Sexta-feira, 15.07.11

MOVE.AR - FESTIVAL DE ARTES DE RUA DE SETÚBAL

 

Move.AR – Festival de Artes de Rua de Setúbal anima a cidade

 

Pintura facial, malabarismo, modelagem de balões, espectáculos de pirofaga, instalações, estátuas vivas, artesanato urbano, teatro de rua, oficinas para crianças, actividades para bebés, entre muitas outras acções que o Festival de Artes de Rua de Setúbal – Move.AR proporciona a todos os públicos. O Festival é organizado pelo Teatro do Elefante e decorre até dia 17 de Julho, com programação durante todo o dia em vários locais da cidade.

 

No festival são apresentados múltiplos modos de articulação entre as diversas formas de Arte. Deste modo promove-se a intervenção artística de qualidade em espaços acessíveis a todos, estimulando as múltiplas formas de colaboração entre as actividades artísticas, as indústrias do lazer e os agentes económicos e turísticos locais, em geral.

 

No fim de semana que marca o final do primeiro período do Festival, que regressa entre os dias 8 e 19 de Agosto, destaca-se a Oficina de Percussão, dinamizada por Bruno Cintra do Agora Teatro. Esta Oficina dirige-se a crianças a partir dos 4 anos, na qual são explorados os ritmos tradicionais individualmente e em conjunto, bem como os próprios instrumentos.Acompanhando a música ao vivo de uma gaita de foles, a oficina decorre no dia 14 de Julho, pelas 17 horas, no Parque Urbano de Albarquel, com inscrição para os contactos da Companhia. A par da oficina mantêm-se actividades todas as manhãs na Placa Central da Avenida Luísa Todi, como a pintura facial, a modelagem de balões, entre outros. Entre as 10.30h e as 13h, aproximadamente, este espaço é animado e proporciona um conjunto de acções, com participação gratuita para todos, bem como todas as informações sobre o Festival.

 

O  festival é organizado pelo Teatro do Elefante, uma estrutura financiada pelo Ministério da Cultura - DGArtes, e apoiado pela Câmara Municipal de Setúbal e Made In Café|Kids. Todas as informações podem ser cedidas pelos contactos do Teatro do Elefante, elefante@teatrodoelefante.net, 927 751 881 e 916 887 596.

 



publicado por olhar para o mundo às 23:15 | link do post | comentar

Quarta-feira, 05.01.11

Morreu Malangatana

 

(imagem 'Juízo final': brown.edu)

Um pintor e uma obra memorável a eternizar-se para os vindouros. Evoco  amizades a leccionar na Escola Portuguesa de Maputo onde figuram obras do artista. Será uma festa para a comunidade educativa local poder apreciá-las diariamente... Ainda existem espaços escolares cujo colorido se torna motivação diária para o estudo…
Sobre o desaparecimento físico de Malangatana, nada como dar a palavra a quem o sabe fazer com «um saber de experiência feito».

 

Via Dias que voam



publicado por olhar para o mundo às 21:49 | link do post | comentar

Segunda-feira, 22.11.10

Ópera:

 

O compositor Alexandre Delgado criou uma "versão completamente fiel à original" da ópera “Hansel e Gretel”, que estreia na terça-feira no Teatro Camões, em Lisboa.

Em declarações à agência Lusa, o compositor disse ser apenas o responsável pelos textos que são cantados e que estes “mantêm a estrutura e a rima do princípio ao fim”.

Autor de óperas como “A Rainha Louca” e “O Doido e a Morte”, esta não é a primeira vez que Alexandre Delgado faz uma versão para a ópera de Engelbert Humperdinck baseada na obra dos irmãos Grimm.

Em 2003 foi o responsável pela versão portuguesa de “A Casinha de Chocolate”, que estreou no Teatro da Trindade, em Lisboa, numa encenação de Paulo Duarte que contou com interpretação de Catarina Molder.

Fazer uma versão de ópera “é como fazer uma obra de relojoeiro”, disse Alexandre Delgado, sublinhando tratar-se de um trabalho que requer “uma aprendizagem na forma como se lida com a rima da língua portuguesa”.

E ainda que esse trabalho seja facilitado com os dicionários de rimas, a tarefa “exige saber e muito cuidado para que não haja erros de prosódia [estes ocorrem quando há uma transposição do acento tónico de uma sílaba para outra]”, sublinhou.

Para Alexandre Delgado, “Hansel e Gretel” - que sobe agora ao palco do Teatro Camões numa nova produção do Teatro Nacional de São Carlos - é uma “obra-prima de Humperdinck que possibilitou às pessoas regressarem aos contos de fadas, ainda que com uma linguagem wagneriana e adaptada ao conto dos irmãos Grimm".

“Era uma falha enorme não termos ‘Hansel e Gretel’ cantada em português, porque esta é uma ópera que ganha muita força quando cantada em português”, frisou.

O compositor defende a necessidade de se encenar mais óperas em português, considerando que só há a ganhar com isso.

“Dantes eu era muito refratário em relação a isso, mas depois de ter assistido na Komische Oper de Berlim a tudo quando era repertório de ópera cantado em alemã apercebi-me do quanto tínhamos a ganhar com óperas cantadas em português”, disse.

É o caso de “A Flauta Mágica”, “O Morcego” ou operetas de outros compositores como Offenbach.

Com direção musical de Moritz Gnann, encenação e cenografia de André Heller-Lopes, figurinos de Bernardo Monteiro, vídeo de André Godinho, coreografia de Diniz Sanchez, “Hansel e Gretel” tem desenho de luz de José Álvaro Campos e Rita Álvares Pereira como cenógrafa executiva.

Raquel Luís interpretará Hansel, Ana Franco será Gretel, João Oliveira fará de pai e Marco Alves dos Santos de bruxa. O espetáculo conta com a participação da Orquestra Sinfónica Portuguesa e do Coro Jovens Vozes de Lisboa.

Além das récitas dos dias 23, 24, 26 e 30 de novembro e 02 de dezembro, às 15:00, “Hansel e Gretel” subirá também ao palco do Teatro Camões nos dias 27 de novembro, às 21:00, e nos dias 28 de novembro, 04 e 05 de dezembro, às 16:00.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:02 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.08.10

Kira Ayn Varszegi pinta com os mamilos

 

A norte-americana Kira Ayn Varszegi faz o que muitos consideram verdadeiras obras de arte na tela. Só que em vez de usar os tradicionais pincéis usa os seus próprios seios, tamanho 46.

 

Uma pintora americana de Connecticut , com 34 anos, está a fazer sucesso com as suas obras de arte. É que a técnica que utiliza para criar os quadros resume-se a pintar com os mamilos e Kira Ayn Varszegi não faz nenhum segredo disso.

 

Como Kira leva a pintura a peito

 

Kira Ayn Varszegi cobre os seios com tinta apropriada pressionando-os em seguida contra a tela, repetidamente.

artista usa uma mistura de cores e coloca os peitos em ângulos diferentes para criar os quadros abstractos e, ao mesmo tempo, únicos.

Uma palete composta por uma mistura de combinações de cores interessantes e equilibradas, juntamente com os seus seios avantajados, é o suficiente para Varszegi criar todas as suas obras.

Desde que produziu o primeiro quadro, em 2001, Kira já fez centenas de outros, alguns requisitados internacionalmente, pelo menos assim o diz.

Todo o seu vasto trabalho encontra-se exposto e à venda na sua loja virtual

Os preços variam entre 20 e as 1200 libras (24 a 1443 euros) também no Ebay .

Arte com "faísca"

 

Numa entrevista ao The Suna artista referiu que pretende provocar emoções através desta forma de arte. Kiraacredita que os seus quadros não só tornam os espaços onde são colocados mais bonitos, mas também dão origem a "conversas com faísca" e, sobretudo, fazem as pessoas sorrir.

A norte-americana diz que a arte e a técnica que usa valem muito mais do que uma simples apreciação.

Não lhe interessa de todo o que os outras artistas ou os críticos de arte consideram sobre as suas obras, nem tão pouco o que as galerias mais pretendem.

Kira Ayn está realmente convencida que a sua arte é especial. Muito especial.

 

 

Via A vida de saltos altos



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Sábado, 22.05.10

Petição online para salvar museu da marinha

 

Depois de anunciada a proposta de transferência do espólio do centenário Museu de Marinha para o novo Museu da Viagem que, segundo apurou o i, ficará sob a tutela do Ministério da Cultura, nasceu um movimento online pela salvação do património da Marinha.´

petição, que pode ser aqui assinada, defende a manutenção de um dos museus mais visitados do país, recusando o “roubo” do seu património - considerado um dos mais ricos do mundo.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:36 | link do post | comentar

Domingo, 09.05.10

A mulher mais cara do mundo

 

Foi amante, modelo, mãe e chegou a andar aos estalos com outra mulher por causa de Picasso. Mas a musa do quadro mais caro de sempre acabou pobre, suicidando-se quatro anos depois da morte de Picasso. Marie-Thérèse Walter é a loira que aparece deitada, sem roupa, em "Desnudo, hojas verdes y busto", de 1932, arrecadado ontem por 80 milhões de euros na Christie's, de Nova Iorque. O retrato da francesa faz parte de uma série de obras mais sensuais e foi comprado em nove minutos.

Marie-Thérèse Walter já é conhecida no mercado de arte. O seu nome é sinónimo de milhões de euros. Os retratos da amante de Picasso são sempre mais luminosos, alegres e sexuais. Em "La Rêve" o artista pintou a amante sentada, com um seio de fora. Os mais atentos encontram, no rosto da musa, um pénis que simboliza Picasso. A obra chegou aos 108 milhões de euros, mas a venda nunca se concretizou. O dono do quadro estragou-o por acidente, ao enfiar um cotovelo na tela, antes de o entregar. A obra foi recuperada, mas nunca vendida.

À pancada por amor Marie-Thérèse Walter tinha 17 anos quando viu pela primeira vez o espanhol Pablo Picasso à porta das Galerias Lafayette, em Paris. O pintor de 45 anos era casado, já tinha um filho, mas não resistiu aos encantos da loira.

Até 1935 mantiveram a relação em segredo. Marie-Thérèse morava perto da casa de Picasso e da sua primeira mulher, Olga Khokhlova, uma bailarina russa. A francesa trabalhava como modelo do pintor, quer para quadros ou esculturas e era uma espécie de sombra da família. Marie chegou até a fazer de enfermeira do filho do casal, Paulo. Olga descobriu tudo graças a um amigo que não aguentou mais mentiras. Na altura, Marie já estava grávida de Maya. Olga não hesitou e deixou o marido.

Picasso separou-se e foi viver com Marie e a primeira filha. O romance só durou um ano, até o pintor encontrar outra musa. Mais uma vez uma modelo, desta vez, Dora Maar. Marie-Thérèse começou a desconfiar e reza a história que quando a viu pela primeira vez chegou a andar aos estalos com ela. Picasso queria ficar com as duas e contou mais tarde que a cena de pancadaria era uma das suas "memórias favoritas".

Em 1940, Marie e a filha mudaram-se para Paris e continuaram a ser sustentadas por Picasso. A modelo correspondia-se com o pintor, mas a última vez que se viram foi em 1955. As razões do suicídio da modelo são um mistério. Segundo a neta, Marie era muito sentimental e emocionalmente perturbada. Os biógrafos de Picasso têm outra explicação: nunca esqueceu o artista.

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 10:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.02.10

Sexo na galeria de arte

 

 VIENA - Uma renomada galeria de arte contemporânea austríaca está encorajando seus visitantes a confrontarem sua inibição sexual. Tudo em nome da arte! Para ver um trabalho de Gustav Klimt, quem vai a Secession, no centro de Viena, é obrigado a cruzar um clube de suingue chamado Element6, incorporado recentemente à galeria como parte de um projeto do artista suíço Christoph Buechel.

Os frequentadores do clube de suingue não estão lá durante o dia, mas as fotos eróticas, os colchões o bar etc estão lá, à vista de qualquer visitante da galeria de arte.

O porta-voz da Secession, Urte Schmitt-Ulms, disse que a proposta de Buechel é incitar novamente o escândalo que Klimt causou quando a obra ''Beethoven Frieze'' foi primeiramente exibida, em 1902.

Atualmente considerada uma das grandes obras do pintor austríaco, ela foi considerada obscena e pornográfica devido à maneira como os corpos das mulheres foram pintados.

Uma parte do mural mostra três mulheres praticamente nuas: uma delas tem grandes seios e parece estar grávida e outras duas têm apenas os cachos cobrindo seus corpos. Outra parte revela figuras míticas nuas.

O clube de suingue só abre à noite, depois que a galeria já fechou, mas durante o dia os visitantes acima de 18 anos podem andar pelas suas dependências. A passagem por ali dá ao porão, onde está a obra de Klimt. À noite, a sala onde está o mural fica fechada por razões de segurança.

Vista do clube Element6, por onde passam os visitantes acima de 18 anos para ver obra de Klimt/ Foto: AP

Buechel não quis comentar seu projeto, mas o clube, que normalmente fica localizado em outra parte da cidade, disse que sua participação "quer dar ao máximo de pessoas a oportunidade de superar suas inibições".

- Com esta exibição na Secession, cada indivíduo pode testar novas dimensões para a sua sexualidade - declarou o clube, por meio de um comunicado.

Gerald Adler, da britânica Escola de Arquitetura de Kent, visitou o local recentemente e disse que se Buechel realmente queria criar polêmica deveria ter escolhido outro local para seu projeto, como a catedral de St. Stephen.

- Ele está fazendo isso justamente num lugar de arte avant-garde, então, perde o efeito - opinou.

O projeto fica na galeria até 18 de abril.

 



publicado por olhar para o mundo às 20:58 | link do post | comentar

Quarta-feira, 10.02.10

 A depilação está na moda

 

"Já experimentei vários desenhos, mas o que mais gosto e que faço sempre é o coelho da Playboy." Aos 30 anos, Carolina (nome fictício), advogada, é uma das clientes em que Cezar Van Louicci aplica a sua arte no que toca a depilação artística. Se está a pensar em desenhos feitos com os próprios pêlos, acertou. Pode pedir corações, setas a apontar (não vá o/a companheiro/a perder-se) e até coelhinhos da Playboy. Mas nem sempre foi assim.


"Quando cheguei a Portugal apercebi-me que as mulheres só depilavam as virilhas de forma normal e que a depilação mais cavada, como se fazia no Brasil, era só para bailarinas, strippers ou mesmo prostitutas." Cezar nasceu no Rio de Janeiro há 47 anos. Vive em Portugal há 18. Numa voz baixa e pausada, conta a sua paixão pela estética e as diferenças que encontrou. Um país de mulheres conservadoras que não se atreviam a grandes inovações púbicas. Hoje em dia o cenário é bem diferente e nunca se sabe que surpresas escondem as saias de uma mulher.

Quando Cezar propôs a Carolina que fizesse um desenho, ela disse que não: "Senti-me constrangida. Mas depois decidi experimentar e agora estou tão habituada que não consigo ter uma depilação sem ser artística." O processo é simples: a cera contorna os pêlos com a forma desejada e depois é só arrancar. 

O facto de Cezar ser do sexo oposto, não a incomoda: "A primeira vez foi estranho, mas ele é tão profissional que eu até me esqueço que ele é um homem."

Em pouco tempo, a depilação brasileira (depilação total deixando apenas uma linha ou um pequeno triângulo de pêlos na púbis) tornou-se uma prática comum. Algumas pessoas até preferem tirar tudo: "Aumenta o prazer sexual", afirma uma relações públicas de 29 anos, que prefere não se identificar. A primeira vez foi há três anos "por iniciativa própria". A esteticista, habituada às lides, não estranhou e cumpriu. A RP "já nem se imagina de outra forma": "É mais confortável e a sensibilidade é maior."

Arte púbica

 Cezar é um verdadeiro artista e estudioso do pêlo. Além de ter um laboratório (com microscópio e tudo) onde estuda as pilosidades e formas de atrasar o seu crescimento, faz os desenhos nas suas clientes sem a ajuda de moldes. Mesmo se as senhoras lhe pedirem uma bola de futebol: "Na altura do europeu e mundial pedem-me bolas, números de jogadores e a bandeira de Portugal." Verde, vermelho, amarelo, rosa-choque, bordeaux (que segundo Cezar, com uma lingerie preta fica "muito bem"), verde ou azul - há cores e tintas (específicas para a zona genital) para os gostos mais extravagantes. 

Mas nem só de pêlos vive a púbis. Existe todo um mundo de fantasia por trás de uma saia travada ou de um tailleur mais conservador. "Aplico pedras brilhantes, lacinhos, correntes fininhas e faço pinturas artísticas", explica Cezar. "Este tipo de arte é muito procurada pelas noivas, para a noite de núpcias, como surpresa para o noivo." O resultado pode ir desde uma borboleta brilhante, a uma composição de lacinhos, rendas e brilhantes, a evocar cabarets.

Cezar garante que a cola dura vários dias, para grande alegria das clientes mais arrojadas. A maioria, no entanto, diz não à bonecada e escolhe a depilação total. "Desde mães a avós de família", confessa Cezar com um sorriso.

Nos homens

"Tive um cliente que ficava com uma erecção do início ao fim da depilação", conta Helena Venceslau, de 43 anos e esteticista há 15. "Ele nem sabia que ficava assim. Na primeira vez só pedia desculpa e ficava com o braço em cima da cara, envergonhado." 

Já Francisco, um gestor de 36 anos, e adepto da depilação total, confessa que chegou a ter medo que lhe acontecesse o mesmo, mas depois de experimentar a dor na pele "a excitação é última coisa que passa pela cabeça". "Costumo dizer que vai doer muito mais do que eles pensam", explica Helena, que faz questão de se sentar com os clientes para lhes explicar detalhadamente o processo. 90% da clientela é masculina e se muitos optam pela depilação total - zona genital e anal - outros querem ver-se livres apenas dos pêlos do peito e abdómen. 

Francisco começou a depilar-se há três anos por causa de uma operação ao joelho: "Tirei os pêlos das pernas e gostei de ver. Mais tarde experimentei no corpo todo, zona genital também, e já não me consigo imaginar com pêlos." A namorada aprovou; ele sente-se muito melhor. "Para além de ser mais confortável e estético, a nível sexual também é melhor. As sensações são totalmente diferentes."

Ricardo, um biólogo de 34 anos, começou por depilar o peito, a pedido da namorada. Mais tarde experimentou as pernas, já que é adepto de BTT, e finalmente rendeu-se aos encantos da depilação total. "Faço por uma questão de higiene, bem estar e estética. É muito mais agradável não ter pêlos." 

Para Helena, a depilação "não é arrancar o pêlos e já está". "É preciso olhar para o corpo do homem e deixá-lo proporcional." A depilação é uma arte que pode ir até onde a imaginação quiser: "Um cliente já me pediu para fazer a primeira letra do nome da mulher, na zona genital, porque era o aniversário de casamento. Achei romântico." E apesar da maioria pedir para tirar tudo - incluindo um cliente de 73 anos naturista ferrenho - há também quem peça "quadrados, rectângulos, triângulos ou o chamado bigode de Hitler". Consegue imaginar?

Numa espécie de estudo sociológico do comportamento masculino, Helena já chegou a algumas conclusões, baseadas na sua experiência e nos mais de 300 clientes que atende de segunda a sábado. "Os homens entre os 35 e os 45 são os que mais se depilam. Quando se separam ou arranjam uma namorada nova, é a primeira coisa que fazem." Há quem a deixe a chorar de alegria, com agradecimentos pela melhoria da vida sexual livre de pêlos, ou pela própria mudança do estilo de vida: "Ajudei um cliente que era tão peludo que não ia à praia há anos, por vergonha. Disse-me que lhe devolvi a vontade de viver." Helena limpa as lágrimas e pede desculpa por ser uma chorona.

Via IOnline

 



publicado por olhar para o mundo às 21:01 | link do post | comentar

Sábado, 09.01.10

 

Orgasmos genuinos de Clara Pinto Correia

 

Em Cascais, há dez fotos com expressões de Clara Pinto Correia, retratada pelo marido, Pedro Palma.

 

O fascínio habitava a cabeça de Pedro Palma, jornalista e cartoonista, há muitos anos. "Queria perceber a evolução das expressões da mulher durante o orgasmo até à do sofrimento final, em que parece estar a ser torturada", diz. Pelo caminho atravessou-se-lhe Clara Pinto Correia, com quem se casou. E surgiu a exposição Sexpressions, inaugurada ontem em Cascais: três câmaras, três tentativas, seis mil fotos e os orgasmos no rosto de Clara estão em exibição. A ideia é mais ambiciosa: internacionalizar a mostra.

Ainda que Pedro Palma se mantenha na penumbra do conhecimento sobre a matéria em causa ("não estou totalmente iluminado"), a exposição, diz o autor, "está lindíssima". "Já andam muitos comentários horrorosos na internet, mas nunca foi para expor a Clara. Este foi um projecto para uma exposição, as fotos nem sequer estão à venda", acaba por se defender.

As dez fotografias são o resultado final das cerca de seis mil obtidas em três fases diferentes (uma primeira "desastrosa", uma segunda mais animadora e, uma terceira que "foi de vez"). E a plataforma (exposição), a possível. "A ideia original era fazer um livro muito cuidado e caro. O Paulo Teixeira Pinto [Babel] mostrou interesse, mas não chegámos a um acordo a tempo", explica Pedro. O que não lhes restringiu a ambição: "Estamos à procura de um patrocinador para internacionalizarmos a exposição. Talvez para Madrid, por exemplo", prossegue. Mas, nesse caso, já seguindo a ideia original de uma mostra com 20 fotos (o Centro Cultural de Cascais, que acolhe a exibição até 7 de Fevereiro, não tem espaço). Para já, deu para fazer um catálogo de cem exemplares numerados e assinados.

No trabalho de Pedro Palma e Clara Pinto Correia, garante o jornalista, não há encenações. Foram mesmo cenas de sexo do casal, com três câmaras fixas e muito planeamento para que o corpo de Pedro não travasse a trajectória das câmaras a caminho da cara de Clara. "Por isso é que só poderia ser feito por um casal", justifica. Só a intimidade, defende, poderia garantir a genuinidade que assegura estar retratada em Cascais.

O tema (sexo) é prenhe de mitos. Serão todos os orgasmos genuínos "Fingidos? De jeito nenhum". Existe, então, o ponto G? "Não acredito nisso. O único que conheço é o da aeronáutica [força G]. Mas talvez a foto final, com a Clara a fumar relaxada, seja afinal o ponto G..."

 

Via DN

 



publicado por olhar para o mundo às 22:34 | link do post | comentar

Quinta-feira, 07.01.10

 O êxtase sexual de Clara Pinto Correia

 

"Sexpressions" mostra uma viagem ao mundo do amor e do sexo através de fotografias íntimas de Clara Pinto Correia, pelas mãos do fotógrafo Pedro Palma

 

GLÓRIA

 

Tenho cinquenta anos. Devagarinho, quase sem eu dar por isso, os meus seis filhos foram seguindo as suas vidas, até estarem longe, longe. Já há muito tempo que vivo sozinha com a Bolota, numa casa pequenina no alto da montanha, na orla do bosque que não tem fim e de frente para as ondas do Atlântico que nunca acaba. Passam por aqui muitos amigos, mas a companhia íntima dos homens já me desiludiu que chegue e a das mulheres não me interessa absolutamente nada. Estou em paz.

À noite, gosto de me deitar no escuro com a Bolota, a beber um copo e a fumar em silêncio absoluto. Através da janela aberta, ouço o pio dos mochos e o coaxar das rãs, o cair da chuva e as patas dos cavalos. É bom. Enche-me de energia e faz-me sentir disposta a tudo.

Esta noite, não sei porquê, não conseguia tirar os olhos da janela aberta.

Estava a pensar numa outra noite registada na história, há já três séculos, quando John Adams, que viria a ser o segundo presidente dos Estados Unidos, e Benjamim Franklin, o mais visionário dos Founding Fathers, andavam a fazer campanha pela Revolução Americana e tiveram que partilhar a mesma cama numa hospedaria do caminho.

Olho outra vez para a janela aberta. Há qualquer coisa em mim que se revolve, inquieta, como se, de repente, fosse entrar por ali um mistério enorme. Foi esse mistério que os dois homens sábios discutiram toda a noite no século XVIII, no tal quarto que só tinha uma cama. Exactamente por causa da janela.

John Adams, calvinista devoto, insistia que a janela tinha que ficar fechada, senão morreriam os dois de pneumonia. Benjamin Franklin, deísta entusiasta para quem a Natureza não podia deixar de ser a mais gentil das damas, não parava de bradar que a janela tinha que ficar aberta, para que os zéfiros nocturnos pudessem entrar e encher-lhes o corpo e a mente de energia limpa e renovada.

A janela não parou de abrir e de fechar até ao romper da aurora.

Calvinistas! A sério, eu, que gosto de respeitar todas as fés, não consigo entendê-los. Claro que a Natureza só pode ser a mais gentil das damas, mesmo nas suas manifestações mais portentosas e destrutivas. Compete-lhe esculpir o planeta e continuar a fazer girar a grande roda. E enviar-nos todas as noites os zéfiros que nos renovam, como estes que entram agora pelo meu quarto, e que, e de repente, me arrepiam.

Passou-me pela cara um vento morno, carregado de aromas agrestes da floresta, que me brincou nos cabelos, se enroscou neles como uma cobra, e não se foi embora.

Leia o resto no Ionline



publicado por olhar para o mundo às 23:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 10.12.09

A vida sexual na grécia

 

"Os gregos eram tudo menos hipócritas", a frase é de Nikolaos Stampolidis, director do Museu de Arte Cicládica, na Grécia, e foi dita ao "The Guardian" durante a inauguração de uma exposição que reúne perto de 300 objectos de arte clássica que têm em comum apenas um tema: o sexo na Grécia antiga.

“ [Os gregos] tinham uma sociedade de grande tolerância e ausência de culpa", explica o  responsável pela exposição. "Tinham aquilo que eu chamo de equilíbrio." 
A exposição monumental junta 272 objectos de mais de 50 museus internacionais que datam desde o século sexto antes de Cristo, até ao século quarto depois de Cristo.
"O conceito de Eros - o amor - era muito amplo nos tempos antigos", disse o arqueólogo ao jornal britânico. "O desejo sexual, naturalmente, fazia parte, mas Eros era mais do que isso, era uma força unificadora que englobava o desejo de alguém, ou mesmo de nada."
A exposição surge, assim, como uma tentativa de definir a evolução do conceito de Eros. Dividida em nove partes, a exposição percorre a época em que Eros era visto como um Deus poderoso, até à época do Império Romano, quando, "menos poderoso, e sob o nome de Cupido, se tornou uma mera companhia de Venus", escreve o "The Guardian".

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 20:04 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23.11.09

Os desenhos de Tim Burton

 

No universo particular de Tim Burton, os palhaços são assustadores e muitos dos monstros só precisam, como dizia a banda Ornatos Violeta, de amigos. Desde miúdo que o realizador vive obcecado pelas criaturas que se escondem debaixo da cama da maior parte das crianças e pelos extraterrestres que pairavam nos céus das séries de ficção científica dos anos 60. Muitas destas personagens passaram para filmes como "Eduardo Mãos de Tesoura" e "Marte Ataca". A sua fama, diz a mulher, a actriz Helena Bonham Carter, representa "o triunfo da criança solitária e incompreendida que em tempos sentiu que era". 


A poucos dias da inauguração da maior retrospectiva da obra do californiano de 51 anos, no MoMA (Museum of Modern Art), em Nova Iorque, chega ao mercado o livro "The Art of Tim Burton". O calhamaço de 434 páginas contém mais de mil desenhos e rabiscos produzidos ao longo de 40 anos, acompanhados de comentários de pessoas que trabalharam com ele, como os actores Johnny Depp, Winona Ryder e Danny DeVito.

O livro está disponível no site da editora, a Steeles Publishing, e na loja do MoMA, em duas versões. Uma delas, limitada a um milhar de exemplares assinados pelo próprio, inclui uma litografia original.

"Grande parte do que aqui está não foi criado para ser publicado", avançou Burton. Uma equipa de colaboradores mergulhou num monte de blocos, folhas soltas e guardanapos de papel e resgatou uma selecção que permite aos fãs, diz a editora Leah Gallo, espreitarem para dentro das páginas privadas do génio.

Tim Burton é um rabiscador compulsivo, seja em casa, no trabalho ou em viagem. Os cadernos são autênticos diários de bordo, cheios de caricaturas, bonecos semi-humanos como os que vemos em "O Estranho Mundo de Jack" e estudos para personagens de filmes. Lá estão os esboços do Joker, de "Batman", o Chapeleiro Maluco e a Rainha de Copas, ambos figuras de "Alice no País das Maravilhas", uma das estreias mais aguardadas de 2010. "Regra geral, diz ele, "tens de ser tu a representá-la porque foi a ti que eu desenhei'", conta Bonham Carter. "No caso da Rainha de Copas, ele desenhou uma rainha muito zangada, com a cara vermelha e uma cabeça enorme. Com as minhas sobrancelhas."

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 06.11.09

Imagens eróticas de Picasso

 

 A inspiração erótica do autor de Guernica pode ter vindo de ocidente. O Museu Picasso, em Barcelona, tem em exibição desde hoje uma exposição de 19 imagens eróticas japonesas que Pablo Picasso coleccionou ao longo da vida. E há coincidências curiosas com algumas obras mais excitantes do espanhol. Como curiosa é a forma como a exposição nasceu.

 

O director do Museu Picasso, Josep Serra, explica que tudo começou com uma visita a uma exposição em Londres sobre arte erotica. No final da visita, Serra ficou com uma impressão que não conseguia esquecer. "Ainda que distantes, em algumas gravuras japonesas eróticas havia algo de familiar com Picasso", disse o director ao "El País".

 

No regresso a Barcelona, Josep Serra começou a procurar e encontrou uma nota no catálogo de uma exposição onde era referido que o pintor tinha acumulado 61 gravuras japonesas ao longo da vida. Depois, foi só conversar com os herdeiros, confirmar as coincidências, seleccionar algumas imagens e montar a exposição que chamou "Imagens Secretas".

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 15:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 14.10.09

Novo quadro do Leonardo Da vinci

 

 Peritos de arte acreditam ter encontrado um novo quadro do pintor italiano Leonardo da Vinci, devido à descoberta de uma impressão digital com 500 anos.


O pequeno retrato, de uma jovem mulher em perfil, foi previamente considerado como um trabalho alemão do início do século XIX e encontra-se actualmente nas mãos de um particular. No entanto, um crescente número de estudiosos sobre o pintor concordam que o quadro é representativo da Renascença, pois tem a sua marca. 

A análise, por carbono e infravermelhos, das técnicas de Leonardo da Vinci apoiam as teorias de que o quadro é do pintor e que se insere no período da Renascença. Se os estudiosos estiverem correctos será o primeiro grande trabalho de Leonardo da Vinci a ser identificado em 100 anos e valerá dezenas de milhões de euros.

A impressão digital foi descoberta no topo esquerdo do quadro, por Peter Paul Biro, um perito em arte forense, através de uma câmara revolucionária multi-espectral. Biro afirma à “Antiques Trade Gazette”, uma revista sobre arte, que a marca é "altamente comparável” a uma impressão digital do pintor no quadro São Jerónimo no Vaticano.

Na revista é revelado ainda que a análise por infravermelhos mostrou um estilo parelelo ao do retrato de Da Vinci, de uma mulher em perfil, que se encontra no castelo de Windsor, em Inglaterra.

Desenhados a tinta e giz o vestuário da bela jovem e o penteado reflectem a Moda de Milão dos finais do século XV e, a análise a carbono é consistente com a data, refere a revista.

A última vez que esteve à venda, em finais dos anos 90 na Christie's de Nova Iorque, o quadro foi comprado por um coleccionador canadiano por 19 mil dólares. O retrato deverá estar em exibição no próximo ano, na Suécia.

Se o quadro for mesmo de Leonardo da Vinci será a sua única obra feita sobre o pergaminho.

 

Via Publico



publicado por olhar para o mundo às 10:11 | link do post | comentar

Quinta-feira, 13.08.09

O espectáculo "Velocidade Máxima"

 

 

O espectáculo "Velocidade Máxima" põe garotos de programa brasileiros a contar a sua vida.

 

"Dois são homossexuais, um é heterossexual. São prostitutos brasileiros ilegais e vivem em Lisboa." O esclarecimento é dado por John Romão no início da peça "Velocidade Máxima", que passou este fim-de-semana pelo Citemor, Festival de Teatro e Cinema de Montemor-o-Velho (que decorre até sábado, dia 15). Depois o encenador diz que "nenhum dos prostitutos está aqui para foder". O objectivo é outro: mostrar, com mais ou menos demagogia, que na vida real os trabalhadores do sexo são exactamente iguais aos artistas portugueses. Como? John Romão explica que os prostitutos se vendem o melhor que podem e inventam esquemas para sobreviver. Os artistas também: "Tomam cafés no Chiado e copos no Bairro Alto com os programadores de teatro, fazem amizade com jornalistas que lhes podem dar protagonismo e, se são velhos na área, sentam-se à sombra dos subsídios do Estado."


Com a mesma falta de pudor com que diz isto, John Romão revela em palco quanto recebeu para fazer a peça: 10 mil euros da Direcção-Geral das Artes, 3 mil do Citemor e 7 mil do Teatro La Laboral de Gijón, Espanha (onde a peça vai ser apresentada em Dezembro). E cada prostituto recebeu 1500 euros para ser actor. "Quero falar de dinheiro e arte, tal como se fala de dinheiro e putas. Recuso o tabu cristão do dinheiro", explica o autor e encenador da peça. Os textos e a dramaturgia são de Mickael de Oliveira.

As ideias de John Romão e as histórias de vida de dois dos prostitutos são relatadas na primeira pessoa, a partir de uma entrevista ao i.

A peça esteve em Montemor. Não viu? A 4 e 5 de Dezembro repetem a dose em Gijón, no Teatro La Laboral; a 12 e 13 Dezembro vão ao Teatro Helena Sá e Costa, no Porto. Marque na agenda. Já agora, os feriados de 1 e 8 de Dezembro são a terças-feiras. Também convém saber para marcar as pontes.

 Veja o resto da noticia no ionline



publicado por olhar para o mundo às 13:22 | link do post | comentar

Terça-feira, 04.08.09

Sexo no altar, arte ou blasfémia?

 

Mulheres jovens seminuas em poses provocantes não causariam espanto, não fosse o facto de terem como cenário igrejas e símbolos do Cristianismo como bíblias, crucifixos e altares. Embora este género de trabalho seja a imagem de marca de Andy Craddock há cinco anos, o fotográfo britânico acaba de ser processado pela primeira vez por responsáveis religiosos anglicanos da paróquia de St. Michael Penkivel, em Cornualha (sul de Inglaterra).

O porta-voz da diocese - o padre Andrew Yates -  acusa Craddock de blasfémia e de ferir a sensiblidade de "pessoas que tinham ligações com a igreja, por terem casado aqui ou por ter entes queridos enterrados nos jardins à volta". Além disso, acrescenta no comunicado divulgado pelo seu advogado, não pediu autorização para fotografar na igreja da paróquia, que data do século XIII. "A Igreja lamenta o uso de elementos sagrados para estes fins", conclui o padre.

O fotográfo de 43 anos, que garantiu à BBC não ter intenção de ofender ninguém, está agora a braços com um processo judicial por blasfémia e violação de propriedade privada. "Esse trabalho foi feito como arte e mostra a beleza das mulheres", defendeu-se Craddock.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 16:30 | link do post | comentar

Terça-feira, 21.07.09

Sexo no museo

 

São mais de 120 peças para todos os géneros, orientações e perspectivas. "Lágrimas de Eros" é uma exposição que aborda o lado obscuro do Deus do amor e que constrói uma ligação entre o sexo... e a morte. E há obras para todos os gostos, desde o surrealismo, a mestres do século XIX, até a artistas contemporâneos. Se a pintura não lhe agrada, não se preocupe: a exposição também engloba fotografias de vários artistas, em poses sensuais. São salas e salas repletas de erotismo, mais ou menos explícito, à espera de serem descobertas.

 

Via ionline



publicado por olhar para o mundo às 15:45 | link do post | comentar

Sexta-feira, 03.07.09

Uma sosia da madonna posa antes a original

 

A multimilionária artista norte-americana Madonna tinha 20 anos quando posou nua em frente da objectiva do fotógrafo Martin Schreiber. Foi em 1979. Uma sessão artística, a preto e branco, que rendeu à cantora 30 dólares. Dinheiro usado para financiar as aulas de dança, daquela que é, provavelmente, a Rainha da Pop, dancarina exímia e cantora mundialmente reconhecida.

Quando a jovem Madonna saltou para o estrela to, nos anos 80, com o polémico "Like a Virgin", o fotógrafo nova-iorquino vendeu as fotos à Playboy. A revista, fundada por Hugg Hefner, publicou a sessão, em 1985.

"Na verdade, ela era manequim na altura. Foi paga por uma sessão de fotos que Martin usou nas aulas para os seus estudantes. Na altura, ela era desconhecida", disse a organizadora da exposição, Jamie McCartney.

"Tratam-se, por isso, das últimas fotos que tirou numa altura em que ainda não tinha controlo total sobre a sua imagem", observou Jamie McCartney. "Foi durante este período que ela deve ter aprendido como podia tirar verdadeiramente rendimento da sua sexualidade", acrescentou a organizadora da exposição.

A exposição, que já passou por cidades como Praga, na República Checa, e Amesterdão, na Holanda, chega a Londres pouco antes de uma série de concerto de Madonna no Reino Unido, no quadro da tournée mundial "Sticky and Sweet", em tradução literal, "Doce e pegajoso".

 

Via JN



publicado por olhar para o mundo às 21:48 | link do post | comentar

Terça-feira, 24.03.09


Há sempre mais vida em tudo, nem todos conseguimos ver, mas há sempre alguém que vê um bocadinho mais além... .e do lixo, se faz vida...e arte. Na Argentina, os cartoneros fazem livros e fazem arte a partir do que para a maioria de nós não passa de lixo.


publicado por olhar para o mundo às 12:02 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

MOVE.AR - FESTIVAL DE ART...

Malangatana (1936-2011)

Ópera, "Hansel e Gretel" ...

Kira, a artista que pinta...

Petição online para salva...

A mulher mais cara do mu...

Sexo no museu

Por baixo da saia da caro...

As Fotos dos Orgasmos gen...

O êxtase sexual de Clara ...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...