Terça-feira, 09.10.12

6 certezas sobre sexo que deve esquecer

Deixe as suas certezas sobre sexo para trás e aumente a temperatura na cama

Por vezes agarramo-nos a determinadas certezas, apesar destas serem antiquadas. Nunca dá por si a pensar que chegou a altura de pensar em algo novo? 

1ª certeza sobre sexo: Sexo bom dura horas e horas 
Correcção: Relações sexuais boas duram o tempo que queremos que durem. 

Pode ser uma “rapidinha” quando está à espera dos sogros e a adrenalina começa a correr nas veias. Permita que os desejos urgentes do seu parceiro, de possuí-la naquele preciso momento, a entusiasmem. Pode também ser uma maratona sexual no Domingo de manhã, na qual descobre zonas erógenas esquecidas e tenta todas as posições que conhece, e talvez até inventa umas novas. 

2ª certeza sobre sexo: o homem toma sempre a iniciativa
Correcção: Mulheres, assumam o controlo!

Normalmente, a iniciativa é sempre do mesmo parceiro. Na maioria dos casos, este parceiro é o homem, independentemente de quão emancipada ou excitada está a mulher. Os homens adoram que as mulheres assumam o controlo – sentem-se mais desejados e você sente-se mais confiante, o que vai, sem sombra de dúvida, elevar a temperatura no quarto (ou no WC, sofá, balcão da cozinha...).

3ª certeza sobre sexo: cada um dos parceiros investe 50% de esforço na elação sexual
Correcção: Isto deve aplicar-se ao balanço anual, mas cada pessoa deve investir aquilo que lhe apetece nesse momento.

Isto significa que se o seu parceiro está cansado, deixe-o descansar e render-se ao prazer, enquanto o mima. Quem sabe se essa razão 20-80% não aumenta o seu prazer para 150%.

4ª certeza sobre sexo: Relação sexual é o coito
Correcção: Relação sexual pode ser tudo.

Quando chegamos ao coito, a “verdadeira relação sexual”, sentimos que o prazer que obtemos num simples beijo ou carícias é só para “principiantes”. Ainda se lembra de como gostou de se conhecer, em termos sexuais? Talvez deva aprender algo com os “principiantes”: esteja completamente presente em cada beijo, em cada toque, quando estiver a saboreá-los, sem se apressar para o derradeiro objectivo – o orgasmo.

5ª certeza sobre sexo: as fantasias são privadas
Correcção: Também pode contar as suas fantasias ao seu companheiro. Podem partilhar fantasias ou realizá-las juntos.

Partilhar fantasias vai estimular o vosso desejo sexual e criar sentimentos ainda mais fortes de confiança e proximidade. Ver um filme erótico ou ler literatura erótica juntos pode ser um bom começo, e depois podem criar os vossos próprios guiões eróticos.

6ª certeza sobre sexo: quando se conhece bem o parceiro, sabe-se “em que botões carregar” 
Correcção: A menos que tenha uma relação com um robot, tudo pode mudar.

Mesmo que pense que conhece o seu parceiro por dentro e por fora, continue a explorar as zonas erógenas do seu corpo e as mudanças nos seus desejos, à medida que os anos passam. Descubram-se novamente e os vossos laços serão fortificados – mesmo fora do quarto.

 

Noticia do Sapo Mulher



publicado por olhar para o mundo às 08:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 08.10.12

Não finja que está a gostar!

 

Pode sair-lhe caro

 

Se fingir que fica excitada com algo que não a excita durante a relação sexual, em breve o sexo vai transformar-se num pesadelo. Exprima os seus desejos! 

Tem de revelar os seus desejos ao seu parceiro

 

O objectivo do bom sexo é deixar-se levar e ter em conta os desejos do seu parceiro, sendo que o seu parceiro tem também em conta os seus desejos e faz tudo o que a excita. É por isso que não é boa ideia ficar em silêncio e pensar que o seu parceiro vai achar que os seus desejos são estranhos ou que a vai julgar. As mulheres costumam ter mais problemas com este tipo de situações. 

Têm medo que os homens passem a vê-las como prostitutas, o que implica que não as vejam como futuras esposas. Esta situação é naturalmente indesejável porque as priva de ter prazer e faz com que passem a sentir que falta sempre algo no sexo. Por outro lado, os homens têm medo que as suas parceiras digam que não, que achem que os seus desejos são depravados ou que reajam mal. 

É sempre importante falar sobre estas questões e é por isso que aconselhamos que mostre, assim que possível, e de forma amável e agradável, o que quer, o que gostava de experimentar, o que acha que falta fazer e quais são as suas fantasias. Mesmo que a reacção inicial seja algo turbulenta, não desista e continue a explicar, ou então espere por uma ocasião mais apropriada, encarando a partilha dos seus desejos de forma diferente. 

Os preconceitos devem ser deixados à porta do quarto

 

A maioria dos preconceitos são completamente desnecessários e provavelmente vão rir-se deles mais tarde. São apenas fruto da sua imaginação e deixarão de existir se falar honestamente sobre eles com o seu parceiro. As mulheres são normalmente preconceituosas em relação ao sexo anal, esperma, garganta funda, sexo mais brusco e alguma dominação marota, por exemplo. 

Os homens não sabem como exprimir estes desejos adequadamente e por isso não os revelam, tornando-se muitas vezes infelizes e insatisfeitos com a sua vida sexual. Caros senhores, um dos maiores erros que podem cometer é trair a vossa parceira só por estarem convencidos que ela não gostaria de experimentar certas coisas. Deve perguntar-se primeiro se chegou alguma vez a dizer-lhe o que quer fazer. 

Se já o fez, analise a forma como lhe perguntou. Foi suficientemente persistente, fez as coisas certas sem a forçar a nada? Uma palavra gentil resulta sempre bem, só tem de ser paciente, especialmente se a sua parceira não for muito experiente neste tipo de assuntos ou um pouco conservadora. 

Tácticas para realizar os seus desejos mais secretos

 

Comece com uma abordagem astuta e assim não vai insultar a sua parceira, para que ela não ache que está insatisfeito com a sua vida sexual e que só consegue satisfazer-se através das suas fantasias. Também aconselhamos as mulheres a não seguirem essas linhas de raciocínio para não ficarem com a sensação que os seus parceiros já não têm interesse no sexo normal e que só ficam excitados com as coisas que ainda não fizeram com eles. 

Caras senhoras, não se trata disso; o conceito é semelhante ao da sobremesa, um ingrediente adicional para apimentar o sexo. Estas são coisas que os vossos parceiros gostam e que as querem fazer ocasionalmente. O mesmo também se aplica a si. Deve falar ao seu parceiro sobre os seus desejos e não tenha medo que ele a passe a olhar para si da forma errada. Por exemplo, diga-lhe que quer que lhe faça mais sexo oral, estendendo-o ao ânus, que gostava de experimentar sexo em público e muito mais. Não tenha vergonha dos seus desejos. 

Não os reprima e comece a fantasiar com outra pessoa. O seu parceiro só pode realizar os seus desejos se os revelar. Como já dissemos anteriormente, revelar os seus desejos exige paciência e uma abordagem e experimentação gradual. É melhor deixar que as coisas aconteçam espontaneamente e no calor da paixão. 


Retirado de Sapo Mulher



publicado por olhar para o mundo às 18:53 | link do post | comentar

Segunda-feira, 17.09.12

Dicas para quem gosta de rapidinhas

Saber como utilizar o tempo que possui é um dos segredos para manter a chama da paixão sempre acesa

Apesar das preliminares serem muito importantes para muitas pessoas, a famosa "rapidinha" pode esquentar - e muito - a relação do casal.

Pesquisas mostram que a maioria das mulheres prefere uma transa que dure pelo menos 15 minutos. Mas, não é porque você está sem tempo para se dedicar ao seu parceiro que o sexo precisa ser excluído de sua vida. Saber como utilizar o tempo que possui é o segredo para manter a chama da paixão sempre acesa.

O bom da "rapidinha" é ser justamente sem compromisso. Não existe aquilo de hora e nem local marcado. Deu vontade? Então faça.

Confira a seguir alguns truques listados pela revista "Health", que pode estimular ainda mais a sua vida sexual, mesmo com o pouco tempo que tem.

Beije bastante

Dar uns amassos vai ajudar a deixá-lo ligado mais rapidamente. “Beijar acelera o processo de excitação, pois acorda o sistema nervoso, bem como o endocrinológico, que produz os hormônios do tesão”, afirma a terapeuta sexual Patty Britton. O beijo também aumenta a intimidade na rapidinha.

Mantenha suas roupas
Por que desperdiçar minutos preciosos para tirar a roupa? Além disso, ficar coberto pode ser uma grande provocação. “É primordial e animalesco, como se você estivesse muito desesperado para ter o outro ali e agora”, explica Joel Block, psicólogo e especialista em relacionamentos.

Mude o local
Cinco minutos de posição papai e mamãe na sua cama provavelmente não vai fazer você chegar lá. Mas, em cinco minutos no chuveiro? Ou na mesa da cozinha? “A novidade de transar em um lugar diferente e inusitado aumenta a excitação, especialmente quando há o risco de ser pego”, explica Block. Mesmo se não há ninguém por perto, fazer sexo em um local não convencional ajuda a criar a sensação emocionante que alguém poderia entrar a qualquer momento.

Deixe a imaginação fluir
Quando você está tentando entrar no clima o mais rápido possível, o seu cérebro pode ajudar e muito. “Fantasiar estimula uma resposta fisiológica sexual porque o seu corpo replica o que ele está prevendo em seu cérebro”, diz Britton. Então, mesmo se você estiver em sua cama, finja que está fazendo isso em uma praia tropical.

Narre a ação
Se comunicar durante o ato permite que você fique focado na transa e pode ajudar na excitação. Então, compartilhe com o seu parceiro o desenrolar da ação. É uma maneira bastante simples e acelera rapidamente o prazer.

 

Retirado de Band



publicado por olhar para o mundo às 20:44 | link do post | comentar

Segunda-feira, 09.04.12

Faça seu próprio vídeo erótico

No grande e delicioso universo erótico, podemos encontrar de tudo, acessórios, livros e os "tradicionais" filmes de sexo explícito, com público cativo a diversas gerações. Quem é que não se motivou para valer com as cenas quentes desses filmes? Enfim, é divertido e excitante.

 

E se você já tinha se imaginado como estrela desse show, agora você pode produzir seu filme apimentado onde quiser e nós damos algumas dicas de quem entende.

 

É importante se preocupar com a iluminação e pense se vai querer mostrar o rosto, e o mais importante, quem terá acesso a esse vídeo e se a produção será exibida na internet. Se seu parceiro realmente for de sua total confiança é outro fator importante.

 

A produtora de vídeos eróticos e ex-BBB Mayara Medeiros esteve na Erotika Fair que aconteceu em março e comentou sobre essas e outras dicas muito importantes. Afinal de contas esse vídeo tem o objetivo de divertir e tornar a sua vida sexual mais divertida. Ele não pode nem deve ser fonte de estresse.

 

Prefira uma meia luz para dar um clima mais sensual às imagens ou ilumine mais o local próximo à câmera. O cenário do sei vídeo erótico caseiro pode ser qualquer cômodo da casa, além do quarto, pode até ser a sala, ou até mesmo uma mesa de escritório. Porém, pense em produzir no capricho, você pode jogar um lenço vermelho ou roxo sobre um abajur e montar seu script e figurino.

 

Abuse do charme e ousadia, e imite uma estrela pornô, assista alguns filmes para se inspirar e se solte. O up na vida afetiva e sexual é garantido. Uma sugestão nossa é copiar uma cena de filme que você tenha gostado. Faça de surpresa, é claro.

 

Seu gato pode ter um papel definido, você que será roteirista, diretora e produtora é que manda. O objetivo é brincar, portanto, não exponha marcas e logotipos de produtos, e preferencialmente, arquive isso fora do computador, num cd, ou num pendrive, ou ainda no seu celular. Prive pela tranqüilidade e segurança.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 23:56 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21.03.12

Sexo e prazer sem pudores

Tem dúvidas sobre um dos maiores prazeres da vida? Nós respondemos a algumas perguntas "proibidas"

 

Que mulher não tem uma série de dúvidas sobre sexo e alguma vergonha de perguntar? Isso é normal. Mas estas interrogações não podem significar um obstáculo ao prazer. “Quanto mais a mulher conhecer o seu corpo, mais fácil será explorar a sua própria sexualidade”, diz a psiquiatra Carla Gil.

 

1. Sou muito tímida para pedir o que quero na cama. Como encontrar a forma certa de o dizer?

A melhor maneira de expressar os seus desejos é a subtileza. “Em vez de dizer ao parceiro que quer ser beijada no pescoço, por exemplo, ofereça-lhe o pescoço! Quando ele começar, incentive-o a continuar”, sugere Nelma Penteado, professora de artes sensuais.

 

2. É normal as mulheres se masturbarem?

Completamente normal. “A masturbação é importante para a mulher descobrir em que partes do seu corpo sente mais prazer”, explica o sexólogo Carlos Borges.A masturbação não tem de incluir a penetração de objectos, como um vibrador, ou do dedo. Basta dar prazer à mulher.

 

3. Sinto dor nas relações. O meu médico diz que não tenho nada fisicamente. Porque me dói?

Pode ter vaginismo, uma contracção da musculatura da vagina, que impede a entrada do pénis. Ao forçar a penetração, o homem provoca a dor. Também pode ser falta de lubrificação, por causas físicas (problema hormonal) ou psicológicas.

 

4. As grávidas podem fazer sexo normalmente?

Desde que não seja uma gravidez considerada de risco, a mulher pode fazer sexo normalmente. Caso a futura mamã sinta contracções no final da gravidez, é melhor evitar o ato sexual. No entanto, se ela e o bebé estão de perfeita saúde e o médico autorizar, é possível ter sexo.

 

5. O meu parceiro ejacula rapidamente. Como faço para prolongar esse tempo?

Quando o homem ejacula antes dos cinco minutos de penetração e não consegue controlar esse impulso, é possível que ele tenha ejaculação precoce. Geralmente, isso é causado por factores psicológicos como ansiedade ou trauma sexual na infância e deve ser tratado por psicólogos especializados.

6. Que doenças da terceira idade podem prejudicar a minha vida sexual?


De acordo com Anne Hooper alguns distúrbios nessa faixa etária podem comprometer a relação sexual. Entre eles, estão a artrite, que ataca as articulações e prejudica a mobilidade durante a relação sexual. Outros inimigos  são as diabetes, que podem provocar infecções vagina e vulva, caso não seja tratado adequadamente. Nos homens, as diabetes podem causar impotência.

 

7. Quais são as fantasias que as mulheres querem realizar

Um estudo realizado pela terapeuta sexual americana Gina Ogden mostrou quais são as fantasias que as mulheres mais desejam realizar. Elas são:

1 Fazer sexo com um ator, cantor ou outro homem lindo e famoso.

2 Ser dominada pelo parceiro durante o ato sexual.

3 Ser amarrada pelo parceiro durante a relação.

4 Sexo com alguém proibido, como o cunhado ou o vizinho.

5 Sexo com algum professor ou com um aluno.

6 Cenários românticos, como sexo numa praia ao luar.

7 Experimentar o acto sexual com outras mulheres.

8 Fazer sexo com sentimentos profundos envolvidos.

9 Sexo em locais perigosos, que aumentam a emoção.

10 Usar brinquedos sexuais, como vibradores.

 

8. Costumo pensar noutros homens para ter um orgasmo. Depois sinto culpa. Fantasiar é igual a trair?

Fantasias ajudam o casal a não cair na rotina. Mas, se as encara como traição, isso indica que se sente insatisfeita na relação.

 

9. Devo fingir orgasmo para satisfazer o meu marido?

Esse é um conflito comum para muitas mulheres. Elas preferem fingir um orgasmo a admitir que não tiveram prazer. Uma solução é parar de fingir e pedir ao parceiro carícias que facilitem o seu orgasmo.

 

10. Em que lugar da vagina a mulher sente maior prazer?

É no famoso ponto G, aquele tal que promete orgasmos intensos e maravilhosos. Ele fica atrás do osso púbico, dentro da parede da vagina. Pode encontrá-lo explorando a vagina com o dedo ou com toques do parceiro.

 

11. Porque é que a vagina faz uns barulhos estranhos?

Porque o movimento do pénis faz entrar e sair ar da vagina. Isso é normal, mas, se o barulho for escandaloso, opte pelo bom humor. Se quiser evitar esse ruído estranho, faça sexo na posição de concha.

 

12. O que fazer se o meu parceiro falhar na cama?

Seja carinhosa. “Trate a situação com naturalidade”, ensina Carla Gil. Beije-o, abrace-o, puxe outro assunto. A excitação voltará naturalmente e podem recomeçar a folia com mais fôlego.

 

13. Sinto mais prazer nos preliminares do que no acto. É normal?

É sim. Nos preliminares, o casal descobre os pontos sensíveis um do outro. “As pessoas acham que a penetração é a parte mais importante, mas é só mais uma etapa”, explica Carla Gil.

 

14. Há problema em fazer sexo menstruada?

A menstruação não  deve atrapalhar em nada. “A maioria dos homens não sente nojo. A mulher é que acha anti-higiénico”, afirma Carla Gil. Agora, se o seu parceiro se sente desconfortável com o facto, que tal convidá-lo para uma sessão de prazer debaixo do chuveiro?

 

15. Tenho vergonha de receber e fazer sexo oral, mas queria experimentar. Como?

Que tal começar por brincar? Pode ser com chantily (ou mel), por exemplo. Passe-o nas partes do seu corpo em que gostaria de ser excitada e deixe a língua do seu parceiro fazer o resto. Vá só até onde quiser.

 

16. Invejo uma amiga que diz sentir muito prazer com o sexo anal. Como obter esse prazer?

É uma questão de exercício. A região anal proporciona prazer, porque é uma zona erógena. Mas como não tem lubrificação natural, alguns vasos da entrada do ânus podem romper com a penetração e provocar sangramento e dor. Para evitar isso, use lubrificantes e relaxe durante a penetração.

 

17. Adoro sexo com o meu parceiro, mas só chego ao orgasmo quando me masturbo. Como mudar isso?

Algumas mulheres não atingem o orgasmo com a penetração. “Isso acontece porque o clitóris fica afastado  da entrada da vagina, não permitindo a sua estimulação pelo pénis”. Neste caso, o parceiro deve estimulá-lo com a mão. Mas isso também pode ser um bloqueio emocional. Há mulheres que não conseguem entregar-se de corpo e alma ao acto sexual.

 

18. Tenho vontade de experimentar o sexo oral simultâneo, mas não sei se o meu marido quer. Como sugerir-lhe isso?

Não sugira. A cama não é uma área para travar debates, e sim um local de prazer onde, em princípio, deve acontecer tudo o que o casal desejar. Se  está com vontade de experimentar um 69,  dê o primeiro passo e deixar as coisas acontecerem.

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 22:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 23.01.12
Se o casal só tem prazer no sexo em locais públicos, isso pode indicar algum problema, diz especialista / Hidden/Sxc.hu

 

Psicóloga e terapeuta sexual explica por que alguns casais gostam de fazer sexo em lugares públicos

O ditado popular "o que é proibido é mais gostoso" é utilizado pela maioria dos casais que gostam de inovar a relação sexual, passar por aventuras ou até mesmo acreditam que não conseguem segurar o tesão. Porém, até que ponto fazer sexo em lugares públicos é saudável?

 

Tem quem ache que transar na cama é melhor, por outro lado, outros se sentem excitados por saber que podem ser descobertos a qualquer momento. Segundo a psicóloga e terapeuta sexual Adriana Visioli, muitos consideram o sexo em locais públicos mais prazeroso por conta da adrenalina, pela possibilidade de serem flagrados ou até mesmo correrem risco.

 

"Outro motivo também muito comum nesses casos é pelo momento em que o casal se encontra, quando o desejo sexual e a excitação tomam conta, e pelo impulso acabam tendo relação sexual ali mesmo, seja no carro, no banheiro de uma festa, ou em qualquer outro lugar", explica.

 

A favor

 

O programador Adriano Ribeiro, de 26 anos, revela que já transou na escada de um prédio, ônibus de viagem, piscina, praia, estacionamento de shopping, mas que a sua vontade é de experimentar no vagão do metrô. “Todos os lugares que fiz foi porque tive vontade e no momento não tinha outro lugar”.

 

Entretanto, para a especialista, o perfil psicológico do casal que se submete a fazer sexo podendo ser flagrado por alguém é, geralmente, formado por aqueles que são exibicionistas ou até mesmo que sentem mais prazer com outras pessoas assistindo.

 

A analista de Recursos Humanos Janine Alves, de 24 anos, confirma a afirmação da especialista. “A primeira vez que transei em lugar público foi dentro de um ônibus na volta de um parque de diversões, justamente pela sensação de poder ser descoberta e ouvida”, revela. 

 

Obsessão 

 

Para a advogada Larissa Rodrigues, de 23 anos, a adrenalina e a possibilidade do flagra deixam o sexo mais divertido. 

 

Entretanto, de acordo com a terapeuta é preciso avaliar até que ponto essa vontade influencia o sexo do casal. Se a vontade de fazer sexo só acontecer quando estiverem em local público, isso pode significar que algo deve estar errado. 

 

O comportamento pode se tornar uma obsessão. “Um exemplo é quando começa a ser prejudicial para a vida do casal, pode ser desde socialmente como também no próprio relacionamento, e mesmo assim não conseguem parar com este comportamento sexual", esclarece.

 

 

Contra sexo em locais públicos

 

Mas há quem seja contra. Para a estudante Marília Casari, de 19 anos, sexo deve ser feito somente com privacidade “Ninguém precisa ver o que rola entre ambos. É uma ‘entregação’ do casal, um momento especial. Não vejo sentido algum em fazer em lugares públicos, pois é uma coisa íntima”, defende.

 

Já Juliana Gama, de 23 anos, considera a atitude uma falta de respeito com a população. “Acima de tudo, acredito que a penalidade de atentado ao pudor deveria ser mais rigorosa”.

 

O jovem Gustavo Mendonça engrossa o coro. Ele acredita que transar em público é ‘coisa’ de quem quer aparecer. “A pessoa torna o ato público e tira o momento especial do casal”.

 

Casal 

 

A psicóloga Adriana diz que é primordial para a intimidade de um relacionamento que o casal compartilhe fantasias. Seja em lugares diferentes ou maneiras diferentes. O importante é não se acomodar e não cair na rotina.

 

Porém, é preciso respeitar os desejos do parceiro. Segundo a terapeuta, o que pode ser prazeroso para alguns, pode ser um experiência desconfortável para outros. "É importante compartilhar fantasias entre o casal, mas também é necessário respeitar os limites de cada um", finaliza.

 

Crime 

 

Os casais mais animados, que gostam de ter experiências sexuais em lugares públicos, devem se lembrar que a atitude é crime. O advogado Mauro César Bullara Arjona diz que a pessoa que flagar um casal praticando ato obsceno pode chamar a polícia. "Quem faz sexo em local público pode responder por ato obsceno, artigo 233 do Código Penal, e serem condenados de três meses a um ano".

 

Mauro diz ainda que "a vítima, deve chamar a polícia e, se houver detenção em flagrante, deve acompanhar os policiais a delegacia para também prestar seu depoimento”.

 

“A pessoa poderá responder pelo crime de ato obsceno, mas por se tratar de crime de pequeno potencial ofensivo não será preso e aguardará o julgamento em liberdade, o qual pode não ocorrer caso o Ministério Público faça acordo com os acusados para a aplicação antecipada de pena não privativa de liberdade, ou seja, prisão”, conclui o advogado.

 

Via Band



publicado por olhar para o mundo às 18:38 | link do post | comentar

Sexta-feira, 02.09.11
Tracey Cox lista os erros sexuais mais comuns

 

 

A consultora de sexo Tracey Cox, conhecida aqui no Brasil por apresentar o programa "Inspetores do Sexo", lança o livro "Consultório Sexual" que traz dicas bem picantes para você esquentar a relação de vez.

 

Para os solteiros, a autora mostra que é possível ter uma vida sexual mais proveitosa e não se prender a antigos paradigmas.

Encontrar o príncipe encantado é o desejo de grande parte das mulheres, no entanto, criar expectativas exageradas sobre os relacionamentos amorosos e sexuais podem trazer frustração. Se você acha que nada está dando certo e decidiu abandonar a procura, não se desespere. Talvez poucos conselhos sejam suficientes para te colocar em campo novamente e, dessa vez, sem errar!

 

No livro, Tracey lista os erros mais cometidos e ainda ensina como deixar a relação mais prazerosa. Abaixo nós separamos algumas dessas gafes para você não fazer feio na hora H.

 

Ele 


Achar que têm um impulso sexual mais forte que o feminino
Achar que as mulheres querem sexo carinhoso em vez de sexo selvagem
Continuar apegados ao mito de que as mulheres só chegam ao orgasmo com penetração
Achar que as mulheres não são tão sacanas quanto eles
Pensar que todas as mulheres querem pênis enormes
Achar que a parceira vai ficar impressionada se houver muitas trocas de posição durante a transa

 

Ela 
Pensar que os homens estão sempre prontos e que sempre querem fazer sexo
Achar que a transa acabou depois que ele tiver ejaculado
Ficar preocupada demais com o próprio corpo durante a transa
Não perceber que sexo é mais do que só sexo para os homens

Não orientar o parceiro sobre como deve tocar o seu corpo
Reagir com escândalo sempre que ele sugereexperimentar qualquer novidade

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 09:26 | link do post | comentar

Domingo, 19.06.11

12 Segredos para melhores orgasmos femininos

 

Muitas andam tristes, pois acham que tem problemas para atingir o orgasmo. Algumas até sentemobrigadas a fingir na cama. Mas isso pode ser apenas questão de deixar as pressões de lado e utilizar a técnica certa. Aprenda aqui algumas infalíveis, sem injeções no ponto G ou implantar um chip, que envolvem conhecer os músculos, treinar o corpo facilmente, etc. Mas lembre-se, se você é brasileira, já é um bom começo

Tratamento faz mulher ter orgasmos por horas

1. Acerte os pontos quentes

Uma posição de fricção pode ajudar você a chegar ao orgasmo durante a relação. A mulher deve ficar acima para que o clitóris toque o osso pubiano do parceiro. Ou ela deve deitar-se de costas com um travesseiro sobre as nádegas. Elas podem até tentar utilizar um vibrador durante a relação, diz a Ph.D Laura Berman, professora de obstetrícia da Northwestern University (EUA).

- 9 Surpreendentes razões pelas quais você não tem feito sexo

2. Diga como se faz

“Os homens querem instruções”, disse Laura. Ela deve dizer se ele está no caminho certo, seja falando que está ótimo ou gemendo.

3. Aprenda sobre si

Você não pode dizer como se faz se você não sabe o que a excita. “Para fazer um treinamento corporal para ser orgástica, você deve masturbar-se”, disse Danielle Cavallucci, uma treinadora sexual da empresa de informações sexuais Sexuality Source.

4. Exercite a musculatura do orgasmo

“Os exercícios de Kegel são os clássicos para as mulheres que querem transformar orgasmos fracos em fabulosos”, disse a educadora sexual Dorian Solot. Para localizar esta musculatura na pélvis você deve parar, durante o ato de urinar, nomeio do caminho. Então os exercite enrijecendo-os e soltando (quando você não estiver urinando). Faça isso todos os dias, várias vezes ao dia. Não se esqueça de continuar respirando enquanto aperta a musculatura.

6 Maneiras de melhorar a vida sexual da mulher

5. Se arrisque

Pesquisas mostram que assumir comportamentos que busquem “adrenalina” juntos (seja escalar paredões ou apenas assistir um filme assustador) estimulam a dopamina no cérebro, o que faz com que seus fluídos circulem.

 

6. Atrase o prazer

“Quanto mais longo o período de excitação, maior a explosão”, disse Dorian. Chegue próxima do orgasmo e então retorne ao “banho Maria”. Repita isso algumas vezes antes do clímax.

7. Respirar em uníssono

Sexo tantra pode soar meio new age, mas seu princípio principal — focado na respiração — pode aumentar seu prazer. Parceiros que respiram simultaneamente podem frear a pressa do orgasmo e criar uma maior expectativa, o que pode intensificar o prazer.

8. Filmes eróticos

Pornografia é exclusivamente sobre grandes pênis e gargantas profundas. No entanto os livros e filmes eróticos podem ter bom gosto e ser excitantes, e quanto mais excitada, melhores as chances de orgasmo. Dê preferência para os filmes que tenham uma trama e cenas quentes.

9. Tente preliminares criativas

Se seu (a) parceiro leva mais tempo para “esquentar” adiante-se ao enviar e-mails ou mensagens de texto sensuais (mas não muito gráficas, pois os e-mails não são necessariamente privativos).

10.Verifique seus medicamentos

As mulheres tem maiores chances de tomarem antidepressivos, que podem atingir a vida sexual. Se estiver tendo problemas converse com seu médico sobre seus medicamentos.

11. Procure ajuda cedo

Se você não tem orgasmos, conselhos de um (a) profissional podem ajudar. Danos em nervos ou baixa testosterona podem ser o problema. Apenas “seu médico (a) pode fazer uma análise médica”, disse Laura, “ou pense em fatores da relação” e procure um terapeuta sexual.

12. Relaxe

Em um estudo recente feito na França com mais de 500 mulheres, 70% disse que estresse no trabalho comprometia a libido. E baixa libido, obviamente, leva a menores chances de orgasmo. Portanto deixe as distrações da vida na porta do seu quarto.

 

Via HypScience



publicado por olhar para o mundo às 21:47 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Domingo, 03.04.11

Fantasia sexual

 

Uma das maneiras mais gostosas e interessantes de se apimentar a relação é fazer uso das fantasias sexuais. O objetivo é liberar a criatividade do casal, colocando um fim na rotina, além de ajudar muito a mulher a descobrir sua sensualidade, colocando para fora a deusa do sexo existente em toda mulher.

O que é uma fantasia sexual? A fantasia sexual pode ser entendida como sendo um conjunto de imaginações referentes a sexo que trazem estímulos para o prazer. São representações mentais, em que a pessoa se vê protagonista de situações que a estimulam e despertam os seus desejos mais ardentes.

Segundo Joseph LoPiccolo, autor do livro “Descobrindo o Prazer”: “A fantasia sexual é um meio de envolver o corpo e a mente para o prazer sexual”. Por que é bom ter fantasias sexuais? São indispensáveis para a relação, pois têm grande capacidade afrodisíaca e servem de estimulantes para a relação sexual.

As fantasias sexuais ajudam a potencializar a sexualidade trazendo formas novas de viver a relação; ajuda na busca de um prazer maior; estimula as idéias sobre situações; ajuda no modo de se produzir tornando-se mais atraente e se sentindo mais segura. Tudo isso acaba melhorando a auto-estima do casal. Eles se tornam cúmplices um do outro e se tornam cada vez mais íntimos, melhorando muito o relacionamento.

Segundo especialistas, as fantasias sexuais quando bem aproveitadas ajudam a desenvolver a sexualidade e permitem que as pessoas desafiem tabus.

Segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana (SBRASH), com 200 homens e 832 mulheres entre 16 e 59 anos, todos têm fantasias sexuais. É inerente ao ser humano, independente de idade. São reflexos saudáveis das necessidades e desejos não satisfeitos por imposições e repressões de uma sociedade conservadora.

Geralmente as fantasias masculinas dão ênfase ao contato erótico e na relação sexual em si. As fantasias que traduzem o desejo de sexo são as preferidas pelos homens. E traduzem sempre a afirmação da masculinidade, ou seja, “o ser bom de cama” , “o máximo”.

Segundo a pesquisa feita pela SBRASH, as fantasias preferidas dos homens são:
- Transar com duas mulheres ao mesmo tempo; (47%)
- Fazer sexo com mulheres famosas; (21%)
- Fazer sexo em grupo;(12%)

Enquanto o homem se excita com algo que se relacione diretamente com o sexo e o poder masculino, a mulher é mais romântica, ela vai ligar a fantasia a lugares e situações românticas.

Mesmo a mulher bem sucedida profissionalmente, a mulher moderna, deseja ser amada e se imagina em situações cheias de amor e desejo. Geralmente as fantasias femininas dizem respeito aos respectivos parceiros. Até nas fantasias as mulheres são mais fiéis aos sentimentos.

A pesquisa revelou que as principais fantasias femininas são:
- Fazer sexo em lugar romântico (cabana, praia, lago) – 36%
- Fazer sexo com homens famosos – 24%
- Fazer sexo dominada pelo parceiro – 13%

Não importa qual seja a sua fantasia, o importante é respeitar seus limites. Se o casal estiver bem sintonizado a fantasia vai funcionar muito bem. Agora se o parceiro ou parceira não concordam, pode ser frustrante. Por isso o casal precisa estar sempre dialogando sobre o que é bom para os dois, inclusive o local para realização da fantasia.

Quando o assunto é sexo em lugar inusitado, o elevador é campeão. Embora haja situações mais apimentadas, também a prática cotidiana, como lugares diferentes na própria residência também podem ser uma ótima fantasia.

Não importa qual seja a sua fantasia sexual, o importante é vivê-la da melhor maneira possível.

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:07 | link do post | comentar

Domingo, 27.03.11

Parafílias

 

Sabem aqueles caras insuportáveis que entram em ônibus e vagão de trem/metrô lotados e estacionam atrás da gente prá ficar se roçando? Pois é. Pode ser apenas um cara que merece uns tabefes, como pode ser um cara que tem na verdade um transtorno psiquiátrico.

 

Imagine que o seu companheiro comece a insistir para que você se vista sempre de colegial, ou outras roupinhas de adolescente na hora da transa? Pode ser uma fantasia, algo para apimentar a relação, mas se ele começar a se comportar também como adolescente... hummm...

Ou então que comece a lhe assediar justamente na época da menstruação, e você perceba que a freqüência e intensidade das relações sexuais é maior justamente nessa época...

 

A linha entre o normal e o anormal é tênue, e vai naquilo que pode ou não interferir na vida da pessoa para além das quatro paredes, que interfere na vida social, nos relacionamentos em geral, no que ele sente, em como ela age, etc.

 

Em linhas gerais, podemos dizer que as parafilias ou transtornos de preferência sexual são distúrbios diretamente relacionados à "escolha" do objeto sexual. Não é uma situação esporádica : é uma necessidade para se chegar a uma determinada resposta sexual. A maioria dos praticantes da parafilia são os homens.

 

Uma pessoa que sofre de uma parafilia só consegue ter prazer sexual mesmo fazendo aquela prática específica, então ela cria situações onde aquilo ocorrerá. Não é apenas a ejaculação que conta, mas o real prazer, a satisfação.

Por isso existem sádicos que espancam de verdade, e fazem o inferno da vida da esposa, e masoquistas (tem muita mulher), que fica em relacionamentos ruins, por necessidade de sofrimento, acreditem, é de fundo sexual! Há uma troca mórbida em que uma pessoa doente pode induzir a doença no outro!!!!

 

Nas comunidades de internet podem haver doentes que agem como predadores, criando situações para satisfazer sua necessidade de satisfação. O consenso é tudo, é verdade, mas há de se ter cuidado com o limite da doença, da destruição da personalidade, dos limites, e até da lei!

 

Há vários tipos de parafilia. Muitas são aceitas pela sociedade pois não ferem os costumes nem outras pessoas.
Mostraremos aqui as características das mais conhecidas:

 

Fetichismo


Uso, ou fantasias de uso, de objetos inanimados com a finalidade de estímulo para a realização sexual; muitas vezes os objetos são extensões do corpo humano, como por exemplo, meias ou luvas. Mas cuidado, alguns podem ferir.

 

Exibicionismo


Exposição da genitália a estranhos, com o intuito de chocar. Geralmente é um homem heterossexual, muitas vezes casado e com uma vida sexual ativa. Pode gerar ações por atentado ao pudor.

 

Pedofilia


Preferência sexual por crianças pré-puberes ou no início da puberdade. Alguns autores estabelecem uma idade máxima de treze anos para a caracterização de pedofilia. O interesse pode ser por meninas, meninos, ou ambos. Se o comportamento é estabelecido por outra criança, ou um adolescente, deve-se tomar muito cuidado para estabelecer este diagnóstico, pois pode se tratar de um acontecimento isolado. As vezes este quadro também pode ser caracterizado como incestuoso.

 

Sadomasoquismo


Alguns autores dividem em quadro separados, sadismo e masoquismo, outros não. Envolve submissão e/ou inflição de dor, humilhação ou sofrimento. O sufocamento como forma de aumentar o prazer pode ser incluído como um comportamento sadomasoquista. O sufocamento se chama auto-asfixia erótica, e pode levar à morte não intencional; infelizmente já aconteceu algumas vezes... na alemanha uma mulher foi condenada por homicídio culposo de seu namorado.

 

Tranvestismo fetichista


Uso de roupas do sexo oposto para a obtenção de prazer sexual. Geralmente é um homem heterossexual, que após a masturbação ou o ato sexual desvencilha-se das roupas. Não deve ser confundido com o que popularmente chamamos de travesti, que é um homossexual que se veste de mulher com o intuito de atrair outros homens. Nem deve ser confundido, também, com transexual

 

Voyeurismo


Ato de observar, sem a anuência ou consentimento, uma pessoa despir-se, ou em atividade sexual. Geralmente é acompanhada de masturbação. Atitudes esparsas de voyeurismo na adolescência é comum e não deve ser considerada anormal. O uso de filmes ou revistas pornográficas para a excitação sexual, também não deve ser considerado patológico ou voyeur, tendo em vista que são confeccionados para esta finalidade. Existem pessoas que gostam de ser olhadas por voyeurs, em potencial, não verem quem as olha, mas permitir o olhar. É uma modalidade de parceria múltipla no ato sexual.

 

Zoofilia


Praticar sexo com animais é o que dá prazer aos praticantes da zoofilia. Assistir cópulas de animais também pode ser fator de excitação para eles. Em algumas regiões, principalmente nas rurais, é comum pessoas que mantém relacionamento com animais. A prática desaparece quando o indivíduo inicia um relacionamento com humanos. Existem clubes, legalizados, de zoofilia nos EUA. Já houve morte por danos aos órgãos internos, quando os auxiliares perderam o controle do animal (literalmente) que sodomizava um dos sócios.

 

Necrofilia


Os necrófilos são tidos, quase sempre, como psicóticos e sofrem desse distúrbio considerado grave. Eles só alcançam o prazer ao manter relações sexuais com cadáveres. As relações sexuais normais não interessam a eles. No Brasil existem relatos de aluguel de corpos em necrotérios e IMLs. Se é verdade, eu não sei...

 

Frotteurismo


Excitação advinda do ato de encostar os órgãos sexuais ou esfregá-los no corpo de pessoas desconhecidas em meio à multidão. Ocupa o 4º lugar na lista de incidência de pacientes em tratamento. Os safados dos ônibus e trens lotados, shows, etc...

 

Coprofilia


O indivíduo excita-se e obtém prazer através do contato com excrementos ou inalação de seu cheiro. Quando a estimulação erótica se dá através do cheiro da urina, pode ser chamada de renifleurismo; se a urina for ingerida, chama-se urofilia. Mais comum do que se pensa.

 

Acrotomofilia


Preferência por pessoas que tenham alguma parte de seus corpos amputada, pois a excitação é proporcionada justamente pela falta daquela parte. Quando a excitação acontece quando um membro do próprio corpo é amputado, chama-se apotemnofilia ou amelotatista. Existem revistas só com amputados e membros amputados para esse público, é algo que pode chegar ao crime ao se associar ao sadismo.

 

Agalmatofilia


Excitação provocada pela observação de estátua ou modelo representativo de pessoa nua. Se a excitação acontece não apenas com a observação, mas com o uso da estátua, pode ser chamado de pigmalionismo.

 

Autonepiofilia


A pessoa se excita ao fingir que é um bebê de fraldas e seu parceiro a trata como tal. Outras variações neste estilo são o infantilismo parafílico, quando a pessoa finge ser uma criança, de qualquer idade, ou juvenilismo parafílico, quando se finge ser um adolescente. Já vi um documentário de uma prostituta especializada em algumas parafilias que tinha clientes só dessa classe. Usam fraldas, pedem para ser amamentados, tomar palmadinhas...

 

Misofilia


O indivíduo se sente excitado se cheirar, mastigar ou realizar outra ação com roupas sujas, suadas ou com artigos de higiene menstrual (absorventes, toalhas higiências etc).

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Sábado, 26.03.11

Masturbação: vença o último tabu

 

 

Rodeada ainda de preconceitos, a masturbação feminina é também uma forma de quebrar a rotina sexual do casal

  

Não, não faz mal à saúde. Não, não é viciante. Não, não substitui o prazer a dois. A masturbação no feminino é, acima de tudo, uma forma da mulher conhecer melhor o seu corpo e os seus pontos erógenos. Por outro lado, não tem de ser um acto solitário, mas tem espaço no âmbito da vida do casal.


A visão do corpo feminino desperta nos homens o desejo e a volúpia. E, apesar de alguns terem pudor em reconhecer, o facto de verem a mulher que amam a acariciar-se a si mesma é uma imagem que os excita mais ainda. Por isso, proporcione-lhe essa pequena prenda, atingindo o prazer sem a sua ajuda. Além disso, é uma forma de combater a rotina, bem como uma 'ajuda' extra quando o seu parceiro está muito 'cansado'. Porque não se atreve a experimentar?

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24.03.11

Falta de sexo atrapalha relacionamentos longos

 

Os australianos heterossexuais, que estão em um relacionamento longo, não andam muito satisfeitos com sua vida sexual. Cientistas entrevistaram 3.420 homens e 3.304 mulheres que eram casados, que viviam com seus parceiros ou que já estavam há um bom tempo num relacionamento, sobre a vida sexual deles. Além de acharem que não estão fazendo sexo suficiente, eles também estão descontentes com seus relacionamentos.

 

A maioria dos homens, 54%, e 42% das mulheres responderam que eles não estavam contentes com a frequência com que faziam sexo. Para os homens, a reclamação principal era que eles não estavam fazendo sexo tanto quanto gostariam. Entre as mulheres insatisfeitas com a frequência das relações sexuais, dois terços responderam que não estavam fazendo sexo o suficiente, enquanto um terço reclamou que estava fazendo demais.

 

Das pessoas que participaram do estudo, 73% eram casados e 60% estava com seu companheiro a mais de 10 anos. Homens com idade entre 35 e 44 anos, que estavam a mais de seis anos ou mais com a mesma mulher eram os mais insatisfeitos. Além disso, os homens e as mulheres que não estavam contentes com o número de relações sexuais também não estavam felizes com o relacionamento de maneira geral.

 

“A maioria das pessoas nos estudos queriam fazer mais sexo do que estão fazendo”, disse o professor da Universidade de Melbourne, Anthony Smith. “Percebemos que há uma distância entre a frequência que as pessoas definem como ideal e o número real de vezes que elas fazem sexo dentro de um relacionamento”. E o problema não está ligado ao gênero, ambos sexos estão tendo que dividir seu tempo entre o relacionamento, o sexo e as obrigações do dia-a-dia. Quem sai perdendo é o casal.

 

“Eu acho que os casais não estão encontrando tempo para fazer sexo. Não é possível forçar cada vez mais atividades no cotidiano das pessoas e acreditar que elas vão ter tempo para fazer sexo com qualidade”, acredita o Smith.

 

O co-autor do estudo, Anthony Lyons, acredita que os casais precisam aprender a se comunicar melhor sobre sua vida sexual. “Eles precisam conversar frequentemente e abertamente sobre sexo para achar um meio termo sobre a quantidade de relações. Isto pode trazer muita satisfação”, opina Lyons.

 

Para Smith, uma saída seria marcar um tempinho para o sexo como fazemos com as nossas refeições e atividades em família. “Os casais precisam se perguntar entre si: ‘quanto tempo nós queremos gastar fazendo sexo e o que a gente pode eliminar da nossa rotina para ter este tempo livre?’. Se as pessoas valorizarem o sexo como algo importante em suas vidas a dois, e a maioria o faz, eles devem empurrar as atividades sexuais para o topo da lista de prioridades”, conclui.

 

Via HypeScience



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Sexta-feira, 11.03.11
Quando a fantasia sexual vira traição


Tirar os pés do chão e pensar em outros homens - sejam eles celebridades ou amigos próximos - nem sempre é sinal de que a fidelidade ao seu parceiro está sendo deixada de lado.

 

Se analisarmos as fantasias pelo lado bom, ela ajuda a apimentar a relação e a melhorar o envolvimento com o parceiro.

 

Na verdade, as fantasias são mais comuns do que se imagina. "Pode ser algo até saudável. Quando a fantasia for esporádica não representa ameaça para a relação. O problema surge quando uma pessoa passa a querer realizar esse desejo com outra pessoa que não a parceria, o que muda totalmente o quadro", alerta o psicólogo e psicoterapeuta Marcelo Toniette.

Ter uma fantasia não significa necessariamente uma atração. A fantasia remete-se mais a um aspecto subjetivo, sendo que a atração já parte para algo mais físico, mais intenso. "Desse modo, fantasiar é imaginar, criar mentalmente situações que nos gerem sensações das mais diversas. Cada pessoa tem uma forma e intensidade própria de praticá-la. E utilizar este recurso pode fortalecer ainda mais a intimidade e a felicidade do casal", garante o psicoterapeuta.

 

E quando a mulher para de fantasiar e passa a sentir atração física por outro homem, já é indício de que algo não anda bem no relacionamento. Segundo o especialista, a traição, de certo modo, acontece antes mesmo de uma atração física por outra pessoa. "Muitas vezes essa atração surge quando a relação já está desgastada, ou mesmo atravessa um momento de crise, e os parceiros não se dão conta de que é longa a distância entre eles", comenta.

O psicólogo diz ainda que quando este distanciamento não é resolvido por ambos, um dos parceiros procura uma alternativa - entrega-se à atração por outra pessoa como meio de encontrar a satisfação - quebrando o contrato de fidelidade firmado no início do relacionamento.

 

"A atração sexual por outra pessoa mostra que já passou da hora de o casal procurar novas possibilidades que favoreçam a relação". E esclarece: "Quando se percebe um aumento na frequência e na intensidade da atração, o casal precisa tomar fôlego e lidar com a situação, a fim de encontrar formas de fortalecer a relação, caso este seja o desejo dos dois. Caso contrário, é preciso analisar se este não é momento certo de cada um trilhar caminhos distintos", orienta Toniette.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Quarta-feira, 02.03.11

O sexo oral e o prazer

 

Somos um pouco conservadores, por isso não praticamos sexo oral. Gostaria de saber se o clitóris é sensível, e se existe o risco de machucá-lo. Não tem perigo de beijar muito e dar irritações?

A principal função do clitóris é dar prazer. Ele é um órgão projetado para este fim. A cabeça ou glande do clitóris apresenta, normalmente, oito mil feixes de fibras nervosas, tendo, aproximadamente, o dobro do encontrado no pênis.

Essas terminações nervosas o deixam muito sensível ao toque direto ou de pressão. É fundamental o cuidado com as unhas e com os dentes nele, a não ser que isso faça parte do jogo erótico.

Então, use os dedos indicadores e médios para puxar a pele que reveste o clitóris para fora, deixando-o exposto, pronto para ser acariciado. Só que, antes, é importante deixá-lo bem úmido. Tem que saber sugar com jeito, usando os lábios, e saber usar a língua para acariciá-lo. Não vale a pena rever esse conservadorismo?

 

Via Hora de Santa Catarina



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Terça-feira, 01.03.11
Sexo na ponta da língua

Carolina Diniz

 

Ela tem apenas 23 anos e um tema fácil na ponta da língua: sexo. Carolina Diniz é uma dessas apaixonadas pelo que faz que transformou o desejo de escrever em profissão.

 

Literalmente. Além de blogueira, à frente do site "Sexo na ponta da língua", ela dá cursos, workshops e palestras sobre relacionamento, conquista, traição
 

Em conversa com o Vila Dois, essa paulistana contou que criou o blog para unir o útil ao agradável, juntando a paixão pelo texto à possibilidade de discutir temas que todo mundo quer saber e muitas vezes não tem coragem de falar ou perguntar.

, sedução, auto-estima... e por aí vai.

Para escrever sobre esses assuntos quentes e delicados, ela lê, estuda, conversa. Tudo para produzir o melhor conteúdo para os leitores. E a fórmula está funcionando. Tanto que o blog vai de vento em polpa e os comentários provam que Carol está mesmo no caminho certo.

Ela dá dicas sobre relacionamentos - mas é uma dessas solteiras convictas. E, como é estudante de psicologia, o aconselhamento é parte da rotina, independente do estado civil dela. "Sou super a favor dos relacionamentos. Acho muito bom conhecer pessoas novas. Sou do tipo que sonha em um dia casar, ter filhos, morar em uma casa bem grande e ter muitos cachorros, mas não faço disso um objetivo. A hora que tiver que ser, será", afirma. Tanto acredita no relacionamento que, além do site sobre o assunto, Carol mantém outro blog, o "Eu sou pra casar", que já está no ar com o objetivo de unir pessoas solteiras.

A mesma sensatez com que (não) planeja os dias que ainda estão por vir pode ser encontrada nos posts que Carol escreve no site. Ela trata de assuntos velados, como sexo oral e masturbação, com a mesma facilidade com que cuida dos cachorros que adora. Mas como nem toda mulher é assim, ela diz que percebe um enorme tabu envolvendo (ainda) a sensualidade feminina. "Isso tem mudado nos últimos anos, a procura por cursos voltados para a sensualidade e a sexualidade tem crescido muito, mas ainda vejo muita mulher infeliz sexualmente", comenta.

Considerada uma celebridade virtual, seguida no Twitter (@carolinadiniz) e, claro, no blog, ela acha que a Internet abriu um pouco mais as portas para esse tipo de discussão, virando um canal aberto. Isso porque, anonimamente, parece que fica mais fácil perguntar e procurar informação sobre sexo.

Modesta, a menina que fala sobre assunto de gente grande acha que as pessoas gostam do que escreve porque ela faz com muito amor. "Dedico muito do meu tempo a esse tipo de coisa. O sucesso vem como uma consequência".

E essa dedicação toda pode até virar livro. Ela pensa em publicar as dicas que já escreve no blog, mas agora está se dedicando a um projeto sobre os homens e as mulheres, como um vê o outro. "Esse livro é sobre o porquê dos conflitos nos relacionamentos e as razões de sempre procurarem no outro aquilo que não encontram em si".

 

A gente fica esperando ele chegar às livrarias. Ficou com vontade de saber mais sobre o que Carol tem a dizer? É só clicar www.sexonapontadalingua.com

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Domingo, 06.02.11

Quanto tempo dura a paixão?

 

Com a taxa de divórcios a subir sem dó nem piedade - em Portugal, em 2007, foram mais de 25 mil - os cientistas esforçam-se por encontrar respostas 'racionais' para explicar o fim da paixão. É o caso da professora Cindy Hazan, da Universidade de Cornell, em Nova Iorque, que quis saber quais as substâncias produzidas pelo cérebro humano que se encontram envolvidas no processo de enamoramento.

 

No estudo, identificou três que estão presentes em maior quantidade do que a normal na altura do enamoramento: a dopamina, a feniletilamina e a oxitocina. Porém, o efeito passa, ou seja, decorrido algum tempo os valores regressam à normalidade. Conclusão: os seres humanos estão programados a nível biológico para estarem apaixonados entre os 18 e os 30 meses. O mesmo é dizer que o homem e a mulher se encontram inatamente concebidos para se conhecerem, envolverem e gerarem uma criança. A partir daí, a paixão desvanece-se e encontram-se de novo no activo, prontos para iniciarem do ponto zero todo o processo de enamoramento

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:04 | link do post | comentar | ver comentários (6)

Quarta-feira, 19.01.11

As coisas que os homens odeiam na cama

 

"Odeio quando uma mulher diz "apaga a luz" antes de se começar a despir. Quer dizer, acho que todos nós sabemos que Angelina Jolie há só uma e que os corpos não são perfeitos por norma. Mas isso não quer dizer que a visão de um corpo despido de uma mulher não seja menos excitante. Ouvir uma mulher dizer que deseja ter sexo às escuras é do mais desanimador que há, ainda por cima porque o homem é, por natureza, um animal exibicionista!"

Tomás, 33 anos, gestor

"Fico um pouco desiludido quando uma mulher se mostra envergonhada quando se trata de sexo oral. Por experiência própria, sei que é mais fácil terem à vontade para fazerem ao parceiro do que deixarem o parceiro fazer-lhes a ela. Mas é tão bom sentir o prazer da pessoa com quem se está! Porque é que as mulheres têm tanto pudor nisso?"

Luís, 41 anos, comerciante

""Querido, sei que estás cansado". Existe lá pior frase do que é essa. É verdade que há momentos em que demoramos mais tempo a entrar em acção, mas não quer dizer que não se atinja a meta com o estímulo certo por parte da parceira. Mas com uma frase destas não há estímulo possível."

Francisco, 39 anos, jornalista

"Cansa-me que uma mulher nunca tome a iniciativa. Tive uma namorada que nunca o fazia. Era sempre eu que mostrava desejo de ter sexo, apesar de ela depois se mostrar receptiva. Uma vez perguntei-lhe porque é que nunca me mostrava que tinha vontade de ter sexo. Ela disse que nunca pensara nisso, mas que se ia "esforçar" a partir daí. Caso para dizer que a relação não durou muito tempo."

Gonçalo, 28 anos, editor

"Que ela simplesmente... não faça nada! Fique ali, deitada, á espera que todo o trabalho recaia sobre o homem. "

Alberto, 45 anos, médico

 

Via Activa.pt



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 17.01.11

sexo, o truque é innovar

 

É muito gostoso e importante sempre estar inovando seu relacionamento, aproveite algumas dicas e veja e sinta que acontecerá.

Ligue para seu par e diga que quer fazer amor naquele exato momento, sussurre besteiras, isso despertará muito tesão.

Dediquem-se algumas horas, para tocar todo o corpo do seu par, descobrindo todas as zonas erógenas, cada parte que perceber que é mais sensível, fique beijando demoradamente por alguns instantes, é enlouquecedor!

No meio da noite, comece a acariciar, tocar o corpo do seu par, toque com suavidade, cada centímetro do corpo, quando seu par perceber já estará com muito,muito tesão.

Na hora de fazer amor, deixe alguns morangos, uvas, mel, vinho, use sua imaginação durante o ato você pode ter algumas idéias diferentes.

Faça sexo dentro do carro, no capô do carro, escadas, chão, pia, chuveiro, praia, mato, festa, enfim lugares diferentes da cama, é muito emocionante.

Um jantar romântico e bem afrodisíaco, pode dar um ótimo resultado.

Esquente a imaginação de voces assistindo juntos alguns filmes sensuais e eróticos.

Escolha uma data na agenda de seu par e escreva um roteiro sensual daquela noite imagine a expressão e tesão que vai ficar , quando ler!!

Use e abuse, você pode levar seu par a loucura com beijos, longos, curtinhos, clientes, fortes, por todo corpo.

Com a língua, você pode enlouquecer seu par, passe suavemente, um pouco mais rápido, bem molhada, rapidinho, contorne o órgão sexual, torture!!!

Na hora que estiver fazendo amor sussure algumas besteira, sacanagens, no ouvido do seu par, é muito excitante.

Enfim sejam criativos, nunca deixem de ir em busca de novas emoções, e com certeza vocês serão os grandes beneficiados.

 

Via Toques de prazer



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 29.12.10

Sexo, os homens gostam das mandonas?

 

Tudo bem, a gente assume. Adora dar aquela controladinha básica na relação.

 

Mas, e quando são eles que gostam de obedecer, o que a gente pode fazer? Nada, a não ser aproveitar, claro. Brincadeiras a parte, existe todo um mistério envolvendo os homensque adoram as mandonas. Elas dão ordem, bronca, impõe limites. E eles se deliciam com tanta imposição. 

Segundo a psicóloga Mara Lúcia Madureira, existem mais homens que gostam de mulheres que exercem domínio na relação, as chamadas fêmeas alfas, do que os que assumem. "Essas mulheres são aquelas que encaram os desafios, seguram as pontas, ditam as regras e lideram o relacionamento", define. "Apesar de não assumirem, muitos homens não se incomodam quando a mulher decide sobre aspectos do relacionamento, como aonde ir, o que comprar ou que assumem obrigações com a casa, os filhos, as roupas que serão compradas para o marido", completa a psicoterapeuta Sabrina dos Santos Patto.

 

Mara explica que os motivos para que esses homens busquem esse tipo de relação é bem variável. Há aqueles com perfil de liderança, que podem escolher mulheres dominantes por afinidades, identificação ou admiração. Mas existem outros que procuram mulheres com tais características para assumir as responsabilidades que eles próprios evitam. "Esses não querem assumir grandes encargos e preferem delegá-los a uma mulher disposta a cumprir o papel de provedora na relação", diz. Há ainda os que adotam o papel de vítima, se fazem de mártir, num modelo de relacionamento no qual não conseguem exercer seus próprios direitos. Complexo, né?

O ambiente, os modelos familiares e as relações estabelecidas ao longo da vida contribuem para a formação de comportamentos passivos, mas não são determinantes exclusivos do padrão de personalidade. "Se o homem tem uma educação muito rígida, tem uma figura materna muito forte, que comanda a casa, pode se tornar um homem que terá dificuldades em se posicionar, em dizer o que pensa ou suas preferências, abrindo caminho para mulheres que gostam de assumir o controle", diz Sabrina. "Mas existem outros fatores, como a acomodação e a vontade de permanecer num nível de funcionamento que não exige demasiados esforços e comprometimento", ressalta Mara Lucia.

No caso de homens muito inseguros, gostar de mulher que ‘manda’ pode significar submissão. Mas, como lembrou a Maria Lúcia, pode significar comodismo ou ainda isenção de responsabilidade. "A submissão acontece quando o homem não concorda com o que está sendo decidido, mas não consegue dizer", explica Sabrina. "Quando ele ‘aproveita’ para se ver livre de tomar decisões e não há conflito, não é submissão".

Para ganhar voz numa relação onde só a mulher manda, por exemplo, é preciso, primeiro de tudo, querer. Uma vez atingido níveis insuportáveis na relação é preciso buscar a origem do problema e reverter tal situação. Uma saída é estabelecer novos limites e regras para o convívio. "Isso pode e deve ser feito de forma respeitosa, através de diálogos francos e objetivos, sem o homem assumir o papel de vítima. O homem deve dizer com clareza que está cansado do modo como o relacionamento foi conduzido até o momento, quais mudanças espera alcançar e a importância de tais modificações para tornar a relação suportável e sustentável", sugere Mara Lúcia.

 

Se a mulher muito mandona quer dar mais espaço ao amado passivo (e até estimulá-lo) precisa, antes de tudo, se conscientizar da importância do respeito aos direitos do dele. Uma ideia é sempre perguntar sua opinião na hora de tomar uma decisão ou delegar alguma atividade para ele fazer e não ficar perguntando se já foi feita ou como foi feita. "É preciso compreender que um casamento é a união de duas vidas com objetivos comuns, na qual se busca reunir esforços para alcançá-los, não um regime ditatorial ou tirania, em que um manda e o outro obedece".

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:26 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.11.10

Dicas para fazer um strip tease para o seu namorado

 

Se você quer aproveitar o dia dos namorados para fazer uma surpresinha diferente, a sugestão pode ser fazer um strip-tease. A prática, que habita o imaginário dos homens (e porque não, das mulheres), foi bem demonstrada num filme estrelado por Demi Moore, mas você não precisa ser estrela de Hollywood para fazer.

A sexóloga Carla Cecarello, consultora da Rede Mel, que vende produtos sensuais e eróticos, diz que a explicação para tamanho sucesso da prática está na própria tradução da palavra da língua inglesa: tirar e excitar, despir e provocar.

"A finalidade do strip-tease é seduzir o parceiro por meio da dança e da expressão corporal", define. Sabendo isso, que é básico, é preciso atenção a alguns detalhes. "Para que você se sinta bem, trabalhe sua autoestima, pois você precisa se gostar muito e estar bem à vontade com seu corpo", indica.

 

Para isso, comece erotizando o seu dia-a-dia, para que seu companheiro vá se acostumando com a ideia. "Prepare-se desde a hora em que se levantar para sentir-se a mulher mais bonita do mundo. Neste dia, você vai falar usando o seu corpo", lembra Carla. "Esteja então ‘vestida de mulher’, com um belo vestido, cinta-liga, meias 7/8, sapatos de salto alto e uma linda lingerie sensual", sugere.

Se você é marinheira de primeira viagem, quanto mais peças de roupa estiver usando, melhor. Escolha, de preferência, um vestido que saia por baixo e com o qual tenha facilidade para executar os movimentos. Vale também apenas um robe, sob o lingerie. Mas se você gosta de bijuterias, atenção. "Procure não usar nada que a atrapalhe no momento como brincos compridos, anéis, pulseiras que possam enroscar e atrapalhar a espontaneidade do momento", sugere a professora Lilian Moretto, que dá aulas sobre sensualidade. Vale apenas salto alto, claro, e uma macia echarpe ou lenço, para que você possa brincar com ele.

Lembre-se de que o importante não é a peça de roupa que você tira, mas a forma como se despe, e é aí que entra a sedução do strip-tease. "Você ainda pode fazer uso de luvas, para deixar a brincadeira ainda mais excitante", aposta Carla. Pode usar o cabelo preso ou solto e a maquiagem deve realçar os olhos e a boca - mas nada muito exagerado.

Escolha uma música sensual, prepare o ambiente com velas, pétalas de rosa, use o perfume que está acostumada no ambiente ou na roupa - e não no próprio corpo -, para que o parceiro possa sentir o seu cheiro. "O seu perfume é o melhor afrodisíaco que existe", diz Lilian. A sugestão dela e de Carla é que você desperte os cinco sentidos do seu amor - e aí vale tudo. Para a audição, Lilian sugere colocar no som músicas como "Represent, Cuba", do Orishas, ou "Piece of Me", de Britney Spears.

Carla diz que o grande segredo do strip-tease é o que está por baixo da roupa e será desvendado lentamente. Mas, o lugar e clima são tão importantes quanto seu desempenho - e até para sua segurança. "Próximo do lugar onde ele vai sentar, monte uma bandeja com frutas, para interagir com ele no meio da dança, evitando que o show fique monótono", sugere. Você pode também jogar pétalas de rosas, na cama, em uma cadeira ou no sofá. A iluminação do ambiente é um ponto fundamental também. "Use luz de velas ou meia-luz e não deixe o ambiente muito escuro, porque é importante que ele veja a sua fisionomia. Enquanto dança, atraia o olhar dele para você, por meio de toques das mãos no seu corpo". Lilian completa a dica: "Nunca se esqueça de manter o mistério, faça que vai mostrar e esconda novamente e, ao tirar cada peça, tire bem devagar, olhando para a peça e nos olhos dele, estimulando a visão".

Para o primeiro strip-tease, a dica de Carla é escolher uma data especial, como o aniversário de casamento ou o aniversário dele - ou o Dia dos Namorados, claro. "Prepare um jantar romântico a dois e comece ouvindo música com ele. Convide-o para dançar e, quando tocar a música escolhida, inicie o strip-tease como se ele fizesse parte dessa brincadeira". Para não pegá-lo de surpresa e se decepcionar com a reação, uma ideia é mandar uma mensagem, no celular ou e-mail, dando a dica do que pretende fazer à noite.

 

Se você precisa controlar o nervosismo inicial, a sugestão de Lilian é encarar o strip-tease como um momento de muita sedução e amor. "Dance muito durante o dia em frente ao espelho, curta o seu corpo, veja o quanto é linda e sensual. Dessa forma estará mais confiante no momento de dançar para o seu amor".

Por Sabrina Passos (MBPress)

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Terça-feira, 19.10.10

A busca do parceiro ideal

 

Todo mundo sabe que não existe um ser humano perfeito. Cada um tem suas características, que podem ser admiradas ou não por outros.

 

Apesar disso, no inconsciente, continuamos criando a imagem do parceiro ideal e projetando-a nas pessoas com quem nos relacionamos. E, ao contrário do que muita gente pensa, essa projeção não é privilégio das mulheres. Os homens também fazem isso, mesmo com menos frequência. No geral, eles são mais práticos que as moças - que tendem a ser mais sonhadoras.

 

Na verdade, é normal buscar a idealização da pessoa amada, desde que não ultrapasse o limite entre o real e o imaginário. "Não há problema nenhum nisso, mas o indivíduo deve ter expectativas possíveis, dentro da realidade", aponta a psicóloga Leniza Castello Branco, membro da Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica (SBPA).

O perigo de se esperar mais do que o outro pode oferecer é a frustração. "Quando conhecemos alguém e projetamos nosso parceiro ideal, ele aceita a projeção, porque não o conhecemos ainda, então podemos idealizar. Mas, aos poucos, as diferenças, que não são defeitos, aparecem de ambos os lados", explica a especialista. Então nos decepcionamos, pensando que o parceiro nos enganou, quando ele apenas foi visto por nós sem aquela máscara de perfeição que criamos.

Aliás, essa imagem idealizada é construída desde nosso primeiro contato com o sexo oposto, ainda na infância. Tanto que tomamos como referência os padrões familiares, como afirma Leniza. "Se houve uma boa relação com os pais, tentamos repetir o modelo; se não houve, podemos ir para o oposto."

Assim, uma mulher com um pai agressivo pode, dependendo do seu tipo de neurose, procurar um parceiro agressivo e tentar, de alguma forma, resolver o que ficou pendente. Ou ela pode buscar uma pessoa carinhosa e muito delicada, contrariando a experiência vivida na infância com o pai.

Resolver o dilema da idealização da pessoa amada é simples, mas não necessariamente fácil. O segredo é aceitar o outro com todas as suas características, sabendo que as diferenças dele em relação a nós não são defeitos. "Uma pessoa pode ser totalmente diferente e admirarmos nela o que não temos. Pode ter ideias diferentes, mas ter os mesmos ideais de formar uma família, ser bom caráter, inteligente, mas não gostar das mesmas músicas ou não ser um intelectual ou algo que desejamos. Porém, isso não vai atrapalhar", exemplifica a psicóloga.

Na prática, precisamos estar conscientes de que ninguém é melhor que ninguém e entender que a culpa por algo que não dá certo num relacionamento é sempre do casal em conjunto. Nos momentos de frustração, é comum jogarmos toda a responsabilidade no parceiro. No entanto, numa análise mais neutra, se aprende que temos sim uma parcela de culpa em tudo o que acontece.

 

Uma sugestão para essa análise é pensar: "É muito fácil culpar o parceiro, mas onde esta minha parcela de culpa?", orienta Leniza. A chave é "aceitar os próprios defeitos e não ver somente o defeito doparceiro. É simples assim", finaliza.

Por Priscilla Nery (MBPress)

 

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 12.10.10

Fantasias sexuais

 

Uma das maneiras mais gostosas e interessantes de se apimentar a relação é fazer uso dasfantasias sexuais. O objetivo é liberar a criatividade do casal, colocando um fim na rotina, além de ajudar muito a mulher a descobrir sua sensualidade, colocando para fora a deusa do sexo existente em toda mulher.

O que é uma fantasia sexual? A fantasia sexual pode ser entendida como sendo um conjunto de imaginações referentes a sexo que trazem estímulos para o prazer.

 

São representações mentais, em que a pessoa se vê protagonista de situações que a estimulam e despertam os seus desejos mais ardentes.

 

Segundo Joseph LoPiccolo, autor do livro "Descobrindo o Prazer": "A fantasia sexual é um meio de envolver o corpo e a mente para o prazer sexual". Por que é bom ter fantasias sexuais? São indispensáveis para a relação, pois têm grande capacidade afrodisíaca e servem de estimulantes para a relação sexual.

As fantasias sexuais ajudam a potencializar a sexualidade trazendo formas novas de viver a relação; ajuda na busca de um prazer maior; estimula as idéias sobre situações; ajuda no modo de se produzir tornando-se mais atraente e se sentindo mais segura. Tudo isso acaba melhorando a auto-estima do casal. Eles se tornam cúmplices um do outro e se tornam cada vez mais íntimos, melhorando muito o relacionamento.

Segundo especialistas, as fantasias sexuais quando bem aproveitadas ajudam a desenvolver a sexualidade e permitem que as pessoas desafiem tabus.

Segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana (SBRASH), com 200 homens e 832 mulheres entre 16 e 59 anos, todos têm fantasias sexuais. É inerente ao ser humano, independente de idade. São reflexos saudáveis das necessidades e desejos não satisfeitos por imposições e repressões de uma sociedade conservadora.

Geralmente as fantasias masculinas dão ênfase ao contato erótico e na relação sexual em si. As fantasias que traduzem o desejo de sexo são as preferidas pelos homens. E traduzem sempre a afirmação da masculinidade, ou seja, "o ser bom de cama" , "o máximo".

Segundo a pesquisa feita pela SBRASH, as fantasias preferidas dos homens são:
- Transar com duas mulheres ao mesmo tempo; (47%)
- Fazer sexo com mulheres famosas; (21%)
- Fazer sexo em grupo;(12%)

Enquanto o homem se excita com algo que se relacione diretamente com o sexo e o poder masculino, a mulher é mais romântica, ela vai ligar a fantasia a lugares e situações românticas.

Mesmo a mulher bem sucedida profissionalmente, a mulher moderna, deseja ser amada e se imagina em situações cheias de amor e desejo. Geralmente as fantasias femininas dizem respeito aos respectivos parceiros. Até nas fantasias as mulheres são mais fiéis aos sentimentos.

A pesquisa revelou que as principais fantasias femininas são:
- Fazer sexo em lugar romântico (cabana, praia, lago) - 36%
- Fazer sexo com homens famosos - 24%
- Fazer sexo dominada pelo parceiro - 13%

Não importa qual seja a sua fantasia, o importante é respeitar seus limites. Se o casal estiver bem sintonizado a fantasia vai funcionar muito bem. Agora se o parceiro ou parceira não concordam, pode ser frustrante. Por isso o casal precisa estar sempre dialogando sobre o que é bom para os dois, inclusive o local para realização da fantasia.

Quando o assunto é sexo em lugar inusitado, o elevador é campeão. Embora haja situações mais apimentadas, também a prática cotidiana, como lugares diferentes na própria residência também podem ser uma ótima fantasia.

Não importa qual seja a sua fantasia sexual, o importante é vivê-la da melhor maneira possível.

Fátima Mourah é "Personal Sexy Trainer", professora de artes sensuais e autora dos livros "Sexo pra mulheres casadas" e "Sexo, amor e sedução". Dá palestras e cursos de striptease, pompoarismo, pole dancing, como atingir o orgasmo e massagem erótica.

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Quinta-feira, 07.10.10

Brinquedos eróticos são um vicio?

 

Nós, mulheres aprendemos a gostar dos mimos vendidos em sex shops, não é? Pois esses brinquedinhos não têm substâncias químicas que causem dependência, mas podem "viciar" tanto que as relações sexuais nunca mais serão as mesmas se eles não estiverem presentes.

É fato que os acessórios podem sim apimentar o sexo e satisfazer quem segue carreira solo.

 

 

Mas, segundo lembra a sexóloga Carla Cecarello, eles são saudáveis apenas até o momento em que o uso torna a relação mais excitante e divertida, mas sem extrema necessidade. A ideia é encará-los apenas como coadjuvantes - e não protagonistas da transa. "Há muitas pessoas que apresentam dificuldades no relacionamento e na aproximação de pessoas. Por isso, acabam por preferir o uso de acessórios, seguido pela internet para se satisfazerem sexualmente", afirma Carla, que é consultora da empresa de produtos eróticos e sensuais de venda direta Rede Mel.

 

É bem verdade que os brinquedos podem suprir carências e vontades, mas até isso tem tempo de vida útil. Uma hora a insatisfação frente à vida sexual passa a ser insuportável. Mas isso não é culpa dos acessórios! "A responsável por tal situação é a própria pessoa que, muito provavelmente, desde a infância cresceu em ambiente difícil de contato com o sexo", aponta Carla. "Os brinquedos ajudam as pessoas sem parceria a conhecerem melhor suas sensações, seu corpo, a se divertir mais em relação ao sexo e, perceber que o sexo é algo saudável e divertido".

O temido vício em brinquedos eróticos é identificado principalmente quando eles são obrigatoriamente necessários em todas as relações sexuais. Ou, ainda, quando a pessoa gasta muito dinheiro com eles ou perde muito tempo em sua busca, de maneira inconsequente.

Carla alerta que se você perceber que está passando por isso, deve buscar a ajuda profissional psicológica, pois a tendência a depressão, a compulsão sexual e ao isolamento são inevitáveis. "É perigoso justamente por levar a pessoa a situações de grande dificuldade em se expressar naturalmente ao outro", explica.

Entre os acessórios vendidos em sex shops, o que mais pode criar certo grau de dependência é o vibrador - tanto para mulheres quanto homens. Outros estimulantes e massageadores também entram na listinha "perigosa". Não precisa deixar de comprá-los, mas vale a dica de tentar observar se tem exagerado no uso deles. Num bate-papo rápido com o Vila Dois, Carla respondeu três perguntas básicas sobre os brinquedos e o "vício" que eles podem causar. Confira:

Quando um casal tem a necessidade de sempre ter os brinquedos e acessórios para transar, isso é sinal de que algo pode não estar indo bem na relação?


Exactamente. Colocar em todas as relações algum tipo de acessório ou brinquedo pode significar que a relação apenas com os dois, e com o que cada um proporciona ao outro, pode não estar agradando mais. Neste caso, vale a pena o casal trocar algumas ideias e, se mesmo assim persistir a necessidade de acessórios em todas as relações, buscar ajuda psicológica.

E quando é que o uso desses produtos é considerado "normal" e até saudável para o casal?
É saudável quando o casal utiliza os acessórios para brincar, descontrair a relação ou até mesmo torná-la mais picante e com mais sacanagem. Não há um número adequado de vezes para isso. O próprio casal deverá perceber até que ponto os acessórios estão sendo os protagonistas na história.

 

Quais os possíveis benefícios do uso de brinquedinhos e produtos eróticos numa relação?
Eles ajudam o casal a criar mais intimidade, a brincarem mais, perderem a timidez e vergonha. Isso já é uma coisa excelente!

 

Por Sabrina Passos (MBPress)

 

 

Via Vila dois

 



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Quarta-feira, 06.10.10

Sensualidade e inteligência

 

Sensual, sim, mas sem ser vulgar. Para entender melhor a diferença, o Vila Dois conversou com a sexóloga Carmen Janssen.

 

“Sinto que muitas mulheres não sabem lidar com a sensualidade, porque ainda a confundem com vulgaridade. Elas têm muito medo do que os outros vão pensar. É importante ter segurança para saber distinguir uma coisa da outra e conseguir sentir-se à vontade consigo mesma. Por outro lado, há aquelas que por estarem copiando modelos, às vezes acabam exagerando”, comenta sexóloga.

 

Carmen diz que a falta de autoconfiança de muitas mulheres as impede de lidar melhor com a sensualidade. “Percebo que falta, às vezes, um senso crítico que as ajude a ter, pelo menos, algum controle sobre o que vêem e ouvem. Para complicar ainda mais, algumas pessoas sem nenhum embasamento científico, passam a vender produtos e ‘serviços’ que oferecem à mulher ‘receitas de sensualidade’. E sem ter conhecimento profundo no assunto, não consideram a individualidade de cada pessoa e acabam transmitindo informações que reforçam ainda mais a ditadura da beleza”, ressalta.

Em sua opinião, as mulheres que buscam os caminhos mais fáceis, ou seja, as receitas de sedução, não conseguem usar a inteligência sensual. “A sensualidade é a expressão da sua própria personalidade e sexualidade. Para lidar com ela sem conflitos, é necessário ter autoconhecimento e auto-estima”.

Professora de cursos de sedução, pompoarismo e palestrante, Carmen conhece várias histórias sobre relacionamentos. Mulheres preocupadas apenas em agradar o outro e que não sabem dizer “não” com medo de ser rejeitada. Diante disso, ela resolveu elaborar um curso sobre Inteligência Sensual, com a principal intenção de aumentar o sentimento de amor-próprio de cada mulher.

“Não é um show ou uma palestra motivacional, mas um espaço para reflexão e desenvolvimento de suas próprias qualidades. As participantes têm a oportunidade de fazer quatro testes: auto-estima, autoconhecimento (para refletirem sobre seus sentimentos, desejos e necessidades), timidez (marketing pessoal) e poder de sedução (avalia o comportamento sedutor) e recebem o resultado ali mesmo”. Conforme a sexóloga, é um feedback que reforça o que já está bom nelas e o que precisa ser modificado. “Sem reflexão, não tem desenvolvimento”.

As participantes, entre 40 mulheres, entendem melhor seus sentimentos e reais necessidades, e se interessam muito pelas dinâmicas, uma forma de desenvolver a sensualidade com mais segurança.

 

“Gostam quando abordo sobre a importância da intimidade e da comunicação sexual do casal, principalmente quando lembro que a sedução é uma arte que deve continuar a ser cultivada, mesmo depois da conquista”, finaliza.

Por Juliana Lopes

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 30.08.10

O drama da falta de orgasmo

 

O prazer durante uma relação sexual parece óbvio, inerente, certo? Mas para muitas mulheres, a anorgasmia é um pesadelo. E não se trata de aversão ao sexo ou má atuação do parceiro.

 

O problema, na maioria dos casos, está bem longe das partes baixas.

 

A grande vilã que leva à anorgasmia - falta de orgasmo - é a repressão sexual. "Para a maior parte das mulheres, desejar é um verbo complicado de conjugar. E a questão é que tudo parte do desejo: para atingir o orgasmo é preciso imaginar aquilo que leva ao prazer", explica o médico sexologista João Borzino. "O prazer tende a ser algo pejorativo na educação sexual feminina. E o orgasmo começa com a reversão desse valor".

A anorgasmia existe de fato quando a mulher não consegue atingir o prazeroso orgasmo. Nesse quadro geral, existem algumas classificações. Algumas não atingem apenas com a penetração e precisam de estímulo manual ao mesmo tempo. Outras não conseguem se houver penetração e manipulação simultânea e preferem apenas as mãos do amado. O terceiro grupo é formado por mulheres que não conseguem atingir o orgasmo de maneira alguma.

Borzino lembra que toda e qualquer mulher tem a capacidade de atingir o prazer pleno. "Ele é um fenômeno psíquico e emocional e algumas mulheres conseguem ter prazer somente ao imaginar uma relação sexual", garante. "O contato físico é importante, claro, mas não é o meio que decide a ocorrência do orgasmo. A grande responsável é a entrega da mulher à fantasia. A partir do momento em que ela consegue se permitir vivenciar o prazer, ela consegue ter orgasmos".

Mas e quando isso não acontece, qual a solução? "Reeducação sexual, reposicionamento do perfil feminino, diálogo com o parceiro e quebra de tabu para conseguir desejar de uma maneira livre", afirma Borzino.

Ele garante que não há medicamento para isso. "Muitas pessoas acreditam erroneamente que pílulas para disfunção erétil provocam tesão, estimulam a libido e iniciam uma discussão sobre a existência de uma pílula semelhante na versão feminina. As pessoas esquecem que qualquer pílula para este tipo de disfunção é uma medicação para ereção e não atua no desejo do homem.

Remédio não faz ninguém desejar ninguém. Desejo é uma apetência e apetências são instintivas, inibidas ou não, dependendo da educação que a pessoa recebe", afirma. Ele lembra, claro, que algumas mulheres com problemas hormonais podem sofrer com queda de libido, mas trata-se de uma minoria quando o assunto é carência de orgasmos.

A dica de Borzino é a procura de um profissional habilitado para que a mulher se conheça melhor, se respeite mais e se entregue de uma maneira plena. "O mais importante, porém, é o que ela já pode fazer no dia-a-dia: buscar um maior entrosamento com o parceiro não só na cama, mas também, e principalmente, fora dela", sugere. "O sexo começa com o bom dia no café da manhã".

 

É preciso entender então o sexo não como uma obrigação a cumprir, mas algo que tenha que agradar plenamente para que o casamento ou o namoro deem certo. "A mulher, ao se entrosar melhor com o parceiro, se sente confortável para se entregar mais e mostrar o que deseja. E acho que esta é a principal dica: perder a vergonha e falar do que gosta. Sem uma comunicação clara, fica complicado para o homem adivinhar do que as mulheres querem".

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23.08.10

sexo, acabe com a rotina na sua relação

 

1. Rapidinha vapt-vupt

Por que vale a pena?
Este tipo de sexo é perfeito para aliviar as tensões e satisfazer o desejo a qualquer hora! Vale deixar o preconceito de lado e experimentar. Imagine, por exemplo, que sua casa está cheia, mas um beijão esquenta o clima entre você e o parceiro. Por que não levá-lo ao banheiro ou a um cômodo vazio e fazer a festa? Mostrar ao rapaz todo o seu tesão vai excitá-lo ainda mais. 

Acerte em cheio
Há duas boas posições para a rapidinha. Em pé, de costas para o parceiro, curve-se em direção a uma parede ou mesa e deixe que o gato penetre-a por trás. O papai-e-mamãe também funciona, pois o homem controla a velocidade da penetração – que deve ser mais rápida! Vale ter um lubrificante para apressar as preliminares, pois talvez não dê tempo de se aquecer. 

2. Jogo dos sentidos


Por que vale a pena?

Normalmente, durante a transa, ninguém se esforça para estimular a audição e o paladar – afinal, o tato e a visão sempre saem ganhando. Por isso, separar um período do sexo para ativar todos os sentidos pode fazer uma diferença e tanto! Só assim você descobrirá algumas sensações novas e conhecerá melhor o moço, criando mais intimidade entre o casal. 

Acerte em cheio

Vamos instigar todos os sentidos? Olfato Acenda uma vela cheirosa no ambiente e use um perfume ou creme hidratante gostoso. Tato Vista uma lingerie de renda para estimular o toque dele. Visão Aposte em luz suave para um clima de sensualidade. Audição Diga frases sexies para atiçar a imaginação dele. Paladar Coma morango ou chocolate no corpo do gato. 

3. Amor devagarzinho

Por que vale a pena?
Explorar o corpo do parceiro e deixar que ele faça o mesmo com você é importantíssimo! Para isso, não meça esforços e marque um fim de semana romântico, por exemplo. Com tempo e tranquilidade, vocês poderão aproveitar melhor o momento para turbinar as sensações de prazer de ambos.

Acerte em cheio

Antes de se entregarem ao sexo, comecem a estimular um ao outro: a troca de olhares e de toques os deixará mais ansiosos para a hora H! Quando estiverem juntos, não tenham pressa para terminar. Escolha uma posição confortável e fale o que deseja que ele faça – e diga que também atenderá os pedidos do gato. Ao demorarem para atingir o orgasmo, vocês dois aumentarão a intensidade dele depois. Oba! 

4. Seja dominada por ele

Por que vale a pena?
Se você nunca se entregou totalmente ao parceiro, está na hora de tentar. Em geral, o homem fica extremamente excitado quando se sente no comando da situação. E, assim, seu parceiro se esforçará ainda mais para levar você à loucura! Ou seja: os dois ganham. Dê poder ao seu amado e veja o resultado.

Acerte em cheio
Como é a vez do maridão de assumir as rédeas da transa, escolham posições nas quais ele estará por cima. Para a entrega ser total, afaste as mãos, colocando-as atrás da cabeça. Tal postura deixa claro que você está dispo sta ao que ele sugerir. Seu amado ficará elétrico ao perceber que tem a sua confiança. 

5. Domine seu homem


Por que vale a pena?

Seu homem é daqueles que sempre quer mandar na relação? Então, mostre a ele o que você deseja secretamente! Além de realizar as fantasias que sempre quis, você vai surpreendê-lo com a postura de dominadora. 

Acerte em cheio
Para que você tenha o controle, prefira ficar por cima do bonitão. Peça a ele que deite na cama e sente-se por cima, mantendo uma perna de cada lado. Nesta posição, você poderá decidir o ritmo da penetração: tente variar entre mais rápida e mais lenta. Como o gato estará com as mãos livres, peça-lhe que acaricie seu clitóris, aumentando seu prazer. E, claro, não se esqueça de ter uma postura confiante e segura – veja a si mesma como uma deusa do sexo! 

6. Pegada selvagem


Por que vale a pena?

Uma transa que abala até as estruturas da cama é sempre bem-vinda! Quando o gato não economiza na pegada, você se sente desejada e irresistível por ele não conseguir se controlar. Além de aumentar muito sua autoestima, esse tipo de sexo permite que você libere todos os instintos e mostre ao parceiro tudo que está sentindo com gemidos e sons altos. 

Acerte em cheio
Escolha posições que remetam ao instinto animal: uma boa opção é começar de quatro. Deixe claro que está prontinha ao pedir que ele segure em sua cintura para ditar o ritmo dos movimentos. Se quiser esquentar ainda mais (e confiar no moço), peça que ele puxe um pouco seu cabelo. Não deixe de gemer conforme seu prazer for aumentando. 

7. Tudo à mostra

Por que vale a pena?

Chega de ter medo de transar com as luzes acesas! A claridade, afinal, faz você prestar atenção em cada reação do gato e perceber de quais toques ele gosta mais. Além disso, os homens se excitam ao ver a mulher em ação. E, caso não esteja em forma, não se preocupe: se o parceiro está com você é porque sente tesão por seu corpo! 

Acerte em cheio
Peça para ele se sentar na cama e sente-se por cima dele de frente, colocando as pernas atrás das costas dele. Além de ficarem juntinhos, nesta posição nenhuma imperfeição ficará tão exposta e você se sentirá segura para aproveitar tudinho! Quer colocar mais fogo? Aproveite as luzes acesas e se masturbe, mostrando a ele como gosta de ser tocada. Ele vai adorar! 

Consultoria: Fernanda Pauliv, palestrante, sócia e consultora do Joanah Pink Centro Integrado da Mulher (www.joanahpink.com.br); Maria Luiza Cruvinel Moretti, sexóloga e terapeuta de casais

 

Via amor e sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:02 | link do post | comentar

Sexta-feira, 20.08.10

As inglesas preferem manter a roupa durante o sexo

 

Pelo menos metade das mulheres prefere manter as roupas durante o sexo. É isso que descobriu uma pesquisa feita pelo site britânico MyCelebrityFashion - dedicado a listar celebridades e onde você pode encontrar suas roupas. Segundo os dados, 48% das entrevistadas não querem tirar tudo.

 

A razão, para 54% delas é melhorar a auto-estima. A peça preferida (68%) é o sutiã.

 

A mesma pesquisa foi além e perguntou aos homens se eles preferem que a mulher mantenha uma peça de roupa durante a prática. Para surpresa, 36% deles disseram que sim. Esses responderam também qual peça preferem. A grande maioria - 62% - enlouquece com uma boa camisola. A calcinha é adorada por mais da metade dos britânicos - 51%.

A pesquisa do MyCelebrityFashion foi feita depois da busca, no próprio site, por lingeries mais incrementadas. No total, 1563 pessoas foram entrevistadas. Depois do sutiã, as peças preferidas pelas mulheres vão das camisolas (59%) e salto alto (40%) até vestidos (36%) e calcinhas (31%). Elas podiam responder mais de uma peça.

Essas roupas, segundo as entrevistadas, teriam o poder de dar um up na confiança que tem no próprio corpo. Das que escolheram o sutiã, por exemplo, um terço diz que o peito fica muito mais bonito e 24% se sente mais sexy usando um. No entanto, as que preferem as camisolinhas admitem que a intenção é esconder o corpo.

Entre os homens, a principal razão para preferirem que as mulheres vistam alguma peça durante o sexo é porque, assim, a experiência fica mais excitante, segundo os que não abrem mão da calcinha.

A mesma pesquisa descobriu que 61% das mulheres preferem fazer sexo com as luzes apagadas - dos homens, apenas 37% admite que prefere o escurinho. Para elas, a luz apagada ajuda, mais uma vez, a esconder o corpo. Para os homens, a resposta foi totalmente contrária. Eles querem as luzes acesas para poder ver tudo!

O diretor de marketing do MyCelebrityFashion, Andy Barr, afirma que a pesquisa mostra como as roupas interferem na confiança e auto-estima da mulher. "O fato de tantas se sentirem mais sexy com um alguma peça mostra que ela pode mesmo melhorar a auto-imagem da mulher".

 

Representando os homens, ele diz que as mulheres precisam lembrar que eles não ligam muito para sua própria forma, já que nem se importam com a luz acesa. "Não há certo ou errado entre quatro paredes. Cada um tem suas preferências".

 

E vocês o que acham?

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 17.08.10

Sexo selvagem?, há quem goste

 

"Me joga na parede e me chama de lagartixa". Para muitas mulheres, essa frase é mais do que um dizer popular divertido. Significa a preferência por um tipo de sexo que deixa a delicadeza de lado.

 

E se delicia com um pouquinho de ferocidade.

 

Essa pimenta forte, que envolve palavrões, puxão de cabelo e até tapinhas é tempero para as relações até da atriz bonitona Eva Longoria, de 34 anos. "Não tenho nada contra ser amarrada com lenços de seda. Eu gosto de homens que assumem o comando. Há algo muito sexy em ser submissa", disse a atriz, em entrevista recente à revista "Cosmopolitan". E não é só nas relações dela que a pimenta vira refresco.

Para Ana Maria, de 27 anos, o melhor tipo de sexo é o selvagem. "Isso não quer dizer violência, mas um pouco de sacanagem, na medida", diz. Os homens concordam e dizem que não há mulher que resista a uma boa pegada forte. "É claro que varia o dia, às vezes elas estão mais românticas e querem uma transa mais light. Mas a maioria adora um maremoto de prazer", afirma Roberto, 31.

Existe certo pudor quando o assunto é esse tipo de sexo, já que ele é normalmente preferência declarada apenas dos homens. Mas, e quando o contrário acontece - e ele prefere a transa mais leve? "É muito importante que a mulher saiba equilibrar e diferenciar uma coisa da outra. Ela pode variar e ter uma relação calma em um dia e, no outro, pegar mais pesado", sugere a personal sexy trainer Fátima Moura.

Para não assustar o parceiro, é preciso saber que tipo de homem há na cama e abusar do "feeling". "Se o homem for mais conservador, com certeza vai se assustar. Mas se gostar de sexo mais selvagem, ele vai adorar a iniciativa da mulher", diz a profissional.

"Eu adoro sexo selvagem. É muito bom. Gosto de ficar por cima, assim fica mais fácil de ele dar aqueles tapas gostosos e eu fico livre para fazer o que eu quiser", diz Ana Bárbara, 31. "Mas tem que saber fazer, sexo selvagem não quer dizer pancadaria".

Mariana, casada há 7 anos, assume que gosta de sexo selvagem, mas não dispensa o carinho. "Eu gosto de ficar de quatro e receber uns tapinhas. Mas isso é porque eu já estou bem entrosada com o meu parceiro", diz a mulher. Fátima confirma o que Mariana diz. "Quanto mais intimidade, melhor o relacionamento na cama. Tanto o homem quanto a mulher devem conhecer bem um ao outro, em todos os sentidos. Dessa forma, a relação tende a ser cada vez melhor", afirma.

Mas se mesmo assim, não há sintonia quanto à intensidade do sexo, é preciso reflexão. "Existem muitos motivos que levam a isso. Pode ser estresse, excesso ou problemas no trabalho, assim como desgaste no próprio relacionamento, que pode ter caído na rotina", diz Fátima. E como vida íntima e dia-a-dia andam de mãos dadas tanto quanto você e seu amado, é sempre interessante checar como andam as coisas. "Conversa é a base de tudo", indica Fátima.

Para quem gosta do tempero e quer arriscar, a dica então é começar pelo básico e, no desenrolar das coisas, perceber se a ousadia faz parte do show. Aos poucos, é possível ir deixando a transa mais ardente, sem atropelar etapas. Combinar o melhor dos mundos - amor e sexo - exige conhecimento de causa e sentido de oportunidade. É por aí que mora um pouco do que diz a música de Rita Lee, "Amor e Sexo". Na canção, enquanto amor é sinônimo de bossa nova, sexo é de Carnaval! Que tal ensaiar bem e cair no samba?

 

Por Sabrina Passos (MBPress)

 

Via Vila dois

 



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Domingo, 15.08.10

Sexo casual

 

Sabe aquela história do “solteira sim, sozinha nunca”? Será que o sexo casual é a melhor opção nos tempos modernos ou vale mesmo buscar alguém para um compromisso sério ?

Não há como negar que estar com alguém e não ter cobranças e nem compromissos é muito bom, se somente isso basta é a questão.

“Hoje em dia, os jovens acham que ter compromissos é careta.

 

Mas na verdade, isso é um mecanismo de defesa. Eles têm medo de se envolver profundamente, então, não se permitem gostar de alguém para não sofrerem”, explica a terapeuta Vivian Maria de Souza.

 

Marina Silva*, de 27 anos, já teve relacionamentos duradouros, mas ultimamente tem preferido o sexo casual. “Existem momentos em que nada é melhor que um relacionamento estável, ao lado de quem gostamos e nos sentimos bem. Mas quando esse amor acaba, queremos ficar sozinhas para pensarmos em nós mesmas. Não queremos dar satisfação para ninguém, então, partimos para algo sem compromisso”, conta ela.

Sexo casual e relacionamento sem compromisso podem fazer bem, mas é preciso saber o que se quer e onde pisa “Chega uma hora em que o ser humano precisa de vínculos concretos. Não adianta estar com alguém para se divertir e, quando realmente precisa de companhia, estar sozinho. O sexo casual é inimigo da intimidade. O problema maior é quando uma das partes começa a se apegar à outra. Isso pode não ser recíproco e a pessoa passará a se sentir usada. Sua auto-estima ficará em baixa e ela sofrerá por não ser correspondida”, afirma a especialista.

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Domingo, 19.07.09

 

 

E se encontrasse a sua mulher num anuncio de encontros?

A descoberta podia ter dado para o torto, não fosse o casal em questão ter sentido de humor. O anúncio que apareceu na homepage do facebook de um homem, de uma empresa que usa a rede social Facebook como website de eleição para fazer publicidade, consistia numa fotografia de uma mulher, encabeçada pela etiqueta "Solteira Sexy". O homem: o seu marido. Como Cheryl Smith, a mulher, escreve no seu blogue, o lado positivo é que ambos têm sentido de humor. Ao que parece, as fotografias de perfil dos utilizadores do Facebook são facilmente utilizadas em anúncios destes. O acontecimento surge numa altura em que várias organizações e especialistas questionam a segurançae a privacidade da famosa rede social. Smith oferece, no seu blogue, as dicas para que isto não lhe aconteça: vá a 'Settings', 'Privacy', 'News Feed and Wall' e clique em 'Facebook Ads'. Aí, clique em 'no one'. Só assim não verá a sua fotografia ser usada em anúncios de encontros nas páginas dos seus amigos.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 00:18 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

6 certezas sobre sexo que...

Sexo, Não finja que está ...

Dicas para quem gosta de ...

Fazer o próprio vídeo eró...

Sexo e prazer sem pudores

SEXO, PROIBIDO É MAIS GOS...

ERROS SEXUAIS QUE ELES E ...

12 Segredos para melhores...

Fantasia sexual

Parafilia

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados