Terça-feira, 31 de Agosto de 2010

Sexo sem dor

 

As mulheres ainda são as mais atingidas pela falta de prazer sexual. O resultado? Além da ausência de vontade, dores na hora da relação são cada vez mais comuns e viram um pesadelo feminino. As causas para o problema vão desde as físicas – infecções até espamos musculares – às psíquicas, em decorrência de algum trauma, como violência sexual.

“No momento do ato sexual a mulher não deve sentir nenhum tipo de dor ou desconforto, se isso acontece é provável que ela não esteja bem relaxada nem muito excitada”, afirmou Débora Padua, fisioterapeuta uroginecológica da Clínica José Bento de Souza, em São Paulo. Para a mulher que vive o dilema de não ter prazer, não é preciso sofrer calada, pois há uma saída.

O primeiro passo é procurar um ginecologista, para saber se existe algo errado. O próximo caminho é realizar uma consulta com um fisioterapeuta especializado em ginecologia. Se não houver alteração física, uma avaliação psicológica deve ser feita.

O trabalho do fisioterapeuta é analisar a estrutura do canal vaginal e músculos, verificando se o funcionamento está correto. Caso exista alguma alteração, o profissional indicará qual o melhor tratamento a ser realizado e o número de sessões que devem ser feitas.

O problema mais corriqueiro é o afrouxamento do canal, causado por gestação, partos, idade, fator hereditário etc. Mas se o caso for de dor durante a relação, o mais comum é o enrijecimento da musculatura.

Problemas
Depressão e estresse também estão entre os fatores desencadeantes de dores na hora H. A fisioterapeuta explica que, quando a pessoa está estressada ou depressiva, isso é descarregado em alguma parte do corpo.

E, com freqüência, algumas mulheres usam a região pélvica como válvula de escape. “É preciso estar relaxada o quanto possível antes e durante a relação sexual. Outra dica importante é ainda tocar o corpo e conhecê-lo cada vez mais para saber quais são seus limites, prazeres e vontades.”

Com a fisioterapia ainda é possível tratar alterações na vagina e no ânus, como incontinência urinária ou fecal, preparo para o parto e pós-parto. Os principais aparelhos usados durante o tratamento são biofeedback, que dá maior percepção aos músculos pélvicos; eletroestimulador, usado com um eletrodo vaginal (ou anal se for o caso) para estímulo da musculatura; e os cones vaginais, pesinhos usados para o fortalecimento da musculatura pélvica. As sessões duram em média de 40 a 50 minutos.

Para as mulheres que têm receio de passar pelo procedimento, vai um recado: “O tratamento é indolor e dá ótimo resultado”, afirmou a fisioterapeuta.

 

Via

 



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Pais erram nas doses de medicamentos

 

A maioria dos pais erra na dose de medicamentos que dá aos filhos. E muitos põem as crianças em risco ao abusarem de remédios de venda livre para a tosse, febre e constipação. A conclusão é de um estudo de uma equipa de investigadores da Universidade de Sydney, na Austrália, e foi apresentado no Congresso Mundial de Farmácia, que decorre esta semana em Lisboa.

Os investigadores estudaram quase 100 adultos - 53 mães, sete pais e 37 amas e outros responsáveis pelo acompanhamento de crianças entre os quatro e os cinco anos, durante o dia. E concluíram que os erros nas doses de medicamentos, em particular os xaropes, são responsáveis por um elevado número de intoxicações que ocorrem todos os anos.

A maioria usa colheres para medir a quantidade certa de tratamento, mas acaba por fazer mal as contas e administra uma dose errada. Sessenta e um por cento erram as medidas, 44% porque não dá o remédio suficiente, 17% porque exageram e levam as crianças a tomar medicamentos a mais.

A equipa australiana, liderada pela médica Rebekah Moles, testou ainda os conhecimentos dos pais na identificação das situações em que deve ser dada medicação. Criaram cenários hipotéticos - um exemplo era as crianças sentirem-se quentes, irritadiças, mas continuaram a brincar, a beber e a comer - e perguntaram aos responsáveis pelas crianças como agiriam se a situação fosse real. Durante a simulação, forneciam medicamentos de venda livre, várias colheres e outros instrumentos de medição. Os voluntários decidiam em que situações administrar medicamentos e eram depois convidados a medir a dose certa.

Para surpresa dos investigadores, 7% dos voluntários decidiram dar medicamentos às crianças sem medir a febre e outros 46% optaram por recorrer a tratamentos mesmo quando a temperatura estava abaixo dos 38oC. Contas feitas, apenas 14 dos adultos tomaram a decisão certa em cada cenário.

"Ficámos surpreendidos e preocupados ao concluir que há pessoas que pensam que os medicamentos são seguros só porque podem comprá-los sem receita médica", afirmou a coordenadora do estudo. Rebekah Moles deu ainda o exemplo de um pai que respondeu "que como o Panadol está disponível em todo o lado, dar o dobro da dose não poderia fazer qualquer mal à criança".

O estudo terá continuação, com os investigadores a visitarem farmácias e lojas de medicamentos sem receita, para perceberem se são dados os conselhos certos.

Remédios lideram no país Os números portugueses dos últimos anos apontam para uma média de 30 crianças intoxicadas por dia. Os medicamentos estão no topo da lista das intoxicações em crianças, à frente de detergentes, lixívias e produtos tóxicos. Mas os dados divulgados pelo Centro de Informações Antiveneno (CIAV) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) não permitem perceber a forma como os bebés chegam aos remédios. Certo é que os medicamentos são responsáveis por mais de seis mil ocorrências num universo de cerca de 10 mil. É mais de metade dos casos que motivam chamadas para este serviço, o que levou o INEM a lançar há uns anos uma campanha nacional de prevenção para o fenómeno

 

Via Ionline



publicado por olhar para o mundo às 14:13 | link do post | comentar

Letra
É amanha dia 1º de Agosto
E tudo em mim é um fogo posto
Sacola ás costas, cantante na mão
Enterro os pés no calor do chão
É tanto o sol pelo caminho
Que vendo um, não me sinto sózinho
Todos os anos, em praias diferentes
Se buscam corpos sedosos e quentes

Adoro ver a praia dourada
O estranho brilho da areia molhada
Mergulho verde nas ondas do mar
Procuro o fundo pra lhe tocar
Estendido ao sol, sem nada dizer
Sorriso aberto de puro prazer



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010

O drama da falta de orgasmo

 

O prazer durante uma relação sexual parece óbvio, inerente, certo? Mas para muitas mulheres, a anorgasmia é um pesadelo. E não se trata de aversão ao sexo ou má atuação do parceiro.

 

O problema, na maioria dos casos, está bem longe das partes baixas.

 

A grande vilã que leva à anorgasmia - falta de orgasmo - é a repressão sexual. "Para a maior parte das mulheres, desejar é um verbo complicado de conjugar. E a questão é que tudo parte do desejo: para atingir o orgasmo é preciso imaginar aquilo que leva ao prazer", explica o médico sexologista João Borzino. "O prazer tende a ser algo pejorativo na educação sexual feminina. E o orgasmo começa com a reversão desse valor".

A anorgasmia existe de fato quando a mulher não consegue atingir o prazeroso orgasmo. Nesse quadro geral, existem algumas classificações. Algumas não atingem apenas com a penetração e precisam de estímulo manual ao mesmo tempo. Outras não conseguem se houver penetração e manipulação simultânea e preferem apenas as mãos do amado. O terceiro grupo é formado por mulheres que não conseguem atingir o orgasmo de maneira alguma.

Borzino lembra que toda e qualquer mulher tem a capacidade de atingir o prazer pleno. "Ele é um fenômeno psíquico e emocional e algumas mulheres conseguem ter prazer somente ao imaginar uma relação sexual", garante. "O contato físico é importante, claro, mas não é o meio que decide a ocorrência do orgasmo. A grande responsável é a entrega da mulher à fantasia. A partir do momento em que ela consegue se permitir vivenciar o prazer, ela consegue ter orgasmos".

Mas e quando isso não acontece, qual a solução? "Reeducação sexual, reposicionamento do perfil feminino, diálogo com o parceiro e quebra de tabu para conseguir desejar de uma maneira livre", afirma Borzino.

Ele garante que não há medicamento para isso. "Muitas pessoas acreditam erroneamente que pílulas para disfunção erétil provocam tesão, estimulam a libido e iniciam uma discussão sobre a existência de uma pílula semelhante na versão feminina. As pessoas esquecem que qualquer pílula para este tipo de disfunção é uma medicação para ereção e não atua no desejo do homem.

Remédio não faz ninguém desejar ninguém. Desejo é uma apetência e apetências são instintivas, inibidas ou não, dependendo da educação que a pessoa recebe", afirma. Ele lembra, claro, que algumas mulheres com problemas hormonais podem sofrer com queda de libido, mas trata-se de uma minoria quando o assunto é carência de orgasmos.

