Domingo, 27.03.11

Facebook elimina diariamente 20 mil crianças da rede social

 

Apesar de a idade mínima para criar um perfil no Facebook ser 13 anos, mais de metade das crianças norte-americanas, de 12 anos, utiliza as redes sociais.


A equipa de segurança do Facebook elimina diariamente cerca de 20 mil perfis, todos relativos a menores de 13 anos. “Temos um mecanismo que detecta este tipo de fraude, mas não é perfeito”, explica Mozelle Thompson, responsável pela privacidade da rede social.
O senador Al Franken tinha já chamado a atenção dos responsáveis pelo Facebook sobre os utilizadores mais jovens. “Os jovens são mais vulneráveis aos predadores e precisam de ser alertados para a não cedência de dados pessoais”.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 09:56 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.03.11
 
O Facebook proíbe a utilização do site por menores de 13 anos. E avisa que contas em nome de crianças abaixo desta idade serão eliminadas em caso de denúncia.

Não é difícil encontrar no Facebook crianças de sete, dez ou 12 anos. E há até pais que criam um perfil para bebés acabados de nascer. Mas a política da empresa criada por Mark Zuckerberg é muito clara: «O Facebook exige que as pessoas tenham, pelo menos, 13 anos para poder criar uma conta».

O aviso está nos termos e condições do site e deixa mesmo um alerta: «Fornecer informações falsas para criar uma conta constitui sempre uma violação da nossa Declaração de Direitos e Responsabilidades. Isso inclui contas registadas em nome de crianças com idade inferior a 13 anos por pessoas com mais idade».

Como a empresa não tem maneira de controlar todos os perfis, convida os utilizadores a denunciarem contas de menores de 13 anos. «Eliminamos de imediato a conta de qualquer criança com idade inferior a 13 anos», explica o Facebook no site onde disponibiliza um formulário para estas denúncias.

Tito Morais, criador do site Miúdos Seguros na Net - que já conta com mais de oito mil seguidores no Facebook - admite que é difícil manter fora das redes sociais «os miúdos da geração Magalhães, que têm entre seis a dez anos, mas já têm computadores com ligação à internet».

Morais explica que a idade mínima para ter conta nas redes sociais para adultos decorre de uma lei americana de protecção de menores na net, a Children s Online Privacy Protection Act, mas diz que há alternativas ao Facebook e ao Hi5. «Há pelo menos sete redes sociais criadas especificamente para crianças, com níveis de segurança e controlo parental muito superiores aos das redes dos adultos».

Para quem não conseguir ou não quiser tirar as crianças do Facebook, Tito Morais dá alguns conselhos. «É importante que os pais sejam seguidores das contas dos filhos nas redes sociais e, caso eles sejam menores de 13 anos, que tenham mesmo as suas passwords de acesso». Ensinar os filhos a pedir autorização antes de aceitar um pedido de amizade e evitar jogos e aplicações sem as mostrar primeiro aos pais são outras sugestões.

«O Facebook até pode ser uma boa ferramenta para aproximar os pais dos filhos e envolver a família, mas é muito importante que haja regras», defende o especialista.

Jocelyn Ovalle, da empresa de segurança informática BitDefender, aconselha os progenitores a estarem perto dos menores enquanto estes estiverem nas redes sociais. «É importante que se sentem, de vez em quando, com os filhos para navegar na internet, explicando-lhes os perigos que podem encontrar». Sempre que não puderem estar fisicamente ao lado das crianças, «podem confiar num software de controlo parental como o que inclui o BitDefender Internet Security, que pode ser configurado e controlado através da internet e que permite aos pais saber a que páginas acederam os filhos e impedi-las de acederem às que considerem ser inadequadas».

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 14:33 | link do post | comentar

Domingo, 23.01.11

Fundação de Serralves
Rua D. João de Castro, 210, Porto
Tel. 226 156 500
Percurso O Serviço Educativo da fundação, no âmbito do programa Serralves em Família 2011, oferece o percurso "Colecionar e Expor" aos mais novos e aos seus acompanhantes. Colecionar e expor são duas atividades centrais na vida de um museu. Os jovens vão poder observar, interpretar e explorar as obras expostas, a partir de diálogos dinâmicos e jogos de descoberta. No dia 23 de janeiro às 11h (acesso gratuito mediante levantamento de senha na receção do museu a partir das 10h). Ver mais informações em www.serralves.pt .

 

Balleteatro Auditório
Praça 9 de Abril, 76 (Jardim de Arca d'Água), Porto
Tel. 222 089 175
Frágil O Teatro de Marionetas do Porto apresenta, no Balleteatro Auditório, o seu mais recente trabalho, "Frágil", um espetáculo para crianças a partir dos 4 anos. Uma coisa às vezes não é aquilo que ela é. Às vezes as coisas gostam de ser outras coisas, por exemplo de serem como as pessoas. Gostam de se mexer, de rir, de gostar e de não gostar. As pessoas/coisas e as coisas/pessoas servem para contar histórias. No mundo Frágil, há histórias pequenas e grandes. As coisas querem ser levadas para lugares que não conhecem, e fazem pequenas e grandes viagens. No mundo Frágil, há pessoas/coisas que procuram coisas/pessoas. Há segredos que não se desvendam, ou que ficam para desvendar, há um universo aberto e fechado. Há coisas que saem de dentro de outras coisas. No mundo Frágil as regras não são o que são, são regras de imaginação. Até ao dia 6 de fevereiro, aos sábados e domingos às 16h (para escolas e grupos, de terça a sexta, às 10h30 e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.marionetasdoporto.pt .

 

Teatro da Vilarinha
Rua da Vilarinha, 1386, Porto
Tel. 226 108 924
Andersen A companhia Pé de Vento apresenta "O Rapaz do Espelho", peça baseada num conto de Hans Christian Andersen. Certa noite de verão, em Odense, na Dinamarca, o jovem Hans reparou que estava a nevar em casa do vizinho alfaiate; e não era uma partida da sua imaginação. O que seria, então? Soube-se, depois, que o misterioso Senhor das Neves encomendara um manto ao alfaiate e, como ele não ficou pronto a tempo, zangou-se e levou-lhe a alma. Foi assim que Hans partiu em busca do reino do Senhor das Neves, algures no Lado de Lá, para entregar o manto acabado de fazer e recuperar a alma do alfaiate. O Lado de Lá... Tudo tem um outro lado. Mas será que é a ele ou ao outro, o rapaz do espelho, do lado de lá, que tudo isto está a acontecer? Até ao dia 28 de janeiro, aos sábados às 16h e 21h30 e aos domingos às 16h. Ver mais informações em www.pedevento.pt .

 

Museu Nacional da Imprensa
Estrada Nacional 108, nº 206, Porto
Tel. 225 304 966 e 225 300 648
Oficinas O museu oferece aos mais novos várias oficinas permanentes e outras atividades, das quais destacamos duas que decorrem no mesmo horário. Uma delas é "Do Papel à Impressão: Oficinas de Reciclagem", para crianças dos 4 aos 14 anos, onde os participantes reciclam manualmente papel velho, adicionando-lhe pétalas, folhas secas e outros materiais, transformando-o de novo em papel utilizável, sendo aconselhável, para uma produção personalizada, que cada um traga de casa desperdícios reutilizáveis. A outra, são as "Oficinas Gutenberg", para crianças dos 4 aos 12 anos, onde os participantes são levados a fazer uma viagem no tempo até à Europa do século XV, onde terão a oportunidade de escolher entre a construção de um livro, através das antigas técnicas de impressão e encadernação, ou a construção de um tipo móvel, reinventando a imprensa. Até 31 de dezembro, todos os dias à tarde (inclusive domingos e feriados) das 15h às 20h, e pela manhã de terça a sexta das 10h30 às 12h30. Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações em www.museudaimprensa.pt .

 

Centro Multimeios de Espinho
Avenida 24, nº 800, Espinho
Tel. 227 331 190
Planetário O Planetário de Espinho propõe quatro interessantes sessões às crianças e às suas famílias até ao mês de dezembro. "O Mistério da Bola de Fogo", aos sábados, domingos e feriados às 15h, para maiores de 4 anos. "Viagem a um Buraco Negro", aos sábados, domingos e feriados às 16h, para maiores de 12 anos. "Acampar com as Estrelas", aos sábados às 17h, para maiores de 10 anos. E "Dois Pequenos Pedaços de Vidro", aos domingos e feriados às 17h, para maiores de 10 anos. E o Observatório Astronómico oferece a sessão "Observação do Sol", aos sábados às 15h30 e 16h30, sempre que as condições atmosféricas existentes não sejam adversas. Ver mais informações sobre as sessões em www.multimeios.pt .

 

Parque Temático Molinológico
Ponte da Igreja, Ul, Oliveira de Azeméis
Tel. 256 664 043 e 256 683 170
Moinhos Ao visitar o parque, as crianças poderão assistir à moagem de diferentes tipos de cereais em moinhos de água e à confeção do pão tradicional de Ul e ver os materiais expostos no Núcleo Museológico do Moinho e do Pão. De terça a sexta, das 10h às 12h30 e das 14h às 17h30, e aos sábados e domingos, das 15h às 19h (encerrado às segundas e feriados). Para visitar todos os núcleos, é aconselhável fazer marcação prévia. Ver mais informações em www.moinhosdeazemeis.com .

 

Museu da Ciência - Laboratório Chimico
Largo Marquês de Pombal, s/n, Coimbra
Tel. 239 854 350
Ateliês O Museu da Ciência oferece aos mais novos em 2011 vários ateliês no âmbito do programa Sábados no Museu. Um deles vai ser "Fungos: Heróis ou Vilões?" Aurélio Quintanilha estudou fungos do género Synchytrium, um conhecido parasita da batata. Mas nem todos os fungos são vilões! Até pode dizer-se que alguns são verdadeiros heróis. Neste ateliê vai ser possível descobrir porquê. No dia 22 de janeiro, das 15h às 16h30, para crianças a partir dos 10 anos. E o outro vai ser "República a 3 dimensões". Numa época em que não existia televisão, um modo de tornar as notícias mais vivas era através da estereoscopia. Neste ateliê, os jovens vão perceber o que acontece quando simples fotografias parecem imagens reais. No dia 29 de janeiro, das 15h às 16h30, para crianças a partir dos 8 anos. Além disso, com o programa Aniversário no Chimico, o museu convida os jovens a vir fazer a festa de anos, durante três horas, nas suas instalações, aos sábados, das 10h às 13h, ou aos domingos, das 10h às 13h e das 15h às 18h. Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações emwww.museudaciencia.pt .



publicado por olhar para o mundo às 10:15 | link do post | comentar

Onde levar as crianças Lisboa

 

MARIONETAS
Tik e Tak  são dois duendes dos bosques encantados que fazem de contadores de histórias, apresentando "A Polegarzinha" e "A Princesa e a Ervilha" de Hans Christian Andersen. Os jovens vão ser transportados para o mundo imaginário das histórias de encantar através de dois personagens, ladinos e com muita vida, que irão mostrar histórias conhecidas de todos.

 

Auditório do Espaço Monsanto
Parque Florestal de Monsanto, Lisboa
Tel. 218 460 738 e 966 004 227
Aviador A companhia Trupilariante de teatro-circo apresenta o espetáculo de 'teatro físico' "O Aviador Tresloucado". Na sua avioneta 100% elétrica, o aviador tresloucado corre o mundo tentando convencer tudo e todos à não utilização de veículos poluentes. Enquanto está a passear pelos céus azuis encontra uma bela donzela que viaja no seu AvionKar. O piloto se apaixona pela bela aviadora e, com grandes acrobacias aéreas, faz de tudo para a impressionar. Mas tem um rival de peso, o aviador poluente, que também está interessado na esbelta donzela e faz ousadas acrobacias. Quem será que vai conquistar o coração da jovem? Nos dias 22, 23, 29 e 30 de janeiro e 5, 6, 12, 13, 19, 20,26 e 27 de fevereiro, sempre às 15h (durante a semana, disponível para escolas e grupos às 11h e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.trupilariante.com .

 

Museu do Oriente
Avenida de Brasília, s/n, Lisboa
Tel. 213 585 299 e 213 585 200
Oficinas O museu oferece, no âmbito das comemorações do Ano Novo chinês, duas oficinas para crianças. Uma delas é "4709, o Ano do Coelho". 4709? Mas não estamos em 2011? E por que razão lhe chamam o ano do coelho? Estas são algumas das perguntas cujas respostas serão encontradas numa oficina que, de mistério em mistério, levará os jovens a descobrir, entre outras coisas, o calendário lunar. No dia 29 de janeiro, das 15h às 16h30, para crianças dos 6 aos 12 anos (é necessário fazer marcação prévia até ao dia 24 de janeiro). A outra oficina é "Lai-Si! Da China Para Ti!" Hong bao em mandarim, lai si em cantonês, são nomes diferentes para um mesmo presente. Na China, são distribuídos envelopes vermelhos durante a festa de Ano Novo. Oferecer um lai-si representa uma oferta para quem é presenteado e para quem presenteia, que chama assim, também, para si, a boa sorte. Mas afinal que trazem dentro estes envelopes? No dia 30 de janeiro, das 15h às 17h, para crianças dos 6 aos 12 anos(é necessário fazer marcação prévia até ao dia 24 de janeiro). Ver mais informações em www.museudooriente.pt .

 

Museu da Marioneta
Convento das Bernardas - Rua da Esperança, 146, Lisboa
Tel. 213 942 810
Marionetas A companhia Algazarra - Teatro e Marionetas apresenta o espetáculo "Tik-Tak", para crianças a partir dos 4 anos de idade. Tik e Tak  são dois duendes dos bosques encantados que fazem de contadores de histórias apresentando "A Polegarzinha" e "A Princesa e a Ervilha" de Hans Christian Andersen, transportando o público para o mundo imaginário das histórias de encantar através de dois personagens, ladinos e com muita vida, que nos vão mostrar histórias conhecidas de todos. Até ao dia 30 de janeiro, aos sábados às 16h e aos domingos às 11h30 (disponível para escolas e grupos de quarta a sexta às 10h30, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.museudamarioneta.pt .

 

LittleChef
Avenida Maria Helena Vieira da Silva, 46 A (Lumiar), Lisboa
Tel. 914 333 385 e 917 182 892
Culinária A cozinha não serve só para preparar comida. É também um espaço privilegiado para conversar, brincar e aprender, do qual as crianças não podem ser afastadas. E isto acontece na LittleChef, uma escola de culinária para crianças dos 3 aos 12 anos, com conteúdos pedagógicos apropriados, além de jogos e atividades sempre diferentes e originais. As aulas abordam, por exemplo, as Artes (moldar, decorar), ou História e Geografia (origem cultural dos alimentos, culinária do mundo), tendo também Ciência à mistura e, claro, Matemática, já que um bolo de chocolate ajuda a compreender as frações. Nestas aulas, as crianças aprendem a preparar receitas e depois degustam o que cozinharam. De terça a sexta das 15h às 19h. A escola de culinária também realiza workshops para pais e filhos, onde as famílias passam uma manhã de sábado completamente diferente a preparar refeições deliciosas. Além disto, a escola possibilita às crianças virem fazer a festa de anos nas suas instalações, às sextas, sábados e domingos. A LittleChef proporciona também atividades para escolas e grupos organizados durante a semana. Todas estas propostas exigem marcação prévia. Ver mais informações em www.littlechef.pt .

 

Teatro Maria Matos
Avenida Frei Miguel Contreiras, 52, Lisboa
Tel. 218 438 801
História O Maria Matos apresenta o espetáculo Daqui Vê-se Melhor", onde é contada a história do teatro desde o antigo Egito até aos dias de hoje. O público vai ver e ouvir como o teatro surgiu e cresceu, num diálogo entre um narrador, uma atriz e um ilustrador, que desenhará esta história em tempo real. Os acontecimentos do mundo sempre influenciaram o teatro, porque a sua história confunde-se com a história do mundo. E por isso é tão difícil contá-la em 50 resumidíssimos minutos. Ainda assim, atrás do palco, foi montada uma potentíssima máquina do tempo que leva o público a viajar através dos séculos. O espetáculo começa por onde se começa sempre (pelo princípio) e chega até aos dias atuais, chamando ao palco as personagens e os cenários que fazem parte desta empolgante história. Nos dias 20 e 21 de janeiro às 10h, no dia 22 às 16h e no dia 23 às 11h. Ver mais informações em www.teatromariamatos.pt .

 

Teatro da Luz
Largo da Luz, s/n. Lisboa
Tel. 968 382 245
Tamanho A companhia Gato Que Ladra apresenta no Teatro da Luz o espetáculo "O Tamanho da Minha Altura", onde José Maria, o personagem, pergunta-se: "Qual deverá ser o tamanho certo para chegar ao botão do 5º andar do elevador do meu prédio? Quantos centímetros são necessários para chegar até às estrelas? Quantos milímetros me faltam para conhecer cada canto do mundo? Qual é o verdadeiro tamanho da minha altura?" Mas o personagem também revela: "Eu sou o José Maria e só com o bico de um lápis é que chego ao botão que me leva até casa. Pode parecer que sou pequeno, mas também é com esse lápis que chego às estrelas. E de lá consigo ver o nosso planeta e fazer viagens fabulosas." Um espetáculo fantástico para crianças a partir dos 4 anos. Até ao dia 27 de março, aos sábados às 16h e aos domingos às 11h (para escolas e grupos, de quarta a sexta, às 10h30 e 14h30, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.gatoqueladra.com .

 

Teatro Bocage
Rua Manuel Soares Guedes, 13-A, Lisboa
Tel. 214 788 120 e 912 449 909
Alice A Companhia de Teatro Magia e Fantasia encena no Bocage a peça "Alice, Alice, Alice", uma versão de "Alice no País das Maravilhas" de Lewis Carroll. Nesta viagem pelo País das Maravilhas, Alice encontra estranhas criaturas e vive aventuras incríveis que se transformam em palco num colorido percurso com cenários e figurinos que constroem este fascinante mundo um tanto surrealista, onde surgem referências ao teatro do absurdo numa linguagem acessível às crianças. Esta adaptação livre do texto clássico aborda temáticas relacionadas com a filosofia para crianças, dando ao espetáculo, para além do cariz lúdico, a possibilidade de diálogo com os espetadores. Nos dias 22 e 29 de janeiro às 16h. Ver mais informações em www.teatrobocage.com .

 

Teatro Bocage
Rua Manuel Soares Guedes, 13-A, Lisboa
Tel. 214 788 120 e 912 449 909
Felicidade A peça "Eu Sou Alegre e Sei Bem o Que Quero!" mostra o valor da felicidade para dois amigos. Maria é super bem-disposta e muito amiga de Luís Miguel, está sempre alegre e sempre a sorrir. Luís Miguel, por seu lado, adora animais e sabe bem o que quer: ser tratador de animais quando crescer. Mas a Maria não tem a mínima ideia do que quer ser quando for grande e por isso pede ajuda ao amigo Luís Miguel. Esta é uma história muito doce, que apela à importância de sermos alegres e felizes. Nos dias 23 e 30 de janeiro às 11h (para escolas e grupos, de segunda a sexta, às 10h30 e 14h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.teatrobocage.com .

 

Teatro Bocage
Rua Manuel Soares Guedes, 13-A, Lisboa
Tel. 214 788 120 e 912 449 909
Coragembullying e a violência escolar é o tema da peça "Vasco das Forças", sobre um menino chamado Vasco, pequenote e franzino, que era gozado no recreio pelos seus colegas mais altos e mais fortes. Inspirado na coragem e valentia do seu trisavô, a quem chamavam Saraiva das Forças, Vasco resolve enfrentar os colegas: sem recurso à violência e sem andar à pancada, utiliza a sua inteligência e rapidez de pensamento e ação para a sua própria defesa e a defesa dos mais fracos, passando a ser conhecido como Vasco das Forças. Nos 23 e 30 de janeiro às 16h (para escolas e grupos, de segunda a sexta, às 10h30 e 14h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.teatrobocage.com .

 

Auditório Carlos Paredes
Avenida Gomes Pereira, 17, Lisboa
Tel. 210 970 654
Gato A companhia Teatro Papa-Léguas apresenta a peça "O Espantoso Gato de Botas", uma divertida história de um pobre rapaz que recebe um gato, por herança, e acaba por ficar rico e poderoso quase sem saber porquê. Se tem um gato em casa, tenha cuidado. Se não tem, trate de procurar um. A sorte pode bater-lhe à porta. Até ao dia 29 de janeiro, aos sábados às 16h. Ver mais informações em www.teatropapaleguas.net .

 

Teatro Tivoli
Avenida da Liberdade, 182, Lisboa
Tel. 213 304 152
Abelha A peça "Bzz, Bzz, Bzz - A União Faz a Força" conta uma divertida e colorida história sobre a importância do trabalho em grupo e o valor da amizade. As abelhas e os beija-flores há muito tempo viviam em rivalidade até ao dia em que Bela, uma jovem abelha, conhece Bento, um jovem beija-flor, e alheios ao antigo desentendimento que afastava as suas famílias, iniciam uma verdadeira amizade que levará à reconciliação das espécies. Até ao dia 30 de janeiro, sempre aos sábados às 16h. Ver mais informações em www.plano6.pt .

 

Teatro Nacional D. Maria II
Praça Dom Pedro IV, s/n, Lisboa
Tel. 213 250 835
Visita O teatro apresenta o espetáculo "A Visita", para crianças com mais de 6 anos, onde é possível espreitar o que normalmente não se vê. O espetáculo é um passeio ao interior do D. Maria II que dá a conhecer a história do teatro, a sua arquitetura, as suas especificidades técnicas e potencialidades artísticas, os bastidores, as lembranças de um tempo mais antigo e do tempo de agora, feito de memórias reais. Neste passeio encenado, os visitantes são guiados por personagens históricas e ficcionadas como Almeida Garrett e Amélia Rey Colaço, que revelam lugares e aspetos do teatro desconhecidos do público. Nos dias 22 e 29 de janeiro, 19 e 26 de fevereiro, 5, 12 e 19 de março e 28 de maio, sempre às 15h. Ver mais informações em www.teatro-dmaria.pt .

 

Teatro Politeama
Rua das Portas de Santo Antão, 109, Lisboa
Tel. 213 245 526 e 964 409 036
Musical O Teatro Politeama estreia o espetáculo "O Sítio do Picapau Amarelo", um dos maiores sucessos da TV do Brasil que apaixonou gerações de jovens em Portugal, agora transformado em musical. Os jovens vão voltar a encontrar a boneca de trapos Emília, a menina Narizinho Arrebitado, o primo Pedrinho, a avó Benta a cozinheira Ti Nastácia, o tio Barnabé, o boneco de milho Visconde de Sabugosa, a bruxa-jacaré Cuca, o Saci Pereré, a pequena Sereia e outros habitantes do Reino das Águas Claras. Até junho de 2011, aos sábados e domingos às 15h. Ver mais informações em www.teatro-politeama.com ou www.filipelaferia.pt .

 

Teatro Armando Cortez - Casa do Artista
Estrada da Pontinha, 7, Lisboa
Tel. 218 860 503 e 217 154 057
Musical O Teatro Infantil de Lisboa apresenta no Armando Cortez o espetáculo de teatro musical "O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos". A peça, criada a partir da música para bailado de Tchaikovsky, decorre na noite de Natal em São Petersburgo, no século XIX. Os jovens heróis, Clara e o seu Quebra-Nozes, vão enfrentar o terrível rei dos Camundongos, numa fantasiosa aventura onde também vão conhecer a Fada da Neve, três pinguins, o rei Bom-Bom, a rainha Boa-Boa, a princesa Açucarada, o príncipe Chocolate e, finalmente, o príncipe encantado. Até ao dia 22 de junho de 2011 aos sábados, domingos e feriados às 15h. Ver mais informações em www.til-tl.com .

 

Núcleo Arqueológico do Millennium bcp
Rua Augusta, 84, Lisboa
Tel. 211 131 004
Ossos A Fundação Millennium bcp, realizadora da exposição "Ossos que Contam História", decidiu prolongá-la até ao fim de janeiro. Esta mostra exibe vestígios arqueológicos de animais vertebrados que coexistiram e coexistem ainda com a espécie humana. A exposição apresenta, de forma pedagógica, fragmentos da história do Homem e dos animais 'contada' através dos ossos de animais recuperados no decurso das escavações realizadas no espaço atualmente ocupado pelo Núcleo Arqueológico, próximo do Arco da Rua Augusta. Tudo isto é apresentado sob a forma de jogos em que cada jovem assume o papel de arquezoólogo. A entrada é gratuita e a mostra vai estar patente até 31 de janeiro, de segunda a sábado das 10h às 13h e das 14h às 17h. Ver mais informações emwww.millenniumbcp.pt .

 

Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva
Alameda dos Oceanos, 2, Lisboa
Tel. 218 917 100
Sexualidade O Pavilhão apresenta também uma outra atividade aos mais novos, sobre a sexualidade. O que é estar apaixonado? Qual a diferença entre um beijo explosivo e um beijo distraído? O que acontece ao corpo dos rapazes e das raparigas quando chegam à idade do armário? Para que servem os espermatozoides? Será que dar as mãos é fazer sexo? E podemos obrigar alguém a gostar de nós? "Sexo... e Então?!" é uma exposição rigorosa, atrativa e sem tabus que explica o amor e a sexualidade de uma forma clara e divertida ao público pré-adolescente (dos 9 aos 14 anos) e às suas famílias. Associada à mostra decorrerão atividades complementares como debates, palestras e ateliês. Até ao dia 28 de agosto de 2011, de terça a sexta das 10h às 18h e ao fim de semana e feriados das 11h às 19h (encerra às segundas). Ver mais informações em www.pavconhecimento.pt .

 

Museu de Ciência da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56, Lisboa
Tel. 213 921 808 e 213 921 679
Jogos O museu oferece aos jovens uma exposição onde é possível aprender a utilizar jogos matemáticos com mais de mil anos! "Jogos Matemáticos Através dos Tempos" apresenta e interpreta 11 réplicas de elevadíssima qualidade dos jogos de tabuleiro mais antigos que se conhecem. Alguns desses jogos só existem em manuscritos antigos e foram construídos pela primeira vez para esta mostra. São individualmente explicados, quer do ponto de vista de regras, quer no que respeita ao contexto histórico e social de cada jogo. Os jogos são: Pentalfa (séc. IV a.C.), Stomachion (séc. III a.C.), Ludus Regularis (séc. X), Rithmomachia (séc. XI), Ludus Astronomorum (séc. XIII),Ludus Globi (séc. XV), Metromachia(séc. XVI), Ouranomachia(séc. XVI), Icosiano, duas versões (séc. XIX) e Hex (séc. XX). Em complemento às réplicas históricas, a mostra possui um espaço em que os visitantes podem jogar (sobretudo a dois) e divertir-se. Exposição permanente, de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mc.ul.pt .

 

Museu Nacional de História Natural da Universidade de Lisbo
Tel. 213 921 808 / 213 921 883 / 213 921 679
Terra O museu apresenta a exposição "A Aventura da Terra: um Planeta em Evolução". A mostra interativa começa pela origem do próprio Universo e acompanha a evolução do planeta ao longo dos últimos 4.600 milhões de anos, com relevo para os primeiros sinais de vida na Terra e a sua posterior diversificação. Até dezembro de 2011, de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mnhn.ul.pt .

 

Museu Nacional de História Natural da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56/58, Lisboa
Tel. 213 921 808 / 213 921 883 / 213 921 679
Dinossáurio O museu apresenta "Allosaurus: Um Dinossáurio, Dois Continentes?", uma mostra que percorre os passos de uma investigação científica em curso até à descoberta de fósseis de Allosaurus fragilis em Portugal, com painéis informativos, fotografias, ilustrações científicas e 16 réplicas de esqueletos ou crânios de diversas espécies de dinossáurios. A exposição está patente até fevereiro de 2011, de terça a sexta das 10h às 17h e sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mnhn.ul.pt .

 

Centro Cultural Malaposta
Rua Angola, s/n, Olival Basto, Odivelas
219 383 100
Musical "A Ilha Encantada" é uma fantasia musical onde não falta a magia, o divertimento e o estímulo à imaginação. O espetáculo é contado e cantado em forma de lenda, que narra acontecimentos fantásticos. O público é convidado a entrar numa ilha misteriosa onde se destaca um castelo, um barco e o seu mais velho habitante, um simpático contador de histórias que, além de receber os visitantes, os convida a participar no jogo teatral do faz de conta. O mundo da ilha encantada tem, além do contador de histórias, outros habitantes como uma princesa, um dragão e uma viúva e o seu jovem e alegre filho, que vivem num barco e sonham com um futuro melhor. Até junho de 2011, aos sábados às 16h e aos domingos às 11h (durante a semana, disponível para escolas e grupos de terça a sexta às 11h e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.malaposta.pt .

 

Museu do Brinquedo
Rua Visconde de Monserrate, 26, Sintra
Tel. 219 242 171
Sons O Museu do Brinquedo apresenta, na Sala de Exposições Temporárias, a mostra "Brinquedos Sonoros e Musicais". Nesta exposição o público vai poder contemplar uma coleção de objetos lúdicos, produtores de som e oriundos de várias culturas. Até ao dia 26 de abril de 2011, de terça a domingo, das 10h às 18h. Ver mais informações em www.museu-do-brinquedo.pt

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 10:03 | link do post | comentar

Sábado, 15.01.11

Estudos sobre o leite materno

 

Quase dez anos depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter declarado que a amamentação em exclusivo até aos seis meses beneficia os bebés, um estudo publicado no British Medical Journal vem dizer o contrário. O grupo de investigadores reconhece os benefícios do leite materno, mas defende que este deve ser completado com outros alimentos.

 

No estudo, a que o PÚBLICO teve acesso, investigadores do Reino Unido, conduzidos por Mary Fewtrell, do Instituto de Saúde Infantil da University College London, fizeram uma revisão da evidência científica que suporta as actuais orientações sobre aleitamento e consideraram que é altura de ponderar os pressupostos. De acordo com as conclusões do grupo, apesar dos benefícios da amamentação, o facto de o bebé só mamar durante seis meses pode não ser do seu pleno interesse no que diz respeito, por exemplo, a introduzir outro tipo de alimentos ou a desenvolver algumas patologias e alergias.

Em 2002, a OMS estabeleceu recomendações mundiais no sentido de os bebés serem exclusivamente alimentados com leite materno durante os seis primeiros meses de vida, podendo a amamentação prolongar-se como complemento até aos dois anos. Muitos países ocidentais não seguiram estas recomendações mas, em 2003, o Reino Unido, de onde são os autores do estudo, adoptou as guidelines da OMS, à semelhança de Portugal. Contudo, Fewtrell e os colegas defendem que a amamentação exclusiva deve ser sim recomendada nos países menos desenvolvidos, onde o acesso a água potável e a alimentos seguros é limitado, representando um risco superior para o bebé de morte ou doença.

A situação portuguesa

Em Portugal, nos últimos anos, a tendência tem sido a de incentivar o aleitamento materno exclusivo. O próprio Plano Nacional de Saúde 2004-2010, que agora termina, definia um período de duração do aleitamento materno como meta prioritária. Também a Direcção-Geral da Saúde (DGS) refere que, “de acordo com as estatísticas disponíveis, à data da alta hospitalar a larga maioria das puérperas e seus recém-nascidos terão como plano alimentar esperado o aleitamento materno exclusivo, o que permite falar numa taxa de 90 por cento de iniciação”. No entanto, a DGS reconhece que “a elevada taxa de aleitamento materno exclusivo à alta parece ter um acentuado declínio logo no primeiro mês de vida para ser inferior a 50 por cento aos três/quatro meses”.

Contactada pelo PÚBLICO, a secretária da mesa do Colégio de Especialidade de Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia da Ordem dos Enfermeiros, Teresa Félix, ressalvou que não conhece o estudo por completo, mas lembra que um único documento não é suficiente para alterar toda a prática que tem sido desenvolvida. Para as mães que estão neste momento a amamentar ou para as futuras mães, refere que “o mais importante é manter a amamentação mesmo que se introduza outro alimento”. De todas as formas, Teresa Félix lembra que “o leite materno é fundamental em termos nutricionais e um alimento que é impossível igualar. É um alimento vivo que muda ao longo do dia e que responde às necessidades do bebé”, pelo que é importante que a mãe tente continuar a extrair o leite mesmo quando regressa ao trabalho.

Também a presidente da Associação Portuguesa dos Nutricionistas, em reacção ao estudo, defende que “é muito difícil deixar de ter por base uma recomendação que vem da OMS”. Sobre o facto de introduzir alimentos mais cedo, Alexandra Bento entende que é necessária mais evidência científica, mas também recorda que “a OMS faz recomendações globais e universais que se aplicam a todos os países” – em referência ao facto de a realidade dos países em desenvolvimento poder estar a influenciar as recomendações, já que nos países desenvolvidos até pela entrada da mulher no mundo do trabalho a amamentação exclusiva é abandonada mais cedo. A nutricionista explica, no entanto, que “o mais importante é impulsionar o aleitamento materno independentemente da altura em que se introduzem alimentos” e pugnar por “uma alimentação diversificada” para toda a família.

Alimentos e não complementos

Sobre os países europeus, os investigadores também salientam que a recomendação da OMS lhes suscita algumas dúvidas, mas sublinham que são a favor da amamentação exclusiva até aos quatro meses e que defendem que deve ser prolongada depois deste período, desde que associada a outros alimentos. E reforçam a palavra alimentos, dizendo que não estão a defender outro tipo de suplementos ou complementos disponibilizados pela indústria do sector. Três dos investigadores fazem mesmo uma declaração de interesses no estudo onde dizem que nos últimos três anos fizeram trabalhos de consultoria ou receberam fundos para trabalhos de empresas ligadas a suplementos alimentares e alimentos para crianças.De acordo com os cientistas, a documentação que suporta a decisão da OMS é anterior a 2000 e diz que os bebés que durante os primeiros seis meses só mamaram tiveram menos infecções e problemas associados ao crescimento. Conclusões que Fewtrell coloca em causa, dizendo que quando o bebé só recebe leite materno apresenta mais riscos de anemia, de doença celíaca, e de alguns tipos de alergia, nomeadamente alimentar. Na Suécia, por exemplo, o adiar da introdução de alimentos sólidos, como glúten, coincidiu com o aumento de casos de doença celíaca e baixou quando a amamentação exclusiva passou a ser recomendada só até aos quatro meses, dizem os cientistas.

Os investigadores temem, ainda, que o uso prolongado do aleitamento exclusivo reduza a janela de oportunidade de introdução de novos sabores da dieta da criança, nomeadamente a adaptação a vegetais – o que pode aumentar o risco de uma dieta desadequada que conduza à obesidade. O grupo recomenda, por isso, ao Reino Unido que reveja as suas orientações sobre esta temática, com base na informação científica que foi produzida ao longo dos últimos dez anos. Mary Fewtrell acredita, contudo, que os efeitos para os bebés no Reino Unido tenham sido residuais, já que a amamentação em exclusivo até esta idade é muito pouco comum no país (um por cento, segundo dados de 2005).

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 15:26 | link do post | comentar

Domingo, 09.01.11

Valsa da meia noite e muito mais

 

A par do concerto de Ano Novo, a valsa vienense é famosa mundialmente. Em Janeiro arranca a temporada dos mais belos bailes. Por cá, na escola Alunos de Apolo, em Gaia, formámos par para aprender os passos da valsa. Está aberta a pista.

«A valsa foi das primeiras danças a juntar homem e mulher a menos de cinco centímetros», diz José António Gomes. Dançarino há 20 anos, o professor do Clube de Danças de Salão de Gaia - Alunos de Apolo prepara-se para mais uma aula dedicada à valsa: vienense e inglesa. Através da sua história vais facilmente identificar o que as distingue, além do país de origem.

Johan Strauss foi quem celebrizou a valsa vienense, inspirada nas danças camponesas tradicionais austríacas e desenvolvida depois por outros compositores. Era uma dança em quadrilha, famosa nas cortes. Já Isabel I é a responsável pelo nascimento da valsa inglesa. Numa festa de aniversário da rainha de Inglaterra, a Áustria quis presenteá-la com a sua dança típica. A monarca gostou tanto que quis aprender os passos, mas como eram muito rápidos pediu à orquestra para tocar um pouco mais devagar. Assim surgiu a valsa inglesa!

 

A diferença está precisamente no ritmo. «A valsa vienense é mais rápida, logo permite menos variações de passos. Quanto à inglesa, é mais lenta, pelo que aumenta as variantes dos movimentos corporais», explica o professor.

Está na altura de passarmos da teoria à prática. Alinhados, os pares adoptam a postura correcta: costas direitas, cotovelos ao nível dos ombros, pernas ligeiramente flectidas, cabeça levantada e pescoço esticado. «A postura não é necessária para que os passos saiam perfeitos. Mais do que a posição do corpo, é preciso interiorizar a dança, imaginá-la à sua época e contexto», diz.

A valsa inglesa rege-se por três tempos e o primeiro é o mais forte:«Um... dois, três», exemplifica José. O passo base da valsa chama-se Closed Change e consiste em três fases: o primeiro passo marca a direcção; o segundo é lateral ao primeiro; e o terceiro junta os pés e troca de peso ou de perna. Se o primeiro pé a avançar for o direito, temos um Right Closed Change. Se começarmos com o pé esquerdo, então já estamos a fazer um Left Closed Changed.

Só se considera um passo de dança quando a troca de peso acontece. Concretizado o passo, a figura que fazemos no chão é um rectângulo e se fizermos com os dois pés então já desenhamos um 'oito''.

 

Para o Marco, de 12 anos, a dança fá-lo sentir-se «maior». Já a sensação para Raquel, de 11, é de «espaço». Formam par há dois anos e contam inúmeros títulos: campeões nacionais de danças latinas, vencedores do ranking 2010 e da Taça de Portugal e vice-campeões nas mesmas categorias nas danças clássicas (onde se inclui a valsa).

Aceleramos o ritmo e a valsa vienense custa mais a entrar nos pés. Mais novos que o par anterior, a Nélia e o André concordam: «A valsa vienense é mais difícil». O professor pára a música para dar um conselho: «Não vale a pena correr, respirem». A música recomeça e os pares retomam os rodopios pelo salão, desta vez com mais leveza.

O Fábio e a Vânia, a Daniela e o Celso são um pouco mais velhos que os demais colegas e preferem o samba, o jive e a rumba, mas todos têm em comum o gosto pela dança e a maioria ambiciona tornar-se profissional. Pelo que vimos, vão no bom caminho... Um, dois, três...

ALUNOS DE APOLO GAIA

R. DA BÉLGICA, 2318 A 
CANIDELO
VILA NOVA DE GAIA

TEL. 919 839 237/ 918 534 203

WWW.APOLOGAIA.COM

 

 

Via Sol



publicado por olhar para o mundo às 19:11 | link do post | comentar

Segunda-feira, 20.12.10

 

A equipa "Coração na Guiné" está a levar a cabo mais uma feliz campanha para ajudar os meninos e meninas da Guiné-Bissau!

Desta vez, a ideia é juntar o máximo de livros, gramáticas, prontuários e dicionários de língua portuguesa possíveis, novos ou usados, para ajudar a equipar 15 oficinas de língua portuguesa e reabilitar 2 bibliotecas de uma escola primária.

Apesar do Português ser a língua oficial da Guiné-Bissau, o Crioulo é ainda maioritariamente falado assim como os dialectos regionais tais como o Mandinga e o Mandjaco.

Na Guiné, as condições de ensino são ainda muito precárias e o acesso a livros, dicionários e manuais escolares em português é muito limitado.

À semelhança da maioria dos países africanos, o ensino público na Guiné-Bissau é marcado por grandes carências a vários níveis. O parque escolar encontra-se muito degradado, a maioria das escolas não tem água nem luz e escasseia material de trabalho tão elementar como livros, quadros escolares ou giz...

Uma triste realidade que podemos ajudar a modificar, contribuindo para esta campanha!

 

Via  SORRISOS SEM COR

 

Para mais informação ir aqui: http://www.coracaonaguine.com/



publicado por olhar para o mundo às 17:11 | link do post | comentar

Sexta-feira, 17.12.10

o que fazer quando as crianças descobrem o pipi

 

Ter um filho de cinco anos em casa tem destas coisas. Por muito que o pediatra diga que são comportamentos normais, Cátia Jorge, de 32 anos, vê-se "aflita" para responder a algumas perguntas do filho e, por muito que tente abordar "sem tabus" as temáticas ligadas ao sexo, confessa que nem sempre é fácil.

"Ele é muito curioso e às vezes até me parece precoce", conta a jornalista de Mafra. Apesar de ser criança, Diogo passa "muito tempo a olhar para a pilinha e a mexer-lhe". Cátia já teve até de engolir em seco quando o filho lhe disse: "Mãe, ela está viva" ou "Acho que está velhota e quase a morrer". Diogo até arranjou uma namorada na natação, um ano mais velha. "Um dia, apanhei-a a dizer: 'Diogo, vamos fazer sexy debaixo de água'", lembra. Pensou no pior: "Tenho de afastar esta mulher do meu filho." E depois: "Estarei a transformar-me na sogra mais bruxa do mundo?"

As crianças têm uma sexualidade e negar esse facto é meio caminho andado para que na idade adulta não saibam lidar devidamente com a intimidade e com o sexo. "Há sexualidade em todas as idades, embora as componentes que a envolvem, como a companhia, o erotismo, o bem-estar, a realização ou a procriação variem consoante as idades", explica o pediatra Mário Cordeiro. 

Logo no ventre materno e a partir do sétimo mês de gestação, o feto começa a ter erecções regulares, "que nada têm a ver com a libido, mas com o próprio amadurecimento do órgão genital", explica o pediatra Gomes Pedro. Enquanto recém-nascido e sobretudo depois de deixar as fraldas, o bebé percebe que sente prazer quando toca nos genitais. "Não se pode falar em masturbação, porque isso implicaria a existência de fantasias", esclarece Mário Cordeiro. Essa "manipulação" do corpo faz parte da descoberta da sexualidade e quando o bebé percebe, instintivamente, que "tem prazer", começa a repetir o gesto. 

Por volta dos quatro anos, as crianças começam a brincar aos médicos. Um comportamento normal, que favorece a descoberta do próprio corpo e do corpo do outro, mas que "apavora os adultos", admite a psicóloga infantil Rita Jonet. "Eles só querem perceber as diferenças, não se pode encarar essa curiosidade como uma experiência aflitiva", recomenda. Na maioria dos casos, as brincadeiras acontecem entre irmãos, vizinhos, primos e, frequentemente, entre crianças do mesmo sexo. "Porque nessas idades há maior intimidade entre rapazes ou entre raparigas do que com o sexo oposto", justifica a psicóloga. "É a descoberta através do corpo do outro. É tocar para sentir como será ser tocado", acrescenta Mário Cordeiro. 

Como lidar A resposta é simples, apesar de raramente ser fácil de aplicar: agir e reagir com naturalidade. Castrar estes comportamentos "por causa de moralismos, falsos ou verdadeiros, acabará por interromper, mais tarde, a sexualidade normal da pessoa", aconselha Mário Cordeiro. Gomes Pedro concorda: "Nunca se deve fazer mistério em torno dos assuntos. Por vezes, os adultos diabolizam, porque já se esqueceram de como eram." 

Mesmo assim, há dois sinais a que os pais devem estar atentos. O primeiro é se a masturbação acontecer em público. "Os pais têm de ensinar o valor da intimidade e da privacidade", refere Mário Cordeiro. "Explicando que o corpo é um tesouro que deve ser guardado", acrescenta Rita Jonet. O segundo é se a masturbação ou os contactos com outras crianças são demasiado frequentes. "Se chega a casa e abdica de outros entretenimentos ou tarefas e se começa a isolar", explica Rita Jonet. O mais indicado é distrair a criança. "Chamá-la para outras actividades, como ver televisão", recomenda. Caso o comportamento se mantenha, então será preciso consultar o médico ou um psicólogo. Normalmente, explica Gomes Pedro, as crianças que se tocam demasiadas vezes é porque estão sob stresse "e percebem que é uma forma de diminuir a ansiedade".



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 13.12.10

Bélgica proibe venda de tapetes-puzzle

 

A Bélgica decidiu proibir a venda dos tapetes-puzzle para crianças, devido à presença na sua constituição de partículas consideradas tóxicas, e a França deverá tomar uma decisão na segunda-feira, informaram fontes oficiais.

O debate sobre este tema começou na sexta-feira, quando as autoridades belgas decidiram retirar o produto dos locais de venda, devido a análises feitas ao produto que mostram a presença de partículas de formadima, uma substância química cancerígena.

O secretário de Estado francês do Consumo, Frédéric Lefebvre, citado hoje pela France Press, disse que deu indicações para se "proceder de imediato ao controlo de toxidade".

O governante francês disse que pediu também ao homólogo belga os resultados das análises feitas que sustentaram a decisão tomada por Bruxelas.

Está prevista para segunda-feira de manhã uma reunião para o Governo francês tomar uma decisão.

O presidente da Associação Francesa de Defesa dos Consumidores, Reine-Claude Mader, defendeu que é preciso "retirar de imediato os tapetes-puzzle de venda", recordando que já há uma decisão comunitária que vai proibir o uso da formadima a partir de 2013.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:59 | link do post | comentar

Segunda-feira, 06.12.10

A inocência adiada

Acredito que a sexualidade vivida demasiado cedo distorce a realidade e torna as crianças emadultos imaturos, decididamente mais infelizes e insatisfeitos por terem crescido depressa demais. Alguém concorda?

Confesso que já penso nisto há meses, para não dizer que o faço já há alguns anos. Mas hoje, talvez como resultado da leitura de algumas notícias que trazem a público o aumento do número de casamentos homossexuais em Portugal e a tenra idade em que a população portuguesa inicia a sua vida sexual, achei que estava na hora de desabafar este sentimento de uma certa confusão social.

Não quero com isto dizer que sou contra o casamento homossexual ou as relações entre indivíduos do mesmo sexo. Creio que cada um tem direito a ser feliz na sua sexualidade. A minha questão coloca-se é com a idade em que de facto um indivíduo tem consciência da sua sexualidade. Isto é, se gosta de indivíduos do mesmo sexo ou do sexo oposto e se tem de facto consciência da experiência sexual em si.

 

Século 21: Nova era ou confusão social

Creio que a nossa sociedade, não sei se por ter estado tão privada da liberdade de ação e pensamento durante tantos anos, criou uma ideia errada do que é realmente a sexualidade, a relação íntima e a identificação com pessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto.

As meninas sempre foram habituadas a dormir com meninas e a não serem condenadas por andarem de mãos dadas ou brincarem com bonecas. Já no que diz respeito aos rapazes, a estes sempre lhes foi dito que o correto para eles era jogar à bola e brincar com carrinhos.

Na minha opinião esta é uma falha social, um preconceito. Mas, sinceramente, também acho estranho o contrário e, correndo o risco de ser mal interpretada, não acho mesmo normal que cada vez mais rapazes adolescentes conheçam tão bem com a sua sexualidade, ao ponto de quererem ser parecidos com elas, a nível de modos e comportamentos, e que sejam capazes de se afirmar homossexuais, quando mal ainda chegaram à adolescência ou pouco mais que isso.

Não sei se nos dias de hoje as grandes culpadas somos nós, as mulheres e mães, ou os homens, enquanto pais, que fazem dos filhos e filhas seres andróginos e apenas preocupados com aquilo que os outros pensam ou veem, passando de uma forma fútil, as formas corretas de ser e de estar, através de imagens manipuladas e conceitos politicamente corretos.

E se de um lado os meninos cada vez mais se parecem com meninas, também estas, cada vez mais, são autênticas predadoras sexuais com 14, 15 anos, verdadeiras "lolitas" maquilhadas e produzidas, e capazes de confundir a cabeça dos mais esclarecidos.

Assusta-me esta falta de identificação e maturidade sexual. É certo que com esta idade já tinha dado o meu primeiro beijo de fugida, mas preferia bem mais saltar ao elástico e dar grandes voltas de bicicleta pelo bairro com o maior número de amigos, e falar horas intermináveis nas noites quentes de Verão.

Viamos o "Dirty Dancing", o "Blue Lagoon" e o "Top Gun", mas daí a permitir pouco mais que um toque na cintura e uns beijinhos repenicados, ía muito mais que uma longa metragem.

Tenho saudade. Gostava que os miúdos não descobrissem tão cedo a sexualidade e fizessem dela uma distorcida imagem de afeto. Gostava que brincassem mais, andassem de mãos dadas e sentissem as primeiras borboletas no estômago sem que para isso tivessem de ter relações sexuais prematuras, que vão resultar muitas vezes em más experiências, das quais a gravidez pode nem sempre ser a pior das experiências mas, sem dúvida, uma das mais comuns actualmente

 

Via A Vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 21:03 | link do post | comentar

Quarta-feira, 17.11.10

A situação não é para brincadeiras. O Pai Natal também está falido e tornou-se mendigo.

Ainda assim o Natal não deixa de ser uma época especial em que nos lembramos de quem mais amamos e é por isso que, mesmo com as dificuldades que se avizinham, não podemos deixar de o passar em harmonia com todos aqueles que nos são mais queridos.

Nem o Pai Natal vai conseguir fugir à crise
Nem o Pai Natal vai conseguir fugir à crise

Se o Pai Natal está na miséria, vamos ajudá-lo.

Cinco sugestões para poupar (e muito) na quadra


1º Junte-se com os seus e peça a cada um que traga alguma coisa que se coma;

2º Não gaste um cêntimo com as decorações. Procure na arrecadação os enfeites de Natal dos outros anos e volte a utilizá-los;

3º Certamente que tem algumas velas novas nas gavetas. Ou então acenda as que já foram usadas. Não vai precisar de comprar mais apenas por uma noite;

4º Não vá para aquelas filas intermináveis dos hipermercados na época de Natal. Procure a mercearia lá do bairro ou da terra da sua mãe e compre exclusivamente o essencial;

5º PRENDAS? Poupar aqui é o mais fácil: Estabelece desde de logo um lema para toda a família respeitar. Por exemplo: "Dar as prendas mais originais sem gastar dinheiro";

Seis exemplos de prendas de borla...


1º Não tem lá para casa uma colecção de CDs que já não ouve? Então despache-os e ofereça-a ao primo, tio ou outro membro da família que sempre os cobiçou. Aproveite e junte esta mensagem original: "Disseste-me uma vez que adoravas esta colecção, é com todo o carinho que me lembrei de ti";

2º Porque não recorda o croché e o põe em prática umas semaninhas antes do Natal, fazendo uns cachecóis para as suas primas? E depois diga com aquele ar feliz e contente: "Fui eu que fiz";

3º Se houver crianças, porque é que não combina com as outras mães e fazem-nas trocar brinquedos entre si? O que era do outro, o seu filho ia adorar certamente. As crianças gostam e cobiçam sempre aquilo que é do outro e que não têm. (Os adultos também, mas isso é outra história);

 

4º Se há quem tenha cães, ofereçe um cartão, criado por si, com contactos úteis de hotéis e outros serviços de norte a sul do país para os amiguinhos de quatro patas;

 

5º Se for um cibernauta habitual, versátil a navegar e a descobrir coisas naInternet, pode sempre criar uma prenda muito especial: Dedicar umblogue a alguém muito querido. Com fotos, vídeos e mensagens únicas. Depois de o oferecer, pode sugerir que a pessoa continue a alimentar esse blogue;

 

6º Se for versátil com tecnologia e edição de imagem surpreenda toda a família com um vídeo feito por si. Uma produção que contenha fotos e vídeos antigos, que todos vão adorar recordar. Faça cópias em CD ou DVD e ofereça a todos os membros da família.

..mais um, mas imaterial


Você gostaria tanto de oferecer uns bilhetes para uma peça de teatro à sua mãe ou avó mas, infelizmente, o teatro nem sempre é acessível a todas as carteiras, principalmente no período de crise que atravessamos.

É por isso que aqui lhe deixo outra alternativa. Esta certamente que toda a família vai adorar ter na noite da consoada.

Junte alguns elementos da família e preparem vocês mesmo diversos números para apresentarem uns aos outros, como se de uma peça de teatro se tratasse. Vai ver que os vizinhos ainda lhe batem à porta para querer assistir.

Como fazer então esse show de variedades?

- Uns podem cantar;

- Outros podem dançar;

- Há sempre aqueles que sabem contar anedotas (atenção, só são válidas as de bom gosto e sem brejeirices);

- Outros pode muito bem declamar poemas ao som músicas bonitas que um outro elemento da família toque;

- Depois não se esqueça que há ainda a possibilidade de alguém poder preparar um número especial com o cão ou o gato da casa. Já pensou como era divertido?

Seria um espectáculo digno de uma noite em família em que você mesmo poderia brilhar, mostrando os seus dotes e incentivando os seus cunhados, irmãos, primos e tios a fazerem o mesmo. Pense nisso;

A melhor prendas de todas


Nos dias que correm há certamente uma prenda que todos nós gostaríamos de receber das pessoas que amamos:Um voucher de tempo. Sim, leu bem: o tempo é actualmente é um dos bens mais preciosos do mundo, já que praticamente ninguém o tem.

Faça da seguinte maneira: Escreva num cartão elaborado por si a frase:  "Voucher de 24 horas do meu tempo só para ti".  Com disponibilidade e marcação prévia. Verá que a pessoa que o receber vai ficar imensamente feliz. Mas lembre-se: essas 24 horas são para passar realmente dedicadas a quem as ofereceu, sem telemóveis, computadores ou o que quer que seja que roube um segundo dessa prenda que deu quem ama.

Recuperar o (verdadeiro) espírito natalício


Já viu agora quantas soluções existem para passar um Natal sem gastar praticamente um cêntimo?

Lembre-se que poupar dinheiro é a melhor atitude que podemos ter para este Natal, mesmo que estejamos bem empregados e tenhamos um bom subsídio de Natal.  Até porque 2011 vai ser bem penoso e convém começar já a poupar.

Posto isto, embora ainda seja um bocadinho cedo, resta-me deixar este vídeo e desejar a todos um FELIZ NATAL!

Santa Claus Singing Jingle Bells, His Favorite Christmas Song

 


 

Via A vida de saltos altos



publicado por olhar para o mundo às 08:03 | link do post | comentar

Domingo, 14.11.10

 

Procuram-se abraços

 

 

Campanha “Procuram-se Abraços”

 

Idealizada como uma acção de marketing social, ao serviço do objectivo da captação de novas famílias que estejam disponíveis para acolher crianças em situação de risco, a campanha “Procuram-se Abraços” consiste num programa de relações públicas e num plano apropriado de meios publicitários.

A campanha “Procuram-se Abraços” da Mundos de Vida pretende, assim, por ao serviço de uma causa social, os instrumentos de marketing disponíveis no sector empresarial, potenciado por um conjunto de boas vontades de personalidades e instituições que, generosamente, se associaram ao objectivo central da campanha.

É neste quadro que se destaca o papel dos padrinhos da campanha “Procuram-se Abraços”, os apresentadores de TV, Jorge Gabriel e Sónia Araújo que ao aceitarem esta importante função, lhe conferiu, necessariamente, uma maior visibilidade, conseguindo-se, desta forma, chegar a uma população muito mais vasta. Para o sucesso da campanha destacam-se, também, as parcerias e apoio das autarquias e da comunicação social dos concelhos abrangidos pelo Serviço de Acolhimento Familiar de Crianças e Jovens da Mundos de Vida, nomeadamente, os concelhos de V. N. de Famalicão, Guimarães, Barcelos, Esposende, Vizela, Santo Tirso, Trofa, Maia, Vila do Conde e Póvoa de Varzim.

O plano de meios conta com a colocação de outdoors, de muppis e a distribuição em grande escala de desdobráveis através da rede de escolas, dos centros de saúde, das farmácias, dos correios, das estações de caminhos-de-ferro e de outros estabelecimentos comerciais.

Mais informações, podem ser obtidas através do endereçofamilia@mundosdevida.pt, do telefone da campanha ou do número 252 49 90 10 e, directamente, nos serviços, na rua Quinta da Serra, 101, em Lousado (V. N. de Famalicão).


Retirado de Mundos de vida



publicado por olhar para o mundo às 23:07 | link do post | comentar

Sábado, 13.11.10

Teatro do Campo Alegre
Rua das Estrelas, s/n, Porto
Tel. 226 063 000
Pássaros O Campo Alegre estreia "Vento & Pássaros", um espetáculo de leitura coreografada criado a partir do livro "A Verdadeira História dos Pássaros" de valter hugo mãe. A peça, onde a voz, o corpo, o canto e a dança se ligam, é uma história sobre o poder da amizade e da imaginação, cujo personagem principal é o vento que não suporta a solidão. Nos dias 13 e 14 de novembro às 16h (para escolas, nos dias 15 e 16 às 10h30 e 15h. Ver mais informações em http://seducativo-tca.blogspot.com .

 

Teatro de Belomonte
Rua de Belomonte, 57, Porto
Tel. 222 083 341 e 222 089 175
Óscar O Teatro de Marionetas do Porto apresenta no Teatro de Belomonte o espetáculo "Óscar", concebido para crianças a partir dos três anos de idade. Óscar é um menino que tem o seu lugar de brincadeira preferido num jardim onde constrói os seus mundos imaginários. Relaciona-se com os animais, as plantas e o Jardineiro Joaquim. Os amigos do Óscar são o Porco Cambalhota, o Ouriço Ribeiro, a Vaca Radical, a Laranjeira, o Capitão Iglo, as Flores, o Gigante e a Galinha Chocapic. O espetáculo estrutura-se ao longo das quatro estações e as histórias, a música, as cores, as palavras, os cheiros vão tomando a forma das sensações que caracterizam o jardim durante as diferentes fases do ano. Até ao dia 28 de novembro, aos sábados e domingos às 16h (para escolas, de terça a sexta às 10h30 e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações emwww.marionetasdoporto.pt .

 

Fundação de Serralves
Rua D. João de Castro, 210, Porto
Tel. 226 156 500
Percurso O Serviço Educativo, no âmbito do programa Famílias em Serralves 2010, oferece a o percurso "Arquitectar".Através de diálogos e jogos de exploração do espaço revela-se o processo de trabalho do arquiteto Álvaro Siza. Com base na planta do Museu de Serralves levantam-se paredes e reconfiguram-se lugares de exposição. No dia 14 de novembro, às 11h. (acesso gratuito, levantar senha na receção do museu a partir das 10h). Ver mais informações em www.serralves.pt .

 

Teatro d'Avenida
Avenida da República, 1435, Vila Nova de Gaia
Tel. 915 063 072
Patins A companhia Palco Partilhado apresenta o espetáculo "Cinderela - Musical em Patins", com um elenco composto por patinadores e atores profissionais. A peça, sobre a donzela que era tratada como escrava pela sua detestável madrasta e duas mesquinhas meias-irmãs, mas que conquista o coração do príncipe herdeiro, leva o público a um mundo onde o sonho se transforma em realidade. Nos dias 13 e 14 de novembro às 18h30, no dia 19 às 21h e nos dias 20 e 21 às 18h30 (para escolas, nos dias 18 e 19 de novembro às 10h30 e 14h30, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.palcopartilhado.pt .

 

Museu Nacional da Imprensa
Estrada Nacional 108, nº 206, Porto
Tel. 225 304 966 e 225 300 648
Oficinas O museu oferece aos mais novos várias oficinas permanentes e outras atividades, das quais destacamos duas que decorrem no mesmo horário. Uma delas é "Viagem ao Mundo do Papel", para crianças a partir dos 4 anos, onde os participantes reciclam manualmente papel velho, adicionando-lhe pétalas, folhas secas e outros materiais, transformando-o de novo em papel utilizável, sendo aconselhável, para uma produção personalizada, que cada um traga de casa desperdícios reutilizáveis. A outra, são as "Oficinas Gutenberg", para crianças dos 4 aos 12 anos, onde os participantes são levados a fazer uma viagem no tempo até à Europa do século XV, onde terão a oportunidade de escolher entre a construção de um livro, através das antigas técnicas de impressão e encadernação, ou a construção de um tipo móvel, reinventando a imprensa. Até 31 de dezembro, todos os dias à tarde (inclusive domingos e feriados) das 15h às 20h, e pela manhã de terça a sexta das 10h30 às 12h30. Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações em www.museudaimprensa.pt .

 

Centro Multimeios de Espinho
Avenida 24, 800, Espinho
Tel. 227 331 190
Planetário O Planetário de Espinho propõe quatro interessantes sessões às crianças e às suas famílias até ao mês de dezembro. "O Mistério da Bola de Fogo", aos sábados, domingos e feriados às 15h, para maiores de 4 anos. "Viagem a um Buraco Negro", aos sábados, domingos e feriados às 16h, para maiores de 12 anos. "Acampar com as Estrelas", aos sábados às 17h, para maiores de 10 anos. E "Dois Pequenos Pedaços de Vidro", aos domingos e feriados às 17h, para maiores de 10 anos. E o Observatório Astronómico oferece a sessão "Observação do Sol", aos sábados às 15h30 e 16h30, sempre que as condições atmosféricas existentes não sejam adversas. Ver mais informações sobre as sessões em www.multimeios.pt .

 

Parque Temático Molinológico
Ponte da Igreja, Ul, Oliveira de Azeméis
Tel. 256 664 043 e 256 683 170
Moinhos Ao visitar o parque, as crianças poderão assistir à moagem de diferentes tipos de cereais em moinhos de água e à confeção do pão tradicional de Ul e ver os materiais expostos no Núcleo Museológico do Moinho e do Pão. De terça a sexta, das 10h às 12h30 e das 14h às 17h30, e aos sábados e domingos, das 15h às 19h (encerrado às segundas e feriados). Para visitar todos os núcleos, é aconselhável fazer marcação prévia. Ver mais informações em www.moinhosdeazemeis.com .

 

Museu da Ciência - Laboratório Chimico
Largo Marquês de Pombal, s/n, Coimbra
Tel. 239 854 350
Ateliês O Museu da Ciência oferece aos mais novos vários ateliês no âmbito do programa Sábados no Museu. Um deles, "SETI - Surpreendentes Extraterrestres Imaginários", pergunta: Será que existem extraterrestres? E se existirem, como serão? Afinal, o Projeto SETI busca extraterrestres usando radiotelescópios, mas aqui neste ateliê os jovens são convidados a soltar a imaginação e inventar um ET adaptado às características de um planeta à escolha de cada um. No dia 13 de novembro, das 15h às 16h30, para crianças a partir dos 6 anos. Um outro, "Mal Me Quer Ou Bem Me Quer?", conta a história de uma flor chamada Maria Papoila. Neste ateliê será possível conhecer a sua história e perceber porque é que as flores e as abelhas são tão amigas há milhares de anos. No dia 20 de novembro, às 15h, para crianças dos 3 aos 5 anos. Além disso, com o programa Aniversário no Chimico, o museu convida os jovens a vir fazer a festa de anos, durante três horas, nas suas instalações, aos sábados, das 10h às 13h, ou aos domingos, das 10h às 13h e das 15h às 18h. Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações em www.museudaciencia.pt .

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 12:43 | link do post | comentar

O Castelo de São Jorge, em Lisboa, apresenta o conto/ópera "O Polegarzinho", enquanto o Teatro do Campo Alegre, no Porto, propõe a leitura coreografada "Vento & Pássaros". Além destas, o Expresso apresenta aqui outras sugestões sobre locais onde poderá ir com as suas crianças para passarem bons momentos juntos.

 

 

PÁSSAROS
O Teatro do Campo Alegre apresenta um espetáculo de leitura coreografada "Vento & Pássaros", criado por Filipa Francisco a partir do livro "A Verdadeira História dos Pássaros" de valter hugo mãe sobre o poder da amizade e da imaginação. A personagem principal é o vento, que não suporta a solidão, neste trabalho coreográfico em que a voz, o corpo, o canto e a dança se ligam e misturam para contar a história. (ver roteiro Norte e Centro)

 

LISBOA E SUL

 

Castelo de São Jorge
Rua de Santa Cruz, s/n, Lisboa
Tel. 218 800 620
Ópera O programa Domingos em Família apresenta, numa produção da Companhia de Ópera do Castelo, pela primeira vez em Portugal, o conto/ópera "O Polegarzinho" de Isabelle Aboulker, a partir do conto de Charles Perrault. O espetáculo conta a história do pequeno filho de um lenhador que enfrenta um ogre, salva os irmãos de serem devorados e consegue fugir com as botas de sete-léguas do monstro. No dia 14 de novembro às 11h30. Ver mais informações em www.castelodesaojorge.pt .

 

Palácio Foz
Praça dos Restauradores, s/n, Lisboa
Tel. 213 462 157 e 213 476 129
Cinema Sábados em Família, o programa de sessões de cinema da Cinemateca Júnior, exibe o filme de animação "Anastasia". Exemplo de animação moderna, baseia-se no mito da sobrevivência de um membro da família imperial russa após a revolução de 1917. O filme acompanha as aventuras da jovem princesa Anastasia na sua luta pela vida, misturando humor, música e drama. No dia 13 de novembro às 15h. Ver mais informações emwww.cinemateca.pt/programacao.asp .

 

Museu do Oriente
Avenida de Brasília, s/n, Lisboa
Tel. 213 585 299 e 213 585 200
Tapeçaria O museu, no âmbito do programa Domingos em Família, oferece às famílias com crianças a partir dos 4 anos a oficina "Tapeçaria Mágica", que brinca com um episódio sobre o herói Ulisses na "Odisseia" de Homero. Enquanto Ulisses tardava em chegar, Penélope protegia-se do assédio de diversos pretendentes, afirmando que só casaria quando a sua tapeçaria estivesse concluída. e como só com Ulisses queria casar, tecia durante o dia e desfazia a tapeçaria de noite.. No dia 21 de novembro, das 11h às 12h30 (é necessário fazer marcação prévia até ao dia 15 de novembro). Ver mais informações em www.museudooriente.pt .

 

Auditório do Espaço Monsanto
Parque Florestal de Monsanto, Lisboa
Tel. 218 460 738 e 967 525 460
Espetáculos A companhia Trupilariante de teatro-circo apresenta três espetáculos neste fim de semana. "As Luzes de Natal" é um espetáculo de teatro e fantoches onde dois jovens têm de descobrir quem roubou a música de natal, já que não é possível haver alegria natalícia sem ouvirmos os sininhos a tocar. No dia 13, de novembro às 11h. "Desafio à Gravidade" é um espetáculo de teatro-circo com monociclos, magia, malabarismo e dança acrobática. No dia 13 de Novembro às 15h. E "O Aviador Tresloucado" é um espetáculo de 'teatro físico' onde um piloto corre o mundo tentando convencer tudo e todos à não utilização de veículos poluentes. No dia 14 de novembro às 15h. Ver mais informações em www.trupilariante.com .

 

Auditório Municipal Eunice Muñoz
Rua Mestre de Avis, s/n, Oeiras
Tel. 960 272 519 e 932 025 651
Dragão A peça infantil "Era Uma Vez um Dragão!" conta a história de quatro leais amigos que têm como lema 'um por todos e todos por um'. Mas como irão reagir se os seus medos se tornarem realidade, perante a ameaça do 'dragão' que um afirma que viu? A autoconfiança e a coragem serão as mesmas? De 13 de novembro até 12 de dezembro, aos sábados às 16h e aos domingos às 11 h com sessões especiais nos feriados de 1 e 8 de dezembro às 11h e 16h. Ver mais informações em http://dramaxproducoes.wordpress.com .

 

Teatro da Trindade
Largo da Trindade, 7A, Lisboa
Tel. 213 420 000 e 927 982 834
Aventuras O Teatro da Comuna e o Teatro da Trindade apresentam a peça "As Aventuras de João Sem Medo", encenada a partir da obra homónima de José Gomes Ferreira. O jovem João Sem Medo, que despreza os tiranos e os poderosos e inventa monstros para os destruir e vencer, é um rapaz dotado da verdadeira coragem, a força do coração. Até ao dia 18 de dezembro, aos sábados às 16h (para escolas e grupos, de quarta a sexta às 11h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.comunateatropesquisa.pt .

 

Teatro Tivoli
Avenida da Liberdade, 182, Lisboa
Tel. 213 304 152
Abelha A peça "Bzz, Bzz, Bzz - A União Faz a Força" conta uma divertida e colorida história sobre a importância do trabalho em grupo e o valor da amizade. As abelhas e os beija-flores há muito tempo viviam em rivalidade até ao dia em que Bela, uma jovem abelha, conhece Bento, um jovem beija-flor, e alheios ao antigo desentendimento que afastava as suas famílias, iniciam uma verdadeira amizade que levará à reconciliação das espécies. Até ao dia 30 de janeiro, sempre aos sábados às 16h (para escolas, de segunda a sexta às 11h e 14h30, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.plano6.pt .

 

Auditório do Espaço Monsanto
Parque Florestal de Monsanto, Lisboa
Tel. 218 460 738 e 967 525 460
Fantoches A companhia Trupilariante de teatro-circo apresenta o espetáculo de teatro e fantoches "As Luzes de Natal", cheio de muita interatividade com o público. Nesta época natalícia em que todas as estrelas brilham, as árvores de natal enchem o ar com o seu cheiro a verde e natureza e a música nos alegra o dia-a-dia, Rodolfo e Rosita são confrontados com um problema gravíssimo: alguém roubou a música de natal e não é possível haver alegria natalícia sem ouvirmos os sininhos a tocar. Muito preocupados os dois jovens, com a ajuda do público, vão partir numa grande aventura para tentar resolver este mistério antes que chegue o dia de Natal. Nos dias 13, 20 e 27 de novembro e 4 de dezembro às 11h (durante a semana, disponível para escolas e grupos às 11h e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.trupilariante.com .

 

Auditório do Espaço Monsanto
Parque Florestal de Monsanto, Lisboa
Tel. 218 460 738 e 966 004.227
Aviador A companhia Trupilariante de teatro-circo apresenta o espetáculo de 'teatro físico' "O Aviador Tresloucado". Na sua avioneta 100% elétrica, o aviador tresloucado corre o mundo tentando convencer tudo e todos à não utilização de veículos poluentes. Enquanto está a passear pelos céus azuis encontra uma bela donzela que viaja no seu AvionKar. O piloto se apaixona pela bela aviadora e, com grandes acrobacias aéreas, faz de tudo para a impressionar. Mas tem um rival de peso, o aviador poluente, que também está interessado na esbelta donzela e faz ousadas acrobacias. Quem será que vai conquistar o coração da jovem? Nos dias 14 de novembro, 15, 16, 22, 23, 29 e 30 de janeiro e 5, 6, 12, 13, 19, 20,26 e 27 de fevereiro, sempre às 15h (para escolas e grupos, durante a semana às 11h e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.trupilariante.com .

 

Teatro Bocage
Rua Manuel Soares Guedes, 13-A, Lisboa
Tel. 214 788 120 e 912 449 909
Felicidade A peça "Eu Sou Alegre e Sei Bem o Que Quero!" mostra o valor da felicidade para dois amigos. Maria é super bem-disposta e muito amiga de Luís Miguel, está sempre alegre e sempre a sorrir. Luís Miguel, por seu lado, adora animais e sabe bem o que quer: ser tratador de animais quando crescer. Mas a Maria não tem a mínima ideia do que quer ser quando for grande e por isso pede ajuda ao amigo Luís Miguel. Esta é uma história muito doce, que apela à importância de sermos alegres e felizes. Nos dias 14 de novembro e 5, 12 e 19 de dezembro, sempre às 11h. Ver mais informações em www.teatrobocage.com .

 

Teatro Bocage
Rua Manuel Soares Guedes, 13-A, Lisboa
Tel. 214 788 120 e 912 449 909
Coragembullying e a violência escolar é o tema da peça "Vasco das Forças", sobre um menino chamado Vasco, pequenote e franzino, que era gozado no recreio pelos seus colegas mais altos e mais fortes. Inspirado na coragem e valentia do seu trisavô, a quem chamavam Saraiva das Forças, Vasco resolve enfrentar os colegas: sem recurso à violência e sem andar à pancada, utiliza a sua inteligência e rapidez de pensamento e ação para a sua própria defesa e a defesa dos mais fracos, passando a ser conhecido como Vasco das Forças. Nos dias 14 de novembro e 5, 12 e 19 de Dezembro, sempre às 16h. Ver mais informações em www.teatrobocage.com .

 

Teatro Armando Cortez - Casa do Artista
Estrada da Pontinha, 7, Lisboa
Tel. 218 860 503 e 217 154 057
Musical O Teatro Infantil de Lisboa apresenta no Armando Cortez o espetáculo de teatro musical "O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos". A peça, criada a partir da música para bailado de Tchaikovsky, decorre na noite de Natal em São Petersburgo, no século XIX. Os jovens heróis, Clara e o seu Quebra-Nozes, vão enfrentar o terrível rei dos Camundongos, numa fantasiosa aventura onde também vão conhecer a Fada da Neve, três pinguins, o rei Bom-Bom, a rainha Boa-Boa, a princesa Açucarada, o príncipe Chocolate e. finalmente, o príncipe encantado. Até ao dia 22 de junho de 2011 aos sábados, domingos e feriados às 15h (para escolas e grupos, terças às 11h e de quarta a sexta às 11h e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.til-tl.com .

 

Centro Cultural Malaposta
Rua Angola, s/n, Olival Basto, Odivelas
Tel. 219 383 100
Musical "A Ilha Encantada" é uma fantasia musical onde não falta a magia, o divertimento e o estímulo à imaginação. O espetáculo é contado e cantado em forma de lenda, que narra acontecimentos fantásticos. O público é convidado a entrar numa ilha misteriosa onde se destaca um castelo, um barco e o seu mais velho habitante, um simpático contador de histórias que, além de receber os visitantes, os convida a participar no jogo teatral do faz de conta. O mundo da ilha encantada tem, além do contador de histórias, outros habitantes como uma princesa, um dragão e uma viúva e o seu jovem e alegre filho, que vivem num barco e sonham com um futuro melhor. Até junho de 2011, aos sábados às 16h e aos domingos às 11h (durante a semana, disponível para escolas e grupos de terça a sexta às 11h e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.malaposta.pt .

 

Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva
Alameda dos Oceanos, 2, Lisboa
Tel. 218 917 100
Sexualidade O que é estar apaixonado? Qual a diferença entre um beijo explosivo e um beijo distraído? O que acontece ao corpo dos rapazes e das raparigas quando chegam à idade do armário? Para que servem os espermatozoides? Será que dar as mãos é fazer sexo? E podemos obrigar alguém a gostar de nós? "Sexo... e Então?!" é uma exposição rigorosa, atrativa e sem tabus que explica o amor e a sexualidade de uma forma clara e divertida ao público pré-adolescente (dos 9 aos 14 anos) e às suas famílias. Associada à mostra decorrerão atividades complementares como debates, palestras e ateliês. Até ao dia 28 de agosto de 2011, de terça a sexta das 10h às 18h e ao fim de semana e feriados das 11h às 19h (encerra às segundas e nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro). Ver mais informações em www.pavconhecimento.pt .

 

Jardim Zoológico de Lisboa
Estrada de Benfica, 160, Lisboa
Tel. 217 232 960
Animais O Centro Pedagógico do Zoo oferece, até ao dia 30 de novembro, três novidades na área dos programas de animação para os mais novos. Um deles, "Sábados Selvagens", para famílias (crianças a partir dos 4 anos acompanhadas por adultos), permite aprender in loco, pela mão dos tratadores, treinadores e profissionais do Zoo um pouco mais sobre a vida animal (todos os sábados a partir das 10h). Um outro é o ateliê "Quando os Animais Saem dos Contos..." para crianças entre os 4 e os 10 anos, onde será contada uma história em que as personagens principais são espécies de animais que os pequenos poderão conhecer ao vivo no Zoo (todos os sábados e domingos das 10h às 13h). Quanto a "Safari no Zoo!", para crianças dos 6 aos 12 anos, inclui várias atividades como a ajuda na manutenção de alguns animais, o auxílio aos treinadores na preparação da apresentação de aves em voo livre e a visita aos bastidores da Baía dos Golfinhos (todos os sábados das 10h às 18h). Além disto, as crianças a partir dos 6 anos de idade podem fazer a festa de aniversário no Zoo, que oferece nove programas base de atividades variadas para os jovens, suas famílias e convidados. Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações em www.zoo.pt .

 

Núcleo Arqueológico do Millennium bcp
Rua Augusta, 84, Lisboa
Tel. 211 131 004
Ossos A Fundação Millennium bcp, realizadora da exposição "Ossos que Contam História", decidiu prolongá-la até ao fim do ano. Esta mostra exibe vestígios arqueológicos de animais vertebrados que coexistiram e coexistem ainda com a espécie humana. A exposição apresenta, de forma pedagógica, fragmentos da história do Homem e dos animais 'contada' através dos ossos de animais recuperados no decurso das escavações realizadas no espaço atualmente ocupado pelo Núcleo Arqueológico, próximo do Arco da Rua Augusta. Tudo isto é apresentado sob a forma de jogos em que cada jovem assume o papel de arquezoólogo. A entrada é gratuita e a mostra vai estar patente até 31 de dezembro, de segunda a sábado das 10h às 13h e das 14h às 17h. Ver mais informações emwww.millenniumbcp.pt .

 

Museu de Ciência da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56, Lisboa
Tel. 213 921 808 e 213 921 679
Jogos O museu oferece aos jovens uma exposição onde é possível aprender a utilizar jogos matemáticos com mais de mil anos! "Jogos Matemáticos Através dos Tempos" apresenta e interpreta 11 réplicas de elevadíssima qualidade dos jogos de tabuleiro mais antigos que se conhecem. Alguns desses jogos só existem em manuscritos antigos e foram construídos pela primeira vez para esta mostra. São individualmente explicados, quer do ponto de vista de regras, quer no que respeita ao contexto histórico e social de cada jogo. Os jogos são: Pentalfa (séc. IV a.C.), Stomachion (séc. III a.C.), Ludus Regularis (séc. X), Rithmomachia (séc. XI), Ludus Astronomorum (séc. XIII), Ludus Globi (séc. XV), Metromachia (séc. XVI), Ouranomachia (séc. XVI), Icosiano, duas versões (séc. XIX) e Hex (séc. XX). Em complemento às réplicas históricas, a mostra possui um espaço em que os visitantes podem jogar (sobretudo a dois) e divertir-se. Exposição permanente, de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mc.ul.pt .

 

Museu Nacional de História Natural da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 58, Lisboa
Tel. 213 921 808 / 213 921 883 / 213 921 679
Terra O museu apresenta a exposição "A Aventura da Terra: um Planeta em Evolução". A mostra interativa começa pela origem do próprio Universo e acompanha a evolução do planeta ao longo dos últimos 4.600 milhões de anos, com relevo para os primeiros sinais de vida na Terra e a sua posterior diversificação. Até dezembro de 2011, de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mnhn.ul.pt .

 

Museu Nacional de História Natural da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56/58, Lisboa
Tel. 213 921 808 / 213 921 883 / 213 921 679
Dinossáurio O museu apresenta "Allosaurus: Um Dinossáurio, Dois Continentes?", uma mostra que percorre os passos de uma investigação científica em curso até à descoberta de fósseis de Allosaurus fragilis em Portugal, com painéis informativos, fotografias, ilustrações científicas e 16 réplicas de esqueletos ou crânios de diversas espécies de dinossáurios. A exposição está patente até fevereiro de 2011, de terça a sexta das 10h às 17h e sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mnhn.ul.pt .

 

Chapitô
Costa do Castelo, 1/7, Lisboa
Tel. 218 855 550
Ateliês O Chapitô oferece dois tipos de ateliês para crianças entre os 4 e os 12 anos. Um deles é o "Mundo da Fantasia e do Circo", onde poderão praticar diversos exercícios ligados ao mundo circense, às segundas-feiras, das 17h30 às 18h30. E o outro é "Capoeira", onde poderão juntar-se à roda viva da dança-luta brasileira, às quintas-feiras, das 17h30 às 18h30. Ver mais informações em www.chapito.org .

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 12:40 | link do post | comentar

Sábado, 16.10.10

 

Sexo ..e então?

 

Imagem do DN

 

"Ó paaii, como é que se fazem os bébes?" Mais tarde ou mais cedo, o seu filho vai sair-se com esta. E prepare-se porque já nenhuma criança engole a história das cegonhas. E se lida mal com a ideia de uma pergunta destas, já pensou como vai ficar se a seguir o seu filho lhe perguntar porque é que os homens têm pilinha e as mulheres pipi? Ok... Sejamos sinceros, a maioria dos pais não está preparada para a situação e muitos preferem adiar o inevitável. O que é capaz de não ser boa ideia. Até porque ao serem atropelados por este comboio da realidade os pais percebem que o seu filho mais cedo ou mais tarde ficará curioso por estes temas. Tão certo como mais cedo ou mais tarde jogar ao bate-pé, querer sair à noite, apanhar a primeira bebedeira ou ir dormir a casa de um ou uma colega.

A HISTÓRIA DA CEGONHA Mas quem se lembrou de dizer que os bebés chegam numa cegonha? Parece não haver uma resposta, mas várias. A cegonha é apontada como um animal dócil, que emprega um elevado esforço a cuidar do ninho, dos filhos e das aves mais velhas. Já no tempo dos romanos, foi criada uma lei que obrigava os mais novos a cuidarem dos mais velhos, e que foi designada Lex Ciconaria, que em português significa Lei da Cegonha. No entanto, outras versões apontam para a mitologia grega, em que Zeus teria transformado uma ninfa em cegonha, que a partir de então procurou bebés abandonados para os entregar a mulheres que não podiam ter filhos. Existe ainda uma lenda que diz que quando uma cegonha faz um ninho numa chaminé a mulher que vive nessa casa engravida. Se fosse assim tão verdade, Alcácer do Sal tinha a maior taxa de natalidade do país. 

O MEU FILHO PENSA EM SEXO O século xx dava os primeiros passos quando Freud chocou o mundo com os seus "Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade", onde abordou o tema da sexualidade infantil. Hoje, 105 anos depois do lançamento dos estudos, o tema já é encarado com alguma normalidade. Num artigo da revista "Mãe Ideal", publicado no site Sapo Família, Catarina Leal, psicóloga, refere que "é de extrema importância que as dúvidas das crianças sejam esclarecidas, uma vez que esse esclarecimento é imprescindível para um desenvolvimento saudável". No entanto, é preciso que os pais "não tenham a pretensão de dar lições aos filhos, respeitando em absoluto a sua privacidade", dizia o sexólogo Júlio Machado Vaz ao i em Maio de 2009. Quanto às designações a usar, a revista "Farmácia Saúde", editada pela Associação Nacional de Farmácias, publicou um artigo sobre este tema no irónico n.o 69, onde referia que "podem ser usados os termos verdadeiros, mas os eufemismos também são adequados, deixando-se para mais tarde o uso das palavras ''pénis'' e ''vagina''. São palavras que podem soar fortes de mais". E já se sabe como o a língua portuguesa é traiçoeira.

SEXO? E então? Mas tudo isto pode ser mais fácil graças à exposição "Sexo... E Então?", inaugurada esta semana no Pavilhão do Conhecimento. A exposição, que foi apresentada na Cité des Sciences et de L''Industrie, em Paris, chegou agora ao Parque das Nações, onde ocupa uma área de cerca de 700 m2 na nave central do pavilhão. Dirigida a crianças entre os nove e os 14 anos, tem o objectivo de explicar a sexualidade aos mais novos, preparando-os para as mudanças e descobertas da adolescência de uma forma divertida e informal, mas com rigor científico. A visita dura em média duas horas e associadas à exposição decorrerão palestras e outras actividades. O Pavilhão do Conhecimento está aberto ao fim-de-semana entre as 11h00 e as 19h00. Os bilhetes custam 4€ para crianças e 7€ para adultos. 

Tel.: 21 891 71 00; 

www.pavconhecimento.pt

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 07.10.10

Barrigas de aluguer podem vir a ser legais em Portugal

 

O Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida (PMA) vai propor que a maternidade de substituição, actualmente proibida em Portugal, possa ser possível "em casos excepcionais", revelou o presidente deste organismo.

 

Eurico Reis falava à margem do 4º Congresso Português de Medicina da Reprodução que decorre em Lisboa, até sábado, com o tema "Da técnica ao doente". De acordo com o presidente do CNPMA, este organismo irá propor em breve uma alteração legislativa que consagre a possibilidade de, "em casos excepcionais", a maternidade de substituição ser possível. "Queremos que seja discutida a possibilidade de, em casos excepcionais, ser possível a utilização da maternidade de substituição para satisfazer o desejo, e por ventura o direito, dos casais terem filhos", adiantou.

A legislação em vigor sobre PMA (Lei 32/2006) considera "nulos os negócios jurídicos, gratuitos ou onerosos, de maternidade de substituição". "Entende-se por maternidade de substituição qualquer situação em que a mulher se disponha a suportar uma gravidez por conta de outrem e a entregar a criança após o parto, renunciando aos poderes e deveres próprios da maternidade", lê-se na legislação.

Eurico Barros disse ainda que está em fase avançada as inspecções aos centros que praticam a PMA, tendo sido detectadas "algumas falhas" que, no entanto, "não afectam a qualidade das técnicas".

Este trabalho está a ser efectuado por elementos da Inspecção-Geral das Actividades em Saúde e especialistas nas várias áreas envolvidas nas técnicas de PMA. Actualmente existem nove centros públicos e 18 privados autorizados a ministrar técnicas e PMA.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 15:06 | link do post | comentar

Quarta-feira, 29.09.10

Quando era mais pequeno, Igor Ferreira tirava a roupa ao Action Man e fazia-o voar por cima da sua cabeça. Só tem 12 anos, mas um dia, quando for grande, quer voar como só gente grande sabe voar – quer ir para a NASA (Agência Espacial Norte-Americana). “Fascina-me tudo sobre o espaço. Quero ser astronauta – e escritor nos tempos livres.”

Rosália, a mãe, transpira orgulho. Chama-lhe “obra-prima” – a sua obra-prima. No 5º ano, o rapaz figurou no quadro de honra da escola. Teve cinco em todas as disciplinas, menos em Educação Física. No 6º ano, as notas baixaram um bocadinho. Um rufia desatou a implicar com ele.

A mãe tentou consertar tudo muito depressa, não fosse aquela experiência negativa comprometer o presente ou o futuro do seu filho: “O miúdo é muçulmano. Eu não podia falar com a mãe dele – ela anda toda enrolada num lençol. Eu falei com o pai dele, mas não se pode [contar com ele]. O diabo do homem deu umas lambadas ao miúdo. O miúdo ainda ficou mais revoltado!”

A violência não é uma realidade desconhecida, distante. Igor mora no Aleixo, um bairro batido pelo tráfico de droga e que a Câmara do Porto há dois anos decidiu deitar abaixo. E o que é o Aleixo? “De certa forma, é um bairro normal. A diferença está nas pessoas que lá vivem. Às vezes, andam lá a gritar umas contra as outras durante a noite”, resume o rapaz. A mãe também ouve: “Às vezes, vamos a subir as escadas e vemos polícia com armas apontadas.”

Um Action Man humano

Não se deixa contaminar pela desmotivação que semeia absentismo e abandono escolar no bairro: “Só estou lá quando estou em casa. E a minha casa não é o meu bairro. A minha casa é mais pequena do que aquilo tudo.” Passa grande parte dos seus dias fora daquelas cinco torres de 13 andares erguidas na década de 1970, como uma agressão à paisagem, ali, perto do lugar onde o Douro desagua. Sai por volta das 8h00 para entrar nas aulas às 8h25. Pratica judo às segundas, quartas e quintas e natação às terças e quintas.

Frequentou o 1º ano em Lordelo, como outros meninos do bairro. Lembra-se disso: “A professora faltava muitíssimo. Às vezes, não faltava ela e faltava eu a pensar que ela não vinha. Ela fazia-me perder tempo. Passei para o 2º ano sem saber ler nem escrever.” Mudou de escola. “Consegui aprender a ler. Leio muito. Quando mais me esforçava, mais gostava.”

A mãe fez tudo para o livrar das escolas de má fama. Deu uma morada de uma conhecida para o pôr na EB1 São João da Foz. Quem estuda ali transita para a Francisco Torrinha no 5º. Fez lá o 5º. No 6º foi para a Pires de Lima, que dá acesso à cotada Aurélio de Sousa. Depois, o rufia caiu-lhe em cima.

O que fazia o tal rapaz? “Violência física não. Lembro-me de numa aula de música ele estar a fazer barulho e de eu olhar para ele e de ele me puxar o cabelo. Quando eu olhava para ele, ele fazia caras de parvo e berrava nos meus ouvidos. Ele tem dupla personalidade. Parece um santinho e faz isto.” Rosália mudou Igor para a Pêro Vaz de Caminha.

Uma criança tem direito a estudar e a sonhar com um futuro. Igor estuda muito e sonha com viagens espaciais e com escrita criativa: “Gosto de inventar histórias. Leio tantas histórias que consigo inventar. Quero escrever ficção. Gostava de lhe juntar mistério, ciências. Sei que tenho de estudar muito. Se for preguiçoso, tenho sorte se chegar a trolha.”

Gosta da escola nova. “Tem um bom ambiente. Os professores também são simpáticos. Ensinam melhor. Uns professores dão a matéria atabalhoadamente, não se importam se os alunos aprendem ou não; os dali ensinam bem.” Não tardou a tornar-se o melhor aluno da turma.

Fala como gente grande, mas não larga o Action Man. Em Novembro, acontece sempre qualquer coisa ao herói – há uma perna ou um braço ou um pescoço que se parte. No Natal, a mãe oferece-lhe um boneco novo e o rapaz hesita – habituado que está ao “amigo velho”. Adora anatomia, o ramo da biologia que estuda a estrutura e a organização dos seres vivos. E o Action Man é, dos bonecos que conhece, “o que tem a forma mais humana”.

Livro atrás de livro

Gosta de Ciências: “Quero saber de planetas, de animais, de plantas.” Gosta de História: “Gosto de saber o que aconteceu antes para termos o que temos.” Gosta de Português: “Quanto mais vocabulário tenho, mais gosto de Português. Quando encontro uma palavra que não conheço, vou directo ao dicionário.” Gosta de tanta coisa, tanta que às vezes é difícil escolher.

Passa as tardes de sábado na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, nos jardins do Palácio de Cristal, uns dos mais belos do Porto. A sua escritora favorita é Luísa Dacosta. Viu-a no ano passado e até lhe pediu para autografar o seu exemplar de Sonhos na Palma da Mão. Não perde um livro da colecção Arcanus, obra de Care Santos sobre 12 miúdos com poderes especiais. E está a começar a fazer o mesmo com A Saga de Deltora, de Emily Rodda.

Dentro do quarto de mobília escura – que partilha com a mãe no apartamento que acolhe também a avó e a bisavó – não parece caber nem mais um alfinete. Amontoam-se livros e DVD nos móveis aos pés da cama, atrás da televisão e da PlayStation, transbordam para os arrumos.

À noite, a mãe testa-o: “Eu faço-lhe perguntas e ele responde. Também pode falhar algumas coisas.” Sem deixar de ser a obra-prima dela: “Ele consegue ser mais correcto do que eu.” A mãe dá um exemplo: “A avó paterna é muito pelo pai. Ele não paga mensalidade e ela defende-o. Eu disse: “Oh! Vou insultá-la.” E ele respondeu-me: “Ó mãe, comportamento gera comportamento.”"

Ana Cristina Pereira
Público
28/09/10

 

Via meninos de ninguém



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Sábado, 25.09.10

Bruna de volta à escola

 

Esqueceu-se bem depressa a Bruna despida a posar como veio ao mundo, a encher páginas de jornais e revistas.

Hoje li aqui que regressou á escola e curiosamente para bem perto de mim, Peniche.

Diz o artigo no Correio da Manhã que ela agrada a pais e alunos   que o passado dela não é importante? Que passado?..e porque não haveriam de estar satisfeitos?

Sentada aqui, a minha mente perversa já está a imaginar muitos penicheiros encostados ás esquinas só para a ver passar.

 

Via Sentaqui



publicado por olhar para o mundo às 10:23 | link do post | comentar

Sábado, 11.09.10

Abusos sexuais

 

igreja católica tem sido ligada a abusos sexuaiscrianças em vários países. Hoje, os responsáveis católicos desse da Bélgica revelam testemunhos de 507 vítimas de abusos, levadas a cabo por membros da igreja.

 

Uma comissão de investigação da igreja católica belga divulgou um relatório sobre os abusos sexuais praticados pela igreja católica nesse país, sustentando-se em centenas de relatos das supostas vítimas.

Segundo a investigação, esses testemunhos relatam casos de abusos a crianças que duraram décadas, entre os anos 50 e 80. Vítimas dos abusos sexuais de eclesiásticos, 13 das vítimas suicidaram-se e outras seis pessoas tentaram o mesmo ato, sem sucesso.

Peter Adriaenssens, o presidente da comissão responsável pela investigação, afirma no entanto, que conta com o relato de 507 testemunhas. "As vítimas esperam e merecem uma igreja valente, que não tenha medo de enfrentar a sua vulnerabilidade, que reconheça e que coopere para encontrarmos as respostas."

Demissão de bispo terá sido incentivo

 

A maioria destes casos chegou à comissão depois de Roger Vangheluewe, um bispo da igreja ter sido demitido, acusado de violar o seu sobrinho entre 1973 e 1986. No entanto, ficou-se hoje também a saber que essa demissão proporciona-lhe uma pensão de 2 800€ por mês.

O que é certo é que a demissão de Vangheluewe foi o incentivo que faltava a outras vítimas. Desde a sua saída, as denúncias multiplicaram-se e contribuem agora para os 507 testemunhas.

O relatório

 

Segundo a 'Associated Press', pode ler-se detalhadamente no relatório de 200 páginas (ver no final do texto) o tipo de abusos praticados pelos clérigos, desde "sexo anal, oral, vaginal e outras barbaridades".

Das 507 vítimas, 327 são do sexo masculino e a maioria teria 12 anos de idade. No entanto, há testemunhos de violações a um bebé de apenas dois anos, cinco casos com crianças com quatro anos e oito de cinco anos.

Quase todos os violadores seriam membros eclesiásticos, mas há também denúncias a pessoas que aliciavam as crianças "depois da missa".

Crimes prescritos mas investigação continua

 

A maioria dos casos não vão sequer ser postos em tribunal porque, segundo a lei belga, os crimes sexuais contra crianças não podem ser julgados quando já passaram mais de 10 anos após a vítima ter celebrado os 18 anos.

Grande parte das vítimas têm agora entre 40 a 70 anos (relembro que a maior quantidade de testemunhos refere-se às décadas entre os anos 50 e 80) e também a maioria dos violadores já terá morrido.

Em abril deste ano, a polícia e as autoridades belgas forçaram a entrada em dois escritórios da igreja belga, à procura de provas, de onde apreenderam ficheiros e computadores e profanaram pelo menos um túmulo. Alguns dos ficheiros que poderiam constar no relatório foram apreendidos após estas ações terem sido consideradas ilegais.

Quando soube do caso, o papa Bento XVI, em nome da igreja católica, expressou "solidariedade para a igreja pela forma surpreendente e métodos deploráveis em que foram feitas as buscas" da polícia belga.

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Terça-feira, 31.08.10

Pais erram nas doses de medicamentos

 

A maioria dos pais erra na dose de medicamentos que dá aos filhos. E muitos põem as crianças em risco ao abusarem de remédios de venda livre para a tosse, febre e constipação. A conclusão é de um estudo de uma equipa de investigadores da Universidade de Sydney, na Austrália, e foi apresentado no Congresso Mundial de Farmácia, que decorre esta semana em Lisboa.

Os investigadores estudaram quase 100 adultos - 53 mães, sete pais e 37 amas e outros responsáveis pelo acompanhamento de crianças entre os quatro e os cinco anos, durante o dia. E concluíram que os erros nas doses de medicamentos, em particular os xaropes, são responsáveis por um elevado número de intoxicações que ocorrem todos os anos.

A maioria usa colheres para medir a quantidade certa de tratamento, mas acaba por fazer mal as contas e administra uma dose errada. Sessenta e um por cento erram as medidas, 44% porque não dá o remédio suficiente, 17% porque exageram e levam as crianças a tomar medicamentos a mais.

A equipa australiana, liderada pela médica Rebekah Moles, testou ainda os conhecimentos dos pais na identificação das situações em que deve ser dada medicação. Criaram cenários hipotéticos - um exemplo era as crianças sentirem-se quentes, irritadiças, mas continuaram a brincar, a beber e a comer - e perguntaram aos responsáveis pelas crianças como agiriam se a situação fosse real. Durante a simulação, forneciam medicamentos de venda livre, várias colheres e outros instrumentos de medição. Os voluntários decidiam em que situações administrar medicamentos e eram depois convidados a medir a dose certa.

Para surpresa dos investigadores, 7% dos voluntários decidiram dar medicamentos às crianças sem medir a febre e outros 46% optaram por recorrer a tratamentos mesmo quando a temperatura estava abaixo dos 38oC. Contas feitas, apenas 14 dos adultos tomaram a decisão certa em cada cenário.

"Ficámos surpreendidos e preocupados ao concluir que há pessoas que pensam que os medicamentos são seguros só porque podem comprá-los sem receita médica", afirmou a coordenadora do estudo. Rebekah Moles deu ainda o exemplo de um pai que respondeu "que como o Panadol está disponível em todo o lado, dar o dobro da dose não poderia fazer qualquer mal à criança".

O estudo terá continuação, com os investigadores a visitarem farmácias e lojas de medicamentos sem receita, para perceberem se são dados os conselhos certos.

Remédios lideram no país Os números portugueses dos últimos anos apontam para uma média de 30 crianças intoxicadas por dia. Os medicamentos estão no topo da lista das intoxicações em crianças, à frente de detergentes, lixívias e produtos tóxicos. Mas os dados divulgados pelo Centro de Informações Antiveneno (CIAV) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) não permitem perceber a forma como os bebés chegam aos remédios. Certo é que os medicamentos são responsáveis por mais de seis mil ocorrências num universo de cerca de 10 mil. É mais de metade dos casos que motivam chamadas para este serviço, o que levou o INEM a lançar há uns anos uma campanha nacional de prevenção para o fenómeno

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 14:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 07.07.10

Ajude as crianças do iPO e resolva o mistério das meias desaparecidas



publicado por olhar para o mundo às 13:28 | link do post | comentar

Sexta-feira, 02.07.10

LISBOA E SUL

 

Palácio Foz
Praça dos Restauradores, s/n, Lisboa
Tel. 213 462 157 e 213 476 129
Cinema Sábados em Família, o programa de sessões de cinema da Cinemateca Júnior, exibe o filme de animação "As Aventuras de Wallace e Gromit". O filme reúne as três primeiras aventuras dos impagáveis Wallace, grande apreciador de queijo, e o seu cão Gromit, verdadeiro 'cão de guarda' que salva o dono de alguns disparates. Destaque especial para a última aventura em que os nossos heróis enfrentam um pinguim ladrão. No dia 3 de julho às 15h. Ver mais informações em www.cinemateca.pt/programacao.asp .

 

Museu do Oriente
Avenida de Brasília, s/n, Lisboa
Tel. 213 585 299 e 213 585 200
Oficinas O museu, através do conjunto de atividades Férias de Verão, propõe diversas oficinas aos mais novos. Duas delas estão incluídas no programa Oficinas de Longa Duração. "Patuá Di Macau, Unde Ta Vai?" sobre o patuá macaense, o crioulo português de Macau, salienta a mistura de diferentes culturas existentes na cidade. De 12 a 14 de julho das 10h às 13h e das 14h30 às 18h (é necessário fazer marcação prévia até ao dia 5 de julho). E "Viagem de Sabores: do Sushi ao Kimshi" conduz a uma viagem ao Oriente onde será possível saborear exóticas iguarias. Nos dias 15 a 16 de julho das 10h às 13h e das 14h30 às 18h (é necessário fazer marcação prévia até ao dia 8 de julho). A outra atividade está incluída no programa Sábados em Oficinas. "Os Segredos dos Brinquedos" aborda o mundo dos brinquedos do Japão e depois, através de diversas técnicas, os participantes vão construir um com as próprias mãos que poderá levar para casa. No dia 10 de julho das 11h às 13h (é necessário fazer marcação prévia até ao dia 5 de julho). Ver mais informações em www.museudooriente.pt .

 

Oceanário de Lisboa
Esplanada D. Carlos I, s/n, Lisboa
Tel. 218 917 002 e 218 917 006
Dormir A promessa é irresistível: as crianças dos 4 aos 12 anos podem passar as suas férias debaixo de água. Dez dias temáticos inspirados nos oceanos deixam nas mãos dos petizes os ofícios de pintores e atores, cientistas e historiadores, sem falar nos 'brindes', que incluem aulas de canoagem no Centro Náutico e passeios de teleférico. Até ao dia 10 de setembro, de segunda a sexta das 9h às 18h. Além disso, todas as sextas o programa pode ser prolongado com o interessante ciclo "Dormindo com os Tubarões", com atividades à hora de jantar e uma bizarra noite de sono. Só é preciso ter mais de 6 anos, uma escova de dentes, roupa confortável para dormir e um saco-cama. Ver mais informações em www.oceanario.pt .

 

Jardim Botânico da Ajuda
Calçada da Ajuda, s/n, Lisboa
Tel. 214 531 277 e 917 616 954
Heidi O Grupo de Teatro Infantil AnimArte apresenta a peça "Heidi", baseada na obra homónima de Johanna Spyri, um espetáculo cheio de música danças e travessuras. Heidi é uma menina que vai viver para o campo com o avô, que não conhecia, e aquilo que ao início parecia bastante assustador irá revelar-se como uma aventura fantástica para a jovem. Ela conhece Pedro, o pastor, a quem ensina a ler e este, em troca, revela a Heidi os segredos da vida no campo: a medicina natural, como fazer queijo ou ter uma alimentação equilibrada. Mais tarde, é obrigada a voltar para a cidade para fazer companhia a uma menina doente e convence a família da jovem a adotar os saudáveis hábitos campestres. Até ao dia 18 de julho, aos sábados, domingos e feriados às 16h (para escolas, de segunda a sexta, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.grupoanimarte.com .

 

Jardim Zoológico de Lisboa
Estrada de Benfica, 160, Lisboa
Tel. 217 232 960
Chitas O Zoo celebrou os seus 126 anos de existência com a inauguração de uma das únicas instalações de exibição e reprodução de chitas da Europa, com cerca de 100 metros de comprimento, visando a preservação de uma das espécies mais ameaçadas do planeta. A chita é o único felino diurno e o animal terrestre mais rápido do mundo, chegando a atingir os 120km por hora em curtas distâncias. O Zoo procurou respeitar as características do habitat natural da espécie e adequou a topografia e o substrato da instalação aos animais, com zonas mais elevadas, plantas, rochas e locais de sombra. Exibição permanente, todos os dias das 10h às 20h. Ver mais informações em www.zoo.pt .

 

Teatro Bocage
Rua Manuel Soares Guedes, 13-A, Lisboa
Tel. 912 449 909
Férias O Teatro Bocage propõe aos jovens o programa Férias no Teatro - ATL Verão 2010 que inclui uma semana de aprendizagem das noções básicas e dos instrumentos necessários à representação (o corpo, a voz, o movimento), exercícios de desinibição, concentração, memorização e relaxamento, desenvolvimento de trabalho de grupo e finalmente a criação de uma peça de teatro e seus personagens, encenação e apresentação à família e amigos no último dia de atividades. Até ao dia 17 de setembro, de segunda a sexta das 9h às 18h. Ver mais informações em www.teatrobocage.com .

 

Auditório do Espaço Monsanto
Parque Florestal de Monsanto, Lisbo
Tel. 218 460 738 e 967 525 460
Espetáculo A companhia Trupilariante de teatro-circo apresenta "Odisseia pelos Astros". O herói da peça, Fernão de Magalhães, numa aventura audaz, à semelhança da sua famosa viagem, decide acompanhar a velocidade da luz e desbravar o espaço profundo do Universo, atravessando buracos negros, desviando-se de meteoros e meteoritos e fugindo de nuvens de gases primordiais. Até ao dia 31 de julho, aos sábados e domingos às 16h. Ver mais informações em www.trupilariante.com .

 

Centro Cultural Malaposta
Rua Angola, s/n, Olival Basto, Odivelas
Tel. 219 383 100
Gato A peça de teatro infantil "O Gato das Botas" inspirada no conto de Charles Perrault, conta a história de um jovem que herdou da mãe um gato, que o convence a comprar-lhe um belo chapéu e umas lindas botas. Com um cenário mágico, um guarda-roupa fantasioso e bonitas canções, o divertido Gato das Botas vai mostrar que é possível ser bem-sucedido desde que se encare a vida com confiança. Até 25 de julho, aos sábados às 16h e aos domingos às 11h (para escolas, de terça a sexta às 10h30 e 15h, mediante marcação prévia). Ver mais informações em www.malaposta.pt .

 

Núcleo Arqueológico do Millennium bcp
Rua Augusta, 84, Lisboa
Tel. 211 131 004
Ossos A Fundação Millennium bcp oferece "Ossos que Contam História", uma mostra de vestígios arqueológicos de animais vertebrados que coexistiram e coexistem ainda com a espécie humana. A exposição apresenta, de forma pedagógica, fragmentos da história do Homem e dos animais 'contada' através dos ossos de animais recuperados no decurso das escavações realizadas no espaço atualmente ocupado pelo Núcleo Arqueológico, próximo do Arco da Rua Augusta. A entrada é gratuita e a mostra vai estar patente até setembro, de segunda a sábado das 10h às 13h e das 14h às 17h, exceto às quintas em que o período de abertura só vai das 15h às 17h. Ver mais informações em www.millenniumbcp.pt .

 

Museu do Brinquedo
Rua Visconde de Monserrate, 26, Sintra
Tel. 219 242 171
Transportes O museu apresenta a exposição "Meios de Transporte", composta por objetos em condições de reserva e por peças de coleções privadas que primam pela sua antiguidade, representatividade e raridade. A mostra revela como o Homem, para o seu próprio transporte e para o transporte de bens e mercadorias, melhorou técnicas, inventou materiais e construiu mecanismos capazes de se moverem pelos seus próprios meios na terra, no mar e no ar. Até 31 de outubro, de terça a domingo, das 10h às 18h. Ver mais informações em www.museu-do-brinquedo.pt .

 

Jardim Zoológico de Lisboa
Estrada de Benfica, 160, Lisboa
Tel. 217 232 960
Animais O Centro Pedagógico do Zoo oferece, até ao mês de novembro, três novidades na área dos programas de animação para os mais novos. Um deles, "Sábados Selvagens", para famílias (crianças a partir dos 4 anos acompanhadas por adultos), permite aprender in loco, pela mão dos tratadores, treinadores e profissionais do Zoo um pouco mais sobre a vida animal (todos os sábados a partir das 10h). Um outro é o ateliê "Quando os Animais Saem dos Contos..." para crianças entre os 4 e os 10 anos, onde será contada uma história em que as personagens principais são espécies de animais que os pequenos poderão conhecer ao vivo no Zoo (todos os sábados e domingos das 10h às 13h). Quanto a "Safari no Zoo!", para crianças dos 6 aos 12 anos, inclui várias atividades como a ajuda na manutenção de alguns animais, o auxílio aos treinadores na preparação da apresentação de aves em voo livre e a visita aos bastidores da Baía dos Golfinhos (todos os sábados das 10h às 18h). Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações em www.zoo.pt .

 

Museu de Ciência da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56, Lisboa
Tel. 213 921 808 e 213 921 679
Céus O museu, em colaboração com a Sociedade Portuguesa de Matemática, apresenta a exposição "Medir os Céus para Dominar a Terra: a Astronomia na Escola Politécnica de Lisboa (1837-1911)". Esta mostra pretende não só dar a conhecer o ensino e a prática da Astronomia na Escola Politécnica durante o século XIX como também sensibilizar o público escolar para a relação estreita entre a Matemática e a Astronomia. Até ao dia 31 de agosto de 2010, de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mc.ul.pt .

 

Museu Nacional de História Natural da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 58, Lisboa
Tel. 213 921 808 / 213 921 883 / 213 921 679
Terra O museu apresenta a exposição "A Aventura da Terra: um Planeta em Evolução". A mostra interativa começa pela origem do próprio Universo e acompanha a evolução do planeta ao longo dos últimos 4.600 milhões de anos, com relevo para os primeiros sinais de vida na Terra e a sua posterior diversificação. Até dezembro de 2011, de terça a sexta das 10h às 17h e aos sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mnhn.ul.pt .

 

Museu Nacional de História Natural da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56/58, Lisboa
Tel. 213 921 808 / 213 921 883 / 213 921 679
Dinossáurio O museu apresenta "Allosaurus: Um Dinossáurio, Dois Continentes?", uma mostra que percorre os passos de uma investigação científica em curso até à descoberta de fósseis de Allosaurus fragilis em Portugal, com painéis informativos, fotografias, ilustrações científicas e 16 réplicas de esqueletos ou crânios de diversas espécies de dinossáurios. A exposição está patente até fevereiro de 2011, de terça a sexta das 10h às 17h e sábados e domingos das 11h às 18h (encerra às segundas e feriados). Ver mais informações em www.mnhn.ul.pt .

 

Chapitô
Costa do Castelo, 1/7, Lisboa
Tel. 218 855 550
Ateliês O Chapitô oferece dois tipos de ateliês para crianças entre os 4 e os 12 anos. Um deles é o "Mundo da Fantasia e do Circo", onde poderão praticar diversos exercícios ligados ao mundo circense, às segundas-feiras, das 17h30 às 18h30. E o outro é "Capoeira", onde poderão juntar-se à roda viva da dança-luta brasileira, às quintas-feiras, das 17h30 às 18h30. Ver mais informações em www.chapito.org .


Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Fundação de Serralves
Rua D. João de Castro, 210, Porto
Tel. 226 156 500
Verão Com a chegada do verão, o Serviço Educativo de Serralves convida crianças e famílias a participarem num vasto conjunto de atividades como oficinas, visitas e conversas, que mudam todas as semanas. Estas atividades estão divididas em dois tipos de programas. Um deles, Serralves em Família, oferece a oficina "Investigar", onde os participantes vão conhecer a Estação Meteorológica do Parque de Serralves, dar o seu contributo para a plataforma europeia de Monitorização da Qualidade do Ar e terminar a sessão com experiências lúdicas para os mais novos. No dia 4 de julho das 10h às 13h (acesso gratuito e funcionamento contínuo: levantar bilhete na receção do museu). O outro programa, Férias de Verão em Serralves, propõe atividades que variam segundo as idades das crianças, todas elas a decorrer dos dias 5 a 9 de julho. Para crianças dos 4 aos 6 anos, "Bio... diversão" leva a semear plantas e descobrir cores, cheiros e surpresas, das 9h30 às 12h30, enquanto "Mãos na Massa" investiga alimentos e ensina a apurar o paladar e criar doces, das 14h às 17h. Para crianças dos 6 aos 9 anos, "Cidades Flexíveis" visa criar uma cidade mágica que nasce de uma construção coletiva, das 9h30 às 12h30 e das 14h às 17h. Para crianças dos 6 aos 12 anos, "Ecociência" conduz à descoberta e exploração de curiosidades da natureza, das 9h30 às 12h30, e "Criações Científicas" desafia cada um a mostrar o cientista que há em si, das 14h às 17h. Ver mais informações em www.serralves.pt .

 

Museu Nacional da Imprensa
Estrada Nacional 108, nº 206, Porto
Tel. 225 304 966 e 225 300 648
Oficinas O museu oferece aos mais novos várias oficinas permanentes e outras atividades, das quais destacamos duas que decorrem no mesmo horário. Uma delas é "Viagem ao Mundo do Papel", para crianças a partir dos 4 anos, onde os participantes reciclam manualmente papel velho, adicionando-lhe pétalas, folhas secas e outros materiais, transformando-o de novo em papel utilizável, sendo aconselhável, para uma produção personalizada, que cada um traga de casa desperdícios reutilizáveis. A outra são as "Oficinas Gutenberg", para crianças dos 4 aos 12 anos, onde os participantes são levados a fazer uma viagem no tempo até à Europa do século XV, onde terão a oportunidade de escolher entre a construção de um livro, através das antigas técnicas de impressão e encadernação, ou a construção de um tipo móvel, reinventando a imprensa. Até 31 de dezembro, todos os dias à tarde (inclusive domingos e feriados) das 15h às 20h, e pela manhã de terça a sexta das 10h30 às 12h30. Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações em www.museudaimprensa.pt .

 

Zoo Santo Inácio
Rua 5 de Outubro, 4503, Avintes, Vila Nova de Gaia
Tel. 227 878 500
Natureza Passar as férias em contacto direto com a Natureza não é coisa comum. O Zoo Santo Inácio propõe um campo de férias de verão para crianças dos 6 aos 13 anos de idade que permite um contacto privilegiado com a natureza e os animais, além de inúmeras atividades educativas e lúdicas. Entre as atividades, destacam-se a alimentação e contacto próximo com vários animais, demonstração de animais mista com exibição de aves, répteis e mamíferos, ateliês de pintura e construção, histórias contadas no meio do bosque, horas de cinema e aulas de culinária. Até ao dia 13 de agosto, de segunda a sexta das 8h30 às 19h. Ver mais informações emwww.zoosantoinacio.com .

 

Centro Multimeios de Espinho
Avenida 24, 800, Espinho
Tel. 227 331 190
Planetário O Planetário de Espinho propõe quatro interessantes sessões às crianças e às suas famílias até ao mês de dezembro (nos meses de julho e agosto este programa passará a ser diário). "O Mistério da Bola de Fogo", aos sábados, domingos e feriados às 15h, para maiores de 4 anos. "Viagem a um Buraco Negro", aos sábados, domingos e feriados às 16h, para maiores de 12 anos. "Acampar com as Estrelas", aos sábados às 17h, para maiores de 10 anos. E "Dois Pequenos Pedaços de Vidro", aos domingos e feriados às 17h, para maiores de 10 anos. E o Observatório Astronómico oferece a sessão "Observação do Sol", aos sábados às 15h30 e 16h30, sempre que as condições atmosféricas existentes não sejam adversas. Ver mais informações sobre as sessões em www.multimeios.pt .

 

Parque Temático Molinológico
Ponte da Igreja, Ul, Oliveira de Azeméis
Tel. 256 664 043 e 256 683 170
Moinhos Ao visitar o parque, as crianças poderão assistir à moagem de diferentes tipos de cereais em moinhos de água e à confeção do pão tradicional de Ul e ver os materiais expostos no Núcleo Museológico do Moinho e do Pão. De terça a sexta, das 10h às 12h30 e das 14h às 17h30, e aos sábados e domingos, das 15h às 19h (encerrado às segundas e feriados). Para visitar todos os núcleos, é aconselhável fazer marcação prévia. Ver mais informações em www.moinhosdeazemeis.com .

 

Museu da Ciência - Laboratório Chimico
Largo Marquês de Pombal, s/n, Coimbra
Tel. 239 854 350
Férias O museu oferece aos mais novos diversos programas de ocupação dos tempos livres durante as férias de verão. Um deles é "4 Dias, 4 Temas", e os temas vão ser 'Cor' (sobre tintas e as suas misturas), 'Ótica' (sobre objetos que orientam a luz), 'Sol' (sobre a estrela que nos ilumina) e 'Visão' (sobre o funcionamento deste sentido). De 6 a 9 de julho, das 10h às 13h para crianças dos 5 aos 7 anos e das 14h30 às 17h30 para crianças dos 8 aos 12 anos. Outro programa proposto é "Trilhos", onde em certos domingos de cada mês as crianças e suas famílias são convidadas a fazer um passeio à volta do Museu da Ciência e da Universidade de Coimbra. Desta vez o tema é "Passeio com a Botânica" e os participantes vão andar à procura desta surpreendente ciência nas ruas e nos jardins. No dia 4 de julho das 11h às 12h. E com o programa Aniversário no Chimico, o museu convida-o a vir fazer a festa de anos, durante três horas, nas suas instalações, aos sábados, das 10h às 13h, ou aos domingos, das 10h às 13h e das 15h às 18h. Estas atividades exigem marcação prévia. Ver mais informações emwww.museudaciencia.pt .

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 28.06.10

O Drama das crianças com Sida na África do Sul

 

Tem 18 meses mas mal sabe andar. Tem movimentos lentos quando gatinha. Senta-se, serena, e olha-me inclinando a cabeça. Olhos semicerrados e sem sorrisos. Olha-me.

É pequena. Muito pequena. E noto-lhe a fragilidade quando chega à minha beira. Acabei de chegar e estende-me os dois braços. Não é um pedido... é uma urgência. Não é um capricho. É uma necessidade. Nunca me viu mas precisa que lhe dê o que não tem. Estende-me os braços e pego-a ao colo.

É excessivamente leve. Mantém os movimentos lentos quando encosta a sua cabeça à minha. Meto-lhe a mão debaixo da camisola. Faço festas por cima de pequenas feridas. Dezenas delas, espalhadas pelo corpo. Não sei o seu nome para a confortar mas falo com ela inglês. Seguro-lhe a mão gelada enquanto a deito no meu colo. Seguro-a como se fosse minha. Aconchega-se e agarra, com força, o meu dedo. Larga-o para conhecer o botão do meu casaco ou para me tocar no rosto.

Chamam-na por um nome zulu. Lamento a minha dificuldade em pronunciá-lo. Todos os seus gestos transportam uma lentidão assustadora. Olha-me reflexiva. Intensa. Por pouco adormece. Ficava ali uma vida. Eu dar-lhe-ia uma, se tivesse.

Seguro-a com a ferocidade de quem a disputa com o tempo e com a doença. Tem 18 meses e não chegará aos 20 anos. É seropositiva.

Sento-me no chão do refeitório e correm três, desengonçados, para o meu colo. Um em cada perna, enfiados no ângulo do ombro e do braço. O da direita adormeceu ali... sujo de arroz e carne, tombou nos meus braços de sono. O outro mexe-me nos óculos, curioso. Ao fundo, Amigo arrasta-se de quatro com os seus 6 ou 8 meses. Ninguém sabe muito bem... A mãe deu-lhe o nome de Amigo e deixou o Amigo na maternidade. Pequeno, sozinho e infectado com HIV. Amigo saiu da sala de partos... para aqui.

Falta-lhes tudo. Saúde e mimo. E aqui, fazem o que podem.

Sedentos de ternura, partem para a sesta. Já fizeram a medicação da manhã. Partem para a sesta e não me vêem partir. Melhor assim... Não os quero ver partir. Ninguém os quer ver partir... Hoje adormeço com um coração geneticamente dorido.

Via Mundial à parte



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 25.06.10

15 sugestões para se divertir com os seus pequenotes

 

Sugestão 1: toca a pedalar

Ande de bicicleta juntos em locais saudáveis e lindos que o nosso país tem. Alguns exemplos: Monsanto, Sintra ou o Guincho (Lisboa); Foz ou Matosinhos (Porto); Gerês (Braga). Aproveite e leve o bebé num atrelado próprio para bicicletas, não é caro e dura uma vida, além disso, pode sempre ficar para transportar os vossos netos daqui a uns anos. Se estiver a chuviscar, acondicione-se e feche o atrelado. O bebé vai adorar ver as pingas da chuva a cair ou ver a paisagem à sua volta. Quanto ao pai e à mãe, até fazem exercício e ficam mais saudáveis.

Sugestão 2: toca a adivinhar

Brinquem ao adivinha com as crianças. Tentem adivinhar o que o outro está a pensar. O tema pode ser sobre música, animais, comida, etc. É divertido. Podem ser feito em qualquer lado e, mais importante, exercita o cérebro.

 

Sugestão 3: toca a lançar os dados

Joguem um jogo de tabuleiro juntos. Há imensos jogos para pais e filhos, certamente que os seus miúdos já receberam no Natal ou nos anos jogos de tabuleiro como, por exemplo, o jogo da Glória. As crianças adoram esses jogos, mas só se jogar com elas. Por isso, toca a lançarem os dados. Aproveite e recorde a infância, quando o fazia com amigos ou com os seus próprios pais. Conte às crianças enquanto joga e elas vão adorar, pois os mais novos adoram histórias.

Sugestão 4: toca a construir

Ajude o seu filho a construir com legos . Misturem as peças todas em cima de uma manta macia ou de um lençol, deitem fora as instruções de cada colecção. Agora inventem veículos, casas, naves, etc. A criança ficará em delírio se a desafiar (e ajudar) a tentar reproduzir coisas do quotidiano que lhe são familiares, tão simples como o vosso carro, a mesa onde come. Experimente e verá. Os legos são talvez dos brinquedos mais didácticos que existem. Ajudam a exercitar a criatividade e o génio.

Sugestão 5: toca a fazer de focas

Aproveite um dia de domingo à tarde em que esteja frio, ou a chover, e vá para uma piscina municipal coberta ebrinque com os seus filhos dentro de água . Em seguida, depois do banho do balneário, vá para casa e mostre-lhes curiosidades (em livro ou recorrendo à Internet) sobre a relação do Homem com a água, por exemplo, no desporto: nomes e recordes de campeões de natação, fatos próprios para nadar, mergulhos para a água, etc.

 

Sugestão 6: toca a cozinhar

Faça uma sessão de culinária com as crianças. Elas adoram. Cozinhe brigadeiros, bolos , ou mesmo legumes. Ponha os meninos a mexer na massa de bolos ou a lavar os legumes ao mesmo tempo que lhes explica que legumes são. Esta brincadeira pode tornar-se altamente pedagógica, basta que aproveite para lhes explicar, por exemplo, os perigos que existem quando se cozinha e como fazê-lo com segurança; a importância dos alimentos; a necessidade de saberem cozinhar para não dependerem de ninguém quando adultos; a alegria de cozinhar para receber amigos e família.

Sugestão 7: toca a caçar o tesouro

Organize uma caça ao tesouro . Pode ser mesmo no seu quintal, num parque público, ou até numa praia. Prepare um tesouro com coisas que eles adorem. Esconda-o muito bem e faça um mapa com pistas indicadoras. Acompanhe-os nesta caça. Quanto mais criativo for, mais todos se divertirão. Seja o orientador do jogo. Faça como se estivesse a contar uma história. Enfatize ao máximo. Crie um ambiente de aventura e fantástico só com o que vai dizendo. Se fizer o jogo com mais de uma criança, do início ao fim do jogo, não se esqueça de dizer que foi um trabalho de equipa e não apenas de um jogador.

Sugestão 8: toca a mudar os móveis

Troquem de lugar alguns móveis do quarto deles. Renovem a decoração com imaginação. Podem mesmo pintar juntos um quadro novo ou encaixilhar alguns desenhos feitos por eles e pendurá-los.

Sugestão 9: toca a ser botânicos

Visite com os seus filhos uma horta ou uma estufa de flores e plantas. Há algumas lojas de plantas que têm um espaço ao ar livre com flora riquíssima. Ensine-os o nome de muitas dessas flores e plantas . Escusado será dizer a importância do conhecimento que se pode retirar desta brincadeira, bem como da sensibilização para o ambiente.

 

Sugestão 10: toca a ir à biblioteca

Visite uma biblioteca com as crianças. Elas vão adorar. Esolham juntos alguns livros. Leiam ali mesmo na biblioteca ou tragam para casa. Não esqueça que também existe a bedeteca , como a de Lisbo, onde as prateleiras estão repletas de livros de banda desenhada para todas as idades e o ambiente é menos formal do que o de uma biblioteca convencional. Aí, pode encontrar os livros com os heróis favoritos dos seus filhos (estão lá todos) e lê-los ali mesmo, confortavelmente sentados.

Sugestão 11: toca a ir a passear pelo pinhal

Dê um passeio por um pinhal. Mostre-lhes cogumelos, caruma, musgo, bolotas, pinhas, folhas diferentes das árvores, etc. Um passeio ecológico destes é muito rico culturalmente .

Sugestão 12: toca a pintar um lençol

Pintem um lençol velho branco no chão com guache . Introduza você um tema. Eles pintam e vão adorar. Pode pendurar a "obra-prima" algures durante uns dias, ou colocá-la num sítio visível. Aumenta a auto-estima das crianças, dá-lhes uma boa memória para referência no futuro e cria-lhes vontade de voltar às actividades simples, mas divertidas.

Sugestão 13: toca a saber quem é quem na família

Façam uma árvore geneológica . Assim eles começam a perceber as gerações passadas e as suas origens. Esta diversão pode durar um fim-de-semana. Arranje tantas fotos quanto consiga dos avós, tios, primos, etc. Tudo serve para escolher uma e recortar. Deixe-os fazer a árvore, começando por uma foto deles próprios, de cima para baixo. Escolha uma superfície grande. No final, se conseguir e puder, emoldure, nem que seja numa moldura de um quadro que já não use. Eles vão gostar de pendurar na parede um quadro com todos os membros da família e vão querer mostrar às visitas.

Sugestão 14: toca a montar o pónei

Andar de pónei ou mesmo cuidar de ponéis é outra actividade muito apreciada pelas crianças. Vá à poneilândia e divirta-se com eles. Sim, eu sei que esta actividade não é de borla, mas tem preços para várias carteiras e pode sempre pô-la na lista de actividades com custos.

Sugestão 15: toca a cantar

Karaoke com pontuação. É muito divertido e não é preciso ter uma consola tipo playstation ou uma wii. Basta ligar-se à Internet . Cantar sempre fez bem à alma, se o fizer com os miúdos eles vão adorar e você também vai sentir a diversão.

 

 

Via A Vida de Saltos Altos



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24.06.10

Bilhetes esgotados, não há festinhas de anos, está a chover. Cenários de pânico para quem faltam ideias para entreter os filhos num dia de folga. Siga as minhas 15 sugestões e passehoras divertidas com a criançada, sem sequer gastar dinheiro.

 

 

Muitos pais nem sempre sabem o que fazer para entreter os filhos, sobretudo quando as alternativas mais comuns falham (cinema, espectáculos, etc) ou quando os programas já se repetiram tantas vezes que deixaram de ter piada (zoológico, oceanário, etc).

A ideia de que é preciso gastar dinheiro, enfrentar trânsito e stress para as crianças se divertirem não podia estar mais errada. Tudo o que pequenotes querem é passar umas horas divertidas, especialmente com os pais, em jogos e gargalhadas que, se forem bem programadas, normalmente não custam um cêntimo e dão prazer a toda a família.

Portugal no seu melhor

 

Não vale a pena apontar muito o dedo a quem escolhe salas de cinema em shoppings apinhados de gente para enfiar os miúdos. Simplesmente porque o nosso país também não ajuda nada no que toca ao funcionamento de espaços como museus, bibliotecas ou locais onde se realizem workshops para as crianças. Escandalosamente, aos fins de semana muitos dos locais onde seria interessante levar as crianças encontram-se enecerrados. O melhor exemplo destas medidas perfeitamente descabidas são os museus: encerram aos domingos e feriados. Palavras para quê? Esta é de facto uma das principais queixas de muitos pais. Têm parte da razão, mas não toda. Mas sobre isso, já falamos mais à frente.

Os restaurantes são mais um local onde não existe tradição de pensar nas crianças. Não têm nem horários livres nem um cantinho próprio para os mais pequenos se entreterem enquanto os pais almoçam ou jantam calmamente. O único local que ainda pensa nas crianças, e sem aplicar os tradicionais horários rígidos das cozinhas, é o McDonalds.

Os miúdos divertem-se com actividades simples, desde que sintam o envolvimento genuíno dos pais
Os miúdos divertem-se com actividades simples, desde que sintam o envolvimento genuíno dos pais

Mas será que estaremos condenados a comer fast food quando queremos começar um programa de uma tarde bem passada com uma refeição calma, onde as crianças estejam entretidas? Infelizmente, acho que em Portugal ainda não é possível.

Embora não seja o tema principal deste texto, o exemplo das salas de espera nos consultórios médicos também vem ajudar a este cenário pouco favorável ao entretenimento que qualquer criança precisa e merece. Refiro-me ao facto de ainda serem poucos os  consultórios médicos que têm imaginação para receber os seus pacientes mais novos.

Em países mais evoluídos, as crianças são as primeiras a quererem voltar ao consultório médico onde levaram uma "pica" qua até doeu. É que em troca receberam uma surpresa ou, enquanto esperavam não ficaram ansiososos, pois puderam usufruir de brinquedos divertidos e diferentes.

Mas tudo isto parece ainda não ter chegado a Portugal. Pelo menos por enquanto, a mentalidade neste aspecto tem muito que evoluir.

A chuva e frio não atrapalham nada

 

Esqueça o shopping num domingo à tarde só porque está a chover. Aliás,esqueça o shopping de todo. Deve haver poucos sítios além das grandes superfícies comerciais que consigam provocar com tanto sucesso uma tamanha carga de stress numa família inteira.

teatro ou o cinema são de facto boas alternativas, mas não é para todos os bolsos - sobretudo em crise - e nem sempre há bilhetes ou sessões interessantes.

Procure soluões ao ar livre. Mesmo que esteja a chover (aguaceiros, naturalmente, não em caso de trombas de água), sair com um traje acondicionado é muito saudável para todos, acredite. Lembre-se que começa logo pelo facto de os miúdos adorarem chapinhar com galochas em poças de água.

Eu passei a infância na Alemanha e recordo-me que além de chover e nevar imenso, fazendo sempre muito frio, passava a vida na rua a brincar. Sempre agasalhadíssima, tal como os muitos outros meninos com quem brincava e com os pais a acompanharem-nos. O resultado destes passeios "frescos" eram: um regresso a casa com asbochechas rosadas e geladas, mas com serenidade, satisfação e felicidade. No final destes dias, o resultado era favorável para toda a família: um sono tranquilo e relaxado.

 

Uma ajudinha para pais com menos imaginação

Não acha que cinco idas ao zoo por ano é muito? Por outro lado, já pensou que o tubarão do oceanário é capaz de já ter decorado a cara do seu filho, de tantas foram as vezes que já ali foi? Claro que estou a brincar, ambos os locais são interessantes e recomendam-se, mas também são caros e há mais vida para além da bicharada.

 

Via Expresso



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Sábado, 12.06.10

Museu do brinquedo

 

A história do Museu dos Brinquedos fez--se de forma natural: entre os adultos que recordavam a infância e as crianças que sonhavam com os momentos especiais dos outros. Era uma vez um menino chamado João que, como todas as crianças, gostava de brincar. Mas, ao contrário da maior parte das crianças, tinha cuidado para não estragar os brinquedos. E eles foram-se amontoando no seu quarto e na sua vida. Quando fez 14 anos começou a sua colecção, quase sem dar por isso, com os brinquedos que lhe iam oferecendo. Aos seus acrescentou outros, pertencentes aos pais e outros familiares. Um dia o João contou-os e eram mais de 20 mil. Entre os eleitos escolhidos, tocados e protegidos, neste verdadeiro investimento afectivo, encontravam-se bonecas e casinhas de vários andares, locomotivas, fogões e telefones, galos de madeira, peixes de folha com rodas, arcas de Noé de madeira, ursos de peluche, soldadinhos de chumbo, automóveis descapotáveis de baquelite e motas com sidecar, entre muitos outros. 

Em 1987 foi criada a Fundação Arbués Moreira (apelido do menino chamado João), à qual foi legada toda a colecção. Dois anos mais tarde, a Câmara Municipal de Sintra cedeu um espaço que permitiu a criação do Museu do Brinquedo de Sintra no centro histórico da vila, no antigo quartel de bombeiros, remodelado para o efeito, com uma área de 1000 m2. "Ao todo, neste momento, são 40 mil peças que contam a história do homem através do brinquedo, porque os brinquedos reflectem a época em que foram feitos e quem os manuseou", diz Ana Arbués Moreira, a directora do museu. O sonho do seu marido, o coleccionador João Arbués Moreira, "sempre foi entender a história do homem através do brinquedo e as pessoas achavam estranho um homem coleccionar bonecas, casinhas, panelas, ferros de engomar e não apenas soldadinhos e carros". 

As crianças que visitam o Museu do Brinquedo têm a oportunidade de ver como eram os brinquedos com que os seus pais e avós brincavam: "Temos em média entre 4 e 5 mil visitantes por mês, metade crianças, metade adultos. Acontece muito os miúdos virem com a escola e depois pedirem aos pais ou aos avós que voltem ao fim-de-semana", explica Ana Arbués Moreira. Neste momento "há uma nova exposição temporária, dedicada aos meios de transporte, onde se podem ver carros de pedais, trotinetas, motas, carros de bombeiros e da polícia, barcos, aviões e até um comboio da Marklin, que poderá ser visto até Outubro".

Pelos corredores do museu há quem diga que, quando não está ninguém por perto a olhar, eles ganham vida e também se mexem como as pessoas, com vontade própria. As bonecas pensam como se fossem meninas e os soldadinhos têm corações maiores que eles próprios. Mas só quando não está ninguém a olhar: é assim que os brinquedos brincam connosco.

Museu do Brinquedo. 

Morada: Rua Visconde Monserrate, 2710-591 Sintra. Tel.: 219 106 016; 

Horário: de terça a domingo (incluindo feriados) das 10H às 18H, com última entrada às 17h30 

Bilhetes de adulto: 4€; de criança (dos 3 aos 16 anos); 2€; de estudante: 2€; de terceira idade (mais de 65 anos): 2€

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 28.04.10

Hiperactividade e cafeina

 

Os cientistas já tinham concluído que o café tem propriedades que permitem prevenir algumas doenças neurodegenerativas, mas não havia estudos no âmbito de doenças como a hiperactividade e o défice de atenção. Até agora. Uma equipa de 15 investigadores do Centro de Neurociências da Universidade de Coimbra está a estudar os efeitos da cafeína no sistema nervoso central e prevê começar a realizar testes clínicos em crianças entre os nove e os 14 anos que tenham problemas como a hiperactividade e o défice de atenção.

Já foram recolhidos dados em modelos animais que "mostram a eficácia consistente da cafeína em casos de défice de atenção e hiperactividade", refere Rodrigo Cunha, líder da investigação. O investigador garante que serão administradas "cápsulas com uma libertação controlada de cafeína" para reduzir a probabilidade de ocorrerem efeitos tóxicos nas crianças. Acrescenta ainda que há "grupos crescentes de crianças incluídos para testar o benefício do consumo de pequenas doses de cafeína".

Rodrigo Cunha considera que o projecto "abre portas ao desenvolvimento de remédios mais selectivos e potentes que a própria cafeína, que, com doses muito mais baixas, imitem o que de bom faz aquela substância, anulando os problemas associados à toxicidade pelo consumo excessivo".

O estudo está a ser desenvolvido em cooperação com investigadores de Barcelona que já têm um vasto conhecimento na avaliação de crianças com este género de problemas.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 14:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 26.04.10

Chamam-lhe “SS”. Chamam-lhe “SS” ou “Sempre Só” ou “Serralheiro Solitário” e riem-se. Riem-se como se o isolamento não doesse. Quando o souberam desaparecido, alguns colegas da cooperativa de ensino que frequenta em Riba de Ave julgaram que se atirara ao rio. Não imaginaram que tivesse caído numa suposta rede de tráfico humano.

Fora “referenciado” na escola. Quão difícil seria chegar ao coração de um solitário rapaz de 15 anos, oriundo de uma família numerosa, carenciada, com um pai ausente, a trabalhar em Barcelona, e uma mãe um tanto alienada por algum consumo de bebidas alcoólicas? Uma mulher ter-se-á feito passar por uma miúda da sua idade. Paulo (nome fictício) “encontrava-se” com ela na Net. Primeiro, no seu INSYS, oferta do e.escola, programa pensado para facilitar o acesso dos alunos do 5.º ao 12.º ano à sociedade de informação. Depois, num dos dois computadores do Café Triângulo, a uns 50 metros de casa, mesmo à entrada da zona urbana de Vizela.

Algo não batia certo. Amiúde, livrava-se das irmãs que com ele vivem – uma mais nova e outra mais velha – antes de descer o asfalto até ao café. Não gostava de usar o computador na presença se outros. Se alguém estivesse a usar um, abstinha-se de usar o outro. As más-línguas já se acotovelavam frente ao rapaz baixo, moreno. Pelos gestos delicados, julgavam-no a falar com alguém do mesmo sexo.

Naquela segunda-feira, 12 de Abril, saiu de casa cedo, como é seu costume em dias de aulas. Está a tirar um curso de educação e formação, que lhe dará equivalência ao 9.º ano e que poderá fazer dele um serralheiro mecânico. Não seguiu até à Didáxis, cooperativa de ensino. Em vez de ir às aulas, apanhou o comboio para o Porto, na ânsia de ver a amada. Na estação de comboios, olhou para um lado, olhou para outro: ninguém com um rosto igual ao que aparecia nas fotografias que ele tantas vezes contemplara. De repente, aproximam-se uma mulher e três homens. Conduziram-no, sob ameaça, a Santa Mariña do Monte, na zona rural de Orense, já do outro lado da fronteira.

Isto mesmo contou, primeiro, à Polícia Nacional (Espanha), depois, à Polícia Judiciária (PJ) e, entretanto, a alguns vizinhos baralhados com as versões contraditórias que circulavam de boca em boca. Parte do jogo de sedução há-de estar no telemóvel e no portátil que esta quarta-feira, na GNR, mostrou à PJ.

Sai das aulas às 17h30 ou às 18h30 e apanha o autocarro perto das 19h. Naquela segunda-feira, a noite caiu e não entrou na casa de pedra caiada e pintada de amarelo. Preocupada, a mãe cruzou o portão verde e virou à direita, em busca de um rapaz que também frequenta a Didáxis. O vizinho já chegara. Passavam uns minutos das 20h. O tio do rapaz, dono de um armazém situado na rua atrás, aconselhou-a a esperar mais um pouco. Por volta das 22h, levou-a à GNR. Escaldados com histórias de adolescentes que se atrasam ou escapam, os militares mandaram esperar. À meia-noite, a mãe e o vizinho tornaram ao posto – a tentar forçar diligências.

No dia seguinte, a notícia correu veloz. Um tanto conscientes da crueldade que reservam a Paulo, alguns colegas emudeceram. Teria posto fim à vida, como o miúdo de 12 anos que se atirara ao Tua? Naquele mesmo dia, telefonou à mãe a dizer que estava bem, que estava no Porto, que estava a trabalhar. A mãe tentou saber mais. A chamada foi cortada de forma abrupta.

Alguns vizinhos encontraram sentido: a família era apoiada, tivera sete filhos e perdera um; os três mais novos estariam ou já teriam estado debaixo de olho da protecção de menores. A PJ do Norte, porém, não se fiou na teoria da partida por vontade própria em busca de ganha-pão. A chamada ter-lhe-á, de resto, permitido perceber que estava em Orense. Impunha-se pedir colaboração a Espanha.

Os espanhóis resgataram-no na quinta-feira, 15 de Abril. Dormia num colchão esfarrapado, fechado numa cave, rodeado de sujidade, de desperdícios, de sucata. Terá sido forçado a trabalho árduo. Quem vivia perto nem desconfiava e tê-lo-á visto embrenhado em tarefas diversas.

Aquela era a casa de um casal metido consigo próprio. Empenhado na recolha de sucata, faria algum trabalho no campo, em Monterrei, outro município da província. E, numa quinta, ali mesmo, em Santa Mariña do Monte, teriam coelhos, galinhas e outros animais domésticos.

Naquele dia, as autoridades detiveram o casal e um homem que terá colaborado no alegado sequestro – os três aguardam, agora, julgamento no Estabelecimento Prisional de Pereiro de Aguiar, em Orense. Volvidos três dias, detiveram um irmão de um deles, em Madrid. A PJ e a PN investigam eventuais ligações entre este caso e casos de tráfico de pessoas para exploração laboral ou mesmo escravatura protagonizados por indivíduos que se movem entre Portugal e Espanha e que tanto usam documentação portuguesa como espanhola.

À entrada de Vizela, já não há pachorra para jornalistas. Familiares e pessoas próximas – como a vizinha que faz as vezes de encarregada de educação de Paulo e auxilia a família conforme pode – têm indicações da PJ para não falar. E acusam desgaste com o tratamento que o caso mereceu. Na escola, continuam a chamar-lhe “SS” ou “Sempre Só” ou “Serralheiro Solitário”. Às vezes, no recreio, as raparigas rodeiam-no, agarram-no, acompanham-no. Só para rir.

Ana Cristina Pereira

Público

24 de Abril de 2010

 

Via Meninos de ninguém



publicado por olhar para o mundo às 10:06 | link do post | comentar

Sábado, 24.04.10

Aliciamento de menores pela net está a aumentar

 

Entra-se num site de conversação para falar com os amigos. Um desconhecido mete conversa. Acha-se graça. Responde-se. Aos poucos a relação vai crescendo e, em pouco tempo, partilham-se histórias e fotos. Mas do outro lado da linha pode nem sempre estar alguém com boas intenções. Um abusador ardiloso, um assaltante interessado em informações da casa de família ou um traficante que alimenta uma rede de exploração laboral. Tudo casos reais.

A maioria dos aliciamentos através da Internet são de cariz sexual e vários inspectores da PJ ouvidos pelo PÚBLICO acreditam que estão a aumentar. Como tem aumentado o acesso dos mais novos a este meio de pesquisa e conversação. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, os menores entre os 10 e os 15 anos são os que mais utilizam a Internet. Em 2008, neste grupo etário eram 92,7 por cento os que indicavam utilizar a Net, contra 87,4 na classe dos 16 aos 24 e 69,5 na dos 25 aos 34. O número desce para 5,2 por cento no último grupo etário dos 65 aos 74 anos. 

Em 2005, apenas um terço dos menores entre os 10 e os 15 anos afirmava utilizar a Internet "todos ou quase todos os dias", uma percentagem que subiu para 55 por cento em 2008. 

Aumento de participações

O aumento de participações, acreditam os investigadores, é sinal de uma maior consciencialização de todos, sobretudo dos pais, que na maior parte das vezes denunciam os casos. "Muitas vezes os menores nem se apercebem que estão a ser vítimas de um abuso", explica o inspector-chefe da Directoria do Centro da PJ, Camilo Oliveira, coordenador do departamento que investiga os abusos sexuais. É que quando se fala de abusos não está implícito necessariamente o contacto físico. "Podem ser exibições através da câmara web, a entrega de fotografias íntimas ou a pura existência de conversas de cariz sexual entre um adulto e um menor de 14 anos", exemplifica. 

Para sensibilizar os menores para os riscos da Internet, especialmente para os aliciamentos sexuais, a Directoria do Centro da PJ assinou em Maio de 2007 um protocolo com a Direcção-Regional de Ensino do Centro. "Vamos às escolas explicar os riscos da Internet aos menores, aos professores e aos pais", concretiza Camilo Oliveira, que contabiliza 40 acções por ano. No Porto também foi feito um protocolo com a Direcção-Regional de Ensino do Norte, mas o objecto é a sensibilização para os crimes informáticos, desfiando fenómenos como o pishing (técnicas de acesso ilegítimo a contas bancárias movimentadas por Net) ou as burlas através da Net. 

Falta de dados

Em 2007, a PJ registou 67 casos de pornografia infantil via Net e das mais de 500 participações de abusos sexuais feitas nesse ano, 12 por cento eram relativos a crimes praticados através da Net. Camilo Oliveira não quer avançar um número mas garante que "uma boa parte" dos abusos sexuais que entram na sua directoria, já decorre de aliciamentos feitos através da Internet. Outros inspectores dão o mesmo testemunho e um até revela que o ano passado foi detido um pedófilo que abusou de uma menor logo no primeiro encontro, combinado através de um site de conversação. A PJ dispõe de dados, mas estes não foram disponibilizados em tempo útil. Já a Procuradoria-Geral da República diz que não dispõe de elementos "por ausência de um sistema informático capaz, já prometido mas ainda não criado".

Helena Sampaio, da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, mostra-se preocupada com este fenómeno e aconselha os pais a acompanharem mais os filhos na utilização das novas tecnologias. "Não vale a pena proibi-los de ter acesso à ferramenta, mas alertá-los para os perigos que eles correm com determinado tipo de utilização", afirma a psicóloga. Crianças isoladas, com problemas de socialização e de auto-estima estarão mais vulneráveis a este tipo de aliciamento. Aos pais, Helena Sampaio sugere que façam algumas simulações de algumas situações de risco, para perceber se os filhos respondem da forma adequada e aconselhá-los se necessário.

 

Via Público



publicado por olhar para o mundo às 22:03 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Facebook elimina diariame...

O Facebook proíbe a utili...

Onde levar as Crianças, N...

Onde levar as crianças, L...

Os bebés e o leite matern...

Valsa da meia-noite na Al...

1 LIVRO usado = 1 SORRISO...

Sexualidade. O que fazer ...

Bélgica proibe venda de t...

sexo, uma inocência adiad...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados