo assim, ele espera que você diga tudo o que tiver vontade, que você o guie com palavras ou com as mãos, que você se solte e que não tenha problemas em gritar ou dizer muitas coisas eróticas. Para eles, ver a mulher se retorcendo de prazer e excitando-o só com palavras é um cenário perfeito.

3. Ser surpreendido
Não há coisa de que eles gostem mais do que uma mulher que seja capaz de tomar iniciativa de vez em quando. Para eles, você tomar a decisão de alguma situação é muitas vezes um alívio e faz com que você pareça mais atraente. Surpreenda-o ao chegar do trabalho ou então no lugar que ele menos esperar. Com certeza ele não negará um momento de prazer.

4. Cumpra as fantasias dele
Você ser capaz de escutar as fantasias dele, entendê-las e ao menos pensar em realizá-las é importante. Mas se você as realiza sem que ele tenha que insistir muito é o céu. Busque uma fantasia que seja cômoda para você, mas que ao mesmo tempo irá surpreendê-lo na cama.

5. A “rapidinha”
O sexo rápido, sem estímulos e que acontece pela simples vontade, é algo que eles adoram e necessitam de vez em quando. Não se coloque na defensiva quando ele quiser surpreendê-la e entre no jogo dele. Uma escapadinha rápida de vez em quando não faz mal a ninguém e a questão de às vezes não existir um jogo de sedução antes do sexo não quer dizer que ele não a ame ou que não pense em você e sim o contrário, é porque ele te deseja muito e gosta de você.

6. Dar a ele um bom início de dia
Este é um dos pré-requisitos que todos os homens, sem distinção, elegem quase como o número um. Acordar de uma maneira agradável e enchê-los de vitalidade e energia para o resto do dia é algo que eles agradecem de verdade. Muitas vezes, ao chegar do trabalho ele está cansado e só quer dormir, por isso aproveitar as energias da manhã é para ele uma boa opção para começar o dia. Programe o despertador para um pouquinho mais cedo e surpreenda-o.

7. Assuma o comando
Não espere que ele tome a iniciativa em tudo o que vocês forem fazer na hora do sexo. É verdade que eles gostam de dominar, mas, muitas vezes, preferem ser submissos diante de uma mulher decidida que os domina e os seduz e, mais ainda, que mesmo que a mulher não seja assim, que na hora do sexo ela saiba ter, sobretudo, uma questão de atitude.

8. Somente sexo
Querer que tudo seja perfeito, romântico e sensual pode ser algo desgastante para algumas pessoas. Por isso, muitas vezes, os homens desfrutam do sexo só pelo sexo, sem preparações românticas.

9. Carinho após o sexo
Uma das coisas que os homens mais odeiam é que logo depois de uma transa espetacular a mulher saia apressada para tomar banho. Os homens, mesmo que isso pareça coisa só de mulher, também gostam de receber carinho depois do sexo. Muitos deles preferem que você fique ao menos uns instantes ao lado deles, descansando após tanta agitação e compartilhando beijos, carinhos e comentários sobre o prazer que vocês sentiram.

10. Que você aprecie o sexo
Que os homens desfrutam ou necessitam mais de sexo pode ser uma realidade, mas para eles é incrível que uma mulher não se intimide ao reconhecer que ela gosta de sexo tanto quanto ele. As mulheres tendem a ocultar que também pensam em sexo e que o desejam continuamente. Sendo assim, uma mulher que reconheça isso sem pudores é quase como ganhar na loteria. Por isso, não tenha vergonha de querer fazer sexo sem que ele tenha proposto ou em qualquer lugar. Ele te amará por isso

 

Via Lindas e sensuais

 



publicado por olhar para o mundo às 22:45 | link do post | comentar | ver comentários (6)

Segunda-feira, 19.10.09

 Na principal enciclopédia, a palavra “amor” é contemplada com míseros 21 verbetes e sexo com 34.


Pergunte à sua criança. Na primeira reunião de pais do ano, a professora da minha filha anunciou que irá explicar "a reprodução". "Preparem-se para perguntas lá em casa!" Eu, que de parvo só tenho a cara, controlei o pânico e li uns 200 compêndios recentes. Aprendi imenso. Espero que o leitor não sofra de afânise, termo do freudiano Ernst Jones para definir "a extinção do desejo sexual", que ele (correctamente) identificava como a raiz de todos os males. Mas no tempo dele não havia Viagra – essa (literalmente) varinha-mágica.

Sabiam que nunca existiu o tal "direito do senhor", um mito da Idade Média no qual o aristocrata podia papar a noiva do servo na noite de núpcias? Tudo inventado por Voltaire, no século XVIII, e popularizado por folhetins e Hollywood! O prefixo "homo" sempre foi confundido por ter dois significados. No latim, quer dizer "ser humano"; no grego, "o mesmo" – daí ‘homossexual’. Apavorante é o índice real de falha dos contraceptivos em relação ao índice teórico. Se o índice teórico de falha da camisinha é de 5%, o real é de 15%!

Na principal enciclopédia, a palavra "amor" é contemplada com míseros 21 verbetes e "sexo" com 34. Apenas 26 são dedicados ao pénis e 41 à vagina (quase um monólogo da vagina!). Pasmem: 24 abordam a homossexualidade (mais do mesmo) e só 3 a heterossexualidade! Intrigante: há 48 tópicos para "coito", contra 21 para "orgasmo" (bem, talvez estejam a falar de casamento). O beijo na boca não é universal – não existe na cultura vietnamita. E aquele caso do presidente Coolidge, que já contei, tem outra versão.

Quando a senhora Coolidge perguntou com que frequência o touro podia montar uma vaca e a resposta foi "umas 40 vezes por dia", ela bradou: "Vá dizer isso ao meu marido!" Mas quando o presidente indagou se era sempre com a mesma vaca e ouviu que era uma vaca diferente de cada vez, rugiu: "Vá dizer isso à minha mulher!"

Paulo Nogueira, Cronista
 
Via Correio da manhã

 



publicado por olhar para o mundo às 20:08 | link do post | comentar

Domingo, 18.10.09

por Marta Crawford, Publicado em 17 de Outubro de 2009

 

 MUITO se fala dos odores da genitália feminina, no entanto, o que para uns é desagradável, para outros é extremamente estimulante. Os genitais femininos estão sujeitos à actividade constante das glândulas sebáceas e sudoríferas e, por isso, a vagina vai produzindo esmegma, uma espécie de óleo e sebo que se deposita nas lábios e na mucosa vaginal e que serve como primeira linha de defesa contra organismos patogénicos. A vulva transpira, em especial quando o clima aquece, aumentando a sua humidade e desenvolvendo um odor particular. A vagina tem a partir da puberdade, um ph ácido (3,8 e 4,5), semelhante ao do café, e mantêm-se assim até à menopausa. A vagina tem um sabor ligeiramente adocicado e ácido, e a sua acidez é o resultado da acção dos lactobacilos - os mesmos que se podem encontrar nos iogurtes - que são responsáveis por manter a flora vaginal saudável e evitam a colonização de micróbios. A secreção vaginal é composta por água, albumina, leucócitos e uma substância oleosa, responsável pelo brilho destes fluidos. 


Quando não se tem cuidados de higiene ou se contraiu uma infecção sexualmente transmissível, o equilíbrio vaginal pode alterar-se provocando uma série de incómodos na mulher, tais como comichão, ardor, corrimentos intensos, ou um cheiro desagradável. Sempre que sentir um corrimento diferente do habitual, com odor, prurido ou ardor, deve consultar a sua ginecologista. Trate-se primeiro, para depois poder ter prazer! 

Sexóloga

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 18:09 | link do post | comentar

Quarta-feira, 07.10.09

Quanto tempo é suposto durar a coisa?

 

 Já sabemos que, no que diz respeito a sexo e à duração do acto sexual, as ‘médias' são territórios difíceis. Quanto tempo é ‘normal' durar uma relação sexual? E a partir de que altura passa de 'curta' a 'longa'?

 

 

Segundo um estudo da Universidade de Penn State, nos Estados-Unidos, e divulgado pela BBC, para ser considerada ‘satisfatória', deve durar entre três a 13 minutos; menos do que isso é considerado demasiado curta, enquanto que, para ser considerada ‘longa', terá de durar entre os 10 e os 30 minutos.

 

 

Uma das mais-valia deste estudo é, sem dúvida, quebrar muitos dos mitos que rodeiam esta questão, como a opinião generalizada que o acto sexual apenas é 'satisfatório' quando é muito prolongado no tempo.

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:24 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 06.10.09

 

1 - A pessoa errada

 

Pode ser a pessoa errada por várias razões: porque não sente especial atracção por ele, porque lhe lembra o seu paizinho, porque lhe lembra o seu ex que a trocou pela Sandra Cristina que vendia cheeseburguers numa rulote no Guincho, porque o cheiro dele a repele, porque a sua avozinha acha que ele é um excelente rapaz, porque tem muita conversa mas não sabe onde é o ponto G (nem nenhum outro ponto até ao F, só conhece o ponto U, de umbigo - o dele, claro), porque em resumo: por uma razão ou outra, quando chega a vias de facto, repara que não lhe apetece de facto estar com ele naquela altura e preferia muito mais ir para casa ver o ‘Titanic'.

 

2 - A razão errada

Porque quer fazer ciúmes ao Paulo Jorge, que não ata nem desata. Porque está farta de ser virgem. Porque está farta de qualquer coisa que não sabe bem o que é. Porque ele a  avisou que se continuasse a fazer-de ‘de esquisita' ele a trocava por outra mais despachadinha. Porque tem pena dele coitado que a aturou dias a fio enquanto você fungava no ombro dele (na camisa nova) e se assoava onde calhava (à camisa nova) quando o (idiota do) Vasco se atirou de parapente do Cabo da Roca para mostrar à Sandra Cristina que a amava (devia era ter-se espetado cá em baixo e esborrachado o, o, o, o cheeseburguer). Tudo isto são péssimas razões. E há outras.

3 - O sítio errado

Estava mesmo à espera disto, não é? Então mas se for com o homem da sua vida não há sítio que possa baixar a temperatura... Até pode, mas eu se fosse a si não arriscava os seguintes sítios: carro/telhado/os pais no quarto ao lado/mesa da cozinha/escadas/elevador, a bem dizer quase todos os sítios que não metam um colchão. As revistas da ‘especialidade' juram todas que toda a gente já fez tudo isto e há alturas em que um shotzinho de adrenalina pode apimentar a coisa, mas a maioria das mulheres ainda continua a preferir estar num sítio sossegado e confortável em que não se corra o risco de ser interrompida e se possa concentrar no que de facto interessa, sem ter de, enfim, estar constantemente com um olho no burro e outro no cigano... Nota: Se tentar a mesa da cozinha, pelo menos afaste as facas. E cuidado com o que mete na Bimbi.

4 - As expectativas erradas

Se não viu fogo de artifício como lhe prometeram, relaxe: inda a procissão vai no adro. Estamos rodeados de cenas de sexo lindíssimas em que tudo é perfeito (o sítio, as pessoas, a luz, o ‘timing', as cuecas, não que alguma vez se veja as cuecas, mas de certeza que também são perfeitas) e crescemos a pensar que a realidade é como nos filmes. Antes de se encontrar com alguém, escreva 100 vezes, A realidade não é como nos filmes, a realidade não é como nos filmes (só mais 98 vezes). Se mesmo assim não ficar convencida, também pode escrevê-las a seguir, para se consolar. E pense que, se ele for mesmo a pessoa que lhe faz brilhar os olhos, com boa vontade tudo se resolve. Mesmo que continue a não ser como nos filmes.

5 - O tempo errado

Não, não se está a dizer que olhe lá para fora e se o dia deu em manhoso é melhor ficar a fazer as palavras cruzadas da ‘Caras'. O tempo aqui é o tempo que passa com ele. Se acordar com ele, lavar os dentes enquanto ele toma banho, discutir quem leva as crianças à escola, almoçarem juntos e passarem o tempo todo juntos, às tantas já não é capaz de olhar para a cara dele. Que tal umas feriazinhas a solo de vez em quando?

6 - A rotina errada 

Romeu e Julieta ficaram na História como exemplo de casal apaixonado porque nunca chegaram ao ponto de discutir se o dinheiro da conta conjunta era para comprar um carro novo ou para pagar a conta do cartão de crédito em atraso. Os milhares de assuntos práticos para resolver durante a semana arruinam num piscar de olhos os impulsos mais afogueados de qualquer Romeu e Julieta. "Ai ó Luisinho despacha lá a coisa que a Bimbi já deve ter acabado de fazer o gaspacho e eu inda tenho duas dúzias de lençóis para engomar..." Não há sexo que resista... O que é de espantar é como ainda há casais que sobrevivem, especialmente casais com filhos... Mas tente virar a rotina a seu favor: às vezes, saber que se tem sexo num determinado dia a determinada hora até ajuda: a pessoa escusa de passar a terça feira enervada a pensar que devia ir para a cama com o seu Luis Miguel mas que não lhe apetece nada porque está absolutamente exausta. A propósito, o cansaço é a primeira razão para a falta de sexo (ou pelo menos, para a falta de sexo de qualidade). Por isso, o primeiro mandamento para sexo de qualidade é: descanse o mais que conseguir. Ponha as crianças na avó. Depois de um fim de semana a solo, tire um fim de semana a dois...

7 - A conversa errada

Toda a gente passa a vida a dizer que devemos ser honestos, o que é verdade, mas cuidado com o que diz. Se é a primeira vez que está com ele (ou mesmo a segunda, ou a 58ª) convém não aproveitar agora que estão num momento íntimo para lhe confessar todos os seus segredos mais negros. Não aproveite um jantar à luz das velas para dizer: "Olha, ó Zé Manel, antes que a coisa vá mais longe, deixa que te diga que sempre sonhei ter 14 filhos, que arroto todos os dias depois de comer, que ressono que nem a sirene dos bombeiros de Paço de Arcos, que sou ligeiramente vesga do olho esquerdo e tenho hemorróidas crónicas desde que me dediquei ao RPM." Por outro lado, a falta de honestidade também pode arruinar uma noite: se ele não beija tão bem como devia, não sofra em silêncio. Também não é preciso disparar: "Olha lá, ó caramelo, achas que estás aqui a mastigar bife de rena?" Mostre-lhe como gosta. Dê o exemplo. Pode demorar, mas eles aprendem. Ah, e já agora: desligue o telemóvel.

 

Via Activa 



publicado por olhar para o mundo às 15:59 | link do post | comentar

Sábado, 03.10.09

Pera aí.. e os preliminares? 

 

Uma luta de boxe tem doze assaltos de três minutos cada. Se o combate se estender por todo esse tempo, a vitória será por pontos ou empate. Péssimo resultado para a platéia - geralmente quase toda masculina -, que espera ansiosamente por um nocaute, com um dos pugilistas arremessados ao chão. Não é diferente quando o assunto são as preliminares. Para os homens, quanto menos elas demorarem, melhor. Já as mulheres torcem para que as carícias, beijos e palavras de incentivo sejam tão extensas quanto uma partida de futebol, com dois tempos de 45 minutos e, se possível, prorrogação. A pesquisa Global Better Sex Study, realizada com 12,5 mil pessoas e apresentada no Congresso Europeu de Urologia do ano passado, mostra que no esporte em que elas e eles jogam no mesmo time - o sexo - as mulheres têm reclamado dos parceiros. Apenas 36% das entrevistadas declararam estar satisfeitas com o desempenho deles. Mas, afinal, o que transforma tantos companheiros de partida em adversários?

As diferenças entre os equipamentos de jogo, o pênis e o clitóris, ajudam a desvendar a resposta. Durante a fase de excitação, esses dois órgãos responsáveis pelo prazer recebem uma grande quantidade de sangue. Se no masculino ele chega na forma de um rio caudaloso, no feminino deságua como um riacho. "O clitóris e o pênis são como uma esponja por dentro, cheios de cavidades para receber o sangue. Só que a 'esponja' feminina é pelo menos três vezes menor do que a masculina", explica a ginecologista Carolina Ambrogini, coordenadora do projeto Afrodite, de estudos da sexualidade feminina, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Por isso as mulheres precisam de mais tempo para se animar e de uma maior variedade de estímulos (o corpo humano oferece cerca de 1,5 mil pontos sensíveis!). Para elas, os ouvidos são zonas erógenas importantíssimas. Palavras sugestivas e elogios aceleram a "correnteza". Os homens são mais visuais (não é à toa que no geral preferem transar de luz acesa). Basta o sujeito colocar os olhos em alguém para que o interesse de seu pênis entre em estado de alerta. O clitóris, diferentemente, por ser pequeno, tímido, quase escondido, demanda uma relação, digamos, mais cara a cara. Precisa ser estimulado diretamente. Além disso, a testosterona, o hormônio do tesão, aparece em maior volume (dez vezes mais!) no organismo masculino do que no feminino - só no período de ovulação sua quantidade aumenta na mulher, favorecendo a excitação.

 

Via Gloss



publicado por olhar para o mundo às 21:04 | link do post | comentar

Sábado, 19.09.09

Sem medo da palavra Vagina por Ranara em Mens Sana in Corpore Sano

Pompoarismo, Orgasmo e Ejaculação Feminina.Entenda o que é cada um e os exercícios que podem potencializar o seu prazer sexual.

Existem vários exercícios que podem dar um “up” na sua vida sexual, mas antes de começarmos a falar sobre eles vamos entender um pouquinho melhor sobre o funcionamento da Vagina.

No vivemos numa sociedade machista onde a sexualidade da mulher é reprimida e muitas vezes vista como tabu, é comum encontramos mulheres já feitas que a língua enrola na hora de falar a simples palavra vagina! Claro que com o passar dos anos e o bombardeamento da  mídia sobre o assunto, a tendência é que isso se torne mais natural. Entretanto muitas vezes ocorre uma vulgarização e não naturalização do tema.

imagem3Preparei um pequeno glossário de nomes e funções para que possamos começar a dar os devidos nomes sem medo de estar falando palavrão.

  • Clitóris – órgão alongado erétil se localiza na parte superior da vulva e também e chamado de “pênis  feminino”.
  • Ejaculação feminina – excreção de líquidos pelas glândulas de skene e expulsão pela uretra durante o orgasmo.
  • Músculo pubococcígeo – é o responsavel pela contençao urinaria, e tambem é o músculo que contraimos no momento do orgasmo.
  • Orgasmo – o ponto mais alto da excitação sexual.
  • Pompoarismo – uma serie de exercícios e técnicas que consiste primariamente a contrair voluntariamente o músculo pubococcígeo junto com o iliococcígeo e puborretal. Através destes melhora-se a habilidade sexual, auxilia-se a obtenção do orgasmo e a ejaculação feminina, além de prevenir a incontinência urinaria. Dentre vários outros benefícios que falaremos futuramente.
  • Ponto G – ponto g ou ponto de grãfenberg é uma pequena área na mulher, do osso púbico, perto do canal da ureta, acessível através das parede anteriores da vagina. Uma zona eróngena que quando estimulada eleva o nível de excitação sexual levando ao orgasmo. Mas existe muita controvérsia a respeito da sua existência ou não.
  • 180px-clitoris_anatomy_labeled-ptVagina – canal que se conduz ao colo do útero e que se abre na vulva.
  • Vulva – é o nome dado para o conjunto das partes externas dos órgãos sexuais femininos
  • Ureta – canal que vai da bexiga ao meato urinário e conduz a urina pra fora da bexiga, e a secreção da ejaculação feminina.

No decorrer das próximas semanas vamos falar um pouquinho dos três temas sugeridos para estimular o auto-conhecimento e a naturalização da sexualidade feminina.

Hugs,  à bientôt

Via Parada Lésbica



publicado por olhar para o mundo às 21:26 | link do post | comentar

Sexta-feira, 18.09.09

 

Desde a época da minha tataravó  que nós mulheres, “moças de família” não tínhamos a liberdade de explorar o nosso corpo, falar sobre sexo, muito menos “pensar besteiras” e, nos tempos remotos, até o prazer feminino era contido. Tudo isto culpa de uma cultura machista adquirida e conservada por nós, mulheres.

A exploração da ejaculação feminina na indústria cinematográfica como forma de alimentar a fetiche masculina, além da questão da repressão cultural, fizeram deste um dos temas mais mistificados em se tratando de sexualidade feminina.

sapaAfinal, Ejaculação Feminina Existe?? ou é efeito cinematografico?

Sim existe! Mas verdade seja dita em grande parte dos filmes pornôs não passa de um truque!

Acontece que quando ejaculamos, um líquido é produzido pelas glândulas parauretais, as glândulas de skene que entram em ação junto a uretra e liberam líquido durante o orgasmo. Esse líquido é claro e ralo pondendo ser viscoso em alguns casos. A quantidade é menor que a ejacluação masculina, variando de 15 a 200 ml.

Muitas mulheres passam anos sem saber o prazer de uma ejaculação, pois nós não ejaculamos em todas as relações sexuais. A ejaculação feminina está diretamente relacionada ao ápse do estímulo e do prazer.

Considerando que quando ejaculamos, a quantidade de líquido é bastante superior ao simples gozo, é comum pensarmos que fizemos xixi sem querer, porém, relaxem, isto não é possível, apesar da sensação antes de ejacular ser bem parecida com a vontade de urinar. No texto anterior falei sobre o músculo pubococcígeo, no momento do orgasmo contraímos esse músculo que por sua vez e o responsável pela contenção urinária.

1196799619Há relatos muito antigos de ejaculaçao feminina. Um dos primeiros foi feito por Aristóteles na Grécia Antiga. É comum em outras culturas como em rituais tântricos na Índia. Fomos perdendo essa habilidade com o tempo? As indianas são geneticamentes mais dispostas a este feito? Não. O que difere é meramente cultural falar sobre, saber que existe e ir dismistificando vai ajudar a chegar a tão sonhada ejaculação.

No próximo texto falaremos sobre o Pompoarismo e como podemos tornar real a ejaculação feminina.

Hugs à bientôt

Via Parada lésbica

 



publicado por olhar para o mundo às 21:12 | link do post | comentar

Quarta-feira, 16.09.09

 Tudo o que quer saber sobre sexo

 

1)Tenho 20 anos e ainda não tive relações sexuais porque gostaria que a 1ª vez fosse com um namorado fixo. O que acha? 

R: A minha 1ª vez também foi com um namorado fixo.Amarrei-o à cama. 


2)O que fazer para surpreender um namorado tímido na primeira noite? 
R: Apareça com um amante. 


3) Tenho um amigo que quer fazer sexo comigo..mas ele tem um pénis de 24 cm. Acho que vai ser doloroso, o que fazer ? 
R: Mande para cá que eu testo por si. 


4) Como faço para seduzir o rapaz que eu amo? 
R: Tire a roupa. 


5) Terminei com o meu ex porque ele é muito chato e agora estou com outro. Mas ainda gosto do ex e às vezes ainda fico com ele! O que devo fazer? 
R: Quem era mesmo chato nesta história? 


6) Quero saber como enlouquecer um homem só nos preliminares. 
R: Mostre umas fotos de uns BMW. 


7) Como enlouqueço meu parceiro numa relação na casa de banho? 
R: Já usou desentupidor de pia? 


8) Como conquistar um homem que tem namorada? 
R: Fique logo com os dois. Gente complicada... 


9) Saí com um gatinho e foi óptimo. Só que agora fico com medo de ligar para ele. Será que devo? 
R: Depende. O gatinho sabe cagar na caixa de areia? 


10) Eu tenho 18 anos mas adoro brincar com bonecas com a minha irmã de 2 anos. Também entro na net e não me farto de ver cenas de sexo. O que devo fazer? 

R: Passe numa sex shop e compre um boneco insuflável de boas proporções.

 
11) Sou feia, pobre e chata. O que devo fazer para alguém gostar de mim? 
R: Ficar bonita, rica e ser simpática. Obviamente. 


12) O rapaz com quem namoro é muito porreiro, mas está a dar sinais de ser alcoólico. O que devo fazer? 
R: Não o deixe conduzir. 


13) Porque, na hora do sexo, quando a gente está no vai e vem, na hora que o corpo entra em atrito, faz aquele barulho de quem está a bater palmas? Porque nessa hora a gente fica mais excitado? 
R: É porque parece que tem claque, tá a ver? Da próxima vez grite para a malta. 


14) Eu não tenho uma cara propriamente linda, apesar de ser normal e não ser feia. O que mais atrai os rapazes é o meu corpo. O que fazer para conseguir comer alguns gatos tendo em conta que tenho 13 anos? 
R: Nesta idade você tem que comer Nestum, entende? 


15) Tenho 28 anos e sou virgem, não aguento mais esta situação. Como mudá-la o mais rápido possível? 
R: Está em Lisboa? Vá ao Intendente, de madrugada. 


16) Sou virgem e aconteceu-me, pela primeira vez, fazer sexo oral. Acabei por engolir aquilo e quero saber se corro o risco de ficar grávida. Estou desesperada! 
R: Claro que corre o risco de ficar grávida. E a criança vai sair pelas orelhas. 


17) A primeira vez dói? Qual a melhor posição para a mulher na primeira relação? Tenho 21 anos e ainda não tive sexo porque tenho medo de doer e não aguentar. 
R: Dói tanto que você vai ficar em coma e NUNCA mais se vai levantar. Veja se deixa de ser fresca, oh Cinderela!

 

Via Lua Secreta



publicado por olhar para o mundo às 21:38 | link do post | comentar

Quarta-feira, 02.09.09

 sexo na igreja

 

A Igreja Católica está a incentivar os casais, unidos pelo matrimónio, a rezarem antes de terem relações sexuais. Para o efeito, foi publicado um livro onde um conjunto de orações convida os casais a «purificarem as suas intenções».

O livro chama-se «Prayer Book for Spouses» («Livro de Oração para os Cônjuges», em português) e pretende transmitir aos casais a necessidade de renovar constantemente os votos do matrimónio.

A principal oração para o casal implora a Deus para que lhes seja concedido o verdadeiro amor, ternura que una verdadeiramente, dar tudo sem esperar nada em troca, dizer a verdade e não enganar, perdoar, e que seja bem-vinda a união física do amor.

Acrescenta ainda: «Abra os nossos corações, para si, entre nós e para a bondade da vossa vontade», num apelo à bênção de Deus, noticia o «Daily Mail».

Orações para todas as fases

O livro foi publicado pela «Truth Society» da Igreja Católica de Londres.

As 64 páginas do «Prayer Book for Spouses» contêm orações para todas as fases da vida matrimonial e familiar, incluindo o compromisso, o planeamento familiar, a gravidez e o cuidado com os filhos e com os pais idosos.

As orações, escritas por vários autores, estão ainda intercaladas com a doutrina católica sobre o significado do casamento e da família.

Livro é um acto «corajoso mas bom»

O reverendo Paul Hendricks, bispo auxiliar de Southwark, em Londres, considera a atitude como um acto «corajoso mas bom».

«Suponho que seja um pouco idealista mas é do conhecimento de todos que Deus está no coração da relação entre marido e mulher», defendeu.

«É importante para a Igreja vincar o valor do casamento e da vida familiar e suponho que esta seja uma forma particular de o fazer», acrescentou o reverendo.

O livro aviva a mensagem de que o casamento deve ser uma união para toda a vida e transmite ainda uma mensagem de condenação do aborto.

«Prayer Book for Spouses» também critica aqueles que não acreditam em uniões para toda a vida. «É um dever fundamental da Igreja reafirmar fortemente a doutrina da indissolubilidade do matrimónio», disse o reverendo Paul Hendricks.

A partir desta publicação, a Igreja Católica Romana incentiva os casais a rezarem antes do sexo para se lembrarem que a relação sexual é um acto altruísta, não conduzido pelo hedonismo.

 

Via TVI24



publicado por olhar para o mundo às 21:40 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 07.08.09

Falemos de coito vaginal

 

"Estamos a falar de coito vaginal", começa por dizer Rui Miguel Costa, 41 anos, investigador no departamento de Stuart Brody, um especialista britânico em estudos sexuais na Universidade de West of Scotland, em Paisley. "Sexo", o termo lato, deve por isso ficar fora da conversa sobre o estudo publicado na revista científica "Archives of Sexual Behavior".


O trabalho conclui que, na altura de pensar no bem que a vida sexual faz à mente, o melhor contributo é o "coito vaginal sem preservativo". 

A troca de secreções entre os dois sexos, por conterem agentes antidepressivos, e uma maior intimidade, são alguns dos argumentos apresentados. Já um dos potenciais da investigação pode ser ajudar a explicar a elevada incidência de problemas mentais entre homossexuais, como têm vindo a demonstrar estudos recentes.

"Tem havido alguma controvérsia, mas parece que as reacções negativas da sociedade não explicam inteiramente os problemas mentais que os homossexuais têm", diz Rui Miguel Costa. A polémica não fica por aqui. Afinal, proteger-se de doenças sexualmente transmissíveis (DTS) significa não desfrutar totalmente dos benefícios do sexo na saúde? Segundo este estudo, sim.

"É preciso perceber que o preservativo tem desvantagens, como qualquer medicamento ou tratamento, onde são explícitas as contra-indicações. Depois, são as pessoas que escolhem se é o método mais adequado. Em relação às DTS, o preservativo protege, mas é preciso ter noção de qual é o risco e não entrar em pânico", salienta o investigador. "As DTS transmitem-se pelo coito vaginal mas o VIH - que em rigor não é uma DST - tem uma probabilidade baixíssima de se transmitir por esta via em pessoas com tecido genital saudável: as vias do sexo anal e perfurações cutâneas com materiais infectados são as verdadeiramente perigosas para a transmissão do VIH", adianta. 

Dói-me a cabeça Em causa estão os chamados mecanismos de defesa "imaturos", que se traduzem numa maior vulnerabilidade à doença mental. Rui Miguel Costa explica que o uso preservativo é um dos factores associados à diminuição das protecções naturais. Já o orgasmo feminino, por exemplo, tem o efeito contrário. 

Na sexualidade, os handicaps acabam por isso por estar todos relacionados. "Resultam de uma maneira de lidar com o stress em que a realidade é distorcida", diz o investigador. 

"As pessoas com este tipo de problema mergulham numa fantasia para evitar a realidade, convertem o problema psicológico em problemas físicos como dores de estômago ou dores de cabeça. Muitas vezes deslocam os seus sentimentos para coisas menos conflituosas, como a comida", resume. O impacto é igual em homens e mulheres. "Provavelmente a prevalência é semelhante à das doenças mentais", explica o investigador. 
Para Rui Miguel Costa, a solução passa por menos ignorância e terapia ou educação sexual mais informada. "Se as pessoas não querem ter coito vaginal por motivos de consciência, não há nada a fazer. Mas devem ser encorajadas a ter o melhor coito vaginal possível".

Masturbação inimiga Se por enquanto são mais as perguntas do que as respostas, há alguns dados importantes a reter. De todos os comportamentos sexuais, apenas o coito vaginal está associado a bons indicadores de saúde física e mental. O tempo que se dedica aos preliminares merece outras considerações: se substituem a penetração vaginal (mesmo que incluam sexo anal e oral) diminuem a satisfação sexual. Já a masturbação pode ser prejudicial, explica Rui Miguel Costa. Um estudo com 2000 pessoas mostrou que quanto maior é a frequência, menor é a satisfação. Está melhor quem "mesmo tendo coito vaginal menos vezes, nunca se masturba", diz.

 

Comentário de Nuno Monteiro Pereira, urologista e professor de Sexologia

Parece-me um trabalho polémico. Este tipo de discurso tem de estar muito bem sustentado cientificamente, uma vez que contraria o que vem sendo admitido nesta área. Não significa que esteja errado, mas tem de ser analisado com cuidado. No caso do IVH, é verdade que o coito vaginal não é a principal via de transmissão, mas quem é que garante que as mucosas são saudáveis? A mucosa vaginal não é um epitélio impermeável, e desde que haja vírus, existe uma hipótese de contágio. Por mais benefícios que não usar preservativo possa ter - e é verdade que são conhecidas partículas benéficas como as anti-inflamatórias - os riscos parecem-me demasiado grandes para desaconselhar em algum caso o seu uso.

A espécie humana está construída para que o método de eleição da sexualidade seja o coito vaginal, é natural que esta via esteja naturalmente melhor estruturada. Mas a homossexualidade não é uma escolha.

Em relação à masturbação, cabe-me dizer que também são conhecidos efeitos benéficos. Para um homem ou mulher sem parceiro, pode aliviar a tensão sexual. E isso faz certamente bem à mente.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 00:53 | link do post | comentar

Segunda-feira, 03.08.09

 Humor no sexo

 

1) Tenho 20 anos e ainda não tive relações sexuais porque gostaria que a 1ª vez fosse com um namorado fixo. O que acha?

R: A minha 1ª vez também foi com um namorado fixo. Amarrei-o à cama.

2) Eu e o meu marido vivemos longe um do outro por razões profissionais e só podemos estar juntos ao fim de semana. O fogo é tanto que eu fico exausta e nem consigo arrumar a casa à segunda-feira. Como fazer?
R: Arrume na terça.

3) Tenho um amigo que quer fazer sexo comigo, mas ele tem um pénis de 24 cm. Acho que vai ser doloroso, o que fazer?
R: Mande para cá que eu testo por si.

4) Como faço para seduzir o rapaz que eu amo?
R: Tire a roupa.

5) Terminei com o meu ex porque ele era muito chato e agora estou com outro, ele também é chato mas gosto dele, só que também gosto do ex e às vezes ainda fico com ele, quer dizer, são chatos mas gosto de ambos! O que devo fazer?
R: Quer saber quem é mesmo chato nesta história?...

6) Quero saber como enlouquecer um homem só nos preliminares.

R: Mostre umas fotos de uns BMW.

7) Eu desejo tanto o meu namorado que atinjo o orgasmo só de olhar para ele. Como posso evitar que isto aconteça?
R: Não olhe.

8) Como hei-de escolher entre dois homens que me atraem? 
R: Fique logo com os dois. Gente complicada...
 
9) Sou feia, pobre e chata. O que devo fazer para alguém gostar de mim?
R: Ficar bonita, rica e simpática. Obviamente!

10) Eu não sou bonita nem sei ser sedutora, mas tenho um corpo que atrai os olhares de todos os rapazes. O que fazer para conseguir comer alguns gatos tendo em conta que tenho 13 anos?
R: Nesta idade você tem que comer é Nestum, entende?

11) Sou virgem e aconteceu-me, pela primeira vez, fazer sexo oral. Acabei por engolir aquilo e quero saber se corro o risco de ficar grávida. Estou desesperada!
R: Claro que corre o risco de ficar grávida. E a criança vai sair pela boca, lógico!

12) A primeira vez dói? Tenho 23 anos e ainda não tive sexo porque tenho medo de doer e não aguentar.
R: Dói tanto que você vai ficar em coma e NUNCA mais se vai levantar. Veja se deixa de ser fresca, Cinderela!
 
Via Fazer humor



publicado por olhar para o mundo às 20:50 | link do post | comentar | ver comentários (9)

Quarta-feira, 29.07.09

 Mulheres inteligentes tem mais orgasmos

 

As mulheres com maior habilidade para identificar e expressar os próprios sentimentos e perceber os de outras pessoas têm mais orgasmos, sugeriu um estudo realizado com gêmeos na Grã-Bretanha. Os pesquisadores do King's College de Londres entregaram a 2.035 mulheres pertencentes a grupos de gêmeas, com idades entre 18 e 83 anos, questionários para saber detalhes sobre seu comportamento sexual e desempenho na cama. Havia ainda perguntas com o objetivo de testar sua "inteligência emocional".

 

Até um terço das mulheres achavam difícil ou impossível atingir o clímax durante o sexo.

 

"Inteligência emocional parece ter um impacto direto na função sexual das mulheres ao influenciar a habilidade delas para comunicar suas expectativas e desejos sexuais ao parceiro", disse Andrea Burri, líder do estudo.

 

O diretor do Departamento de Pesquisa com Gêmeos do King's College de Londres e co-autor da pesquisa, Tim Spector, disse: "Inteligência emocional é uma vantagem em vários aspectos da vida, inclusive no quarto."

 

"Este estudo vai ajudar muito no desenvolvimento de terapias cognitivas e comportamentais para melhorar a vida sexual das mulheres", acrescentou.

 

A pesquisa foi publicada em The Journal of Sexual Medicine.

 

 

Via 24 horas news



publicado por olhar para o mundo às 19:26 | link do post | comentar

Sexta-feira, 17.07.09

Devagar

 

Você faz sexo normalmente, varia nas preliminares, inova nas posições, mas acha que o tempo na cama poderia ser um pouco maior. Listamos então oito dicas para você manter a cadência, curtir cada minuto e controlar - levando em conta suas características emocionais e físicas - a ereção.



1. CONTROLE EMOCIONAL
Surpreendentemente, a preferência feminina por preliminares longas não se resume à parte física. Pesquisadores da Universidade McGill (EUA) descobriram que a resposta à excitação física das mulheres pode ser tão rápida quanto a dos homens - mas depende também de estímulo emocional. Inspire-se no cinema e dê uma de Don Juan de Marco, transando apenas com um toque de mãos. "Tudo começa bem longe da cama. Uma postura e uma roupa atraentes, uma dança que permita um contato físico e um papo cheio de duplo sentido já é o começo de um sexo duradouro e intenso", diz o terapeuta sexual Carlos Eduardo Carrion, consultor da MH.

2. A ARTE DE DEGUSTAR
Tal como um especialista em vinhos que diferencia uma bebida ácida de outra mais aveludada, experimente cada parte do corpo da mulher, como um degustador. "Toque apenas para curtir o momento, sem a intenção de penetrar. O prazer da mulher é mantido enquanto você toca, beija, lambe, penetra, volta a beijar, tocar", sugere Carrion. Assim, mais controle e sensibilidade aguçada garantem um bom tempo na cama, sem pressa, como o provador de vinhos que saboreia cada taça.

3. EVOLUÇÃO SEXUAL
Nos últimos dez anos você mudou seu estilo, seu cabelo e seu gosto musical, mas suas técnicas sexuais provavelmente continuam as mesmas. Está na hora de evoluir e usar a técnica "tanque de areia", sugerida pela psicóloga sexual americana Patti Taylor. Felizmente, não há areia na questão. O tanque de areia é um período de tempo, digamos 15 minutos ou meia hora, quando parceiros concordam em focar em um ato bem limitado - como lamber apenas a base do pênis. "Não há expectativa de orgasmo, é pura descoberta. E é incrível o efeito que tem no relacionamento sexual. Casais que estão juntos há décadas descobrem novas maneiras de excitar um ao outro", diz Patti Taylor.

4. APOSTE NA INTIMIDADE
"O que a mulher mais valoriza no sexo é a intimidade presente no ato", indica a antropóloga Mirian Goldenberg, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Assim, preocupe-se em construir uma relação mais próxima e conectada nas atitudes do dia-a-dia. Em outras palavras, invista em cada olhar e cada palavra pronunciada. Deixe de ver o sexo apenas como uma ação prática. Na cama, mais que lençóis, pode haver muita intimidade entre você e ela.

5. AUMENTE A PRESSÃO
Imagine que você tem um revólver de água nas mãos. Ao bombeá-lo várias vezes, vai ver que não consegue mais do que umas gotas. Só depois de brincar bastante descobre que, com jeitinho, o equipamento atira mais longe. O orgasmo funciona de forma bem semelhante - quanto mais você se empenha rumo ao clímax, mais explosivo ele é. Para intensifi car seu orgasmo, você precisa saber voltar quando estiver quase lá. Aplicar um pouco de pressão dá resultado. Peça para sua parceira colocar os dedos na área entre os testículos e o ânus, pressionando a glândula da próstata. Você terá uma caminhada lenta como a de uma tartaruga, porém vencedora, ao invés de uma corrida desesperada como a de uma lebre.

6. GOZE!
Orgasmo simultâneo é o ponto mais sagrado do sexo. Muitas pessoas passam a vida sem chegar a essa experiência. A melhor forma de chegar a ele é caminhar lentamente, sem afobação. Uma dica é usar a técnica de alinhamento coital (TAC). Essa é a tradicional posição papai-mamãe, porém um pouco repaginada. Mantenha o peso do tronco sobre a parceira e movimente lentamente apenas sua pélvis. Coloque a parceira um pouco acima na cama para que seu osso púbico friccione levemente a região clitoriana da moça. O ponto é: com movimentos mais limitados você tem mais controle para coordenar seu orgasmo com o dela. E o resultado será incrível para vocês dois (e ruim para os vizinhos). Mas vale lembrar que a mulher pode até chegar ao clímax com você, mas não é isso que mais a atrai na transa, explica Mirian Goldenberg.

7. RELAXE
Você gastou anos para aperfeiçoar a técnica de chegar ao orgasmo em alta velocidade, com a ameaça iminente de sua mamãe bater na porta. Esse empenho aprimorado durante a adolescência signifi ca que seu corpo está treinado para correr e não para relaxar durante o sexo. Com isso, você não aproveita aquilo que os especialistas chamam de "orgasmo relaxante". Diferentemente do orgasmo com tensão, esse clímax normalmente dura mais. Parece bastante interessante, não? Tente fazer em casa: ao chegar perto do orgasmo, concentre-se em expirar pela boca, esvaziando totalmente os pulmões. Em seguida, inspire profundamente pelo nariz. Os homens costumam respirar pouco e rapidamente ao se aproximar do orgasmo, o que pode ser um erro. Praticar a respiração profunda pode criar o orgasmo relaxante - um clímax que atinge todo o corpo. E você vai constatar que valeu a pena esperar tanto por isso. Não que você não tenha se divertido na adolescência... 

 

Via Mens'health



publicado por olhar para o mundo às 16:01 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Sexo, A primeira vez da m...

Dia mundial do Beijo

Como nunca perder um orga...

Jeans é melhor que sexo.....

Desejo sexual 24 horas po...

Cuando la cama no basta

El esperma tiene 'la culp...

Orgasmos de alto riesgo

Dogging y Cancaneo

Cuando eyacular es imposi...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados