Domingo, 25.11.12

Fetiches secretos, do que elas gostam

 

Do que uma multidão de homens e mulheres gostam - mesmo -, mas continua a ser tabu. Conclusões do livro Milhões de Pensamentos Perversos, de Ogi Ogas e Sai Gaddam

 

Diz-se que já tudo foi inventado. O que está a dar é reinventar. E a fantasia humana é ilimitada. "Como é que nunca ninguém se lembrou disto?", perguntaram, um dia, dois neurocientistas americanos, especializados na área computacional. Ogi Ogas e Sai Gaddam, da Universidade de Boston, decidiram criar um modelo da mente sexual de homens e mulheres de todo o mundo. A partir do que fazem, realmente, às escondidas, na grande aldeia global da net. Recolheram e analisaram 400 milhões de pesquisas em motores de busca com conteúdos para adultos: sites, vídeos, comentários, anúncios pessoais, histórias eróticas e romances. As conclusões estão no livro Milhões de Pensamentos Perversos (Lua de Papel, 344 págs., €15,90). Dado número um: nascemos com um equipamento sexual do desejo, programado para encontrar parceiros à medida das nossas mais estranhas taras e manias. Dado número dois: os circuitos mentais da mulher têm duas tomadas e os dos homens só possuem uma. Eles pensam, ao mesmo tempo, com as duas cabeças, perante estímulos visuais. Não admira que as achem complicadas: no equipamento delas, a excitação física e psicológica estão separadas e não há pílula do desejo que lhes valha. Por enquanto. Dado número três: a igualdade de género não funciona na cama. As mulheres raramente pagam para ver pornografia. O cérebro sexual feminino é ativado pelas pistas do enredo, onde todos os detalhes contam. A libido delas acorda diante do herói dominador da cultura pop, que as considera irresistíveis e se submete ou, melhor ainda, as submete com estilo. Numa versão mais obscura, a conflituosa relação entre dois machos alfa, que acabam emocionalmente envolvidos, dá-lhes arrepios e adrenalina (como esquecer a dupla Tom Cruise e Brad Pitt, no filme Entrevista com o Vampiro?).

 

Um homem satisfaz-se com aventura, risco e diversidade. Quer ver pénis, rabos, mamas e pés. Mulheres tenrinhas e maduras. E todo o tipo de interditos, do sadismo à bestialidade. Uma mulher aquece com narrativas românticas e jogos de sedução, onde o contexto é tudo. A explosão de contos eróticos sobre ícones da cultura pop é disso a prova.

 

A megaexperiência de Ogas e Gaddam está para o século XXI como as do investigador Alfred Kinsey para o século que passou. Sem falsos pudores, mostra que certas práticas, etiquetadas pelos especialistas como anormais ou perversas na sociedade dita civilizada, acontecem com mais frequência e normalidade do que é admitido.

 

(A)MORALIDADE SEXUAL


As "pegadas sexuais" dos internautas da amostra trazem à superfície tendências insólitas. Um homem que paga para ter sexo telefónico dispensa a imagem, porque a ideia é dizer palavrões e deixar-se dominar pela operadora. A mulher que aprecia romance também se imagina como prostituta, ou fica arrebatada pela ideia de ser raptada pelo homem das cavernas ou por aquele cavalheiro insuspeito, que a ata e a deixa indefesa. Tanto um como o outro género pela-se por uns bons açoites e excita-se com a possibilidade de enganar o parceiro. Mais bizarro ainda, ser alvo da traição dele (ou dela).

 

A má da fita é a biologia da espécie. A evolução programou o macho para ser caçador reprodutor, cabendo à fêmea precaver-se de jogadas arriscadas, a menos que encontre um protetor forte, capaz de sustentar a prole. Não é de estranhar, por isso, que os adolescentes surjam no topo das preferências sexuais: a juventude é um potente afrodisíaco. O que ainda não se sabia é que as mulheres e homens mais velhos, que surgem nas pesquisas da net com as tags (etiquetas de busca) "mãezinha", "avozinha marota", "paizinho" e "maduro", fazem as delícias de muita gente (basta pensar nas versões masculina e feminina popularizadas em séries como Donas de Casa Desesperadas e Dr. House). Sair da norma é uma forma de evasão comparável à proporcionada pela gastronomia. Seja com picante, molho agridoce, gafanhotos ou cozinha de fusão, o princípio é divertir-se e sair da experiência com satisfação, sem dar relevância a quem veja nisso um gosto perverso. E a pesquisa de conteúdos eróticos gay continua a ser muito popular no ciberespaço. Já contrariando todos os cânones acerca da beleza feminina, as mulheres roliças, com seios a condizer, são delícias gourmet muito solicitadas por quem navega nos motores de busca.

 

PROIBIDO É DEVIDO


O sex appeal não escolhe idade, medida ou peso. Mas tem esquemas concretos na mente sexual. Por exemplo, cada "versão" heterossexual apelativa tem o seu equivalente gay (mulher robusta e dominadora/homem pujante e barbudo; "mãe" de outrem, sedutora e marota/"pai" de terceiro, cativante e experiente; rapariga "boazona"/rapaz "pão"). No género porno, os vídeos mais populares mostram os corpos transpirados e as expressões faciais do homem, que agradam tanto aos homossexuais como às mulheres. Os filmes e ficções no feminino estão em franca expansão, por prolongarem a saga, repleta de momentos provocadores. E de elementos de tensão entre personagens, com desejos proibidos.

 

A motivação central de todos é simples: "Surpreende-me com algo que eu ainda não saiba." Os autores deste estudo espantaram cientistas e terapeutas sexuais. E não só. Ogi Ogas faz investigação em biodefesa para os puritanos serviços de segurança dos EUA. A ideia de concretizar o livro e transgredir o politicamente correto terá sido mais forte e falado mais alto.

 

Retirado de O Portal dos Psicólogos



publicado por olhar para o mundo às 12:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 09.10.12

6 certezas sobre sexo que deve esquecer

Deixe as suas certezas sobre sexo para trás e aumente a temperatura na cama

Por vezes agarramo-nos a determinadas certezas, apesar destas serem antiquadas. Nunca dá por si a pensar que chegou a altura de pensar em algo novo? 

1ª certeza sobre sexo: Sexo bom dura horas e horas 
Correcção: Relações sexuais boas duram o tempo que queremos que durem. 

Pode ser uma “rapidinha” quando está à espera dos sogros e a adrenalina começa a correr nas veias. Permita que os desejos urgentes do seu parceiro, de possuí-la naquele preciso momento, a entusiasmem. Pode também ser uma maratona sexual no Domingo de manhã, na qual descobre zonas erógenas esquecidas e tenta todas as posições que conhece, e talvez até inventa umas novas. 

2ª certeza sobre sexo: o homem toma sempre a iniciativa
Correcção: Mulheres, assumam o controlo!

Normalmente, a iniciativa é sempre do mesmo parceiro. Na maioria dos casos, este parceiro é o homem, independentemente de quão emancipada ou excitada está a mulher. Os homens adoram que as mulheres assumam o controlo – sentem-se mais desejados e você sente-se mais confiante, o que vai, sem sombra de dúvida, elevar a temperatura no quarto (ou no WC, sofá, balcão da cozinha...).

3ª certeza sobre sexo: cada um dos parceiros investe 50% de esforço na elação sexual
Correcção: Isto deve aplicar-se ao balanço anual, mas cada pessoa deve investir aquilo que lhe apetece nesse momento.

Isto significa que se o seu parceiro está cansado, deixe-o descansar e render-se ao prazer, enquanto o mima. Quem sabe se essa razão 20-80% não aumenta o seu prazer para 150%.

4ª certeza sobre sexo: Relação sexual é o coito
Correcção: Relação sexual pode ser tudo.

Quando chegamos ao coito, a “verdadeira relação sexual”, sentimos que o prazer que obtemos num simples beijo ou carícias é só para “principiantes”. Ainda se lembra de como gostou de se conhecer, em termos sexuais? Talvez deva aprender algo com os “principiantes”: esteja completamente presente em cada beijo, em cada toque, quando estiver a saboreá-los, sem se apressar para o derradeiro objectivo – o orgasmo.

5ª certeza sobre sexo: as fantasias são privadas
Correcção: Também pode contar as suas fantasias ao seu companheiro. Podem partilhar fantasias ou realizá-las juntos.

Partilhar fantasias vai estimular o vosso desejo sexual e criar sentimentos ainda mais fortes de confiança e proximidade. Ver um filme erótico ou ler literatura erótica juntos pode ser um bom começo, e depois podem criar os vossos próprios guiões eróticos.

6ª certeza sobre sexo: quando se conhece bem o parceiro, sabe-se “em que botões carregar” 
Correcção: A menos que tenha uma relação com um robot, tudo pode mudar.

Mesmo que pense que conhece o seu parceiro por dentro e por fora, continue a explorar as zonas erógenas do seu corpo e as mudanças nos seus desejos, à medida que os anos passam. Descubram-se novamente e os vossos laços serão fortificados – mesmo fora do quarto.

 

Noticia do Sapo Mulher



publicado por olhar para o mundo às 08:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 08.10.12

Não finja que está a gostar!

 

Pode sair-lhe caro

 

Se fingir que fica excitada com algo que não a excita durante a relação sexual, em breve o sexo vai transformar-se num pesadelo. Exprima os seus desejos! 

Tem de revelar os seus desejos ao seu parceiro

 

O objectivo do bom sexo é deixar-se levar e ter em conta os desejos do seu parceiro, sendo que o seu parceiro tem também em conta os seus desejos e faz tudo o que a excita. É por isso que não é boa ideia ficar em silêncio e pensar que o seu parceiro vai achar que os seus desejos são estranhos ou que a vai julgar. As mulheres costumam ter mais problemas com este tipo de situações. 

Têm medo que os homens passem a vê-las como prostitutas, o que implica que não as vejam como futuras esposas. Esta situação é naturalmente indesejável porque as priva de ter prazer e faz com que passem a sentir que falta sempre algo no sexo. Por outro lado, os homens têm medo que as suas parceiras digam que não, que achem que os seus desejos são depravados ou que reajam mal. 

É sempre importante falar sobre estas questões e é por isso que aconselhamos que mostre, assim que possível, e de forma amável e agradável, o que quer, o que gostava de experimentar, o que acha que falta fazer e quais são as suas fantasias. Mesmo que a reacção inicial seja algo turbulenta, não desista e continue a explicar, ou então espere por uma ocasião mais apropriada, encarando a partilha dos seus desejos de forma diferente. 

Os preconceitos devem ser deixados à porta do quarto

 

A maioria dos preconceitos são completamente desnecessários e provavelmente vão rir-se deles mais tarde. São apenas fruto da sua imaginação e deixarão de existir se falar honestamente sobre eles com o seu parceiro. As mulheres são normalmente preconceituosas em relação ao sexo anal, esperma, garganta funda, sexo mais brusco e alguma dominação marota, por exemplo. 

Os homens não sabem como exprimir estes desejos adequadamente e por isso não os revelam, tornando-se muitas vezes infelizes e insatisfeitos com a sua vida sexual. Caros senhores, um dos maiores erros que podem cometer é trair a vossa parceira só por estarem convencidos que ela não gostaria de experimentar certas coisas. Deve perguntar-se primeiro se chegou alguma vez a dizer-lhe o que quer fazer. 

Se já o fez, analise a forma como lhe perguntou. Foi suficientemente persistente, fez as coisas certas sem a forçar a nada? Uma palavra gentil resulta sempre bem, só tem de ser paciente, especialmente se a sua parceira não for muito experiente neste tipo de assuntos ou um pouco conservadora. 

Tácticas para realizar os seus desejos mais secretos

 

Comece com uma abordagem astuta e assim não vai insultar a sua parceira, para que ela não ache que está insatisfeito com a sua vida sexual e que só consegue satisfazer-se através das suas fantasias. Também aconselhamos as mulheres a não seguirem essas linhas de raciocínio para não ficarem com a sensação que os seus parceiros já não têm interesse no sexo normal e que só ficam excitados com as coisas que ainda não fizeram com eles. 