A dica de Borzino é a procura de um profissional habilitado para que a mulher se conheça melhor, se respeite mais e se entregue de uma maneira plena. "O mais importante, porém, é o que ela já pode fazer no dia-a-dia: buscar um maior entrosamento com o parceiro não só na cama, mas também, e principalmente, fora dela", sugere. "O sexo começa com o bom dia no café da manhã".

 

É preciso entender então o sexo não como uma obrigação a cumprir, mas algo que tenha que agradar plenamente para que o casamento ou o namoro deem certo. "A mulher, ao se entrosar melhor com o parceiro, se sente confortável para se entregar mais e mostrar o que deseja. E acho que esta é a principal dica: perder a vergonha e falar do que gosta. Sem uma comunicação clara, fica complicado para o homem adivinhar do que as mulheres querem".

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Cheguei a casa, a minha esposa não estava nem o meu filho. Liguei-lhe, mas ela não me atendeu. Mandou-me uma mensagem a dizer que saíra de casa e que não voltaria. Não me queria ver mais. Apresentara queixa de mim por violência doméstica.

Conheci-a há 17 anos. Vivíamos perto. Tínhamos um amigo em comum. Ele namorava com uma amiga dela. Saímos todos juntos. Era de tarde. De noite, fomos a uma festa. O Sport Club de Rio Tinto comemorava a subida à terceira divisão. O José Malhoa dava um concerto. Ela cravou-me 50 escudos para pagar a entrada – não mos pagou até hoje [risos]. Conversámos muito. Quis acompanhá-la. Ela deu-me um beijo a uns 500 metros de casa. Telefonei-lhe no dia seguinte.

Passámos quase 16 anos juntos. Conhecemo-nos a 2 de Julho de 1993. Ela saiu de casa a 20 de Junho de 2009.

Havia muito pó no ar.

Os membros de trás do nosso cão tinham paralisado. Eu estava desempregado havia quatro anos. Tínhamos muitas contas para pagar. Discutíamos por tudo e por nada. Ela gritava e eu gritava ainda mais. Impossível os vizinhos não ouvirem. Eu já tinha vergonha de sair à rua. Naquela noite, ela não se controlou. E eu também não. Dei-lhe um par de estalos.

Ela apresentou queixa por violência doméstica. A polícia alertou a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ). Agora, é assim: sempre que há uma queixa desta natureza, a CPCJ é avisada. A criança é sempre vítima – mesmo que indirecta – de violência.

Estava bastante arrependido. A técnica responsável pelo processo compreendeu-o. E falou-me no Gabinete de Estudos e Atendimento a Agressores e Vítimas – da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto – e do seu programa de intervenção psicológica em agressores.

A ansiedade tomara conta de mim. Até respirar me custava. A 23 de Julho entrei no Hospital de S. João, no Porto, com uma crise. Talvez por isso, de imediato marcaram-me uma consulta.

Há uma diferença entre quem aparece voluntariamente e quem é enviado pelo sistema de justiça [como medida alternativa à pena de prisão efectiva]. Muitos destes últimos não pensam que agiram mal. Isso nem lhes passa pela cabeça. Por isso, não sentem necessidade de mudar.

As consultas dão-me muito alívio. Naquela sala, digo coisas que não sou capaz de dizer em qualquer outro lugar. Admiro o trabalho dos psicólogos. Estão ali a apanhar com o lixo alheio. A gente cala-se, sai, e eles ainda ficam ali, a pensar naquilo que a gente lhes disse. Na psicoterapia, aprendo a colocar-me no lugar do outro. Aprendo a ver as coisas do lado de fora.

Ela andava deprimida. Uma depressão fora-lhe diagnosticada, mas uma amiga que ela muito preza aconselhara-a a não tomar os medicamentos: aquilo causaria dependência e ela não era maluca.

Ela trabalha com pessoas com paralisia cerebral – quatro de dez monitoras engravidaram na mesma altura. Andava com excesso de trabalho. Eu ajudava pouco em casa. E não faltava trabalho em casa. O nosso cão não controlava as funções fisiológicas – defecava e urinava pela casa toda. Coitada, caiu-lhe o mundo em cima. E eu não soube interpretar os sinais, corrigir os comportamentos a tempo. Perdi o meu sonho, a minha família.

Violência doméstica é muito mais do que violência física. Nas consultas, fiquei a saber como é que pequenos gestos podem ser interpretados pela vítima como actos de violência. Ela gritava e eu gritava e agarrava-a. Eu só queria que ela se calasse, mas intimidava-a.

No tratamento, tive de fazer um trabalho escrito sobre como apareciam as discussões, como é que se desenvolviam, como terminavam. Pedi ajuda à minha mulher. Confesso que, no início, pedir-lhe ajuda foi uma desculpa. Tinha saudades de ouvir a voz dela, aproveitei o trabalho para isso. Depois, percebi que ouvi-la era mesmo importante para perceber o que acontecera.

Fiquei surpreendido. Por exemplo, ela deitava-se cansada e eu fazia solicitações sexuais; ela cedia só para me fazer a vontade. Eu não estava a forçar, mas ela sentia-se forçada. Isso tem a ver com o desenvolvimento das coisas. Pelas coisas que eu dizia, pelas expressões que eu fazia, ela sentia-se pressionada, agredida. Ela ganhou-me medo. E eu estava cego de mais para ver isso.

Temos a casa à venda. Havia contas atrasadas de electricidade, água, televisão por cabo. Dividimos tudo. Fiquei com dois créditos. Já os paguei. Agora, estou a pagar o carro dela e ela está a pagar a nossa casa.

Como é que chegámos a isso? O subsídio de desemprego não é nada. Tínhamos despesas para dois salários. Quando fiquei desempregado, tínhamos uma poupança. Gastámos a poupança a tentar perceber o que é que o nosso cão tinha. E quando demos por ela estávamos a recorrer ao crédito.

Por mais pó que houvesse no ar, eu não tinha o direito de a agredir. Hoje, vejo isso de forma muito clara.

O que para mim era um simples par de estalos para ela era um gesto muito forte. Uma mulher que se dedicou 11 anos à vida de casada, que se esforçou para construir uma família, que passou pelas mesmas dificuldades que eu, deve ter pensado: “O que é isto?! Já passámos por tanta coisa juntos e agora estou aqui a levar um par de estalos!”

Infelizmente, não podemos mudar o passado. Se pudesse, de bom grado o faria. Cometi erros. Se calhar agora, se passasse pelos mesmos problemas, teria outras respostas. Sei que há outras formas de reagir à adversidade, que não é com brutalidade que se chega a algum lado. Percebi que se deve gastar mais tempo a pensar nos problemas do que a discuti-los e que se os deve discutir com calma. Se a pessoa está exaltada, o melhor é dar uma volta.

Fomos por ali fora. Um empolava, outro empolava. Ela também cometeu erros. Também levei estalos dela – mas o que são uns estalos dados por umas mãos pequeninas, levezinhas? Felizmente, não foi pior. De vez em quando vejo notícias de homens que matam mulheres. Nalguns casos, já houvera uma ou várias queixas por violência doméstica.

Pedi-lhe perdão muitas vezes. Escrevi-lhe a dizer que lamentava o que acontecera e que estava empenhado em melhorar. Disse-lhe que estava a ser acompanhado por uma psicóloga.

Apesar de me restar um bocadinho de esperança, sei que ela é casmurra: toma uma decisão e não volta atrás. A única coisa que posso fazer é rezar, mas já rezo há tanto tempo….

É doloroso tomar consciência de que posso mudar o meu comportamento, só que isso não terá efeito na relação com a mulher com quem planei passar a minha vida. Sei que pode ter [frutos] numa relação que eu possa vir a ter, mas eu ainda não consigo imaginar a minha vida com outra.

Deixei de viver na nossa casa. Chegava a casa e não tinha o meu filho a correr para mim, era aquele vazio.

Ela proibiu-me de ver o meu filho. Mandou-me uma mensagem a dizer para não me aproximar: se eu me aproximar, chama a polícia. Ele estava a bater num miúdo mais pequeno. Eu dei um berro, porque estava longe. Ele contou à mãe e ela proibiu-me de o ir buscar. O meu filho nem me atende o telefone. Se o meu filho fizer uma asneira, não o posso repreender?!

Dava uma ajuda e deixei de dar. Primeiro, ela não aceitava. Depois, exigia. Eu mandava pelo meu filho. Não vou lá meter à caixa de correio… Neste momento, nem tenho. Há dois meses, tornei a ficar desempregado.

Já pensei em ir ao tribunal de família, mas isso ia agravar a situação. Vou esperar que acabem as férias.

Custa-me imenso não poder falar com o meu filho. Nem sequer saber se está bem ou se está mal.

Há 15 dias, desisti de tentar falar com ele. Sempre que eu ligava e ele não me atendia, eu ficava muito ansioso. Durante uma hora, não conseguia pensar noutra coisa, não me conseguia concentrar no que quer que estivesse a fazer. Estou a fazer voluntariado, a dar formação de informática – para evitar o ócio, porque o ócio é prejudicial, mais ainda numa situação como a minha.

Já me sinto diferente. Estou atolado em problemas. Almoço e janto em casa dos meus pais, se não morro de fome. Procurar emprego é caríssimo. Muitas vezes, não dá para ir de metro ou de autocarro às entrevistas, é preciso ir de carro. Mas já sei que não vale a pena ficar agressivo, violento. Tenho de ter calma, de encontrar soluções. Tenho investido em formação para alargar o meu currículo. Faço voluntariado para me sentir útil.

Pedi ajuda para mim… Quem sabe se ao corrigir-me também ajudo outros a corrigirem-se?

Texto escrito a partir de entrevista com o agressor em tratamento no Gabinete de Estudos e Atendimento a Agressores e Vítimas da Universidade do Porto. Além deste, existem a Unidade de Consulta em Psicologia da Justiça da Universidade do Minho (Braga) e o Serviço de Atendimento e Avaliação Psicológicos da Universidade Lusófona (Lisboa). O Hospital Sobral Cid (Coimbra) e a Direcção-Geral de Reinserção Social também têm consulta especializada.

Ana Cristina Pereira
Público
17/08/10

 

Retirado de Meninos de ninguém



publicado por olhar para o mundo às 15:54 | link do post | comentar

Letra
Entre a chuva dissolvente
No meu caminho de casa
Dou comigo na corrente
Desta gente que se arrasta

Metro, túnel, confusão
Entre súor despertino
Mergulho na multidão
No dia a dia sem destino

Putos que crescem sem se ver
Basta pô-los em frente à televisão
Hão-de um dia se esquecer
Rasgar retratos, largar-me a mão
Hão-de um dia se esquecer
Como eu quando cresci
Será que ainda te lembras
Do que fizeram por ti?

E o que foi feito de ti?
E o que foi feito de mim?
E o que foi feito de ti?
Já me lembrei, já me esqueci

Quando te livrares do peso
Desse amor que não entendes
Vais sentir uma outra força
Como que uma falta imensa
E quando deres por ti
Entre a chuva dissolvente
És o pai de uma criança
No seu caminho de casa

E o que foi feito de ti?
E o que foi feito de mim?
E o que foi feito de ti?
Já me lembrei...
Já me lembrei, já me esqueci



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Domingo, 29 de Agosto de 2010

Massagem tântrica, orgasmo sem sexo

 

O orgasmo ainda é considerado um mistério feminino, várias mulheres não sabem o que ele é realmente de fato ou mesmo como chegar lá. Uma das formas, sem sexo, é através da massagem tântrica.

 

A prática veio do Tantrismo, ou Tantra, ensinamento que surgiu na Índia e recebeu a influência de várias religiões, culturas e correntes filosóficas, algo bastante amplo que tem como prioridade desenvolver o auto-conhecimento. Em poucas palavras, ele permite que a evolução espiritual seja alcançada através do prazer.

 

Dewa Deepta Uozi (nome em sânscrito), coordenadora do Metamorphosys Centro especializado em Massagem Tântrica (www.centrometamorfose.com.br), das unidades de Natal e Fortaleza, aplica massagens em mulheres que tenham dificuldades relacionadas ao prazer, com base no método Deva Nishok, onde profissionais (homens e mulheres) aplicam massagens em ambos os sexos. "A massagem tântrica tem uma visão terapêutica, portanto elas procuram este tratamento com objetivo de conhecerem mais a respeito de seus orgasmos. É um caminho para as mulheres se liberarem de seus bloqueios muitas vezes de origem sexual. Elas querem ficar melhores para si e para seus companheiros", diz.

Na função de terapeuta corporal tântrica, ela auxilia mulheres com a libido em baixa,anorgasmia, vaginismo, além de falta de sensibilidade vaginal e clitoriana, ou mesmo aquelas que tenham pouca de intimidade com o parceiro. A massagem também ajuda mulheres que passaram por uma educação sexual repressiva, por violência sexual ou que tenham dificuldades fora do sexo, entre elas, ansiedade, insegurança, estresse e depressão.

Conforme Deva Nishok explica no site da própria instituição, através da prática é possível aumentar a dimensão do clitóris. "O tamanho pode estar relacionado à ausência de estímulos ou estímulos inadequados e insuficientes para aumentar a tonificação muscular". Para a terapeuta, o aumento do nervo clitoriano é bastante importante na massagem tântrica, pois é um dos pontos mais sensibilizados para intensificar a energia e levar a mulher ao orgasmo.

Samvara Subaghi, cujo o nome em sânscrito significa a "união mística de todas as formas" e "abençoada pelo Divino", respectivamente, explica que o clitóris possui inervações específicas que o associa aos mamilos e também à glândula Pineal no cérebro. "A estimulação realizada neste nível, através destas inervações, faz com que o Sistema Endócrino produza um aumento significativo nos hormônios e químicas orgânicas associadas ao prazer como a ocitocina, a serotonina e a endorfina", ressalta.

As duas profissionais afirmam que a prática não traz os mesmos estímulos da masturbação. "Nesta terapia queremos proporcionar uma nova experiência para que ela possa avançar, ir além, limpar suas feridas, desfazer seus nós, sentir mais prazer, entrar no merecimento. É mais que uma massagem e múltiplos orgasmos", justifica Dewa.

Com a ajuda de géis lubrificantes como o K-Y, que podem acelerar o processo rumo ao orgasmo, Dewa inicia a massagem com toques para que a mulher se conecte com o seu prazer, depois é feita uma espécie de drenagem nas coxas e pélvis, para produção de líquidos, isso sempre com luvas. "Manipula-se os grandes e pequenos lábios da yoni (vagina), o clitóris até o ponto G". A sessão termina com toques suaves por todo o corpo. O uso do vibrador, tipo ‘bullet’, em pontos específico do clitóris, proporcionam estímulos neurológicos e também ajudam a chegar lá.

"Nossa experiência mostra que a maioria das pessoas conhece somente orgasmos psicogênicos ou psicológicos, onde o cérebro, através das fantasias sexuais (cheiros, imagens, sabores) e estímulos sensoriais (contatos), envia informações para área genital. O outro orgasmo vêem através do estímulo apropriado na Yoni (vagina) e no Lingam (pênis) e onde as pessoas experimentam estados superiores de consciência", explica Samvara.

Dewa afirma que muitas mulheres alcançam o orgasmo logo na primeira sessão, mas é algo que depende da sensorialidade de cada mulher. "O corpo vai fazendo novos registros, sinapses associadas ao prazer. A mulher vai confiando no potencial energético do corpo e se entregando ao processo". Quando há entrega total, ou seja, a mulher é capaz de sair da fantasia sexual, do controle mental, além de ficar livre de traumas e bloqueios, muitas vezes consegue atingir o hiperorgasmo. Para Dewa, neste momento, as mulheres perdem noção do está acontecendo na yoni e alcançam um estado de supraconsciência, "um sentimento de gratidão onde choro e riso se fundem", completa.

 

Claro do que muito é sentido na massagem é aproveitado depois na cama, com o parceiro, afinal, o sexo só tem sentido quando há troca de energia entre duas pessoas. Com o registro do prazer e desenvolvimento sensorial, elas se tornam mais receptivas e conseguem expressar ao parceiro o que realmente querem, para assim curtir a dois tudo que o sexo proporciona.

Por Juliana Lopes

 

Via Vila dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Letra
Mares convulsos, ressacas estranhas
Cruzam-te a alma de verde escuro
As ondas que te empurram
Aa vagas que te esmagam
Contra tudo lutas
Contra tudo falhas

Todas as tuas explosões
Redundam em silêncio
Nada me diz

Berras às bestas
Que re sufocam
Em braços viscosos
Cheios de pavor
Esse frio surdo
O frio que te envolve
Nasce na fonte
Na fonte da dor

Remar remar
Força a corrente
Aao mar, ao mar
Que mata a gente



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Sábado, 28 de Agosto de 2010

Como introduzir fantasias sexuais?

 

Podem começar por discutir as fantasias sexuais que apreciam, aquelas acerca das quais são partilham o gosto e as fantasias sexuaisque não gostam. Isso ajuda a estabelecer as regras básicas dos jogos de sexo.

Sejam absolutamente honestos nos vossos jogos de sexo: se uma determinada fantasia sexual não lhes agradar, digam-no, mas com o cuidado de não parecer um juízo de valor, de forma que o outro não se sinta criticado. E tenham tacto na escolha do alvo das vossas fantasias sexuais, caso não se trate do vosso parceiro.

Comecem por escolher uma das vossas fantasias sexuais favoritas e desempenhem-na vestindo-se adequadamente e utilizando adereços, esta é a melhor forma de iniciar os jogos de sexo. Em alternativa, podem escrever o nome de diferentes personagens em bocados de papel, por exemplo: escrava, dominadora, professor, virgem, aluna, actriz porno ou prisioneiro. Misturem os papelinhos e tirem um à sorte. Terão então de se comportar ambos como se fossem essa personagem.

Á medida que você e a sua companheira se vão ambientando aos vossos jogos de sexo, podem ir alargando as vossas fantasias sexuais.

 

Via tudo sobre sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
O nosso amor de sempre
Brilhará, p'ra sempre
Ai, meu amor
O que eu já chorei por ti
Mas sempre
P'ra sempre
Vou gostar de ti

Juro, meu amor que sempre
Voltarei, p'ra sempre
Ai, meu amor
O que eu já chorei por ti
Mas sempre
P'ra sempre
Gostarei de ti

Ai, meu amor
O que eu já chorei por ti
Mas sempre
P'ra sempre
Vou gostar de ti



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 27 de Agosto de 2010

Este programa para retardar a ejaculação utiliza técnicas testadas para o ajudar a adquirir maior controlo ejaculatório e aumentar a sua capacidade de resistência sexual, este programa para retardar a ejaculação é seguro e eficaz.

Seja paciente e deverá começar a ver resultados dentro de várias semanas com este programa pararetardar a ejaculação.

1. Masturbe-se com a mão seca até aguentar 15 minutos sem ejacular.

2. Masturbe-se com a mão lubrificada até aguentar 15 minutos sem ejacular. Poderá verificar que estes dois primeiros passos já o ajudam a aguentar mais tempo a erecção quando faz amor. Caso contrário, pode prosseguir, fazendo os seguintes exercidos com a sua parceira.

3. Deixe-a masturbá-lo, com a mão seca, até aguentar 15 minutos sem ejacular.

4. Deixe-a masturbá-lo, com a mão lubrificada, até aguentar 15 minutos sem ejacular.

5. Deite-se de costas, com a sua parceira sentada sobre si e o seu pénis dentro da vagina dela. Devem ambos reduzir os movimentos ao mínimo. Continue a praticar até conseguir aguentar 15 minutos sem ejacular.

6. Repita o exercício anterior, mas com a sua parceira a mexer-se suavemente. Treine até conseguir aguentar 15 minutos.

7. Repita o exercício 5, mexendo-se suavemente. Treine até conseguir aguentar 15 minutos.

8. Repita o exercício 5, com ambos a mexerem-se à vontade, até conseguir aguentar 15 minutos.

Para ter sucesso com este programa para retardar a ejaculação precisa apenas seguir os passos, não desistir, e ser paciente e persistente.

 

Via Tudo sobre sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

 

Letra

 

Eu gosto da praia
a hora das gaivotas
Quando a maré desce
E tudo fica mais calmo

Quando o sol dourado 
despenteia o teu cabelo
e um so sorriso teu
desfaz o meu pesadelo

Tens os pés na areia
e um olhar sobre as ondas
por muito que os estendas
não quero que te escondas

Sabes o mar é bruto
mas pode ajudar
a ter outra vez
vontade de gostar
ou longe desfaz-se
a linha do orizonte
e tu já voltas-te
desse sitio onde foste
porteje os teus ombros
com o meu braço esquecido

3 x

e um so sorriso teu
eu já não estou perdido

3 x

eu gosto da praia das gaivotas

2 x

a hora das gaivotas

eu gosto da praia

eu gosto de ti

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 26 de Agosto de 2010

8 passos para não perder um orgasmo

 

1. Usar o poder da água Antes de chegar à cama, que tal começar a explorar seu corpo ainda no banho, para "acordar" as sensações eróticas? É que a água morna ajuda a despertar as terminações nervosas da pele, que transportam as mensagens para seu sistema nervoso central. Você também pode comprar uma esponja vibratória (há vários modelos, como os que imitam coração e morango) para ajudá-la a estimular algumas regiões de maneira mais intensa. Se estiver no quarto, aposte em um lubrificante, especialmente aqueles que proporcionam a sensação de calor local, à venda praticamente em todas as sex shops.

2. Investir nas fantasias 
O cérebro é mesmo um poderoso órgão sexual, os estudiosos não têm nenhuma dúvida disso. Segundo a sexóloga Kate Taylor, autora do livro The Good Orgasm Guide (Um bom guia do orgasmo), nada menos que 78% das mulheres precisam das fantasias para conseguir um orgasmo durante a transa e 99% chegam lá quando se masturbam. Assim, pensar no Josh Holoway, do seriado Lost, no Reynaldo Gianecchini ou no bonitão que faz você suspirar enquanto se estimula (ou é estimulada), por exemplo, pode fazer a diferença e fazer a sua mente se manter ligada no prazer. risos...

3. Domesticar seu gato Quando o rapaz estiver deitado de barriga para cima, sente-se sobre ele sem deixar que ponha o pênis dentro da vagina. Curve-se, então, para beijá-lo e acariciá-lo. Ele se sentirá obrigado a tocá-la em todos os cantos que estiverem ao alcance das mãos. A certa altura, peça que se sente e então jogue sua cabeça para trás, convidando-o a beijar seu pescoço, ombros e seios. Enquanto isso, friccione com suavidade seu clitóris contra o osso púbico dele. No momento em que estiver pronta para saborear o prato principal, diga algo do tipo "Estou louca para sentir você dentro de mim".uau !!nossa eu que to escrevendo isto meu Deus risos ....

4. Turbinar a penetração No auge da transa, explique que ele precisa manter um contato satisfatório com o clitóris ou com o ponto G para você chegar lá. Se o gato a penetra por trás e de baixo para cima, por exemplo, o pênis terá bastante contato com a parede frontal da vagina, onde fica seu botão mágico. Recorra ainda à sinalização corporal. Gostaria que o rapaz fosse mais fundo? Empurre seu bumbum para trás, em direção ao moço. Ele vai entender. Mais uma dica que funciona: na posição papai-e-mamãe, se você precisa de fricção, afaste gentilmente os ombros dele e diga: "Fico bem melhor quando posso me movimentar debaixo de você".

5. Variar o menu Sexo oral é uma forma praticamente garantida de chegar lá. Mas sugira com linguagem corporal (e não verbal). Tente, por exemplo, roçar seu corpo na cabeça dele para sinalizar que deseja mais pressão e indicar a direção certa. Sutil demais? Puxe para baixo a pele que recobre o clitóris, deixando-o exposto, a fim de encorajar o rapaz. E esconda-o com um dedo se preferir que ele estimule os arredores. Peça que a acaricie com toda a língua, e não só a ponta, pois cada parte dela gera uma sensação diferente ao toque. Numa posição confortável, não ficarão cansados e você não se apressará para o clímax - que poderá acontecer antes do que imagina

6. Multiplicar pontos de prazerDescobrir (várias) regiões quentes do seu corpo e não seguir sempre o mesmo roteiro facilita orgasmos inesperados. Se carícias na curva do pescoço a deixam cheia de tesão, conte o segredo ao gato. Ter os dedos das mãos ou dos pés sugados também costuma provocar forte excitação. A estimulação dos mamilos com um vibrador de baixa potência pode ser extremamente prazerosa para muitas mulheres. Seu namorado pode ajudar deslizando as mãos pela parte interna de suas coxas, pelo seu monte de Vênus e pelos lábios vaginais antes de chegar ao clitóris, pois aumentam a irrigação sanguínea na pélvis.

7. Recuar para avançar Arrisque deixar que sua excitação alcance um grau moderado e, então, interrompa a estimulação para que o desejo diminua mas não desapareça por completo. Recomece de modo que você vá um pouco além do ponto em que estava anteriormente. Então, reduza outra vez. Continue assim, indo e vindo, até chegar ao orgasmo. Esse exercício faz sua energia sexual aumentar, garantindo um prazer mais intenso. Se quiser tentar outro orgasmo, logo após o primeiro, recomece a estimulação para manter o nível de excitação e preparar-se para um novo. A intensidade pode ser menor, mas é bom do mesmo jeito

8. Descobrir o triorgasmo Você já ouviu falar, sobre o orgasmo combo?? obtido por intermédio da estimulação simultânea do clitóris e do seu ponto G. Mas, segundo a sexóloga Ava Cadell, é possível conseguir um clímax ainda mais poderoso: o triorgasmo. Para isso, ela sugere estimular também o ânus durante o combo. Experimente pedir ao parceiro que insira a ponta do dedo bem ali, com a ajuda de um lubrificante, quando a excitação estiver em alta. Alguns vibradores triplos já estão à venda nas sex shops, mas, antes de convidar o gato para a novidade, teste sozinha a fim de descobrir se ficará realmente à vontade.
O que você não deve esquecer jamais Descobrir quais são as zonas erógenas capazes de levá-la ao êxtase e revelar a ele.Estimular-se física e mentalmente antes (já pensou em sexo enquanto dirigia?)Direcionar as mãos, a boca e o pênis de seu querido para onde sabe que sente mais prazer.
O que facilita o clímax, sempre Saber o que é o orgasmo, não importa se você somente o experimentou sozinha.
Transar apenas quando estiver com vontade.
Aumentar a intimidade com o parceiro - sempre.
Estar plenamente envolvida com algum estímulo erótico, que pode ser uma cena de filme, uma fantasia ou lembranças ultrapicantes.
Acariciar o seu clitóris antes e durante o sexo - ou pedir ao seu bonitão que o faça.
Ficar totalmente solta na relação e sem sentir vergonha de nada.
Tirar do quarto tudo o que possa distraí-la na hora da transa.
Relaxar e prestar atenção nas reações do seu corpo, e não apenas no seu parceiro

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

 

Letra

 

Amanhã!
Será um lindo dia
Da mais louca alegria
Que se possa imaginar
Amanhã!
Redobrada a força
Prá cima que não cessa
Há de vingar
Amanhã!
Mais nenhum mistério
Acima do ilusório
O astro rei vai brilhar
Amanhã!
A luminosidade
Alheia a qualquer vontade
Há de imperar!
Há de imperar!

 

Amanhã!
Está toda a esperança
Por menor que pareça
Existe e é prá vicejar
Amanhã!
Apesar de hoje
Será a estrada que surge
Prá se trilhar
Amanhã!
Mesmo que uns não queiram
Será de outros que esperam
Ver o dia raiar
Amanhã!
Ódios aplacados
Temores abrandados
Será pleno!
Será pleno!

 

 



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 25 de Agosto de 2010

10 pontos a favor da masturbação

 

Apesar de tudo o que lhe contaram quando você era pequena e de todos os tabus que o ato possa produzir, masturbar-se é um ato natural e faz parte de uma vida sexual normal e saudável. Sozinha, ou com seu parceiro, masturbar-se ajudará você a conhecer melhor seu próprio corpo e suas preferências.

 

Se você precisa de mais razões para quebrar os tabus e desfrutar esses prazeres, nós lhe damos não uma, mas dez delas:

1 - A masturbação permite explorar o próprio corpo e descobrir as sensações, gestos e carícias que mais nos excitam. Você passa a conhecer melhor suas necessidades sexuais e a melhor maneira de satisfazê-las, desfrutando com seu parceiro.

2 - A prática da masturbação tem um efeito relaxante tanto físico como emocional. O prazer libera as tensões surgidas a partir dos impulsos sexuais e ajuda a dormir, sem necessidade do uso de soníferos.

3 - Conhecer a si própria permite ter uma atitude mais lúcida e crítica a respeito do sexo.

Você pode ter orgasmos mesmo que não tenha um parceiro, mas vai aprender a distinguir o sexo do amor. 
4 - Se você não tem um parceiro fixo, pode sentir necessidade de deitar-se com qualquer pessoa para suprir suas necessidades sexuais. Ou descarregar a tensão comendo barras de chocolate. Ou ainda, masturbar-se. O ato vai ajudar-lhe a descarregar a tensão sexual riscos de saúde - ou para a sua silhueta.

5 - Durante a masturbação, você pode se concentrar em seu próprio prazer, sem ter que se preocupar com o prazer de seu parceiro.

6 - Se você sofre de alguma disfunção sexual, como a anorgasmia (dificuldade em chegar ao orgasmo), a masturbação pode ajudar a solucioná-la. Para os homens, masturbar-se antes das relações sexuais pode evitar a ejaculação precoce.

7 - Masturbar-se com freqüência vai ajudar-lhe a obter mais orgasmos e com mais facilidade. Além disso, você também vai aprender a retardá-los quando estiver com seu parceiro.

8 - O orgasmo aumenta a circulação sangüínea, combate o estresse e aumenta a luminosidade da pela. Praticar a masturbação, portanto, faz bem para a saúde e para a aparência. Também ajuda a fortalecer os músculos da pélvis.

9 - É cientificamente provado que quem pratica a masturbação tem uma vida sexual mais plena, mais sadia e mais ativa por mais tempo.

10 - Não há nada errado em dar um prazer a si mesma!

 

Via Vila Mulher



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
E numa prisão em si
Não saindo do que é seu
Foi esquecido
Adormeceu

À procura do amanhã
Andam homens inseguros
Erguem escadas
Partem muros

A nós os montes imundos
Dêem-nos os vales profundos
Sítios onde vê
Impossível ir
Ergam escadas
Partam Muros



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Terça-feira, 24 de Agosto de 2010

Mitos e verdades sobre o orgasmo

 

Sexo é um assunto que sempre levanta polêmicas, já que cada um tem suas experiências e consequentemente suas opiniões, assim, muito é falado e mitos acabam sendo criados. Para ajudar a desvendar o que é verdade e o que não é quando o assunto é orgasmo, a médica Urologista e Terapeuta Sexual, Sylvia Faria Marzano, dá algumas explicações importantes que podem servir até para melhorar a sua vida sexual.

 

Confira:

 

Quem estimula é o responsável pelo orgasmo: Falso! Cada pessoa é responsável pelo seu próprio orgasmo. Precisa saber o que mais a excita e quais os pontos de seu corpo são responsáveis pela excitação e assim passar essa informação ao outro. Por isso é preciso buscar a parceria na relação sexual para a troca desta energia.

O orgasmo é sempre muito intenso:Falso! Muitas pessoas acham que ter orgasmo é ver estrelas, entrar numa outra dimensão cósmica, uma expressão violenta de sensações, euforia e desfalecimento. As sensações do orgasmo são variáveis de pessoa para pessoa. O orgasmo é o resultado de uma excitação crescente, tendo como resultado o clímax, onde está inserido entrega, sentimento e sensações. As sensações do orgasmo sofrem influência de fatores como emoções, sentimentos, orgasmos anteriores registrados na memória, ambiente, tempo e parceria sexual.

Receita de bolo para chegar até lá: Falso! É comum a procura pela mulher de uma solução rápida, eficaz e de sucesso garantido na busca do orgasmo, como uma receita pré-definida para todas as mulheres. O orgasmo é individual e a receita está na pessoa, na sua entrega, na cumplicidade, tendo como resultado uma excitação crescente até o máximo do prazer sexual.

O tempo para o orgasmo masculino e feminino são iguais: Falso! De maneira geral, a excitação crescente até o orgasmo na mulher é mais lenta. A mulher, na sua resposta sexual tem mudanças anatômicas na sua genitália para que possa ser penetrada sem dor. Desta forma, os tempos de orgasmo são diferentes. Muitas vezes em um encontro casual, a mulher pode ter um orgasmo dentro de poucos minutos, pelo fator fantasia do momento.

O orgasmo masculino é a ejaculação: Falso! O orgasmo e a ejaculação são respostas fisiológicas diferentes no homem. O orgasmo é uma resposta sensorial, enquanto que a ejaculação é a eliminação do esperma. No homem, geralmente eles acontecem simultaneamente.

Preliminares mais longas, orgasmos mais intensos: Falso! As preliminares são importantes para que a mulher chegue ao orgasmo, porém a intensidade do orgasmo depende exclusivamente da excitação, da entrega total ao momento erótico e de suas emoções.

Ponto G masculino e feminino: este conceito é muito questionado. Não há comprovação científica que ateste a existência do Ponto G masculino ou feminino, mas sim regiões que ao serem estimuladas favorecem o orgasmo. É importante saber que existem zonas erógenas, tanto na região genital como em todo corpo que proporcionam excitação, variadas de pessoa para pessoa. Para os homens as carícias na região perineal e anal podem estimular a próstata e favorecer a ereção. Para as mulheres o canal vaginal possui uma plataforma orgástica, região mais sensível ao toque logo nos primeiros centímetros, que participa efetivamente na elevação da excitação.

Todo ser humano é equipado biologicamente para ter um orgasmo: Verdadeiro! Salvo doenças que comprometem a resposta sexual, o nosso corpo está apto para o sexo e consequentemente para o orgasmo. O orgasmo depende mais de fatores emocionais, que promovem as mudanças físicas durante o prazer maior. Na dificuldade ou ausência do orgasmo, é necessário a busca de tratamento por um especialista, terapeuta sexual, para investigar as possíveis causas, físicas ou psicológicas.

Há mulheres que ejaculam: a ciência ainda não comprovou nada a respeito. O que acontece em alguns casos é que há algumas mulheres que se lubrificam mais do que as outras, pela atuação de glândulas no canal vaginal. Mas estas glândulas não são como a próstata e o canal seminal masculino que podem armazenar um liquido para depois jorrá-lo em determinado momento. Na mulher, estas glândulas assim que produzem o liquido para lubrificação, o solta, e isso é feito durante toda a relação.

Orgasmos múltiplos: eles existem e dependem do nível de estimulação durante a relação sexual.

 

Metade das mulheres para ter um orgasmo precisam de estimulação clitoriana: isso é perfeitamente normal e não se trata de um distúrbio. O orgasmo não depende da penetração para acontecer.

 

Por Larissa Alvarez

 

Via Vila Dois

 



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
E numa prisão em si
Não saindo do que é seu
Foi esquecido
Adormeceu

À procura do amanhã
Andam homens inseguros
Erguem escadas
Partem muros

A nós os montes imundos
Dêem-nos os vales profundos
Sítios onde vê
Impossível ir
Ergam escadas
Partam Muros



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23 de Agosto de 2010

sexo, acabe com a rotina na sua relação

 

1. Rapidinha vapt-vupt

Por que vale a pena?
Este tipo de sexo é perfeito para aliviar as tensões e satisfazer o desejo a qualquer hora! Vale deixar o preconceito de lado e experimentar. Imagine, por exemplo, que sua casa está cheia, mas um beijão esquenta o clima entre você e o parceiro. Por que não levá-lo ao banheiro ou a um cômodo vazio e fazer a festa? Mostrar ao rapaz todo o seu tesão vai excitá-lo ainda mais. 

Acerte em cheio
Há duas boas posições para a rapidinha. Em pé, de costas para o parceiro, curve-se em direção a uma parede ou mesa e deixe que o gato penetre-a por trás. O papai-e-mamãe também funciona, pois o homem controla a velocidade da penetração – que deve ser mais rápida! Vale ter um lubrificante para apressar as preliminares, pois talvez não dê tempo de se aquecer. 

2. Jogo dos sentidos


Por que vale a pena?

Normalmente, durante a transa, ninguém se esforça para estimular a audição e o paladar – afinal, o tato e a visão sempre saem ganhando. Por isso, separar um período do sexo para ativar todos os sentidos pode fazer uma diferença e tanto! Só assim você descobrirá algumas sensações novas e conhecerá melhor o moço, criando mais intimidade entre o casal. 

Acerte em cheio

Vamos instigar todos os sentidos? Olfato Acenda uma vela cheirosa no ambiente e use um perfume ou creme hidratante gostoso. Tato Vista uma lingerie de renda para estimular o toque dele. Visão Aposte em luz suave para um clima de sensualidade. Audição Diga frases sexies para atiçar a imaginação dele. Paladar Coma morango ou chocolate no corpo do gato. 

3. Amor devagarzinho

Por que vale a pena?
Explorar o corpo do parceiro e deixar que ele faça o mesmo com você é importantíssimo! Para isso, não meça esforços e marque um fim de semana romântico, por exemplo. Com tempo e tranquilidade, vocês poderão aproveitar melhor o momento para turbinar as sensações de prazer de ambos.

Acerte em cheio

Antes de se entregarem ao sexo, comecem a estimular um ao outro: a troca de olhares e de toques os deixará mais ansiosos para a hora H! Quando estiverem juntos, não tenham pressa para terminar. Escolha uma posição confortável e fale o que deseja que ele faça – e diga que também atenderá os pedidos do gato. Ao demorarem para atingir o orgasmo, vocês dois aumentarão a intensidade dele depois. Oba! 

4. Seja dominada por ele

Por que vale a pena?
Se você nunca se entregou totalmente ao parceiro, está na hora de tentar. Em geral, o homem fica extremamente excitado quando se sente no comando da situação. E, assim, seu parceiro se esforçará ainda mais para levar você à loucura! Ou seja: os dois ganham. Dê poder ao seu amado e veja o resultado.

Acerte em cheio
Como é a vez do maridão de assumir as rédeas da transa, escolham posições nas quais ele estará por cima. Para a entrega ser total, afaste as mãos, colocando-as atrás da cabeça. Tal postura deixa claro que você está dispo sta ao que ele sugerir. Seu amado ficará elétrico ao perceber que tem a sua confiança. 

5. Domine seu homem


Por que vale a pena?

Seu homem é daqueles que sempre quer mandar na relação? Então, mostre a ele o que você deseja secretamente! Além de realizar as fantasias que sempre quis, você vai surpreendê-lo com a postura de dominadora. 

Acerte em cheio
Para que você tenha o controle, prefira ficar por cima do bonitão. Peça a ele que deite na cama e sente-se por cima, mantendo uma perna de cada lado. Nesta posição, você poderá decidir o ritmo da penetração: tente variar entre mais rápida e mais lenta. Como o gato estará com as mãos livres, peça-lhe que acaricie seu clitóris, aumentando seu prazer. E, claro, não se esqueça de ter uma postura confiante e segura – veja a si mesma como uma deusa do sexo! 

6. Pegada selvagem


Por que vale a pena?

Uma transa que abala até as estruturas da cama é sempre bem-vinda! Quando o gato não economiza na pegada, você se sente desejada e irresistível por ele não conseguir se controlar. Além de aumentar muito sua autoestima, esse tipo de sexo permite que você libere todos os instintos e mostre ao parceiro tudo que está sentindo com gemidos e sons altos. 

Acerte em cheio
Escolha posições que remetam ao instinto animal: uma boa opção é começar de quatro. Deixe claro que está prontinha ao pedir que ele segure em sua cintura para ditar o ritmo dos movimentos. Se quiser esquentar ainda mais (e confiar no moço), peça que ele puxe um pouco seu cabelo. Não deixe de gemer conforme seu prazer for aumentando. 

7. Tudo à mostra

Por que vale a pena?

Chega de ter medo de transar com as luzes acesas! A claridade, afinal, faz você prestar atenção em cada reação do gato e perceber de quais toques ele gosta mais. Além disso, os homens se excitam ao ver a mulher em ação. E, caso não esteja em forma, não se preocupe: se o parceiro está com você é porque sente tesão por seu corpo! 

Acerte em cheio
Peça para ele se sentar na cama e sente-se por cima dele de frente, colocando as pernas atrás das costas dele. Além de ficarem juntinhos, nesta posição nenhuma imperfeição ficará tão exposta e você se sentirá segura para aproveitar tudinho! Quer colocar mais fogo? Aproveite as luzes acesas e se masturbe, mostrando a ele como gosta de ser tocada. Ele vai adorar! 

Consultoria: Fernanda Pauliv, palestrante, sócia e consultora do Joanah Pink Centro Integrado da Mulher (www.joanahpink.com.br); Maria Luiza Cruvinel Moretti, sexóloga e terapeuta de casais

 

Via amor e sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:02 | link do post | comentar

letra
E numa prisão em si
Não saindo do que é seu
Foi esquecido
Adormeceu

À procura do amanhã
Andam homens inseguros
Erguem escadas
Partem muros

A nós os montes imundos
Dêem-nos os vales profundos
Sítios onde vê
Impossível ir
Ergam escadas
Partam Muros



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Domingo, 22 de Agosto de 2010

Tenha uma vida sexual incrivel

 

Sentir-se bem na própria pele é o segredo para estar à vontade com seu parceiro. Aqui, indicamos seis maneiras de você se conhecer melhor e ficar muito segura para incrementar sua vida sexual. 

Dê um chega para lá nos medos

Antes de tudo, é importante lidar com um grande fantasma: a sua autocrítica. A verdade é que o prazer não é privilégio de quem está em forma, livre de gordurinhas ou celulite. Celebre o fato de que os homens gostam de cur vas! E mais: o parceiro nem liga para os defeitos que saltam aos seus olhos diante do espelho. ''Quando a mulher se revela para o homem, sem qualquer vergonha, a relação se transforma: fica mais verdadeira e real'', afirma a psicóloga Lúcia Rosenberg, de São Paulo. 

Diga menos ''não''

Se aquela dor de cabeça virou uma desculpa constante para evitar o sexo, algo não vai bem no quarto. Reflita e, honestamente, localize o motivo do seu distanciamento. Segundo estudo da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, 20% das mulheres brasileiras reclamam por não atingirem o orgasmo. O principal problema detectado é a falta de vontade de transar. Então, que tal resgatar o desejo pelo outro? ''Esqueça o 'não' automático e diga mais 'sim' ao seu amor. Se você se deixar levar pelo parceiro, será que o desejo não ressurge? Tente. Você pode se surpreender'', orienta Lúcia. 

Converse sem pudor

O melhor sexo da sua vida também depende de uma boa comunicação. Para desfrutar ao máximo da transa, é necessário sentir-se livre para expressar suas vontades e pedir o que está faltando. ''O casal precisa entrar em acordo sobre o que estimula ou não os dois. Não há espaço para vergonha ou preconceito na cama'', diz Lúcia. Além de melhorar o diálogo, traga mais alegria para sua intimidade. ''O bom humor deveria ser pré-requisito para os relacio namen tos. A brincadeira relaxa e dá leveza aos problemas do dia a dia'', sugere a terapeuta sexual Giovanna Lucchesi, do Instituto Paulista de Sexualidade. 

Entregue-se
Olhares, gestos, palavras, sussurros e... suspiros. Vale tudo no jogo do sexo - desde que seja espontâneo e não ultrapasse o limite do outro. ''Sexo é natural, é saudável. Não é divino ou profano: é humano'', define Lúcia. ''Uma boa transa aproxima e aumenta a autoestima dos dois.'' O sexo gostoso é um estado físico, mental e emocional, que acontece quando o casal está no compasso certo. ''O ritmo e a intensidade, na hora da relação, dependem do quanto o casal se entrega aos impulsos. Ou é uma mágica para ambos ou não é para ninguém'', completa a psicóloga. Nesse jogo, vale assumir que você não sabe tudo sobre erotismo e usar isso a seu favor. ''É maravilhoso não saber e melhor ainda ter a disposição de admitir isso. Você se sente à vontade pa ra explorar, descobrir e aprender com o outro'', diz o psiquiatra Ajax Pérez Salvador, mestre em saúde mental pela Universidade de São Paulo. 

Namore-se
Há quanto tempo você não marca um encontro consigo mesma para explorar o corpo e redescobrir o que realmente a excita? Tão desejado quanto o romance com o parceiro deve ser o mapeamento das áreas de prazer do seu corpo. Reserve um tempo para si mesma e divirta-se sozinha. ''A masturbação é saudável e de extrema importância para o desenvolvimento sexual. Com essa prática você identifica suas necessidades e descobre diferentes maneiras de satisfazêlas'', diz Giovanna. Vamos combinar: se nem você sabe direito quais são seus pontos mais sensíveis, como o parceiro vai adivinhar? ''Delegar aos homens a tarefa de desvendar o nosso prazer é injusto. Nossa obrigação é mostrar o caminho para eles'', afirma Lúcia. 

Redescubra o prazer a dois

O que nós definimos como prazeroso se transforma ao longo da vida e do relacionamento. ''O melhor sexo surge quando os parceiros se permitem esquecer o que foi bom no passado e reinventam os caminhos do pra zer'', diz Ajax. Para apimentar o encontro, inspire-se em fi lmes e contos eróticos. Que tal estrear uma lingerie ou partilhar uma fantasia? ''Coloque uma música relaxante, troque a cor da lâmpada do quarto (vermelha ou alaranjada), acenda uma ve la aromática, sirva uma taça de vinho. Vale tudo para aguçar os cinco sentidos, deixar o ambiente mais agra dável e você ainda mais à vontade e animada'', diz a sexóloga Giovanna.

O melhor sexo da vida... dele!

Muito mais objetivos do que nós, mulheres, os homens não acham necessário dedicar tanto tempo às preliminares e ao autoconhecimento. Isso não significa que há menos emoção ou sentimento envolvidos no ato sexual. É apenas uma forma diferente de encarar o sexo. ''A maioria das mulheres gosta do jogo da sedução, da conquista. Eles vão direto ao ponto! Muito mais simples, não?'', diz Lúcia Rosenberg. Então, o que transforma uma transa no melhor sexo da vida dele? ''Ter ao lado uma parceira livre, que aceita o seu corpo, é dona dos próprios desejos e conhece o caminho do próprio prazer. Alguém que se sinta à vontade para viver aquele momento plenamente, sem pudores'', garante a psicoterapeuta.

 

Via Amor e sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
Querida pequenina
És o sol
Que me ilumina
Tens a luz
Que me fascina
Onde estás?

Passa tempo passa
Cai fundo
No esquecimento
Não oiças
O meu lamento
Onde estás?

Onde estás? (5x)



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Sábado, 21 de Agosto de 2010

Sexo, Cada Mulher deve conhecer o seu corpo

 

Mulheres contam dificuldades e superações em relação ao orgasmo O prazer sexual feminino não é tão simples. Apesar da liberdade sexual conquistada a partir dos anos 1960, com o uso dos anticoncepcionais, além da forte presença no mercado de trabalho e da independência financeira, muitas mulheres não se sentem satisfeitas com a vida sexual que levam. No setor de Ginecologia do Hospital das Clínicas, de São Paulo, por exemplo, 70% das mulheres atendidas no ambulatório afirmam que perderam a libido. Talvez por isso o orgasmo feminino esteja tão em pauta atualmente. E livros não faltam sobre o assunto, como o recém-lançado “Orgasmos: Como Chegar Lá” (Editora BestSeller, R$ 24,90), de Jenny Hare.

Consultora e terapeuta sexual, Jenny Hare atuou durante 15 anos como colunista na revista inglesa “Woman’s Weekly” e se propôs a responder a pergunta: “Por que, num mundo onde as informações sobre sexo são tão acessíveis, as mulheres continuam insatisfeitas?”. Segundo ela, as respostas são diferentes para cada mulher. E, cada uma, deve encontrar o seu jeito de ter prazer.

Para evidenciar essa afirmação, Jenny, reuniu no livro histórias e exemplos dessas mulheres, além dos fatores físicos e psicológicos que podem impedir a plenitude sexual. E, é claro, ela também dá conselhos, dicas, exercícios, posições e técnicas para ajudar a chegar lá.

Resgate
Segundo a autora, tanto as mulheres que atingiam o orgasmo e perderam essa capacidade como as que raramente ou nunca conseguem atingir o clímax nas relações sexuais podem encontrar uma solução. “Crie coragem. Sim, você pode voltar a ter o encanto do prazer sexual e, sim, você pode se tornar orgástica ou, se já foi, reencontrar o jeito”, afirma.

Para ela, a solução é reconhecer que, para muitas mulheres e muitos homens, a espontaneidade frequentemente desaparece quando a fase de excitação da novidade e da atração inicial passa. Por essa razão, a terapeuta aconselha: assuma o compromisso de fazer sexo sozinha ou com um parceiro pelo menos uma vez por semana. “O objetivo é praticar muito até que os orgasmos comecem a aparecer e, finalmente, você consiga atingi-los sempre que quiser”, diz. Para isso, ela enumera alguns pontos importantes para começar:
- Sem tempo? Crie tempo.
- Muito estressada? Diga a si mesma que o sexo relaxará.
- Muito cansada? Lembre-se de que, quando o prazer começar, desfrutará dele, por mais cansada que esteja. Saiba que dormirá extraordinariamente bem. 
- Abra espaço em sua agenda, por mais ocupada que esteja. Isso é profundamente importante para você. Você não estaria esta matéria não fosse.
- Crie tempo e dedique tempo para se curtir, o seu eu sexual, e uma vez que saiba como fazê-lo, dê-se a felicidade de um orgasmo.

Histórias
Cada capítulo do livro é recheado de histórias que contam as dificuldades e as superações de mulheres e homens em relação ao orgasmo feminino.

 

Via amor e sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
E quando eu descobrir o segredo
Da nebelina cinzenta
Qque torna a água barrenta
E sem perdão me esmaga o peito

E quando se levanta de repente
A névoa que cobre o rio
Que gela tudo de frio
E escurece a corrente

Longa se torna a espera
Na névoa que cobre o rio
Lenta vem a galera
Na noite quieta de frio
E quando...

E quando eu apanhar finalmente
O barco para a outra margem
Outra que finde a viagem
Onde se espere por mim

Terei, terei mais uma vez a força
Para enfrentar tudo de novo
Como a galinha e o ovo
Num repetir de desgraças

Longa se torna a espera
Na névoa que cobre o rio
Lenta vem a galera
Na noite quieta de frio
E quando...



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Sexta-feira, 20 de Agosto de 2010

As inglesas preferem manter a roupa durante o sexo

 

Pelo menos metade das mulheres prefere manter as roupas durante o sexo. É isso que descobriu uma pesquisa feita pelo site britânico MyCelebrityFashion - dedicado a listar celebridades e onde você pode encontrar suas roupas. Segundo os dados, 48% das entrevistadas não querem tirar tudo.

 

A razão, para 54% delas é melhorar a auto-estima. A peça preferida (68%) é o sutiã.

 

A mesma pesquisa foi além e perguntou aos homens se eles preferem que a mulher mantenha uma peça de roupa durante a prática. Para surpresa, 36% deles disseram que sim. Esses responderam também qual peça preferem. A grande maioria - 62% - enlouquece com uma boa camisola. A calcinha é adorada por mais da metade dos britânicos - 51%.

A pesquisa do MyCelebrityFashion foi feita depois da busca, no próprio site, por lingeries mais incrementadas. No total, 1563 pessoas foram entrevistadas. Depois do sutiã, as peças preferidas pelas mulheres vão das camisolas (59%) e salto alto (40%) até vestidos (36%) e calcinhas (31%). Elas podiam responder mais de uma peça.

Essas roupas, segundo as entrevistadas, teriam o poder de dar um up na confiança que tem no próprio corpo. Das que escolheram o sutiã, por exemplo, um terço diz que o peito fica muito mais bonito e 24% se sente mais sexy usando um. No entanto, as que preferem as camisolinhas admitem que a intenção é esconder o corpo.

Entre os homens, a principal razão para preferirem que as mulheres vistam alguma peça durante o sexo é porque, assim, a experiência fica mais excitante, segundo os que não abrem mão da calcinha.

A mesma pesquisa descobriu que 61% das mulheres preferem fazer sexo com as luzes apagadas - dos homens, apenas 37% admite que prefere o escurinho. Para elas, a luz apagada ajuda, mais uma vez, a esconder o corpo. Para os homens, a resposta foi totalmente contrária. Eles querem as luzes acesas para poder ver tudo!

O diretor de marketing do MyCelebrityFashion, Andy Barr, afirma que a pesquisa mostra como as roupas interferem na confiança e auto-estima da mulher. "O fato de tantas se sentirem mais sexy com um alguma peça mostra que ela pode mesmo melhorar a auto-imagem da mulher".

 

Representando os homens, ele diz que as mulheres precisam lembrar que eles não ligam muito para sua própria forma, já que nem se importam com a luz acesa. "Não há certo ou errado entre quatro paredes. Cada um tem suas preferências".

 

E vocês o que acham?

 

Via Vila Dois



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
Pequenas coisas que faltam na vida
Tornam-se as grandes incompletas
Pequenas coisas fazem parte
Não te esqueças
A grande ponte para lado nenhum
Fica distante da pequena estrada
Esburacada, onde arriscas a vida
necessáriamente 
E se tudo é um todo
E o todo é que importa
Não ponhas de lado
Aquilo que falta

Mesmo que não tenhas tempo
Pensa o que tens a fazer
Mede bem a importância
Dum pequeno pormenor
Um parafuso no foquetão
Um beijo ao deitar, um papel no chão
Uma prenda com cartão, um voto aqui
Ali um não

A justiça em grande faz sombra à pequena
Frágil, diária de todos
Tantas pequenas injustiças
tornam falso o sistema
A pequena dor nunca aliviada
Nas filas de espera do grande hospital
torna a doer, mesmo que te digam
vais ser atendido mais lá pro outro natal

Se tudo é um todo
E o todo é que importa
Não ponhas de lado
Aquilo que falta

Mesmo que não tenhas tempo
Pensa o que tens a fazer
Mede bem a importância
Dum pequeno pormenor
Um parafuso no foquetão
Um beijo ao deitar, um papel no chão
Uma prenda com cartão, um voto aqui
Ali um não



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Quinta-feira, 19 de Agosto de 2010

10 dicas para enlouquecer o seu parceiro com sexo oral

 

Rita Rostirolla, 45 anos personal sex trainer, dá dicas infalíveis para enlouquecer o seu parceiro na cama...

Quando conheci meu namorado, o Alexandre, não contei a ele que sou personal sex trainer. Ou seja, dou aulas sobre técnicas de sedução para mulheres. Preferi esconder essa informação para que ele não criasse expectativas e as coisas fluíssem naturalmente. Eu esperei o relacionamento amadurecer e a gente ter intimidade para, só então, chegar ao estágio do sexo oral. Valeu a pena esperar. Foi incrível ver o prazer estampado na cara dele. Infelizmente, as mulheres são educadas de uma forma que estimula o preconceito em relação ao sexo oral. Mas dou uma dica: tem que experimentar! Entre quatro paredes, o casal tem que se descobrir! E, palavra de professora, para o homem, receber sexo oral é uma necessidade.

Varie no sabor

Se você não tem certeza do estado de saúde do parceiro, use preservativos. Existem modelos com sabor, próprios para o sexo oral. Eles não têm tantos espermicidas, como os tradicionais. Desenvolva técnicas para colocá-los: segure a ponta com a mão e vá desenrolando com a língua. Assim você cria um clima com segurança. 

Pode engolir, sim
Não há problemas em engolir o sêmen. Ele é composto só de proteína e açúcar, sem sujeira alguma. E eu garanto: eles vão amar se você for até o final! 

Ajude com a mão
Enquanto a boca faz a parte dela, incremente a brincadeira movendo a mão sem parar, com pressão média. Isso mantém a ereção e aumenta o prazer. 

Lubrifique
Quanto mais lubrificado, mais fácil e gostoso. A saliva é um lubrificante natural, mas você pode usar géis com sabores para fazer brincadeiras sensuais com a boca. 

Abuse da língua
Perceba quais movimentos deixam seu parceiro mais excitado. Alterne lambidas com sucção. Eles também adoram sucção só na glande, enquanto a parceira usa as mãos para dar uma esticada no membro. 

Acenda a luz
Homem é um ser visual. Deixe ao menos uma meia-luz e capriche na lingerie. Lembre-se de movimentar o corpo todo de maneira bem sensual. Não deixe os cabelos sobre o rosto e olhe nos olhos dele. 

Provoque um choque térmico

Como o pênis em ereção é muito quente, coisas geladas proporcionam uma sensação ótima. As borbulhas do champanhe, por exemplo, provocam arrepios. Gelo é bom, mas pode queimar. 

Penetração é outra história

Se jogar leite condensado ou outro alimento no pênis, limpe bem antes da penetração, para não causar irritações na vagina. 

Surpreenda

Faça o sexo oral quando ele menos esperar. Se antecipe ao pedido dele, tome a iniciativa. Beije o pescoço, o peito e vá descendo até chegar lá. 

Garanta a sua segurança

Não importa se você confia nele ou não, se o ama ou não. O essencial é saber se ele é saudável. Assim como a penetração, o sexo oral também pode transmitir doenças. Por isso, peça um exame médico antes de colocar a boca no parceiro, pois ele pode ter contraído uma doença muito tempo antes e ela nunca ter se manifestado. 

Um carinho labial prazeroso

Estávamos na praia quando a Rita fez sexo oral em mim pela primeira vez. Foi muito bom. Não entendo por que algumas mulheres não fazem. É um carinho labial extremamente prazeroso. 
ALEXANDRE RANGEL, 38 anos, o namorado da Rita

 

Via Amor e sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
Nasci entre ruínas
E nos vícios eu tentei crescer
Quero crescer!

Andei no limite do tempo
Tentei correr contra o vento
Pra quê?

Joguei no destino errado,
Perdi-me por querer saber

Tu aí!

Espero alguém chegar
Queres assim
Alguém pra me orientar
Ficas aí?
Tenho que me aguentar
Até ao fim
Será que me vou salvar?



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 18 de Agosto de 2010

Como chegar ao orgasmo

 

Que tal chamar o gato para explorar seu corpo? No banho, peça que ele descubra sozinho o que deixa você excitada! "Massagens e toques fora do ato sexual são fundamentais para o conhecimento dos parceiros", explica Celso. E quem sabe o clima não esquenta mais, né?!

Ah, as posições...
Nem sempre você precisa fazer um malabarismo na cama para que a transa valha a pena. Posições confortáveis com certeza trarão o desejado orgasmo. Escolha qual delas quer colocar em prática hoje!

1. Bem relaxada
Você fica com as costas apoiadas na cama. O gato deve deitar-se ao seu lado, mas de frente para você. Dobre as pernas por cima dele, na altura do quadril e encaixe. Esta posição é ótima para quem precisa de tempo para gozar, pois o sexo pode durar mais sem cansar. Além disso, você e o gato têm as mãos livres para estimular seu clitóris.

2. Sentada de costas

Com o gato deitado de costas na cama, sente-se por cima dele, mas de costas para o rosto dele. Deixe as pernas juntas e os pés apoiados entre as pernas dele. Feche bem as pernas, pois o encaixe entre você fica mais apertado e as sensações são mais intensas. Use a mão para estimular o clitóris.

3. Você controla

O gato senta no chão com as pernas estendidas. Você senta-se sobre ele, de frente para o gato, com joelhos apoiados no chão. Use os braços e as pernas para se movimentar. A vantagem desta posição é que você escolhe a velocidade e o ângulo da penetração. Para turbinar as sensações experimente mover-se não só para cima e para baixo, mas também para frente e para trás. Acertar em cheio o ponto G inclinando o corpo para trás.

4. De conchinha

Deite-se de lado e deixe o gato agarrá-la por trás. Em vez de mover o pênis para dentro e para fora, ele deve manter a penetração, empurrando levemente a parede frontal da vagina. Assim, o ponto G é estimulado. No final, vocês nem precisam mudar de posição. É só relaxar!

5. Ele por cima
Deite-se de barriga para baixo e levante um pouco o bumbum para que o gato consiga penetrá-la. Ele deve deitar por cima de você e erguer o corpo com as mãos para facilitar os movimentos. Você sentirá mais o vai e vem.

 

Via amor e sexo



publicado por olhar para o mundo às 21:00 | link do post | comentar

Letra
Sentado à beira do mar
Ouvindo as ondas rolar
E uma gaivota no ar
Flecte as asas ao virar
Dá-me um sinal p`ra voltar

Quieto deixa-te estar
Adormece devagar
Esquece que tens que lutar
E uma gaivota no ar
Flecte as asas ao virar
Dá-me um sinal p`ra voltar

Até quando vai durar



publicado por olhar para o mundo às 12:00 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

DEOLINDA - Novo disco ac...

Orq. Gulbenkian & Orq. Ge...

UHF no Cineteatro Munici...

Bar ACERT - Café-Concerto...

Tsunamiz - I Don't Buy It

Biruta - DATAS em JULHO -...

Itinerário do Sal - ópera...

Junho traz concerto de Pe...

Sarah Nery edita EP homón...

Candeio apresentam novo s...

arquivos

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Março 2014

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

tags

todas as tags

Related Posts with Thumbnails
blogs SAPO
subscrever feeds
comentários recentes
Moro no Porto gosta de saber se há este tipo de cu...
Olá Boa tarde eu ultimamente não sinto prazer sexu...
Gente me ajudem nao sei oq fazer eu tenho meu mari...
joga na minha conta entaomano
Eu es tou dwsssssssssvzjxjshavsvvdvdvsvwhsjdjdkddd...
Quero fazer uma pergunta referente ao tema e é pro...
fala comigo
Essa papelaria em Queijas da muito jeito chamasse ...
ai mano to nessa como faz???
Gostaria de saber oque fazer quando a criança nega...
Posts mais comentados