Caras senhoras, não se trata disso; o conceito é semelhante ao da sobremesa, um ingrediente adicional para apimentar o sexo. Estas são coisas que os vossos parceiros gostam e que as querem fazer ocasionalmente. O mesmo também se aplica a si. Deve falar ao seu parceiro sobre os seus desejos e não tenha medo que ele a passe a olhar para si da forma errada. Por exemplo, diga-lhe que quer que lhe faça mais sexo oral, estendendo-o ao ânus, que gostava de experimentar sexo em público e muito mais. Não tenha vergonha dos seus desejos. 

Não os reprima e comece a fantasiar com outra pessoa. O seu parceiro só pode realizar os seus desejos se os revelar. Como já dissemos anteriormente, revelar os seus desejos exige paciência e uma abordagem e experimentação gradual. É melhor deixar que as coisas aconteçam espontaneamente e no calor da paixão. 


Retirado de Sapo Mulher



publicado por olhar para o mundo às 18:53 | link do post | comentar

Terça-feira, 11.09.12
como evitar seis erros que estragam o sexo

Veja dicas de como melhorar sua vida a dois

As mulheres devem ficar alertas quando o sexo não vai bem. Elas não devem culpar sempre o parceiro se estiverem com dificuldades para atingir o orgasmo e, sim, assumir a responsabilidade. Segundo o site Your Tango, as pessoas fazem sexo por várias razões e não todas são físicas, no entanto, o objetivo de atingir o orgasmo é o que motiva querer fazer mais e mais sexo.

 

Mas para que a relação fique melhor, mais quente e tenha melhores orgasmos, você precisa prestar mais atenção às preliminares e à comunicação, além de aprender a assumir a liderança.

 

Veja abaixo seis razões que podem estar estragando suas noites e o que fazer para reverter esta situação:

 

1 - Você está pulando as preliminares: a parte mais quente e mais explosiva do sexo acontece quando os dois estão totalmente conectados, excitados e focados na vontade do casal e, a única maneira de chegar lá, é com as preliminares. Ela aumenta a excitação e a probabilidade de atingir o orgasmo. Incorporar brincadeiras mais longas às suas transas, dá mais tempo do corpo se preparar para o evento principal. Você pode não perceber, mas a vagina passa realmente por um processo fisiológico de mudança durante as preliminares. O útero contrai um pouco e as paredes da vagina se expandem, o que torna a penetração mais agradável.

 

2 - Você não está construindo antecipação suficiente: ter tempo para se excitar e deixar o parceiro “louco” incrementa o sexo de várias maneiras, por isso uma das coisas mais importantes das preliminares é que você tenha tempo de construir a antecipação. A antecipação e a tensão é como uma brasa que vai se acender depois. Afinal, se você sabe exatamente o que vai acontecer e quando, não há pelo que ficar animado. É a necessidade, a construção e a sensação de que você não seria capaz de esperar mais que faz o sexo ser quente.

 

3 - Você não está falando o que deve: você não está deixando claro o que quer, fale do que gosta. Seu parceiro quer agradá-la, mas pode não saber como. Alguns são mais perspicazes que outros, no entanto, muitos homens e mulheres se preocupam e acham que as perguntas e conversas podem acabar com o clima. Apesar do ditado que diz não existir perguntas estúpidas, algumas definitivamente são mais sexy do que outras. Você pode resolver este problemas, falando quais são verdadeiros desejos. Se quiser alguma coisa específica, deixe claro. Se precisar desacelerar o ritmo para aumentar seu prazer, tente tomar o controle. Não tenha medo de dar um passo atrás, parar a ação e mudar seu curso.

 

4 - Você não está ajudando: a crítica não é sexy, então use os comentários positivos para conseguir o que quer durante o sexo. Dizer coisas como: "eu amo quando você me toca lá", "amo quando você usa sua boca" e "adoro quando você vai devagar, me faz querer ainda mais", são excelentes maneiras de conseguir o que deseja e manter a tensão erótica entre você e seu parceiro.

 

5 - Você vai de carona quando se trata do seu prazer: muitas mulheres têm a convicção de que seus parceiros irão dar todo o prazer e incríveis orgasmos à elas e, por causa disso, relutam em ter mais ação na criação do prazer durante o sexo. Não importa o quanto seu amante seja incrível, ele ou ela não pode ler sua mente. Seu parceiro deve estar atento às suas necessidades, é claro, além de ter habilidades sexuais e empatia para agradá-lo, mas não pode lhe "dar" um orgasmo sem sua participação. Sexo é algo feito junto e seu orgasmo é responsabilidade dos dois, por isso escolher as posições lhe permite acessar áreas mais sensíveis do seu corpo. Aproveite para falar sobre o que está gostando e o que não está dando certo.

 

6 - Você não considera todas as opções: há no mercado várias opções de pequenos vibradores que podem ser usados durante o sexo com seu parceiro. Encontre um que goste e não fique envergonhada. Explique ao seu amante que o vibrador irá melhorar a experiência e ajudá-la a chegar lá com menos esforço. Estes brinquedinhos diminuem a pressão e permitem que você relaxe e perca o medo e a preocupação se vai ou não ter um orgasmo. Usar um vibrador dirá ainda que você é liberal e leva a sério sua vida sexual e não há nada de errado nisso. 

 

Retirado de Terra



publicado por olhar para o mundo às 21:34 | link do post | comentar

Domingo, 10.06.12

Ele não quer usar camisinha e agora

Boa parte das pessoas que já fez sexo com e sem preservativo diz que a relação sem ele é mais prazerosa devido ao contato direto dos órgãos genitais. E garante que a camisinha na relação é como "chupar bala com papel".

 

Para muitos homens o preservativo, além de atrapalhar na hora "h", tira o prazer e dificulta a excitação.

 

Existe também o lado das mulheres. Muitas delas afirmam que o preservativo incomoda e irrita a pele e, durante a penetração com a proteção, demoram a ter um orgasmo ou, às vezes, nem conseguem chegar ao ponto de prazer.

 

Por esses e outros motivos, alguns casais que já namoram há alguns anos decidem realizar exames para descobrir se possuem ou não DST (Doença Sexualmente Transmissível) ou AIDS. Quando o resultado é negativo, muitos deles deixam de usar o preservativo em busca de um sexo mais intenso. Mas será que realmente eles estão seguros? E se um dos dois sai com outra pessoa (trai) e não usa camisinha?

 

Para o ginecologista e sexólogo, Amaury Mendes, professor e médico do ambulatório de sexologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), o sexo sem camisinha, mesmo em uma relação de longo prazo deve ser bem pensado. "A monogamia é uma opção, porém não é um pacto entre o casal. É uma decisão que deve ser bem madura e refletida, pois tanto entre pessoas que estão namorando como as que estão casadas pode ocorrer uma traição", relata ele.

 

Ele afirma que o casal que decide parar, definitivamente, de utilizar a camisinha precisa realizar exames de hepatite, AIDS, sífilis e sangue, pelo menos uma vez por ano. "Cada um dos exames tem o intervalo de 30 dias. Somente depois do resultado de todos é que se pode realizar a relação sem proteção", diz ele. "Mesmo assim, não é seguro", alerta.

 

Mendes explica que, atualmente, ninguém está livre de passar por uma infidelidade. Sendo assim, o teste deve ser realizado frequentemente. Ele também garante que o diálogo entre o casal é fundamental para evitar uma possível traição e, consequentemente, a chance de ser infectado por HPV e outras DSTs. "O casal deve sempre realizar exames periódicos juntos, nos casos em que ambos não conseguem utilizar o preservativo", orienta.

 

Embora as pessoas acreditem que combinar com o parceiro de manter relações sexuais apenas um com o outro pode ser uma boa opção para se livrar dos riscos do sexo sem preservativo, o ginecologista relata que não dá para garantir a fidelidade do companheiro. "Ninguém está 100% seguro em uma relação, por isso confiar no parceiro é um conto, pois você pode brigar em uma semana, ficar com outro e depois se reconciliar novamente", explica.

 

O ginecologista ressalta a importância da utilização da camisinha. "Usar o preservativo principalmente na relação anal evita a transmissão de bactérias. Existe o perigo de entrar fezes no canal da uretra, causando infecções que se estendem ao testículo", esclarece ele.

 

Além da DST e da AIDS, outras doenças podem surgir decorrentes da falta de utilização do preservativo. Existe também a "HPV, que pode desenvolver câncer de útero, HPV no pênis, sífilis e até epididimite", relata ele. "A prevenção é com a camisinha. Se o parceiro não quer usar, nem faça sexo", finaliza ele.

 

Retirado de Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 20:57 | link do post | comentar

Sábado, 21.04.12

 

Por mais que o homem se esforce para descobrir as zonas erógenas da parceira, somente ela sabe a maneira certa de ser estimulada para atingir o orgasmo. O problema é que muitas mulheres, literalmente, não se tocam, seja por vergonha ou por educação repressora, e é justamente essa falta de conhecimento do próprio corpo que atrapalha na hora do sexo.

 

A mulher que não se estimula, conforme a psicóloga clínica e sexóloga Maria Lúcia Beraldoexplica, se torna refém, incapaz de conduzir a situação para o que lhe for mais favorável.

 

A experiência sexual neste caso acaba sendo muito genitalizada, voltada para a penetração. "Assim, a mulher tende a cometer três enganos: cria expectativas excessivas em torno da penetração, ancora sua satisfação na competência sexual do parceiro e acaba definindo o orgasmo como algo ‘que rola’, o que não é verdade. A mulher deve fazê-lo acontecer", diz.

 

Entre as possíveis consequência dessa falta de autoconhecimento estão a anorgasmia (dificuldade de orgasmo) e a diminuição da excitação pela perda da concentração. "Neste processo, ela poderá ficar impaciente, fingir o orgasmo ou interromper o ato. Com o tempo, a dificuldade de orgasmo pode acarretar na falta de libido, que é outra disfunção sexual", alerta a sexóloga. "As mulheres que não se tocam possivelmente tiveram a relação com o seu corpo e sensualidade inibida, não tocam livremente seus parceiros, não demonstram o seu interesse sexual e não expressam suas fantasias ou ouvem as do outro, independente de querer realizá-las ou não", completa.

 

Uma brincadeira para incentivar o parceiro a encontrar suas zonas erógenas pode ser interessante, mas Dra. Maria Lúcia pensa que a iniciativa tem sua função equivocada quando a mulher confia somente no toque do outro para saber de si. "Ela fica dependente do parceiro. Porém, quando o relacionamento não dá certo, mas a parceira sabe o que gosta e como gosta, poderá ser feliz sexualmente com outra pessoa, pela qual tenha atração, e poderá fazer as coisas que ela sabe que aumentam a sua própria excitação e que potencializam o seu desejo e prazer", garante.

 

O caminho do autoconhecimento, segundo a sexóloga, é a masturbação, principalmente o toque no clitóris, pois é ele quem desencadeia o orgasmo durante a penetração. Há algumas posições de penetração, cujo estímulo é direito, que podem levar ao orgasmo. "A partir da masturbação a mulher descobre como gosta de ser tocada, orienta o parceiro, toca-se usando as mãos dele, sem culpa ou medos", diz.

 

E orienta: a mulher precisa pensar mais em sexo durante o dia e aprender a gostar de sexo e não só do ato. Para isso, deve libertar sua capacidade de sentir prazer a partir dos órgãos do sentido. "Preste mais atenção no gosto das coisas que come, no prazer de tocar coisas com texturas diferentes, em ouvir uma música agradável. É importante aprender a focar, pois isso permite ampliar a resposta dos sentidos. Estes devem ser explorados ao máximo a partir das coisas banais do dia a dia", explica Dra. Maria Lúcia.

 

Se o parceiro não estiver focado apenas no próprio prazer, pode estimular a mulher a se tocar, criando fantasias e situações que possa inserir muito toque antes da penetração. "Ele pode pedir que ela se toque para ele ver! Nem precisa ser direto no clitóris, mas ir aumentando a sensualidade dos toques dela aos poucos", sugere a psicóloga. Se a parceira for muito rígida, o homem pode apontar isso, mas sem fazê-la se sentir culpada ou inferior. Com jeitinho, ele a ajuda a encarar a situação ou a procurar ajuda profissional.

 

Apesar de vários tabus sobre o tema terem caído por terra, Dra. Maria Lúcia afirma que a proporção de mulheres que ainda encontram barreiras para se conhecerem sexualmente não é a mesma das gerações anteriores e que essa inibição persiste porque hoje se superestima o sexo e se subestima a sexualidade. "Se os pais não tiverem como dar conta das questões sexuais de seus filhos, devem rever seus conceitos e sua própria história, mas não se abster ou reprimir excessivamente. A masturbação, por exemplo, é um processo de autodescoberta incrível, mas muitas pessoas ficam confusas em relação a isso", comenta.

 

A sexóloga diz ainda que ao ver uma criança se masturbando, dependendo da idade, o melhor é distraí-la e mudar o foco, para que ela entenda que essa prática é muito pessoal. "O que não se deve é espancar, falar que Deus está vendo, que o anjo da guarda vai embora, que ninguém vai respeitá-la. Isso mina a sensualidade e desperta a culpa, apesar de não aplacar o desejo", diz. "Nós, mulheres, temos que agir para que nossas próximas gerações não continuem reféns de fantasmas que elas já aniquilaram. O prazer que sentimos é o prazer que nos permitimos. Somos no sexo aquilo que somos diante da vida."

 

Via Viladois



publicado por olhar para o mundo às 11:20 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sexta-feira, 17.02.12

Saiba o que fazer quando ele decepciona no sexo

 

 

A vida a dois nunca é fácil. É preciso entender o outro, conciliar as diferenças e saber lidar com as mais adversas situações. Talvez, uma das mais difíceis para o casal enfrentar está relacionada a sexualidade, as diversas saias justas da vida conjugal. A psicóloga e terapeuta sexual Maria Lúcia Beraldo, especialista no assunto, dá dicas de como lidar com seis situações propostas pelo canal GNT. 

Ele se recusa a fazer sexo oral, mas eu curto. O que fazer? 

A dica é conversar sobre o assunto, se ele não gosta de praticar sexo oral. É preciso descobrir o que o incomoda. Se for a secreção lubrificante liberada pelo órgão sexual feminino, vale sugerir a prática logo depois de um banho juntos, lembrando que a depilação deve estar em dia. "O desconforto também pode ser contornado com brincadeiras que estimulem o paladar com gelatina ou algo gelado podem atrair o homem para uma novidade", explica Maria Lúcia. 

Ele teve uma ejaculação precoce. E agora? 

O momento não é para riso tampouco para mostrar decepção. A dica é tornar o fato positivo. Um convite do tipo "já vi que você se liga fácil. Quer dar um tempinho para começarmos de novo?", será inegável. 

Quero uma rapidinha e ele, uma performance. Como negociar? 

É preciso dizer com todas as letras o que você deseja e, para convencê-lo, que tal falar sedutoramente no ouvido dele que está muito a fim de chegar lá. Mas se mesmo assim, ele querer uma relação mais longa, a mulher pode sugerir que ela tenha o orgasmo primeiro, depois que ambos descansem um pouco e, em seguida, retomem a relação.

 

Meu parceiro gosta de carícias na região anal. Isso significa que ele pode ser gay? 

Sentir prazer nesta região do corpo não significa que seu parceiro seja homossexual. "Para esclarecer de uma vez por todas: a estimulação anal pode sim dar prazer ao homem, tanto pela quantidade de enervação no ânus quanto pela estimulação da próstata", explica a terapeuta sexual Maria Lúcia Beraldo. 


Quando ele não consegue ter uma ereção, como é possível aliviar o clima? 

Se a situação é eventual, não esquente pode acontecer com qualquer um que esteja tenso ou preocupado. Relaxe e use sua imaginação. "Ereção é consequência", esclarece a especialista Maria Lúcia Beraldo. Portanto vale uma conversa picante ao pé do ouvido e carícias em pontos erógenos. Mas se o problema é recorrente, não tem saída, a ajuda de um profissional é fundamental. 

Ele gosta de dizer e ouvir palavra "muito quentes" durante o sexo. Demonstro que fico ofendida ou embarco na fantasia? 

A dica é encontrar um meio-termo no linguajar durante as relações sexuais e liberar palavras que não agridem tanto mas que satisfaçam o parceiro. Use sua criatividade, desperte personagens que vão falar mais do que as palavras. Na opinião da terapeuta sexual Maria Lúcia Beraldo, o sexo de hoje está caminhando para uma modalidade de "monogamia quente", o que significa que o homem não precisa mais buscar fora de casa um tipo de relação que não seria apropriado moralmente ter com sua mulher em casa. 

 

Via Bonde




publicado por olhar para o mundo às 19:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 11.01.12

escola do sexo

 

Uma escola que ensina formas de obter prazer, uma dominadora que traz até Portugal o seu séquito de escravos e luta livre no feminino são as grandes novidades da quinta edição do Eros Porto. Erica Fontes, a mais internacional das atrizes portuguesas, é a cicerone deste evento, que promete voltar a encher de curiosos o Pavilhão Multiusos de Gondomar, de 9 a 12 de fevereiro.


 Como já é tradição por esta altura do ano, o Salão Erótico do Porto regressa para aquecer os dias frios da “capital nortenha”. São mais de 700 espetáculos, em 10 palcos, protagonizados por mais de 80 artistas, incluindo algumas das mais importantes estrelas a nível internacional. Entre elas, Erica Fontes, a atriz portuguesa que tem percorrido os quatro cantos do mundo, será a porta-voz desta edição.

 

“Escola do Sexo” é uma das grandes novidades do Eros Porto 2012. Aqui, os “alunos” poderão aprender alguns dosensinamentos do Kamasutra, saber que posições dão mais prazer ao homem ou à mulher e ver, em primeira mão, exemplos práticos dessas mesmas posições. As aulas serão lecionadas por dois professores e exemplificadas por três casais, seis conceituados atores e atrizes do universo do entretenimento adulto internacional.

 

Os visitantes mais aventureiros poderão dar uma espreitadela ao “Café Fetish”, na Área BDSM. A dominadora Mistress Minerva, pela primeira vez no nosso país, irá recriar o ambiente fetiche do seu estúdio e submeter os seus escravos à tortura do chicote e de outros instrumentos destinados à disciplina. Outra das novidades do Salão Erótico é a luta livre de mulheres protagonizadas pelas bailarinas do Life Strip Club.

 

Entre as atrações da Área Feminina estão consultas de sexologiasessões de tuppersexaulas de dança do varão,massagens eróticas e espetáculos com os strippers nacionais Beatboys. A pensar no público consumidor de filmes eróticos, naAvenida Comercial será possível encontrar os stands das grandes produtoras internacionais, onde realizadores, atores e atrizes estarão disponíveis para conversar com o público, tirar fotografias e dar autógrafos. Estes espaços serão também palco de espetáculos delap dancepole dance striptease, primando pela sensualidade e constante interação com o público.

 

Será ainda possível ver os shows da Área Gay e satisfazer a curiosidade sobre o Swing, num espaço especialmente dedicada a este modo de estar na vida.

 

Sendo o primeiro evento erótico do ano, o Salão Erótico do Porto é um evento que permite a fabricantes, distribuidores e lojistasnacionais apresentarem as grandes novidades de 2012, em termos de serviços e produtos eróticos, a revendedores e ao consumidor final.

 

Segundo Juli Simón, diretor do evento e organizador de festivais eróticos não só em Portugal, como em Espanha e na América Latina, “o objetivo é superar o número de visitas de 2011, não só em termos de espetadores, como de empreendedores que estejam interessados em apostar num setor em franco crescimento a nível nacional”.

 

EROSPORTO – SALÃO ERÓTICO DO PORTO 2012

 DATAS: 9 a 12 fevereiro

HORÁRIOS: Quinta a sábado, das 15h00 às 02h00 | Domingo, das 15h00 às 22h00

LOCAL: Pavilhão Multiusos de Gondomar

PREÇO DOS BILHETES: Geral – 20€ | Estudantes - 15€ (só 5ª feira) | Maiores 65 anos e Pessoas com deficiência - 15€

WEBSITE: www.erosporto.com

FACEBOOK: http://www.facebook.com/#!/pages/Eros-Porto/203012688197

TWITTER: http://twitter.com/#!/SalaoErosPorto

 

Via PTJornal



publicado por olhar para o mundo às 19:16 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21.12.11
Muitas vezes os homens não contam o que querem na cama. Foto: Getty Images

Muitas vezes os homens não contam o que querem na cama

 

Há algumas coisas que os homens desejam para se satisfazerem na cama, mas que simplesmente não pedem. Todavia, a revista norte-americanaCosmopolitan listou dez desejos sexuais deles e te conta todos os segredos.

 

Embora cada homem tenha uma necessidade diferente, "há alguns movimentos e atitudes universais que a maioria deles não sabe como pedir", explicou o terapeuta sexual Sandor Gardos, do site MyPleasure. Assim, corra para a lista e descubra o que eles querem.

 

Garotas que consigam se excitar sozinhas: as mulheres precisam de tempo para entrarem no clima. Embora os homens curtam excitar a parceira, eles também não se importariam se, de vez em quando, ela já chegasse excitada o suficiente para o sexo. A terapeuta sexual Gloria Brame, sugeriu que as mulheres usem a imaginação, como fazem quando vão se masturbar, para chegar ao encontro já "no ponto".

 

Sexo divertido: a vida sexual não acontece como nos filmes. As posições nem sempre funcional e alguns barulhinhos podem surgir no meio da transa e se você encanar com isso, vai perder o humor e estragar o momento. Sexo não precisa ser sério ou sensual o tempo todo. Saiba encontrar leveza e diversão mesmo nos momentos bizarros e veja como tudo só tende a melhorar.

 

Dicas de como agir: nem sempre eles sabem como te agradar da maneira que você gosta. "Ao sugerir o que quer que ele faça, diga o quanto gosta daquilo e o quanto ele está acertando", sugeriu Gloria Brame, terapeuta sexual.

 

Espiar: para os homens, o que eles veem é quase tão bom quanto o que eles conseguem, então permita que ele espie você se masturbar ou mesmo invista em espelhos durante o ato sexual. Os terapeutas sexuais também sugeriram não se despir completamente, mantendo alguma peça de lingerie para instigar a imaginação do moço.

 

Safada: muitas mulheres têm medo de parecer "ousada demais" para o namorado e estragar o relacionamento, mas acredite, eles não se importam com uma dosesinha de safadeza. Tente dizer algo mais apimentado na hora do sexo, tome a iniciativa e deixe a imaginação agir.

 

Ele quer ter experiências novas: para se distinguir das ex dele, você deve ter algum plus que o faça não pensar em outra coisa no dia seguinte. Não precisa ser contorcionista para conseguir esse efeito, basta se dedicar com afinco a algo que já faça bem, surpreendendo-o com novas sensações.

 

Variedade: o tédio nas relações pode desgastar o casal. Tente variar em pressão, posição e velocidade para tornar o sexo mais prazeroso. E o rapaz também vai ficar sempre na expectativa do que virá depois.

 

Surpresas: eles gostam de ser surpreendidos com um convite inesperado para o sexo, em especial em locais públicos ou menos convencionais. Experimente, quem sabe também não gosta?

 

Caça: o sonho de muitos homens é dominar a mulher, mostrar seu lado caçador. Instigue-o com beijos ardentes e diga que se rende a ele para que faça o que quiser e o sonho estará realizado.

 

Às vezes ele não quer fazer nada: ser dominado também é um desejo recorrente. Experimente apenas dar prazer para ver como eles enlouquecem.

 

Via Terra



publicado por olhar para o mundo às 08:50 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 27.06.11
Editora Globo

Só consigo chegar ao orgasmo sozinha, me masturbando. Como fazer para ter orgasmos também durante a relação sexual? – Adriana Figueiredo, de Parati (RJ)

 

Muitas mulheres se queixam de só conseguir ter orgasmos sozinhas. Mas quando pergunto a elas se costumam se tocar durante a relação sexual, a resposta é quase sempre “não”. Em seguida pergunto por que não se tocam, e elas justificam que é porque sentem vergonha dos parceiros. Acreditam que são obrigada a ter orgasmo pura e simplesmente com a penetração. É possível que este orgasmo aconteça? Sim. Contudo, precisamos de treino.


A dica é de que se toque sem medo e sem vergonha diante do seu parceiro. Proponha que ele a toque durante a penetração. Conversem bastante sobre o que é a vivência do sexo para vocês. Com certeza ele estará disponível a modificar o que é importante para que você também tenha seu orgasmo. 

Muitas mulheres aprendem a ter orgasmo clitoriano pelo simples fato de ser o local que podemos tocar durante o processo de aprendizagem e de auto-exploração corporal. Focamos no contato com a vulva e, basicamente, no clitóris. A parede vaginal é pouco explorada. Por causa disso, não aprendemos a ter orgasmos vaginais. 

Você tem todas as chances do mundo de ter seu orgasmo vaginal desde que modifique algumas coisas no relacionamento: 1) falando com o seu parceiro e explicando o que a estimula e 2) tocando-se junto dele. Se isso for muito complicado para você, busque ajuda em terapia de casal para que possam sentir-se bem e ter uma vida sexual melhor, ou seja, na qual os dois têm prazer.  

 

Via Marie Claire



publicado por olhar para o mundo às 19:40 | link do post | comentar

Domingo, 19.06.11

12 Segredos para melhores orgasmos femininos

 

Muitas andam tristes, pois acham que tem problemas para atingir o orgasmo. Algumas até sentemobrigadas a fingir na cama. Mas isso pode ser apenas questão de deixar as pressões de lado e utilizar a técnica certa. Aprenda aqui algumas infalíveis, sem injeções no ponto G ou implantar um chip, que envolvem conhecer os músculos, treinar o corpo facilmente, etc. Mas lembre-se, se você é brasileira, já é um bom começo

Tratamento faz mulher ter orgasmos por horas

1. Acerte os pontos quentes

Uma posição de fricção pode ajudar você a chegar ao orgasmo durante a relação. A mulher deve ficar acima para que o clitóris toque o osso pubiano do parceiro. Ou ela deve deitar-se de costas com um travesseiro sobre as nádegas. Elas podem até tentar utilizar um vibrador durante a relação, diz a Ph.D Laura Berman, professora de obstetrícia da Northwestern University (EUA).

- 9 Surpreendentes razões pelas quais você não tem feito sexo

2. Diga como se faz

“Os homens querem instruções”, disse Laura. Ela deve dizer se ele está no caminho certo, seja falando que está ótimo ou gemendo.

3. Aprenda sobre si

Você não pode dizer como se faz se você não sabe o que a excita. “Para fazer um treinamento corporal para ser orgástica, você deve masturbar-se”, disse Danielle Cavallucci, uma treinadora sexual da empresa de informações sexuais Sexuality Source.

4. Exercite a musculatura do orgasmo

“Os exercícios de Kegel são os clássicos para as mulheres que querem transformar orgasmos fracos em fabulosos”, disse a educadora sexual Dorian Solot. Para localizar esta musculatura na pélvis você deve parar, durante o ato de urinar, nomeio do caminho. Então os exercite enrijecendo-os e soltando (quando você não estiver urinando). Faça isso todos os dias, várias vezes ao dia. Não se esqueça de continuar respirando enquanto aperta a musculatura.

6 Maneiras de melhorar a vida sexual da mulher

5. Se arrisque

Pesquisas mostram que assumir comportamentos que busquem “adrenalina” juntos (seja escalar paredões ou apenas assistir um filme assustador) estimulam a dopamina no cérebro, o que faz com que seus fluídos circulem.

 

6. Atrase o prazer

“Quanto mais longo o período de excitação, maior a explosão”, disse Dorian. Chegue próxima do orgasmo e então retorne ao “banho Maria”. Repita isso algumas vezes antes do clímax.

7. Respirar em uníssono

Sexo tantra pode soar meio new age, mas seu princípio principal — focado na respiração — pode aumentar seu prazer. Parceiros que respiram simultaneamente podem frear a pressa do orgasmo e criar uma maior expectativa, o que pode intensificar o prazer.

8. Filmes eróticos

Pornografia é exclusivamente sobre grandes pênis e gargantas profundas. No entanto os livros e filmes eróticos podem ter bom gosto e ser excitantes, e quanto mais excitada, melhores as chances de orgasmo. Dê preferência para os filmes que tenham uma trama e cenas quentes.

9. Tente preliminares criativas

Se seu (a) parceiro leva mais tempo para “esquentar” adiante-se ao enviar e-mails ou mensagens de texto sensuais (mas não muito gráficas, pois os e-mails não são necessariamente privativos).

10.Verifique seus medicamentos

As mulheres tem maiores chances de tomarem antidepressivos, que podem atingir a vida sexual. Se estiver tendo problemas converse com seu médico sobre seus medicamentos.

11. Procure ajuda cedo

Se você não tem orgasmos, conselhos de um (a) profissional podem ajudar. Danos em nervos ou baixa testosterona podem ser o problema. Apenas “seu médico (a) pode fazer uma análise médica”, disse Laura, “ou pense em fatores da relação” e procure um terapeuta sexual.

12. Relaxe

Em um estudo recente feito na França com mais de 500 mulheres, 70% disse que estresse no trabalho comprometia a libido. E baixa libido, obviamente, leva a menores chances de orgasmo. Portanto deixe as distrações da vida na porta do seu quarto.

 

Via HypScience



publicado por olhar para o mundo às 21:47 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 07.06.11

Masturbação aprimora o prazer sexual e faz bem ao corpo

 

A palavra masturbação deriva de manustupração (manus = mão e stupratio = ação de sujar, macular, manchar. Ou do latim masturbatio, ou talvez do grego mastropeuein que significa prostituir.

 

"A masturbação é sempre muito carregada de culpa e medo. Mas essa prática pode ser muito benéfica ao corpo, ao prazer e à própria sexualidade das pessoas"

 

É importante saber que não existe nada de verdadeiro nos mitos de que a masturbação possa ocasionar doenças físicas, dor de cabeça, ou que venha a causar miopia, pelo na mão, espinhas, loucura...

Essas histórias de doença, sujeira e pecado começaram há muito tempo atrás, lá em Israel séculos antes de o Cristo chegar. Naquela época, Israel era um povo que necessitava fortalecer fronteiras, pois estavam em meio a povos politeístas que adoravam Deusas e Deuses altamente sexuados, e eles eram monoteístas, adoravam um Deus único, macho, e tinham a crença na origem do mundo como sendo fruto de um sopro divino.

Nessa época, a sexualidade deixou de ser vivida como algo sagrado e todas as práticas sexuais que não propiciassem a procriação passaram a ser reprimidas e passíveis de punição.

Aí começa uma grande repressão às práticas homossexuais e à masturbação. Ainda hoje encontramos uma série de mitos que muitas pessoas, apesar das descobertas científicas, ainda tendem a acreditar ou a temer que possam ser verdadeiras. Aqui vão elas:


Oito mitos sobre a masturbação


1ª) Pessoas casadas não se masturbam
2ª) Você pode ficar viciado na masturbação
3ª) Pessoas idosas não se masturbam
4ª) Masturbação é um sinal de homossexualidade 
5ª) Masturbação é para pessoas que não tem parceiros 
6ª) Excesso de masturbação faz com que o homem fique com falta de esperma 
7ª) Masturbação é sinal de doença emocional
8ª) Masturbação é sinal de que a pessoa é incapaz de manter relações sexuais


Prática da masturbação é benéfica 


Como podemos ver, a masturbação é sempre muito carregada de culpa e medo. Mas essa prática pode ser muito benéfica ao corpo, ao prazer e à própria sexualidade das pessoas.


Aproveite!


Entrar em contato com o seu corpo através da masturbação, é uma das maneiras de estimular o prazer e a própria sexualidade; não restringindo esse momento a uma erotização só no pênis e vagina.

Os homens têm uma focalização das sensações eróticas no pênis, não só nos momentos de masturbação, mas também na hora da transa. Aprender a acariciar seu corpo, descobrir novas sensações, nesse grande órgão de prazer que é a sua pele, pode ser uma atividade muito satisfatória. Aliás, esse é um exercício que muitas vezes temos que recomendar em terapia sexual para pessoas que têm pouca intimidade com o próprio corpo, descobrir novas sensações e prazer.


Hora do banho: ocasião perfeita


Você pode começar por um banho, não é aquele banho "rapidinho", aproveite esse momento, com calma, para experimentar diferentes sensações. Comece usando uma bucha vegetal, explore as sensações que você pode tirar do seu corpo. Afinal, como já disse, a masturbação não precisa envolver só a genitalia e, quanto mais você aprender a sentir seu corpo, mais prazer vai poder tirar desse momento de intimidade. Explore a região do ventre, a parte de trás das coxas, nádegas, ombros, pescoço, ou a região peitoral. O grande prazer é de descobrir as sensações do corpo todo. Aproveite a sensação de enxaguá-lo e sinta a água cair.


Continuando...

 

Passe no corpo um creme. Pode ser um hidratante que você goste. Nos dias mais frios, um óleo tem um toque mais agradável (pode ser esses óleos bifásicos ou um óleo de amêndoas). Há ainda aqueles que preferem o toque do talco.

Use e abuse desses momentos para sensibilizar seu corpo e não restringir a prática da masturbação a um exercício localizado na região genital, mas para aprender a desfrutar do seu corpo como um todo. Divirta-se!

Via UOL


publicado por olhar para o mundo às 21:49 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Domingo, 22.05.11

Dicas, livros para apimentar o sexo

 

Você tem vergonha de ler algo sobre sexo? Gosta de romances “apimentados”?


Quando seu relacionamento não vai muito bem, pensa em ler para se inspirar e descobrir novas histórias?

Esse tipo de leitura é tão antiga quanto a literatura, mas mesmo com o passar dos anos, ainda existe um tabu sobre o hábito de ler sobre sexo. Segundo psiquiatras, os livros que tratam do tema desmistificam e podem até deixar a leitora mais solta.

 

E por que não experimentar?

 

De acordo com a psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do projeto de sexualidade da USP, existem obras excelentes para estimular as mulheres, que vão desde a pornografia até o leve erotismo. Porém, Carmita alerta para a existência de livros ruins. “Não é o fato de ser literatura sexual que precisa falar sobre pornografia”, diz ela.

 

Uma boa dica para quem quer começar a ler histórias picantes é o livro “A casa dos Budas Ditosos”, de João Ubaldo Ribeiro. Provocador, o escritor conta a vida de uma senhora que desde jovem experimenta várias aventuras sexuais. Uma homenagem sugestiva para as mulheres.

 

Outra dica é o livro de poemas do autor Carlos Drumonnd de Andrade “O Amor Natural”, considerado o mais ousado do poeta. Com ele, o leitor se entrega ao amor de uma forma pornográfica e bem picante.

 

Já o romance “Lolita”, de Wladimir Nabokov, chegou a ser rejeitado por várias editoras por conter uma forte história de amor entre um professor já maduro e sua aluna de apenas onze anos.

 

A polêmica escritora Cassandra Rios também deixou obras fortes e sensuais, focadas na maioria das vezes no lesbianismo. Entre elas estão “A paranóica” e “Volúpia do pecado”.

 

“Amante de Lady Chatterley”, de D. H.Lawrence, é outro livro forte e cheio de histórias picantes. De maneira elegante, o autor convida as leitoras a viverem um caso de adultério extremamente sensual.

 

Faça a sua lista de leitura para os próximos meses e bom proveito, em todos os aspectos !

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 10:07 | link do post | comentar

Terça-feira, 03.05.11

sexo e fantasias

 

São desejos ou impulsos exteriorizados inicialmente através da imaginação onde muita coisa é permitida e pouquíssima censura faz parte desse enredo. Algumas até não poderiam passar pelas fronteiras da imaginação pois seria quase um absurdo e um abuso colocá-las em prática. Quem sabe a medida normalmente é o dono de tal fantasia e o senso crítico consigo e com o outro em experimentar nova alternativa. 

Assim, muitas delas são transformadas em realidade e outras tantas servem de estimulo para o relacionamento sexual ou porque a relação está morna ou porque tem-se vontade de incrementar um pouquinho mais. 

Dessa forma, sua função principal nada mais é do que permitir que certos desejos sexuais de difícil satisfação para a realidade, possam se realizar. 

Muitas das fantasias são ousadas do jeito que são pois ignora os limites que ela encontraria do outro lado de qualquer cabeça: a aids e seu risco, a mulher do melhor amigo, normas, moral, censuras... Tudo isso vai pro espaço! 

Por isso mesmo, talvez seja tão perigoso e arriscado colocar todas as fantasias em prática. Querer nem sempre é poder e às vezes mais saudável é quem percebe essa barreira e não se machuca ultrapassando os limites do que acha que seja válido dentro de uma relação. 

Ou seja, pense antes de agir. Use o senso crítico e avalie as conseqüências. Caso surja sinais de alerta, contenha-se pois pode ser melhor que a fantasia continue no imaginário pessoal. Se o sinal estiver verde, pode seguir em frente e libere-se para por em prática o que antes fazia parte do virtual. 

Imaginação e responsabilidade, duas palavras que combinam perfeitamente em qualquer contexto.

Retirado de Spiner



publicado por olhar para o mundo às 18:55 | link do post | comentar

Quarta-feira, 06.04.11

Fantasias são saudáveis e apimentam a vida sexual

 

Qual mulher nunca sonhou em ser conduzida a uma noite inesquecível de amor e desejo por seu príncipe encantado? E não é preciso parar por aí. Dá para aproveitar e pensar no vestido vermelho que estaríamos usando, o jantar à luz de velas, a sacada com vista para o mar, e por que não, ir à loucura em uma noite de núpcias sob o luar. Fantasias revelam vontades e é preciso sonhar para poder realizar. 

A psicoterapeuta e sexóloga Magda Gazzi é uma incentivadora da criatividade sexual feminina. "Estudos tem nos mostrado que, quanto maior a capacidade de fantasiar das mulheres, maiores serão suas sensações eróticas e melhores seus orgasmos. As fantasias liberam as pessoas, e, no caso as mulheres, dos antigos preconceitos e armaduras protetoras e repressoras que sempre afligiram a sexualidade feminina", diz a especialista. 

Magda afirma que apesar de ter se acreditado muito tempo que as mulheres reduziam seu universo erótico a sonhos caseiros, agora sabe-se que 71% das mulheres têm fantasias eróticas durante a relação sexual. A masturbação seria um momento propício para descobrir novos  cenários e brincar com o imaginário. "Quando se sonha acordada, as fantasias geralmente são mais elaboradas, com maior número de elementos para compor ambiente, lugares exóticos e enredos diversos", explica a especialista. 

No entanto, segundo o terapeuta e médico vibracional Eduardo Navarro, as fantasias sexuais seriam naturais em pessoas que estejam sozinhas e que anseiam por uma companhia. "Fantasiar estando com outra pessoa ao lado pode demonstrar insatisfação", diz. Mais do que isso: fantasiar excessivamente também pode ser um sintoma da compulsão sexual. 

Magda alerta: "a compulsão sexual costuma se manifestar com fantasias que invadem a cabeça da pessoa, dos quais ela não consegue se livrar. Essas pessoas vivem uma grande ansiedade, demonstrada por esses pensamentos, que acabam se transformando em excitação sexual". Mas para que a compulsão sexual seja comprovada em um diagnóstico é necessário no mínimo um prazo de seis meses com a permanência desse comportamento. 

A diferença entre o saudável e o nocivo mora sempre no equilíbrio. As melhores fantasias são as que podem ser compartilhadas sem magoar seu companheiro. São as fantasias que devem servir a você e não o contrário. "O bom da fantasia é exatamente essa possibilidade de transgredir, ou seja, ela dá liberdade para experimentar várias situações sexuais, além dos limites da realidade", complementa a especialista. (Fonte: Minha Vida, Saúde Alimentação e Bem-estar) 

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Segunda-feira, 04.04.11
As fantasias sexuais dos Portugueses

Dominação, sexo com desconhecidos, ou em público, ou na Igreja: há fantasias sexuais para todos os gostos. Que o diga a autora que reuniu os testemunhos eróticos de 100 portuguesas.

 

Engana-se quem pensa que a típica fantasia sexual feminina se fica por idílicas noites de amor em areais desertos à luz do luar. Aliás: não existe típica fantasia sexual feminina. Há quem fantasie com sexo forçado, quem goste de dominar o parceiro ou de sexo em grupo.

O universo erótico feminino é tão complexo e multifacetado que chega a espantar. Estas foram as conclusões a que chegou a jornalista e escritoraIsabel Freire, autora de ‘Fantasias Eróticas - Segredos das Mulheres Portuguesas' (Esfera dos Livros) um livro que tenta desvendar os segredos do universo erótico feminino.

 

"Os sexólogos dão muita importância às fantasias sexuais", observa. "Sabemos que mesmo as paixões avassaladoras não mantêm a mesma intensidade para sempre. Por isso, ou a mulher opta por viver paixões umas atrás das outras ou arranja ferramentas, como recorrer à fantasia, que podem produzir o mesmo efeito em relações longas. Este livro serve para mostrar que as fantasias sexuais não são uma coisa feia, má ou medíocre."

 

"Não queria fazer uma caderneta de cromos"

"Entendi este trabalho como uma grande reportagem", explica Isabel, que já tinha investigado o mundo das orgias nos ‘quartos escuros' clandestinos das saunas masculinas. O desafio foi lançado por e-mail e no blog que Isabel criou, o ‘Sexualidade Feminina', no qual pedia que lhe respondessem a um questionário de 60 perguntas. Dezoito testemunhos foram recolhidos por entrevista, frente a frente.

 

"Eu própria respondi ao questionário e percebi que era duro", confessa.

 

No final, tinha mais de mil páginas de material. A mais velha das entrevistadas tinha 58 anos; a mais nova, 16. "Sabia que não queria fazer apenas uma caderneta de cromos. Interessa também saber o que há atrás da fantasia." Por isso, pediu a colaboração de especialistas em sexologia, que explicaram práticas, fantasias e termos técnicos. "No livro há mulheres virgens, outras com uma sexualidade muito exuberante, outras que confessam ter muito pouca libido. O que as liga é uma vontade de se conhecerem a si próprias. Maioritariamente, têm formação superior e uma boa relação com as novas tecnologias e computadores. Mas há quem tenha respondido por carta escrita à mão, em pequenas localidades."

 

"Gostaria de experimentar um ménage à trois"

Isabel constatou que o número de mulheres bissexuais no seu livro chegava aos 15%, enquanto que as homossexuais ficavam pelos 10%. "Espantou-me. A bissexualidade é maior entre as mulheres. Mas ainda há muitas heterossexuais que me dizem ‘sou heterossexual até à data, mas concebo que outra mulher me seduza para uma relação erótica ou afectiva'", diz Isabel. Exemplo disso é a quantidade de entrevistadas que dizem fantasiar com uma situação de sexo a três, com um homem e outra mulher - ou até com dois homens. "Os especialistas dizem que as mulheres têm muita facilidade de erotizar as relações porque não centram tanto as relações na genitalidade. Para as mulheres o erotismo não passa só pelo corpo bonito e sedutor", observa Isabel.

Dominadoras e dominadas

Um clássico do imaginário sexual, e que merece o seu próprio capítulo no livro de Isabel, são as fantasias sadomasoquistas, em que várias mulheres referem excitar-se com a ideia de serem usadas como mulher-objecto ou, pelo contrário, dominarem sexualmente o parceiro. Mas pode fantasiar-se à vontade sem que nunca se tenha vontade de usar o chicote ou ser açoitada pelo namorado, como realça a psicóloga clínica Patrícia Pascoal, citada no livro.

Quem passa à acção sabe que o deve fazer com alguém de confiança e, normalmente, opta por práticas mais ligeiras, como ser algemada, vendada, beliscada, mordiscada ou por usar linguagem obscena. "Podemos perguntar como é possível que uma mulher que se diz independente e defensora dos direitos das mulheres, tenha a fantasia de ser mulher-objecto", observa Isabel. "Mas a fantasia é o espaço de liberdade maior e de possibilidade de transgressão absoluta.

O desejo também nasce da transgressão." Neste capítulo pode ler-se o testemunho de uma dominadora confessa. "Uma mulher contou-me que não se deixa penetrar, só penetra, e que gosta de usar um strap on dildo [pénis artificial preso a um cinturão] para penetrar homens e mulheres. E, por acaso, tem uma sexualidade mais bem resolvida. Tem um parceiro que até gosta daquela circunstância."

"Gostaria de ter sexo em público"

Neste caso a excitação é desencadeada pelo stress de ser apanhado em flagrante ou pela ideia de que outras pessoas - alguns dos testemunhos mencionam mesmo a palavra ‘multidão' - observem os actos sexuais praticados. Isabel cita um estudo levado a cabo em 20 países por uma editora, a Cora Publishing House, onde se concluiu que os maiores adeptos eram os noruegueses: 66% diziam ter sexo em locais públicos. As suas entrevistadas também relatam fantasiar com esta situação... e pô-la em prática em vários locais: no cinema, no chão de um bar depois da hora de fecho, na casa de banho do dentista, no escritório do companheiro, no campismo ou na praia, dentro de água.

"A minha fantasia é adormecer nos braços de alguém..."

Isabel Freire afirma que o capítulo consagrado às fantasias românticas é o que custa mais a ler. "Foi aquele em que mais situações traumáticas foram relatadas: anorexia, bulimia, violações consumadas, tentativas de violação, abuso sexual na infância."

Aqui, as mulheres idealizam romances em ilhas tropicais, sexo terno na praia, dentro de uma piscina. "São fantasias idílicas, pouco elaboradas ou transgressivas, nalguns casos vividas com muita excitação. Nestas fantasias o filme é romântico, o envolvimento é sentimental, os corpos são belos, sensuais e tudo é quente como no paraíso", escreve Isabel Freire no seu livro. São primeiros passos tímidos na imaginação erótica, onde nada é perverso ou penalizante.

Particularmente tocante é o relato de uma seropositiva com mais de 40 anos, que relata uma vida sexual bem recheada e cheia de alegrias. Hoje, luta contra a sida e as fantasias mudaram. "Actualmente, do que sinto mais falta é do afecto, da ternura, do carinho. A minha fantasia adormecer nos braços de alguém. Ter um homem que me beije e me acaricie. Dançar encostada ao som da música. Tudo se tornou mais básico", pode ler-se.

Por tudo isto, ‘Fantasias Eróticas' tem o efeito quase terapêutico de pôr as leitoras a pensar na sua sexualidade e vida afectiva. Isabel continua a receber testemunhos, mesmo depois do livro estar editado e sem projectos para um novo volume. Para já, corre o risco de ter o maior acervo nacional sobre o imaginário erótico feminino.

 



publicado por olhar para o mundo às 21:16 | link do post | comentar

Sexta-feira, 01.04.11
Posições sexuais opinião feminina

 

Antes de começar, vale o recado. Não há certo e errado quando o assunto é sexo.


Não existe melhor ou pior posição sexual, já que todo mundo é diferente, tem gostos diferentes e se atrai, consequentemente, por coisas diferentes. Mas há algumas situações que, no geral, podem sim ser encaradas de outra maneira pelos parceiros, pensando na satisfação da mulher. Não adianta, por exemplo, imitar cena de filme pornô - muita coisa só funciona na ficção mesmo e tentar copiar pode levar à decepção.

 

Outra coisa que pode confundir a cabeça dos homens é quanto ao peso do próprio corpo sobre a mulher. Recado para os moços de plantão: a maioria delas gosta e quer sentir tudo bem de perto, curte o atrito, então nada de se preocupar com isso. Homens precisam cuidar apenas para equilibrar tudo de maneira que não sufoque a parceira, claro.

 

Ser passivo e deixar a mulher realizar todo o serviço sozinha é reclamação de 11 em 10 mulheres quando o assunto são os deslizes deles. "Sexo é para ser feito a dois, né? Quando o homem se acha o dono da situação e vê a mulher como submissa, tende a imaginar que ela vai dar conta do recado sem ele fazer muito esforço. Tem muito homem por aí assim", reclama Soraia, de 37 anos. "É claro que, às vezes, a gente gosta de encarnar uma ‘dominatrix’, mas sempre, fica complicado", completa amiga dela, Maria Elis, de 33.

 

Além disso, a mulher, no geral, gosta do homem que toma iniciativa, puxa, levanta, vira, "domina" mesmo. Quando ele não faz nada disso, algumas mulheres se sentem menos desejadas. "Já pensou se o cara não se mexe, não sugere posições? Aí não é sexo. É outra coisa", alfineta Roberta, de 25. "Eu nem imagino como é transar com alguém que não tem pegada. Mulher adora mesmo essa dominação combinada".

 

Mas pegada não significa ter carteirinha do Cirque Du Soleil. Ser malabarista na cama é pra poucos, nem vale inventar. E como nem todo mundo consegue se contorcer como gostaria, surge mais um deslize dos homens. "Tive um namorado que sempre queria complicar, inventar moda que era fisicamente impossível. A gente perdia o clima quase sempre", lamente Marilda, 29. Nessa hora, outro probleminha comum surge, na opinião das mulheres. "Muitos ficam insistindo em alguma coisa que já mostramos não gostar. Aí desanima e não tem jeito de segurar o tesão". E você, o que colocaria na listinha de reclamações?

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 22:22 | link do post | comentar

Quarta-feira, 30.03.11

Hipnose e prazer sexual

 

Hipnose do prazer

 

Uma técnica conhecida como hipnose erótica parece estar se popularizando na Argentina, como ferramenta para induzir experiências sensuais e ajudar pessoas com disfunções sexuais.

Sem o uso de clichês, como um relógio balançando ou alguém dizendo "você está se sentindo cansado", a técnica é utilizada para obter algo próximo de uma experiência sexual sem contato físico.

"A hipnose erótica está na moda agora, e vemos isso pelo interesse que vem despertando em publicações especializadas ou na mídia", afirmou à BBC o psicólogo clínico Carlos Malvezzi Taboada, do Instituto Gubel, de Buenos Aires.

Hipnose por palavras

O terapeuta explica que o famoso relógio usado para hipnotizar nada mais é que ficção.

Na verdade, a técnica é uma modalidade comunicacional em que o profissional, por meio da palavra, leva a pessoa a um estado de meditação profunda, aumentando sua capacidade de percepção.

"Mas a pessoa sabe permanentemente quem é e nunca perde a consciência", diz Malvezzi.

Para ele, na clínica onde trabalha, o uso da hipnose não tem como objetivo aumentar o estímulo erótico, mas sim ajudar a quem sofre de disfunções sexuais.

"A pessoa é guiada, e a ela é proposto que faça um relato erótico por meio de um estado de distensão em que ela está mais receptiva", diz o especialista. Segundo ele, isto faz com que a pessoa se abra mais em relação a aspectos que ficam reprimidos quando está em vigília.

 

Anorgasmia


Malvezzi diz que, quando uma paciente que sofre de anorgasmia (inibição do orgasmo) está em relaxamento profundo, ela possivelmente comentará sobre temas sem relação direta com sexo, que a permitiriam reviver as etapas do encontro sexual de maneira metafórica, levando a uma mudança no comportamento.

Já se o caso é de um homem com disfunção erétil, o especialista busca evocar momentos de satisfação e lembranças de experiências prazerosas para que, no estado de hipnose, a pessoa volte a se sentir capaz e reduza sua angústia.

 

Críticas à hipnose erótica


A técnica da hipnose erótica tem seus críticos. "Há certo exagero no uso da hipnose clínica para tratar os problemas sexuais", disse à BBC o sexólogo e professor da Universidade de Buenos Aires Juan Carlos Kusnetzoff.

"Ela pode ser usada, mas alternada com outros procedimentos que fazem parte da terapia sexual", afirmou.

"Depende muito também da habilidade do profissional e da capacidade de reação do paciente, já que nem todas as pessoas são sensíveis à hipnose. Isto apenas atinge uma percentagem pequena da população sobre a qual se atua".

À primeira vista, é difícil determinar se uma pessoa está em um estado de meditação profunda qualificada como hipnose. Para constatar isto, especialistas defendem que se faça uma tomografia de emissão de pósitrons - antipartícula do elétron - para medir os fluxos sanguíneos no córtex cerebral.

 

Existe grande oferta de livros e vídeos, principalmente nos Estados Unidos, para que a pessoa entre em hipnose erótica sozinha. Especialistas não recomendam isto, além de criticar as clínicas que operam esta técnica sem a presença de médicos.

"Na Argentina, como na maioria dos países da América Latina, somente médicos podem realizar hipnose", diz Malvezzi.

 

Perigos da hipnose


Entre os principais riscos apontados por especialistas, está a possibilidade do paciente entrar em um estado tão profundo de hipnose que não consiga sair, como se fosse uma hibernação.

Outro motivo de preocupação é que o indivíduo comece a preferir a experiência sexual com hipnose e não a realizada com outra pessoa. "Se vejo que a pessoa tem fortes rasgos de narcisismo, o mais provável é que adquira um vício, como se fosse uma droga", diz o psicólogo.

Os médicos também advertem para o perigo do abuso que pode ocorrer em uma situação de hipnose erótica com alguém sem experiência, que possa se deixar levar pela situação que esteja recriando.

 

Via Diário da saúde



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Segunda-feira, 28.03.11

 

História dos vibradores

 

Você conhece ou já usou um vibrador? Não! Muita curiosidade e pudor giram em torno do seu uso. Mas você sabia que eles foram idealizados com fins médicos? O invento surgiu em meados do século XIX, a partir de um massageador a vapor, para tratar da histeria, distúrbio feminino causado pela ansiedade e irritabilidade.

 

Percebendo que esses estímulos também poderiam ser reproduzidos com impulsos elétricos, em 1969 surgem os primeiros vibradores elétricos. Com o tempo, passaram a funcionar com baterias, tornando-se aparelhos mais portáteis. Relacionados à saúde e bem-estar, esses aparelhos foram elevados a uma categoria bem importante para a época.

Em 1920, passam a aparecer em filmes pornôs e o uso dos vibradores com função sexual passa a ser publicamente reconhecido. Com isso, alguns tabus surgem e esses objetos começam a ser recriminados pela sociedade e seus usuários tidos como doentes e depravados.

Com a revolução sexual, em 1960 as mulheres se viram mais livres para usar esses brinquedinhos, conquistando assim, mais autonomia na sua vida sexual. Em 1998, eles começam a ocupar um espaço tão expressivo na vida das mulheres que, até a mídia passa a dar lugar de destaque ao acessório, como na série Sex and the City, quando suas protagonistas adquirem algum desses produtos.

Hoje, apesar do termo vibrador constranger muita gente, podemos encontrar inúmeros modelos, tamanho e funções para esses aparelhos. Eles podem ser a reprodução fiel de um pênis, ter o formato de bolinhas coloridas que você pode carregar na bolsa ou o formato de um batom. Há até modelos com dispositivos interativos, como os que são ativados com mensagens enviadas pelo celular ou conectados ao ipod, que reproduzem vibrações de acordo com a música que está sendo reproduzida.


Dica:
Sempre aplique um gel ou uma pomada lubrificante para usar o aparelho. Isso facilitará a penetração do vibrador, prevenindo possíveis irritações.

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Sábado, 26.03.11

Masturbação: vença o último tabu

 

 

Rodeada ainda de preconceitos, a masturbação feminina é também uma forma de quebrar a rotina sexual do casal

  

Não, não faz mal à saúde. Não, não é viciante. Não, não substitui o prazer a dois. A masturbação no feminino é, acima de tudo, uma forma da mulher conhecer melhor o seu corpo e os seus pontos erógenos. Por outro lado, não tem de ser um acto solitário, mas tem espaço no âmbito da vida do casal.


A visão do corpo feminino desperta nos homens o desejo e a volúpia. E, apesar de alguns terem pudor em reconhecer, o facto de verem a mulher que amam a acariciar-se a si mesma é uma imagem que os excita mais ainda. Por isso, proporcione-lhe essa pequena prenda, atingindo o prazer sem a sua ajuda. Além disso, é uma forma de combater a rotina, bem como uma 'ajuda' extra quando o seu parceiro está muito 'cansado'. Porque não se atreve a experimentar?

 

Via Activa



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Quarta-feira, 23.03.11

Orgasmo feminino não está ligado somente ao ato físico

 

A pa­la­vra ‘‘­prazer’’ é com­pos­ta de mui­to ­mais do que sim­ples­men­te se­xo. Ca­da pes­soa pre­ci­sa des­co­brir o que lhe dá pra­zer, o que lhe dei­xa bem, o que re­põe ­suas ener­gias. 

Gos­to de com­pa­rar a pes­soa com um au­to­mó­vel. O car­ro, pa­ra an­dar, pre­ci­sa es­tar mi­ni­ma­men­te equi­pa­do e, é cla­ro, com com­bus­tí­vel! Há pes­soas que vi­vem com o ‘‘car­ro na ­reserva’’ e sem­pre quan­do abas­te­cem co­lo­cam o su­fi­cien­te pa­ra o car­ro ­sair da re­ser­va. Es­sas são aque­las que ao in­vés de vi­ver a vi­da ape­nas so­bre­vi­vem a ela. Ci­to Os­car Wil­de: ‘‘Vi­ver é a coi­sa ­mais ra­ra do mun­do, a maio­ria das pes­soas ape­nas ­existe’’. 

É pre­ci­so des­co­brir o que te abas­te­ce, e é pre­ci­so pra­ti­car es­sas coi­sas pa­ra que es­te­ja abas­te­ci­do pa­ra vi­ver. Eu dis­se, VI­VER e não so­bre­vi­ver! Po­de­mos, en­tão, ser ­mais di­re­tos no te­ma pra­zer e fa­lar­mos do or­gas­mo fe­mi­ni­no pro­pria­men­te di­to. 

Exis­tem al­gu­mas teo­rias, re­gras e téc­ni­cas pa­ra que uma mu­lher atin­ja o or­gas­mo. Mas não é so­bre is­so que es­te tex­to tra­ta­rá. Ca­da mu­lher é úni­ca, tem sua sin­gu­la­ri­da­de. É cla­ro que há coi­sas em co­mum, por exem­plo: no pe­río­do pré-mens­trual a gran­de maio­ria ado­ra ‘‘ata­car um ­chocolate’’. 

O ato se­xual em si co­me­ça no ama­nhe­cer, ao di­zer ‘‘bom ­dia’’. As pre­li­mi­na­res tam­bém con­tam mui­to. As mu­lhe­res ado­ram um ges­to sim­ples, co­mo um elo­gio ver­da­dei­ro, uma lem­bran­ci­nha (men­sa­gem pe­lo ce­lu­lar, uma ­flor em um dia qual­quer, etc). 

Mas o que que­ro di­zer é que, ­além de to­dos os pon­tos co­muns, ca­da mu­lher é di­fe­ren­te, é real­men­te úni­ca uma das ou­tras e pre­ci­sa ser vis­ta e sen­ti­da as­sim. Pon­de­ran­do tu­do is­so, aí vão al­gu­mas di­cas. Mui­tas ve­zes o que ser­vi­rá pa­ra vo­cê não ser­vi­rá pa­ra seu(ua) me­lhor ami­go(a). 

Mu­lher: des­cu­bra-se. O au­to­co­nhe­ci­men­to é fun­da­men­tal pa­ra se ter su­ces­so nas ­mais di­ver­sas ­áreas da vi­da, in­clu­si­ve na ­área se­xual. Ques­tio­ne-se: ‘‘o que me agra­da, o que eu gos­to, o que eu es­pe­ro que meu par­cei­ro fa­ça an­tes, du­ran­te e ­após o ato se­xual; o que me ex­ci­ta, ­etc’’. 

Par­cei­ro: des­cu­bra sua mu­lher, ela com cer­te­za te dá vá­rias di­cas so­bre o que ela gos­ta e es­pe­ra. Fi­que aten­to a ­elas! E fa­ça-as. 

Ca­sal: Use sua cria­ti­vi­da­de, a ro­ti­na ten­de a ser en­te­dian­te. Use lin­ge­rie di­fe­ren­te, ló­gi­co que res­pei­tan­do seu jei­to de ser; e que es­sa lin­ge­rie te dei­xe con­for­tá­vel e não preo­cu­pa­da(o) se es­tá exa­ge­ran­do. Se vo­cê es­ti­ver se sen­tin­do bem, pas­sa­rá is­so ao ou­tro, e os ­dois sen­tir-se-ão bem. Pre­pa­re o am­bien­te, use aro­ma­ti­zan­tes (al­go sua­ve), co­lo­que uma mú­si­ca (­quem sa­be, uma tri­lha so­no­ra ex­clu­si­va do ca­sal). 

E, por úl­ti­mo, co­me­ce sem­pre do me­nos pa­ra o ­mais. Se des­cu­bra, se sol­te, cur­ta ca­da mo­men­to co­mo se fos­se o úl­ti­mo da sua vi­da! Vi­va e não so­bre­vi­va! 

Gis­le­ne Re­gi­na Is­quier­do - psi­có­lo­ga clí­ni­ca e or­ga­ni­za­cio­nal es­pe­cia­lis­ta em Psi­co­te­ra­pia Com­por­ta­men­tal (Lon­dri­na)

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Terça-feira, 22.03.11

Dê lhe a volta à cabeça... na cama

 

Umas "jogadas" mais arrojadas no campo do sexo e nem vai reconhecer o homem que tem a seu lado

 

*Mantenha algumas peças vestidas. Podem ser umas meias, um soutien, uma tanga. Não mostre logo todos os seus trunfos porque aquilo que se adivinha e não se vê é um poderoso afrodisíaco, Outra possibilidade consiste em sair de casa... sem nenhuma lingerie vestida, mas apenas o revelar na altura certa (numa situação pública, como no restaurante, em que ele não pode fazer nada...!).

*Sussurre-lhe ao ouvido aquilo que quer que ele lhe faça. Pode usar todas as palavras, mesmo aquelas que jamais se atreveria a dizer em voz alta.

*Tome o control. Há ou não uma Mrs Robinson dentro de nós? Mostre-lhe aquilo que ele nem podia sonhar que você era capaz de fazer.Porque existem momentos em que ele deve simplesmente assistir...

*Coloque um espelho no quarto para ele a conseguir ver.. de todos os ângulos. Afinal, os olhos também têm direito a gozar.

* Fujam a toda a velocidade da rotina. Nada de chegar a casa e despachar o jantar, quando podem fazer um pequeno desvio... e ficar um pouco pelo quarto. Ou tomar um duche juntos enquanto relaxam do stresse causado por um dia de trabalhos. O pensamento chave consiste em quebrar rotinas.

 

Via Activa.pt


publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Segunda-feira, 21.03.11

a idade não impõe limite para o prazer

 

 

A mente é a responsável pela ausência ou presença do prazer sexual. E este depende das emoções de cada pessoa. 

O idoso também gosta de sexo. Negar por quê? O idoso pode e dever ter suas fantasias sexuais. Idade não impõe limite para sentir prazer. 

A sexualidade se faz presente enquanto existir vida. É evidente que se modifica com o decorrer do tempo. 

A pressão social moralista e preconceituosa impõe como verdade que o velho não precisa de sexo. A mulher, então, sofre mais preconceitos ainda. 

Podemos dizer que as limitações físicas, tais como queda hormonal ou falta de ereção, apenas modificam a vida sexual, mas não acabam com ela. Sexo é vida. A libido existe no indivíduo desde que nasce até a morte. 

 

Alguns fatores físicos modificam o desempenho sexual do idoso, tais como: 

Na mulher: ressecamento vaginal (pode ser tratado com reposição hormonal ou com cremes apropriados); 

No homem: ereção menos duradoura e o tempo para outras ereções é também maior. Mas nada impede o prazer total. 

A idade não impõe limite para sentir prazer. Tanto homens quanto mulheres apresentam um estado emocional mais saudável quando estão envolvidos em relacionamentos íntimos e afetivos. O envelhecimento não depende da idade cronológica do indivíduo. 

É importante que as pessoas com mais idade saibam que todo ser humano tem direito de usufruir da própria sexualidade. Esta pode e deve ser vivenciada em todas as etapas da vida. 

Este tema é pouco tratado apesar de ser tão importante. É cheio de concepções falsas, temores, crendices, mitos e angústias que não podem persistir nos dias de hoje. 

Marilandes Ribeiro Braga, psicóloga e terapeuta sexual, membro da Sociedade Brasileira de Estudos da Sexualidade Humana (Rondonópolis - MT)

 

Via Bonde



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Sábado, 19.03.11

Os pontos do prazer

 

Há lugares escondidinhos da nossa anatomia que provocam sensações pra lá de prazerosas, mas são pouco explorados pela cabeça, corpo e principalmente pelos parceiros. "Cada mulher tem que descobrir o seu próprio ponto de prazer, porque não há um lugar fixo para todas as mulheres. Por tentativa, cada uma deve perceber de que jeito é mais gostoso e estimula melhor a vagina, já que não há uma posição específica que dê certo para todas", afirma Glene, lembrando que a cada 100 mulheres que conseguem atingir o orgasmo, 70% delas atingem o clitoriano, centro óbvio do prazer feminino. "O corpo humano é um abecedário completo de prazer", conclui.

 

Depois dessa matéria, você vai poder mostrar exatamente onde ele deve tocar e pagar na mesma moeda, tocando nos pontos G, H, Y, Z. Enfim, um monte de letrinhas para chegar a uma só: o T, dos grandes. Desvende-o!

 

Ponto G

 

O ponto de Grafemberg foi apelidado carinhosamente de ponto G para os mais íntimos. Segundo a sexóloga Marilene Vargas, ele está localizado na entrada da vagina, mais ou menos a 3 centímetros da porta de entrada: "Imaginando um relógio, está entre as 11 e 13 horas. É formado por seguimentos nervosos e glândulas de Skene. Apresenta uma textura diferente, mais fofa, que se incha quando estimulada".

 

Ela compara o ponto G ao botão de start do motor do orgasmo vaginal. Sobre a polêmica acerca do tema e o fato de alguns médicos alegarem que o ponto G não existe, Marilene é taxativa: "Todo mundo tem ponto G, quem diz o contrário é porque não soube procurar direito!", provoca.

 

Ponto P

 

Bem pertinho do ponto G, só um pouco mais adiante, fica o ponto P. Já ouviu falar? "Formado pelos ramos da glândula de Skene, é um ponto um pouco menor e, para conseguir detectá-lo, é preciso conhecimento do corpo e muita prática", afirma a sexóloga. Uma vez frente a frente com o tal ponto, ninguém vai ter dúvidas de que achou o danado: segundo a sexóloga, a sensação de prazer obtida é muito diferente do comum e há relatos de ondas crescentes de prazer. Oba!

 

Ponto Y

 

No fundo da vagina fica localizado o chamado ponto Y, perto do colo do útero. "Durante o orgasmo ocorre o descolamento do muco cervical e o homem sente um jato quente derramando-se na ponta do pênis", explica Marilene, acrescentando que isso costuma acontecer entre o 10º e o 18º dia do ciclo menstrual, quando a quantidade de muco é maior. Ao contrário do que se pode imaginar, a médica garante que não é necessário que o parceiro seja do time dos bem-dotados para conseguir alcançar o ponto lá no fundo. "Basta que o casal seja compatível anatomicamente", afirma ela.

 

Ponto S

 

É mais conhecido pelas sociedades hindus e chinesas. "Sabe-se pouco sobre o ponto de Saspandra. Apenas que ele fica no terço posterior da vagina e é mais um lugar a ser explorado e provocar sensações prazerosas", resume Marilene, uma vez que não há um estudo histológico mais aprofundado nesse caso.

 

Via Itodas



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.03.11

Como enlouquecer um homem na cama?

 

1. Descubra a arte de escolher um bom filme
Homens e mulheres têm gostos diversos. Em linhas gerais, moças gostam de filmes eróticos com enredo, já os rapazes apreciam as cenas de sexo explícito. Então, se a ideia é surpreendê-lo com um filminho, nada de água com açúcar. Que tal perder a vergonha e entrar logo na salinha escondida da videolocadora? Títulos como “Sexxxy Angels” e “Excalibur 2” figuram em listas dos mais pedidos.

 

2. Se jogue na pista
E invista sem medo de ser feliz em um momento fetichista. Colegial, enfermeira, faxineira, policial e noiva entram na lista das fantasias que fazem mais sucesso nas sex shops.

 

3. Incremente o estoque de brinquedinhos eróticos
Anéis penianos com vibradores são campeões de vendas nas lojas de produtos eróticos por terem dupla função: o anel ajuda o homem a manter a ereção por mais tempo, enquanto o vibrador estimula o clitóris da mulher. Algemas, vendas e chibatas também costumam fazer sucesso entre quatro paredes.

 

4. Escolha uma lingerie poderosa

Luciana Keller, proprietária da boutique erótica Constantine, em São Paulo, diz que é preciso ir aos poucos nessa área. “Quando o homem compra lingerie para uma mulher, geralmente escolhe modelos minúsculos de calcinhas nas cores preta ou branca”, diz. “Só os que têm cabeça mais aberta apostam nos modelos vermelhos”. Por isso, ela dá a dica para não errar no primeiro encontro: vá de pretinho básico e, depois de sentir o grau de entusiasmo do rapaz, parta para peças mais abusadas. “Não dá para ir rápido demais e pular da calcinha branca para o corselet vermelho com cinta-liga logo de cara”, diz Luciana. Mas uma coisa é certa: todo homem gosta de mulher vestida com uma lingerie bacana. Se ela for combinada com um scarpin de salto altíssimo, o efeito é ainda mais avassalador.

 

5. Invista em uma nécessaire erótica
Óleos de massagem, gel lubrificante com sabor, gel que esquenta ou esfria o pênis e velas que, derretidas, liberam um óleo morno com aroma de baunilha estão entre os muitos produtos vendidos nas sex shops para embalar uma boa noite de sexo.

 

6. Aprenda a pompoar
Essa técnica oriental, derivada do tantra, consiste na contração e relaxamento dos músculos circunvaginais. É um excelente exercício que aumentará seu poder de controle sobre a cena sexual – o que, acredite, é estimulante para ele também.

 

7. Momento Cleópatra
Faça como a rainha do Egito no épico estrelado por Elizabeth Taylor e convide seu Marco Antônio para um banho de banheira inesquecível à luz de velas e com direito a essências aromáticas estimulantes, como laranja ou baunilha.

 

8. Domine alguma arte erótica
E surpreenda com um bom striptease, para deixar seu parceiro enlouquecido de vontade. O burlesco é uma forma de striptease mais teatral, que tem a ver com provocação, contar uma história e a maneira como a performer interage com o público.

A dançarina Sweetie Bird, expert em burlesca, dá algumas dicas para um strip bem-sucedido. “É preciso ter cara de pau e usar do seu talento com paixão, o resto vem naturalmente”, ensina Sweetie.

 

9. Na hora do striptease, o segredo é o bom humor
A dançarina burlesca Sweetie Bird aponta segredos para um show privé:
- Escolha um tema para o seu show. Inspire-se nas famosas pin-ups, por exemplo;
- O figurino deve ser sexy e composto por peças fáceis de serem tiradas;
- Ensaie antes e com a trilha sonora escolhida para pontuar os movimentos;
- Toda mulher pode ficar extremamente sexy em um figurino que valorize seu corpo. Preste atenção aos seus pontos altos e aposte em roupas que destaquem cada um deles. Seios fartos pedem decotes generosos, marque a cintura, dê destaque para o bumbum, para as pernas... Você é a melhor crítica das suas virtudes!
- E o mais importante: não se leve a serio. Tudo o que tem a ver com sexo pede espontaneidade e bom humor acima de tudo. A ideia é se divertir e não seguir regras rígidas. Sweetie Bird recomenda: “Mantenha o ar de naturalidade com um pé no cômico”.

 

10. Não tenha pressa na hora do sexo ral
Homens ficam loucos com sexo ral, adoram. E quanto mais tempo você se dedicar a esse tema, mais aumentam as chances de uma boa noite de sexo selvagem na sequência. O segredo é ser delicada, mas manter movimentos vigorosos ao mesmo tempo. Gel comestível com algum sabor deixa essa parte da brincadeira ainda mais gostosa. Não tenha pressa, faça movimentos de vai-e-vem constantes, alternados com suaves lambidas, desça mais um pouco, retorne ao topo. Aproveite o momento para atiçar, além da vontade dele, também a sua. E, acima de tudo, não tenha pressa.

 

11. Passo a passo básico para o sexo orl

 

 

Via 180 Graus



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 14.03.11

A PROFESSORA

Os fetiches..a professora

 

É um dos fetiches mais conhecidos e admirados pelos homens, pelo simples motivo de que ver uma garota "fantasiada" de professora lhes passa uma imagem de dominação e respeito que certos tipos de machos gostam de lidar, embora não represente de fato uma submissão explícita. Na maioria das vezes, até mesmo pela simples questão de que "pegar" sua professora (gostosa) da faculdade não seja lá tão fácil quanto pegar a coleguinha de classe. 

 

A AMIGUINHA

 

Claro, aqui não estão incluídas todas as amigas de um homem, e por incrível que pareça, não são apenas as "simpáticas" que são deixadas de lado, nem todas as amigas "gatas" estão na lista também. Sempre existe aquela garota que a gente chama de amiga, vai junto ao cinema, desabafa de vez em quando e no fim das contas acaba pensando demais, inclusive nas horas mais "íntimas". Apesar de não ser uma regra para todos os momentos, se um homem não pensa em "traçar" uma boa amiga dele (sem trocadilhos), com certeza já pensou alguma vez. 

 

A EMPREGADA

 

"Tara" preferida de homens que gostam de ver a mulher totalmente submissa a eles. Ter autoridade nela e ter a sensação (por mais falsa que seja) de que ela está fazendo de tudo para lhe agradar é o que alimenta a parte mais sádica de alguns machos. Nunca cheguei a pensar se seria ou não um dos meus favoritos, mas certamente é um fetiche muito usado entre grande parte da galera que faz um "lanchinho". Má idéia é que não seria! 

 

A COLEGIAL

 

Não conheço nenhum cara que nunca tenha comentado como seria bom ver a gostosinha da festa, da faculdade ou até mesmo do grupinho de amizades com aquela mini-saia, tipo "garotas nipônicas" de desenho animado japonês (obviamente) e caracterizadas como se fossem "colegiais inocentes". É algo que simplesmente mexe com qualquer homem normal e não é difícil imaginar por que a testosterona sobe tanto... Nenêmm!! 

 

A ENFERMEIRA

 

É para os homens mais ou menos o que um "bombeiro" (pausa para o momento broxante) é para as mulheres. A enfermeira é aquele fetiche clássico do "Deixa que eu cuido de você" unido ao uniforme estilizado mesclado à cinta-liga (e ao corpo de uma bela mulher) que coloca a maioria dos cuecas em ponto de bala... 

 

A QUIEITINHA

 

É incrível como o gosto do homem para fetiches e taras não têm limite e nem as quietinhas estão fora da lista de um boa parte deles. Porém, a preferência neste caso se dá com certos limites, um deles é que se a garota é quietinha e timida demais, que pelo menos ela seja "pegável". Nesses termos o fetiche conta a partir da idéia de que ela pode ser na cama, alguém totalmente diferente do que é no dia a dia. Claro, pode não ser... Mas o fetiche é algo que já parte da idéia de realizar algo que nem sempre condiz com a realidade. Apenas com o intituito da satisfação.

 

Via 180 Graus



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Sábado, 12.03.11

Porquê os homens gostam tanto de sexo anal?

 

O prazer masculino vai muito além das fronteiras do proibido, do fetiche. Simplicar o furor anal a constante recusa da maioria das mulheres – quando em ambientes públicos, logicamente – seria por demais freudiano.

 

Homens são conquistadores. 

 

Aí você vai começar a encontrar a ponta de sua resposta. A cruel realidade é que não temos espamos ejaculatórios ao enfiar nossos paus em um local apertado, escuro e, por vezes, sujo.

 

O real prazer está na conquista. Mais especificamente na entrega. Sexo anal é o mais consensual de todos. A mulher precisa de confiança plena para se doar a seu parceiro e relaxar o suficiente para permitir a penetração. É um ato louco de amor, tesão e submissão, divido não igualmente entre as três partes.

 

Alcançar esse nível de intimidade é de uma satisfação similar a escalar o everest com as próprias mãos, sem equipamentos e sem ajuda dos guias Sherpas. Afinal, o caminho só pode ser trilhado em dupla. Não há vagas para uma torcida, “Vai, está indo bem, um pouco mais de força, campeão!”.

 

A entrada é suave, e em partes, pequenos estágios que podem se dividir em mais de uma noite, até que a dama esteja suficientemente preparada para que o fato se conume em toda sua extensão. Leia-se, ir até o final, em um gozo não-hollywoodiano, mas ainda sim animalesco, intenso, único.

 

O pós-sexo será seguido por um longo abraço e pedido de aconchego por parte dela. Ele, de peito estufado, um pavão em toda sua glória, diante da fêmea. Vão arfar em conjunto, sincronizar a respiração e compartilhar um momento lindo, verdadeiramente lindo. Ela vai rever sua posição sobre o assunto, afinal, descobriu que pode sentir prazer. Ele, vai se sentir um mestre. Pois se tornou um pequeno homem ao comer sua primeira namoradinha. Mas só agora pode dizer que realmente entende a alma feminina – e nem de longe entende. Vai fazer um olhar assim meio Nelson Rodrigues e se virar de lado, contemplando a beleza da situação.

 

Ter uma mulher completamente entregue em nossos braços. Esse sim é o gozo supremo!

 

Via Sexo e Prazer



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 03.03.11

Orgasmos múltiplos

Ter um orgasmo durante a relação sexual ainda passa longe da vida de muitas mulheres, quem diria orgasmos múltiplos. O orgasmo feminino, definido pelo ápice de prazer e pela contração vaginal, é por si só mais complexo que o do homem, não tem um padrão, pode ocorrer um único e intenso, vários menores ou as duas situações juntas.

 

Segundo a urologista e terapeuta sexual Sylvia Faria Marzano, os orgasmos múltiplos são continuações dos picos de prazer com a manutenção da excitação, sem a necessidade de intervalos entre um orgasmo e outro.

Os orgasmos múltiplos não ocorrem nos homens, já que após a ejaculação ocorre neles o chamado período refratário, fenômeno fisiológico que dá o relaxamento necessário para que eles possam reiniciar a atividade sexual.

Apesar dos avançados estudos científicos, ainda não há nenhuma tese ou pesquisa que explique se há alguma predisposição biológica ou emocional da mulher para os orgasmos múltiplos. Aflorada de diversas maneiras, essa sensação varia de mulher para mulher.

“Não existe um só tipo de orgasmo feminino. Cada mulher tem o seu próprio orgasmo. Ela aprende com a idade e com a experiência a vivenciar cada vez mais intensamente o prazer. Algumas mulheres nem conseguem saber se têm orgasmo pelo mito de que deveriam ‘ver estrelas’, ‘ouvir sinos’ ou coisa parecida. São raras as mulheres que têm orgasmos múltiplos, isso faz parte de um aprendizado”, garante a especialista.

As mulheres que têm a sensação de orgasmo múltiplo não necessariamente têm mais prazer que as mulheres que têm um único orgasmo. Não há padrões. Intimidade, respeito, carinho, tesão, diálogo, autoconhecimento e principalmente muita vontade formam a receita para a mulher “chegar lá”.

Independente da resposta sexual, o que não é recomendado é a simulação do orgasmo. Essa prática em longo prazo trará desconforto emocional, além de atrapalhar o relacionamento, pois o diálogo com o parceiro sobre o que te satisfaz sexualmente, ou então, o que a impede de alcançar o orgasmo, é fundamental para uma vida sexual plena. Não espere que ele adivinhe tudo. É preciso dar dicas de como sente maior prazer.

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Quarta-feira, 02.03.11

O sexo oral e o prazer

 

Somos um pouco conservadores, por isso não praticamos sexo oral. Gostaria de saber se o clitóris é sensível, e se existe o risco de machucá-lo. Não tem perigo de beijar muito e dar irritações?

A principal função do clitóris é dar prazer. Ele é um órgão projetado para este fim. A cabeça ou glande do clitóris apresenta, normalmente, oito mil feixes de fibras nervosas, tendo, aproximadamente, o dobro do encontrado no pênis.

Essas terminações nervosas o deixam muito sensível ao toque direto ou de pressão. É fundamental o cuidado com as unhas e com os dentes nele, a não ser que isso faça parte do jogo erótico.

Então, use os dedos indicadores e médios para puxar a pele que reveste o clitóris para fora, deixando-o exposto, pronto para ser acariciado. Só que, antes, é importante deixá-lo bem úmido. Tem que saber sugar com jeito, usando os lábios, e saber usar a língua para acariciá-lo. Não vale a pena rever esse conservadorismo?

 

Via Hora de Santa Catarina



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Sexta-feira, 28.01.11

 

Preliminares: A pressa é inimiga do prazer

 

Os preliminares são a primeira fase do acto sexual, mas por vezes, muitos homens descartam a sua importância para o prazer do casal.

 

Os preliminares e sua importância são encarados de maneira diferente quer se seja homem ou mulher.


Os homens têm uma necessidade sexual muito específica, e todo o acto tem como objectivo principal atingir o orgasmo, o clímax do prazer. Assim, desde que se inicia o acto sexual até ao momento final, a sua concentração está exclusivamente dedicada ao orgasmo.

Para a mulher as coisas não são bem assim. Uma parte significa douniverso feminino tem dificuldades em atingir o orgasmo, e para além disso, a relação sexual é encarado como um acontecimento mais emocional. 

O casal, e principalmente o homem tem que se conscializar que os preliminares são parte integrante de qualquer acto sexual, aumentando a tensão e o prazer para ambas as partes.

Desde um abraço mais apertado, a um beijo mais longo, tudo conta para desencadear o desejo. A troca de carícias pode dar origem a umaexcitação que permite aos parceiros terem muito mais prazer na relação sexual.

No entanto, o mais importante é não ter pressa naquilo que se está a fazer, nem se deixar levar pela monotonia. E porque lá diz o ditado: “a pressa é inimiga da perfeição”, neste caso particular, do prazer. 

Dedique tempo e atenção ao que está a fazer, investigue cada parte do corpo do parceiro dando asas à imaginação e à espontaneidade.


Para além de tornar a relação mais excitante, os preliminares tambémdesenvolvem a intimidade do casal, partilhe fantasias e falem ao ouvido um do outro, troquem ideias e desejos.


É possível afirmar que os preliminares tornam o acto sexual muito mais intenso ao mesmo tempo que fortalece a relação entre o homem e a mulher.


Guarde tempo para eles.

 

Via Sexualidade Femenina



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

'Fetiches' secretos: o qu...

6 certezas sobre sexo que...

Sexo, Não finja que está ...

Como evitar seis erros qu...

Sexo, Porquê se devem uti...

MULHERES PRECISAM DO TOQU...

Saiba o que fazer quando ...

Escola do Sexo no Porto

Dez desejos sexuais mascu...

Conselhos para quem só at...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados